domingo, 20 de novembro de 2016

POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADOS DE ENVOLVIMENTO EM FURTO DE GADO NO MARAJÓ

A Polícia Civil concluiu, neste domingo, 20, a operação Marajó, que resultou nas prisões de oito pessoas por envolvimento em uma associação criminosa interestadual especializada no furto de gado. As prisões foram realizadas em Soure e Salvaterra, na ilha do Marajó, e no Estado do Amapá. Os presos foram levados inicialmente para Soure e transferidos neste domingo, de avião, para Belém. A operação foi deflagrada no último dia 18, de forma conjunta, por policiais civis da Superintendência da Região do Marajó Oriental, sediada em Soure, e policiais civis do Estado do Amapá.  Conforme o delegado Luciano Cunha, titular da Superintendência, a associação criminosa agia durante a madrugada nos rios do Pará para furtar bois de fazendas da região do Marajó. As cabeças de gado eram transportadas em balsas para Macapá, no Amapá, onde eram comercializados com marchantes (funcionários de açougues). 

CINCO PRESOS EM MACAPÁ
Estes revendiam a carne do gado para frigoríficos da capital amapaense. Segundo a delegada Thiciane Pantoja, titular da Delegacia de Soure, o crime era bastante lucrativo para o grupo criminoso. "Em cada ação, os acusados furtavam cerca de 100 cabeças de gado de uma só vez e as vendiam por em torno de R$ 1.500", explica.  No Amapá, foram presas seis pessoas em cumprimento a mandados de prisão temporária. São elas: o auxiliar de serviços gerais Diogo Sarmento Pinto Junior, 28 anos,  amapaense; o comerciante Luiz Figueiredo dos Santos, 40,  paraense; o pescador Rogério Souza Silva, 26, de apelido Farinha,  amapaense; o prático Orlando Freitas, 69, de apelido Bagudo, amapaense; o comerciante Ademar Rodrigues da Silva, 55, de apelido Torrão, amapaense, e o policial militar Alex Dias de Souza, 29, amapaense. 

Lotado no 8º Batalhão da PM amapaense, o policial é apontado como o chefe do grupo. Os presos ficaram recolhidos inicialmente, em Macapá, na sede da Divisão de Capturas da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Patrimônio (DECCP) da Policia Civil do Amapá, em Macapá, até a autorização judicial de transferência para Belém.   Na ilha do Marajó, foram presos Marcelo Cruz Mendonça, localizado na cidade de Salvaterra, e Ivanildo Sarmento da Silva, 27, preso no município de Soure. Um terceiro acusado foi procurado no Marajó, mas está foragido. Todos os presos estão com mandados de prisões temporárias expedidos pela Justiça paraense. 

O policial militar foi transferido para o presídio Centro de Recuperação Especial Coronel Anastácio das Neves em Santa Izabel do Pará. Os demais ficaram recolhidos na Central de Triagem de São Brás, na capital paraense. As ordens de prisão foram expedidas pelo juiz José Godinho Soares, da Comarca de Soure. A operação contou com o apoio da Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal do Estado do Pará, vinculada à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SEGUP), que coordenou reuniões sobre o furto de gado no Marajó, buscando soluções para o problema. Agentes de Inteligência do Ministério Público de Macapá, e da DECCP, da Policia Civil do Amapá, tambem atuaram em apoio à operação. As investigações irão continuar.