quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

JUSTIÇA DECRETA PRISÃO PREVENTIVA DE EX-POLICIAL MILITAR ACUSADO DE HOMICÍDIO EM OUTEIRO

A Justiça decretou a prisão preventiva, nesta quarta-feira, 22, do ex-policial militar Gerson Vitoriano de Oliveira, de 46 anos, preso no último dia 1º, em decorrência de investigações realizadas pela equipe da Divisão de Homicídios da Polícia Civil. Ele é acusado de assassinar Carlos Gomes da Silva, 24 anos, em 28 de novembro de 2016, na praia do Amor, ilha de Caratateua (Outeiro), em Belém. Gerson Vitoriano está recolhido à disposição da Justiça no presídio Coronel Anastácio das Neves, no Complexo Penitenciário de Santa Isabel do Pará. Ao ser preso, no dia 1º, ele estava com mandado de prisão temporária expedido pela Justiça e que, agora, foi convertido para prisão preventiva.

Material apreendido com acusado
MATERIAL APREENDIDO COM ACUSADO
O ex-policial militar responde a seis processos criminais na Justiça, dos quais cinco por homicídio e um por concussão (extorsão praticada por servidor público). Ele é apontado como um dos principais responsáveis por execuções nos distritos de Outeiro e Icoaraci, em Belém. O inquérito que resultou inicialmente na decretação de mandado de prisão temporária de Gerson Vitoriano é presidido pelo delegado Guilherme Macedo. Segundo o policial civil, após a prisão do acusado, no último dia 1º, mais seis denúncias de outros crimes praticados pelo ex-policial militar foram recebidas pela Divisão de Homicídios e outros dois inquéritos policiais foram instaurados para apurar os crimes. 

Vitoriano, como é mais conhecido, foi preso em sua casa, em Outeiro, em operação comandada pelos delegados Guilherme Macedo e Eduardo Rollo, da DH. Ao ser preso, no dia 1º, ele foi flagrado com mais de 200 estojos de munição de pistola calibre ponto40 e revólver 38; um revólver calibre 38 com duas munições; um par de algemas; um colete à prova de balas e seis placas de veículos diferentes, das quais, quatro de carros e uma de moto, além de uma carteira de identidade funcional da Polícia Militar do Pará. Vitoriano foi expulso da PM do Pará após conclusão de processo administrativo por ter assassinado a tiros um preso que estava algemado. 

Nenhum comentário: