segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

POLÍCIA CIVIL ABRE CANAL DE DEBATES ENTRE AUTORIDADES E SOCIEDADE EM PROGRAMA DE RÁDIO EM BELÉM

“Criamos um ambiente de relacionamento entre autoridades e sociedade, sobre temas atuais, para auxiliar a população na tomada de decisões de forma crítica, sobre assuntos de interesse público”. É dessa forma que a delegada da Polícia Civil e apresentadora do “Segurança e Cidadania”, da Rádio Nazaré, Christiane Ferreira, resume o objetivo do programa, que vai ao ar todas as sextas-feiras, de 14h às 16h. Ferreira explica que diminuir a distância entre as autoridades e sociedade é fundamental para que a população tenha a oportunidade de dialogar com pessoas especializadas nos temas abordados durante o programa, que, semanalmente, foca em tópicos como segurança pública, meio ambiente, proteção de vulneráveis, feminicídio, direitos humanos, entre outros.



“Essa é uma iniciativa da Rádio Nazaré em parceria com a Polícia Civil. Não há intervalos comerciais, então tudo é feito de forma proativa, com caráter educativo. O objetivo é fazer com que as informações trocadas sejam úteis aos ouvintes”, diz Ferreira. Depois de uma reformulação, que passou a ter a delegada como apresentadora, o semanal passou a ser dinâmico, com temas diversos de interesse público, interatividade e abordagens de diferentes perspectivas. “O público é participativo e mostra o quanto as pessoas são interessadas por essas temáticas trabalhadas dessa forma. 

A internet ajuda, pois participam pelo Facebook e Twitter com o envio de sugestões e perguntas. Abrimos canais para que a audiência também tenha voz”, explica. No ar desde outubro de 2016, o programa tem registrado bons índices de audiência. Para a delegada, ter o retorno positivo do público significa ter margem para inovar e manter o formato que tem dado certo. “Sou novata nessa função, mas o desafio de ser apresentadora de um programa com esse foco é prazeroso. Gostamos de receber sugestões de quem nos ouve, pois isso nos ajuda a inovar. Nossa intenção é criar esse laço e instruir quem busca instrução”, finaliza. Por Sérgio Moraes (Agência Pará/ Governo do Estado).

Nenhum comentário: