sexta-feira, 31 de março de 2017

POLÍCIA CIVIL EMITE CARTEIRA DE NOME SOCIAL NA ESTAÇÃO CIDADANIA DO SHOPPING BOSQUE GRÃO PARÁ

A Polícia Civil já está emitindo a Carteira de Identidade de Nome Social, para travestis e transexuais, no Posto de Identificação da Estação da Cidadania, localizada no térreo do Shopping Bosque Grão Pará, em Belém. O documento visa proporcionar aos transgêneros um documento oficial de identidade com o nome e gênero com os quais se identificam. A emissão do documento está ocorrendo desde o início deste mês no Posto inaugurado em dezembro passado.

POSTO DE IDENTIFICAÇÃO DO SHOPPING GRÃO PARÁ
A emissão da Carteira de Identidade de Nome Social no novo Posto de Identificação em Belém atende à meta da Polícia Civil de promover a expansão da emissão desse documento no Estado. Para requisitar a Carteira, travestis e transexuais deverão apresentar o documento de identidade original, com duas fotos tamanho 3x4 iguais e em cores, certidão de nascimento original e comprovante de residência no Posto de Identificação da Estação Cidadania. A emissão da carteira de nome social é gratuita. A documento é emitido no mesmo dia.

Posto de Identificação da Estação Cidadania do Bosque Grão Pará

No interior do Estado, atualmente, o documento é emitido na sede da Polícia Civil, em Soure, no Marajó, mas, em breve, será expandido para outros municípios no Estado. O documento é válido como identificação oficial ao ser apresentado em qualquer órgão do Governo do Pará, como hospitais, escolas e delegacias. O novo Posto de Identificação, na Estação Cidadania, conta com atendimento de excelência para emissão da carteira de identidade.

O novo serviço iniciou suas atividades em dezembro de 2016, após ser inaugurado pelo governador do Pará, Simão Jatene. No serviço, com atendimento por ordem de chegada, o atendimento tem atenção especial para as prioridades, como idosos, gestantes, cadeirantes e lactantes. O posto de Identificação tem funcionamento diário de 8 horas da manhã até 18 horas. 

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR DESARTICULAM ESQUEMA DE TRÁFICO DE DROGAS EM MARACANÃ

As Polícias Civil e Militar deflagraram, nesta sexta-feira, 31, uma operação policial para dar cumprimento a mandado judicial de busca e apreensão em um ponto de tráfico de drogas no município de Maracanã, nordeste paraense. Foi preso em flagrante o casal José Hernandes Alves da Conceição e Cláucia Cilene dos Santos com os quais os policiais apreenderam 46 pedras de óxi de cocaína, uma balança digital, sacos plásticos, luvas, mais de R$ 200 em dinheiro e diversos objetos de origem desconhecida. 

APREENSÃO
JOSÉ HERNANDES

CLAUCIA
Sob coordenação do delegado Fábio de Andrade, titular da Delegacia de Maracanã, a operação iniciou nas primeiras horas da manhã com destino ao endereço. Durante o cumprimento do mandado judicial, os policiais civis e militares apreenderam as petecas de cocaína petrificada, conhecida como óxi, prontas para venda. 

Entre elas, havia duas de tamanhos diferentes e, portanto, mais caras que as demais. Uma de 25g e outra de 50 gramas, além dos demais objetos, o que caracteriza o local como um ponto de distribuição de drogas. O casal está preso à disposição da Justiça. Todo o trabalho contou com participação dos investigadores Nicolau, Gilson e Marília, além do comandante da PM, sargento Marinho, e da guarnição comandada pelo sargento Dionisio.

PRESO ACUSADO DE ESTUPRAR MENINA DE SEIS ANOS EM BELÉM

Policiais civis da Seccional Urbana da Sacramenta prenderam, nesta quinta-feira, 30, em cumprimento a mandado de prisão preventiva decretada pela Justiça do Estado,  Augusto das Chagas Ferreira Junior, 33 anos, acusado de estuprar uma menina e de usar o celular para fotografar as partes íntimas da vítima. Ele foi preso em sua casa, em Belém, durante operação realizada no início da manhã pela equipe policial coordenada pelos delegados Alberto Teixeira, diretor da Seccional, e Sinélio Menezes, responsável pelo inquérito do caso. Além da ordem de prisão, os policiais civis cumpriram mandado de busca e apreensão domiciliar na casa do acusado. 

PRESO

PERÍCIA PROSOPOGRÁFICA AJUDOU NA IDENTIFICAÇÃO DO PRESO
Os mandados judiciais foram expedidos com base nas investigações realizadas pela equipe da Seccional da Sacramenta.

