sexta-feira, 21 de outubro de 2016

POLÍCIA CIVIL LOCALIZA TRAVESTI ESPANCADA NA AVENIDA VISCONDE DE SOUZA FRANCO EM BELÉM

A Polícia Civil localizou, na tarde desta sexta-feira, 21, a travesti de 16 anos espancada por um grupo de pessoas, na Avenida Visconde de Souza Franco, no Reduto, em Belém, na madrugada de ontem. A adolescente estava em um abrigo municipal. Natural de Breves, no Marajó, a vítima foi ouvida em depoimento pela delegada Hildenê Falqueto, da Delegacia de Combate ao Crimes Discriminatórios e Homofóbicos (DCCDH), unidade vinculada à Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis da Polícia Civil. O inquérito policial foi instaurado para apurar o espancamento, que foi filmado por um morador da Avenida e as imagens foram divulgadas nas redes sociais. 

A delegada explicou que, a partir do momento que tomou conhecimento do vídeo pelas redes sociais, registrou boletim de ocorrência e, através das investigações, localizou a adolescente. A adolescente foi ouvida na sede da Delegacia, no prédio da Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), com acompanhamento de representantes da Defensoria Pública e da Ordem dos Advogados do Brasil no Pará. A vítima também foi encaminhada para exame de corpo de delito no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e demais providências. A delegada informou ainda que vai tomar providências para tomar depoimento de outras pessoas. 

Entre elas, os policiais militares que foram ao local da ocorrência e que serão ouvidos na condição de testemunhas. "Foram eles que prestaram atendimento à vítima e a levaram ao Pronto-Socorro Municipal de Belém no primeiro momento", explica. Ainda, segundo a policial civil, a Delegacia-Geral, por meio da Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis, designou uma equipe de policiais civis para prestar apoio à DCCDH nas investigações. 

"Esses investigadores estão encarregados da identificação dos agressores", salienta. Quanto ao conteúdo do depoimento da adolescente, a delegada vai preservar em sigilo as declarações da vítima, conforme determina o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). "Algumas informações irão permanecer restritas ao inquérito policial", ressalta, ao acrescentar que a vítima está sendo amparada por psicólogas e assistentes sociais do Abrigo.

DELEGADA DA POLÍCIA CIVIL DO PARÁ LANÇA LIVRO SOBRE INVESTIGAÇÃO DE CRIMES CIBERNÉTICOS


Será lançado, no próximo dia 12 de novembro, em Belém, o livro "Manual de Investigação Cibernética: à Luz do Marco Civil da Internet", escrito pela delegada da Polícia Civil do Pará, Beatriz Silveira Brasil, e pelo delegado da Polícia Civil do Estado do Piauí, Alesandro Barreto.

A obra literária foi elaborada para auxiliar os operadores da área jurídica e da área de Tecnologia da Informação e Comunicação a aprofundar conhecimentos, em especial, quanto à interseção entre o Direito e a Tecnologia, com foco na investigação de crimes cometidos por meio da Internet, os chamados Cibercrimes. 

Pós-graduada em Políticas Públicas e Gestão em Defesa Social e Mestra em Defesa Social e Mediação de Conflitos, pela Universidade Federal do Pará, a delegada Beatriz Silveira Brasil atualmente é assessora especial de Inteligência e Segurança Corporativa da Secretaria de Meio-Ambiente e Sustentabilidade do Governo do Pará, e teve um trabalho muito destacado enquanto diretora da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos da Polícia Civil do Pará.

A policial civil também já foi condecorada com as Medalhas Evanovich de Investigação Policial e do Mérito Policial Civil referentes ao êxito em investigações policiais complexas com repercussão em nível nacional. O livro é uma publicação da Editora Brasport. 

Beatriz Silveira Brasil e Alesandro Barreto: autores do livro
BEATRIZ E ALESANDRO: AUTORES DO LIVRO
Já o delegado Alesandro Barreto, parceiro da delegada paraense na autoria do livro, é pós-graduado em Direito pela Universidade Federal do Piauí e atualmente atua na Direção da Unidade do Subsistema de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Piauí. Ele também é colaborador eventual e coordenador do NUFA (Núcleo de Fontes Abertas) da Secretaria Extraordinária para Segurança de Grandes Eventos do Ministério da Justiça com atuação nas Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016 e coautor do livro “Inteligência Digital”, também publicado pela Brasport. A delegada explica que no livro são abordados temas como crimes cibernéticos, preservação de evidência cibernética, aplicação judicial do Marco Civil na Internet, entre outros temas. 

SERVIÇO O lançamento do livro "Manual de Investigação Cibernética: à Luz do Marco Civil da Internet" será no próximo dia 12 de novembro, no horário de 15:00 às 19 horas, no espaço Café da Sol Informática, localizado na Avenida Visconde de Souza Franco próximo à Rua Boaventura, no bairro do Reduto, em Belém. O livro já está disponível para vendas no site da editora Brasport. Para ver: CLIQUE AQUI

DELEGADO PALESTRA PARA ESTUDANTES EM ESCOLA PÚBLICA DE NOVO REPARTIMENTO

A Polícia Civil promoveu um ciclo de palestras, sobre assuntos como violência doméstica, drogas e denúncia de crimes, nesta quinta-feira, 20, em uma escola pública na cidade de Novo Repartimento, no sudeste do Pará. A iniciativa é do delegado Arthur Nobre, titular da Delegacia da cidade, com objetivo de informar e esclarecer dúvidas de estudantes da região. O encontro foi realizado no ginásio de esportes da escola Papa Paulo que recebeu dezenas de alunos para ouvir as palavras do delegado. 

DELEGADO PALESTRA EM ESCOLA
Foram muitos os esclarecimentos prestados à comunidade estudantil da cidade. De início, o policial civil falou sobre o trabalho desenvolvido pela Polícia Civil na prevenção e combate aos crimes. Entre os trabalhos destacados pelo delegado está o Disque Denúncia, serviço telefônico gratuito que, por meio do fone 181, recebe e encaminha para apuração todo tipo de denúncia, de forma segura e sigilosa. 

Delegado em palestra

Arthur Nobre prestou alguns esclarecimentos sobre a Lei Maria da Penha, que trata da punição dos autores de violência doméstica contra a mulher. Ele orientou sobre como proceder ao tomar conhecimento de algum caso de mulher com direitos violados. Além disso, o delegado orientou sobre a Lei de Drogas e o combate ao tráfico de entorpecentes. Salientou os perigos do envolvimento dos jovens com as drogas. Ao final, o policial civil se colocou à disposição para quaisquer outros esclarecimentos da comunidade.

A programação faz parte das atividades realizadas pela equipe da Delegacia de Novo Repartimento, que busca o bem estar da comunidade não só por meio da palestras, como também em ações sociais. Ainda este mês, a equipe policial se mobilizou para festejar junto às crianças do município a chegada do dia das crianças com distribuição de bolas e bonecas, entre outros brinquedos.