sábado, 10 de dezembro de 2016

PRESOS ACUSADOS DE ARROMBAR AGÊNCIA BANCÁRIA EM PACAJÁ NO PARÁ

A Polícia Civil divulgou, neste sábado, 10, os resultados da operação policial deflagrada, ao longo da semana, para dar cumprimento aos mandados de prisão decretados pela Justiça contra cinco acusados, entre eles, quatro policiais militares, por envolvimento no furto com arrombamento da agência do Banco da Amazônia, em Pacajá, sudeste do Pará. O crime se registrou em 11 de abril de 2015, quando um maçarico foi usado para arrombar o cofre do banco e saquear elevada quantia em dinheiro. Durante as investigações, o delegado Marco Meira Mayer, titular da Delegacia de Pacajá, com apoio da Diretoria de Polícia do Interior (DPI) e Diretoria de Polícia Especializada (DPE), da Polícia Civil, conseguiu levantar provas para requisitar as prisões dos acusados ao Poder Judiciário. 

Cidade de Pacajá
CIDADE DE PACAJÁ
Segundo o delegado, um dos presos, Oziel Lima Vieira, foi preso no município de São Domingos do Araguaia, numa ação conjunta da Superintendência Regional do Lago de Tucuruí e Delegacia de Polícia local, com apoio da Diretoria de Polícia do Interior. Após o arrombamento e furto no banco, o preso fugiu da cidade de Pacajá para tentar dificultar as investigações. Ainda, durante a operação, foi dado cumprimento aos mandados de prisão preventiva contra dois policiais militares, que já estavam recolhidos no Presídio “Coronel Anastácio das Neves”, no Complexo Penitenciário de Santa Isabel do Pará. Um deles foi preso em flagrante por envolvimento em tentativa de assalto uma agência bancária, em Jacundá, em julho deste ano. 

O outro acusado foi preso em março deste ano por envolvimento em assalto a banco, na cidade de Moju, nordeste paraense. Outro policial militar foi preso enquanto viajava em um ônibus intermunicipal, pela Rodovia PA 150, em Moju. A prisão foi realizada por agentes da Polícia Rodoviária Estadual e Divisão de Crimes Funcionais (Dcrif) da Corregedoria. O outro acusado apresentou-se na Dcrif, em Belém, ao tomar conhecimento do mandado de prisão. 

Os militares estão recolhidos no Presídio “Coronel Anastácio das Neves” à disposição da Justiça de Pacajá, responsável em decretar os mandados de prisão. O delegado Marco Mayer destaca o apoio da Diretoria de Polícia do Interior e da Diretoria de Polícia Especializada, para o sucesso da investigação e destaca que o Sistema de Segurança Pública vem atuando de forma técnica e eficaz contra associações criminosas que praticam ações criminosas no Estado.

PRESO NO PIAUÍ ACUSADO DE MATAR PREFEITO DE GOIANÉSIA DO PARÁ

A Polícia Civil deve transferir ao Pará, nos próximos dias, o preso Benedito Peres Campelo, 55 anos, natural de Natal (RN), apontado como executor do então prefeito de Goianésia do Pará, João Gomes da Silva, que era conhecido como Russo. O crime ocorreu em 24 de janeiro deste ano, quando a vítima estava em um velório, no município paraense. 

PRESO
Benedito foi preso, nesta sexta-feira, 9, em Teresina, capital do Piauí, como resultado de um trabalho conjunto de policiais civis da Divisão de Homicídios e Serviço de Polícia Interestadual (Polinter) do Pará com apoio da Polícia Civil piauiense. 

Segundo o policial civil, o prefeito foi morto a tiros por dois criminosos. Um deles entrou no local do velório, onde estava a vítima, e efetuou os disparos. Durante as investigações, um dos envolvidos, agora preso, foi identificado. 

Benedito Campelo também usa o nome de Agnaldo Peixoto de Alencar, inclusive, ao ser preso, portava uma carteira de identidade com esse nome falso. As investigações continuam. O inquérito é presidido pelo delegado Fernando Bezerra, da Divisão de Homicídios do Pará.

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR DEFLAGRAM OPERAÇÃO PARA COMBATE AO TRÁFICO DE DROGAS EM VILA DO CONDE

As Polícias Militar e Civil prenderam em flagrante, nesta sexta-feira, 9, durante operação denominada “Conde”, realizada no distrito de Vila do Conde, município de Barcarena, nordeste do Pará, cinco pessoas envolvidas em tráfico e associação para o tráfico de drogas. A ação policial foi deflagrada para cumprir mandados judiciais de busca e apreensão em seis casas identificadas como pontos de venda de drogas. 


Os presos são Alarisse Dias; Breno Corrêa da Silva; Joice Gonçalves de Souza; Kathlyn Nazaré Oliveira Albuquerque e João Wellington Sacramento da Silva. Foram apreendidos, durante as buscas nos imóveis, três tabletes de maconha prensada; 50 papelotes de maconha; 20 papelotes de pasta de cocaína; uma munição de revólver calibre 38; telefones celulares e R$ 2,9 mil em dinheiro. 


Segundo o delegado Augusto Potiguar, responsável pela operação, os mandados judiciais foram expedidos pela Justiça em decorrência de investigações realizadas na região. Participaram da operação policiais civis e militares de Vila dos Cabanos, policiais militares do Grupo Tático Operacional (GTO); duas guarnições de Vila do Conde; guarnições da 1ª e 2ª Companhias da PM e uma guarnição do Canil.