A partir de câmeras de monitoramento de uma empresa construtora e de um Shopping Center, localizados no bairro de Val-de-Cães, e do laudo de perícia prosopográfica realizado pela Diretoria de Identificação da Polícia Civil, foi possível identificar Augusto das Chagas como o autor do estupro de vulnerável ocorrido no último dia 11, um sábado.

As investigações iniciaram após as autoridades policiais terem tomado conhecimento de crime de estupro de uma criança, por meio de atos libidinosos, cujas imagens foram captadas por uma câmera de monitoramento instalada na entrada de uma construtora, em Val-de-Cães, às proximidades de um Shopping Center.

Nas imagens é possível ver o acusado chegando ao local ao lado da vítima, por volta de 13h45. Os dois usavam capacetes de motoqueiro.

Na chegada ao local, após se certificar de que não havia ninguém no prédio, o acusado passou a despir a vítima parcialmente, abaixando a calça e a calcinha da menina para praticar os abusos sexuais. 
MOTO DO ACUSADO FOI APREENDIDA
Em momento algum, nas imagens, a criança reage à investida do indiciado. Um minuto depois de cometer os abusos sexuais, o acusado pega seu telefone celular e passa a fotografar a criança. Em seguida, ele aparentemente envia as fotos para outra ou outras pessoas. Os abusos continuam. Ele deita a menina e volta a praticar novos abusos sexuais. Ao finalizar os atos criminosos, o acusado ajuda a criança a se vestir, enquanto verifica o perímetro antes de deixar o local. 
CAMISA QUE O ACUSADO USAVA NO DIA DO CRIME
A partir da análise das imagens, os delegados chegaram à conclusão de que o indiciado aparentemente pertencia ao círculo de convívio da criança e que não era a primeira vez que ele cometia os abusos na menina. A partir do conhecimento dos fatos, a equipe da Seccional da Sacramenta teve acesso às fotos e vídeos de câmeras de monitoramento do Shopping Center que mostram o momento em que o acusado chega ao local de moto, com a manina, às 11h42 do dia do crime. Os dois passearam pelo local, por cerca de duas horas, até a saída às 13h36. Nas imagens, destacou o delegado Sinélio Menezes, chamou a atenção o fato de que a criança em momento algum se mostra oprimida ou sob domínio do acusado. 

OPERAÇÃO XEQUE-MATE PRENDE CINCO PESSOAS ENVOLVIDAS EM CRIMES EM MARITUBA

As Polícias Civil e Militar deflagraram, nesta sexta-feira (31), a operação "Xeque-Mate", para combate à criminalidade no município de Marituba, Região Metropolitana de Belém. Desde o início da manhã, os policiais iniciaram o cumprimento de cinco mandados judiciais na região contra pessoas envolvidas nos crimes de roubo, lesão corporal e tráfico de drogas. A ação policial foi coordenada pelo delegado Marco Antonio Duarte, titular da Superintendência da Polícia Civil na região metropolitana, e James Moreira, diretor da Seccional de Marituba. 

MULHERES PRESAS
PRESOS
POLICIAIS ENVOLVIDOS NA OPERAÇÃO


Durante a operação, os policiais recapturaram Marilene Cruz da Costa que estava presa no presídio feminino do Coqueiro, em Ananindeua, e de fugiu. Além dela foram presos Michael Naite da Silva Cruz, Paulo Cezar da Silva Costa, Selma Maria Gomes e Rosineide Antunes de Souza. A ação contou com policiais militares da Ronda Ostensiva Tática Metropolitana (Rotam) e policiais civis do Grupo de Pronto Emprego (GPE). Os detidos foram conduzidos até a Seccional de Marituba, para os procedimentos policiais e assim comunicar à Justiça sobre o cumprimento das ordens de prisão.

quinta-feira, 23 de março de 2017

PRESO MAIS UM ENVOLVIDO NO ASSASSINATO DA JOVEM MAYARA MARTINS EM ANANINDEUA

Clevyson Erick Sousa da Silva, 22 anos, conhecido por Erick, acusado de envolvimento no assassinato da jovem Mayara da Silva Martins, 19 anos, foi preso, na tarde desta quinta-feira, 23, no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, região metropolitana de Belém. Ele foi localizado por policiais militares que o conduziram para a Seccional Urbana da Cidade Nova, em Ananindeua, onde está recolhido à disposição da Justiça. Com a prisão dele, a Polícia Civil contabiliza sete pessoas presas por participação no crime de um total de 14 envolvidos. O corpo da vítima foi encontrado, em 15 de julho do ano passado, em Águas Lindas. 

