quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

POLÍCIA CIVIL TRANSFERE PARA BELÉM PRESO NO PARANÁ ACUSADO DE LIDERAR ROUBO A BANCO NO SUL DO PARÁ

A Polícia Civil transferiu para Belém nesta quarta-feira, 21, o preso Mauro José Cavalcante Sobrinho, de apelidos "Ceará" ou "Velho", preso, no último dia 10, na cidade de Londrina, no Paraná. Ele é apontado como um dos líderes do assalto na modalidade "vapor" ou "novo cangaço", realizado à agência do Banco do Brasil na cidade de São Félix do Xingu, sul do Pará, no dia 2 deste mês. Cavalcante é acusado ainda de ser o dono das armas utilizadas pela associação criminosa durante a ação criminosa. Mauro José foi preso por policiais civis do Paraná a partir de informações repassadas pela Polícia Civil do Pará. 

PRESO
A transferência do preso ocorreu entre a noite de ontem e a madrugada de hoje, quando o preso chegou à DRCO (Divisão de Repressão ao Crime Organizado), em Belém. Pela manhã, o delegado Tiago Belieny, da Delegacia de Repressão de Roubos a Bancos (DRRB), vinculada à DRCO, prestou outras informações sobre a investigação do assalto. O delegado detalhou que as armas usadas no roubo ao banco foram encontradas dentro de uma mala de viagem que estava em poder da paranaense Nayana Cris da Costa e Silva, 29. Ela foi presa, no último dia 7, em um ônibus interestadual, no município de Conceição do Araguaia, no sul do Pará, de onde se deslocava para o sul do país. 

Ainda, durante as investigações, foram apreendidas duas pistolas, dois revólveres, um fuzil AK 47, uma escopeta calibre 12 e a quantia de R$ 14 mil que estava dividida em envelopes bancários para serem depositados em contas de terceiros. A Polícia Civil prendeu também, na ocasião, outra mulher envolvida no assalto, Sandra Lúcia Domingues, de 41 anos, em Parauapebas, sudeste paraense. Na ocasião, Raimundo Nonato Inácio Valdivino, companheiro de Sandra e também considerado um dos líderes do assalto, morreu em troca de tiros com os policiais civis da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). Ao todo, sete pessoas foram indiciadas por envolvimento no roubo ao banco. Dois suspeitos permanecem foragidos. O preso ficou de ser ouvido em depoimento na continuidade das investigações.

UNIVERSITÁRIO É PRESO EM FLAGRANTE COM DROGA SINTÉTICA E MACONHA DO TIPO "SKANK" EM BELÉM

A Polícia Civil prendeu em flagrante, nesta quarta-feira, 21, durante operação para dar cumprimento a mandados de prisão preventiva e busca e apreensão, o estudante universitário e promotor de eventos, Kim Lima de Moraes, de 25 anos, por tráfico de drogas. Ao ser preso, em sua casa, no bairro do Umarizal, ele foi flagrado com uma cartela de LSD (droga sintética) e uma porção de maconha do tipo Skank, droga modificada em laboratório para ter o princípio ativo (Tetra-hidrocanabinol - THC) potencializado para provocar efeito alucinógeno mais forte do que a maconha comum. 

MACONHA E CARTELA DE LSD

PRESO
A prisão foi realizada por policiais civis da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) em continuidade das investigações sobre um esquema de produção desse tipo de droga dentro de apartamentos na capital paraense. 

Ele é apontado como o responsável em alugar um apartamento, situado em um prédio de alto padrão, no bairro de Nazaré, em que foi descoberto, em novembro deste ano, o cultivo da droga na modalidade "in door" (local fechado). Na época, foram presos Helio Bezerra Pontes, 32 anos, e Juliana Régis Dias Ferreira, 32. 

O estudante universitário do curso de Meteorologia é apontado como comparsa dos dois na produção de maconha em apartamentos, dentro dos quais havia estufas com iluminação formada de lâmpadas fluorescentes, que simulavam a luz solar, refrigeração interna com aparelhos de ar-condicionado, adubos, insumos e toda uma estrutura que permitia o cultivo da erva no local. 

A prisão foi realizada pela equipe da Denarc, sob coordenação dos delegados Hennison Jacob, titular da Divisão, e delegada Fernanda Maués, que está à frente das investigações. Kim foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e está à disposição da Justiça. Os mandados judiciais foram expedidos pela 1ª Vara de Inquéritos Policiais e Medidas Cautelares da Capital.