DIVISÃO DE HOMICÍDIOS INVESTIGA CRIME
A vítima foi sequestrada e levada para as matas do parque ambiental do Utinga, onde foi torturada e morta a tiros. A tortura e a execução de Mayara foram filmadas com um celular por um dos bandidos e as imagens do crime foram compartilhadas nas redes sociais na época. Clevyson tem mandado de prisão preventiva decretado em outubro do ano passado pela juíza Cristina Collyer, da Vara do Tribunal de Júri da Comarca de Ananindeua. O inquérito sobre o caso foi instaurado pelo delegado Eduardo Rollo, da Divisão de Homicídios. 

Segundo o delegado Marco Antonio Duarte, titular da Superintendência da Polícia Civil na Região Metropolitana, a prisão de Clevyson Erick era questão de tempo. Ele explica que os policiais do bairro de Águas Lindas já estavam à procura do criminoso, que foi localizado na área do residencial Verdejantes, onde mora. Após a apresentação na Seccional da Cidade Nova, o delegado Duarte solicitou ao delegado Roberto Gomes, titular da Delegacia do Julia Seffer, para enviar cópia do mandado de prisão preventiva. O preso foi recolhido na Central de Triagem da Cidade Nova, para responder pelo crime. 

CLEVYSON ERICK
Segundo a Divisão de Homicídios, um dos mandantes do crime - Márcio Guilherme Prado Lima Filho, 23, de apelido Bugalu - foi preso em fevereiro deste ano. Ele foi o sexto envolvido no crime a ser preso durante as investigações. Do total de 14 envolvidos no assassinato, um acusado já morreu. Dos demais envolvidos, dois são adolescentes. Os outros 11 envolvidos são adultos. Todos com mandados de prisão decretados pela Justiça. Sete agora estão presos e outros quatro continuam foragidos. 

As investigações mostraram que Mayara foi morta a mando de Bugalu e José Adriano Gomes Santos, 26, conhecido por Adriano Gordo, que, na época do crime, estavam presos. Atualmente, Adriano Gordo está recolhido no presídio de Catanduvas, no Paraná, por determinação da Justiça. A vítima foi morta por ter sido apontada como informante de policiais militares que prenderam em flagrante, dias antes, por tráfico de drogas, Mayara Madalena Prado Silveira, 21, prima de Bugalu e dona de um ponto de venda de drogas, em Águas Lindas. Outra pessoa envolvida no crime é a irmã da vítima, Tayná de Jesus Martins de Lima, 20, e uma amiga da vítima, menor de idade. As duas, sob alegação de que iriam consumir drogas, perto das matas do parque do Utinga, levaram a vítima até o encontro dos algozes. Ao chegar nesse local, a vítima foi surpreendida pelos criminosos que a obrigaram a entrar na mata e ali passaram a torturá-la até que a mataram com vários disparos. 

Além de Bugalu; Tayná, irmã da vítima; Mayara Madalena, prima de Bugalu, e Adriano Gordo, estão presos também Alef Cunha Mininea, 19 anos, também conhecido por Alace ou Walace, e Lidean da Silva Borges, 25, de apelido Fred. Estão foragidos Ewerton Correa Maués, 25, de apelido Churrasco; Alessandro do Nascimento Araújo, 22, conhecido por Sandro; Wagner Martins Gomes, 21, de apelido Peste, e Leonardo Martins da Rocha, 22, de apelido Beca.

segunda-feira, 13 de março de 2017

DIVISÃO ESPECIALIZADA EM MEIO-AMBIENTE AUTUA DUAS PESSOAS POR MAUS TRATOS A ANIMAIS EM BELÉM

A Polícia Civil autuou duas pessoas por crime de maus tratos contra cães, nesta segunda-feira, 13, em Belém. Os casos foram investigados pela equipe da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA) após a divulgação de vídeos nas redes sociais com as imagens das agressões. Em um dos casos, a senhora Raimunda de Jesus Ferreira Leal, de 57 anos, foi filmada por uma pessoa que trafegava de carro, na rua da Olaria, bairro do Tapanã, distrito de Icoaraci, em Belém, no momento em que pilotava uma bicicleta motorizada puxando uma cadela filhote amarrada a uma corda. Em determinado momento, a cadela não consegue acompanhar a moto e cai no chão, passando a ser arrastada pelo asfalto. No outro caso, o senhor Carlos Alberto Pereira de Souza, 66 anos, foi filmado na rua Barão de Mamoré, no bairro do Guamá, em Belém, no momento em que jogou um cão contra o calçamento e depois o agrediu a socos na cabeça. 

Cadela filhote Chaila vítima de maus tratos
CADELA FILHOTE COM SINAIS DE MAUS TRATOS
No caso de Raimunda de Jesus, as investigações iniciaram logo após a equipe da DEMA tomar conhecimento pelas redes sociais. De imediato, explica o delegado Vicente Costa, a equipe policial passou a diligenciar na área do Tapanã e localizou a acusada e a cadela filhote de nome Chaila. A cadela apresentava sinais evidentes de maus tratos, como ferimentos nas patas e pelo corpo. Assim, Raimunda foi conduzida até a DEMA, onde foi lavrado Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por crimes de maus tratos. Após ser ouvida e assinar o TCO, a mulher vai responder ao processo criminal na Justiça. Ela alegou que a cadela de seis meses teria fugido de casa e foi procurá-la no bairro. Como não estava se sentindo bem e, por isso, não tinha como carregar a cadela, resolveu amarrá-la à bicicleta motorizada. A cadela foi entregue à ONG Peludinhos, do campus do Guamá da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, responsável em cuidar da cadela até que ela seja acolhida, medicada, alimentada e recuperada, para ser encaminhada para adoção. O procedimento foi acompanhado por representantes da Comissão de Direitos de Animais da OAB do Pará.

Equipe da DEMA foi ao Tapanã
POLICIAIS CIVIS DA DEMA RESGATAM ANIMAL AGREDIDO
Ainda, nesta segunda-feira, 13, um outro vídeo compartilhado na rede social do Abrigo Au Family na internet denunciava um senhor de meia idade espancando um cão no canteiro central da rua Barão de Mamoré, no Guamá. A partir do conhecimento das imagens, a equipe da DEMA, coordenada pelo investigador e veterinário da DEMA, Edelvan Soares, foi até o endereço e localizou o agressor. Carlos Alberto foi conduzido junto com o cão até a DEMA para responder também por maus tratos. O animal doméstico foi entregue à uma ONG, sediada no bairro de São Brás, em Belém, responsável em cuidar do cão vítima de maus tratos. No local, ele vai receber atendimentos veterinários e alimentação necessária a se restabelecer. 

Cão resgatado no Guamá
CÃO RESGATADO
No ano passado, a DEMA instaurou 510 procedimentos para apurar crimes ambientais no Estado. No total, a DEMA recebeu 1.076 denúncias anônimas feitas ao serviço telefônico 181, o Disque Denúncia, sobre crimes ambientais, como maus tratos de animais, poluição sonora, poluição ambiental, entre outros. 

O crime de maus tratos a animais é previsto no artigo 32, da Lei de Crimes Ambientais nº. 9.605/98, que tipifica como crime o ato de abusar, maltratar, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos (de outro país). A pena prevista para quem cometer esse crime é de três meses a um ano de detenção e multa. A pena é aumentada de um terço a um sexto, se ocorrer a morte do animal. Os atos de maus-tratos e crueldades mais comuns são:

- Abandono.
- Manter animal preso por muito tempo sem comida e contato com seus donos/responsáveis.
- Deixar animal em lugar impróprio e anti-higiênico.
- Envenenamento.
- Agressão física, covarde e exagerada.
- Mutilação.
- Utilizar animal em shows, apresentações ou trabalho que possa lhe causar pânico e sofrimento.
- Não procurar um veterinário se o animal estiver doente.

sexta-feira, 10 de março de 2017

PRESO ACUSADO DE ENVOLVIMENTO EM TENTATIVA DE ROUBO A BANCO EM BENEVIDES

A Polícia Civil deu cumprimento nesta quinta-feira, dia 9, ao mandado de prisão preventiva expedido contra Lauro Jorge do Amaral Mineiro. Ele é acusado de participar do ataque à agência do Banco do Brasil em Benevides no dia 3 de fevereiro deste ano. A prisão foi realizada por policiais civis da Delegacia de Repressão a Roubo a Banco e Antissequestro (DRRBA), unidade vinculada à Divisão de Combate ao Crime Organizado (DRCO) do Pará.

Durante o assalto, ele estava na companhia de Rafael Fagundes, morador de Joinville, no Estado de Santa Catarina, e um terceiro comparsa. A dupla pretendia abrir os cofres e subtrair dinheiro e armas dos vigilantes. Rafael Fagundes foi preso em flagrante ainda na madrugada do dia 3. 

Já Lauro Jorge foi identificado através das câmeras de segurança do banco e foi preso no Aeroporto Internacional Júlio Cezar Ribeiro, no bairro Val-de-Cães, em Belém, no momento em que pretendia embarcar em um voo com destino à Recife, capital de Pernambuco. O acusado está recolhido à disposição da justiça.