quinta-feira, 6 de outubro de 2016

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR DEFLAGRAM OPERAÇÃO PARA PRENDER ENVOLVIDOS EM HOMICÍDIOS EM SÃO FÉLIX DO XINGU

As Polícias Civil e Militar deflagraram, nesta quarta-feira, 5, duas operações em São Félix do Xingu, sul do Pará, para prender cinco acusados de envolvimento em dois homicídios registrados este ano no município. Um dos casos foi o assassinato do trabalhador rural Ronair José de Lima, que era líder da Associação dos Acampados Sem-Terra e foi morto na região da Vila Sudoeste, em julho deste ano. Três acusados do crime foram presos. O outro caso é o da morte do dentista e pecuarista Manoel Bento morto, em julho deste ano, no município. Dois acusados de envolvimento no homicídio foram presos. 

Apreensões durante operações em São Félix do Xingu
OPERAÇÃO
As operações foram deflagradas por policiais civis das Superintendências das Regiões do Alto Xingu e do Araguaia Paraense, juntamente com as equipes da Delegacia de Conflitos Agrários de Redenção; do Núcleo de Apoio à Investigação do Sul do Pará e das Delegacias de Tucumã e São Félix do Xingu, em parceria com policiais militares de São Félix do Xingu, e dos Grupamentos Tático-Operacionais (GTOs) de Ourilândia do Norte, Xinguara e Redenção, e do Comando de Policiamento Regional de Redenção. 

O objetivo foi cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão em vários locais no município de São Félix do Xingu. Na primeira operação, denominada "Novo Oeste", resultante do inquérito policial instaurado para apurar a morte do trabalhador rural Ronair José de Lima, foram cumpridos três mandados de prisão contra Francisco Nogueira Lima, de apelido Romário; Lourival Gonçalo de Sousa, de apelido Índio, e José Rodrigues da Silva, conhecido por Zé Tocantins, acusados de envolvimento no crime. 

Além das prisões, as equipes policiais cumpriram sete mandados de busca e apreensão nas casas de pessoas suspeitas de participação no homicídio. Em um desses locais, os policiais apreenderam diversos objetos que serão usados nas investigações, entre eles, um carregador de pistola calibre .380. Na outra operação, denominada "Primavera", realizada como parte das investigações da morte ocorrida em julho deste ano, cuja vítima foi o dentista e pecuarista Manoel Bento, os policiais civis e militares cumpriram diversos mandados de busca e apreensão, em que foram apreendidas armas de fogo que podem ter sido usadas no crime, além de outros objetos que poderão ser úteis no desenrolar das investigações. 

Os policiais também cumpriram o mandado de prisão de Ronaldo Barreiras dos Santos, de apelido Bam Bam, e prenderam em flagrante César Rondolfo Pimentel Alves por porte de um revólver calibre .38 com seis munições intactas. Os dois são suspeitos de envolvimento no crime. A residência de César era um dos alvos de cumprimento de mandado de busca e apreensão durante a operação. De acordo com o delegado Pedro Andrade, outras prisões poderão ocorrer durante as investigações.

POLÍCIA CIVIL PRENDE ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA ENVOLVIDA EM ESQUEMA DE FRAUDE EM BELÉM

A Polícia Civil divulgou, nesta quinta-feira, 6, os resultados de uma operação policial denominada "Fomento" para desarticular um esquema de fraudes que resultou no desvio de R$ 9 milhões de uma empresa ligada a um grupo de supermercados, em Belém. Três empresários e o gerente-geral da empresa foram presos em cumprimento a mandados de prisão preventivas decretados pela Justiça. As prisões foram cumpridas, ontem, por policiais civis da Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE) em decorrência de inquérito policial instaurado para apurar operações financeiras fraudulentas. 

Material apreendido
APREENSÕES
O delegado Neyvaldo Silva, diretor da DIOE, apresentou o material apreendido em posse dos acusados. São computadores portáteis, tipo notebooks, e documentos ligados à movimentação financeira da empresa, que serão usados na investigação. 

Delegado Neyvaldo Silva
DELEGADO NEYVALDO SILVA
Pelas informações apuradas durante as investigações, os três empresários dos ramos de transportes e medicamentos e o gerente são acusados de envolvimento em um esquema em que documentos referentes a pagamentos de antecipações de títulos de créditos de contratos de serviços foram fraudados para parecer que haviam sido pagos regularmente. 

Os documentos dos contratos foram fraudados. Após verificar, o dono da empresa constatou que os documentos não haviam sido pagos. O esquema foi descoberto após a empresa passar por auditoria. O crime era praticado por cerca de dez anos. Os presos irão responder por estelionato, falsidade ideológica e associação criminosa.

POLÍCIA CIVIL DESARTICULA ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA DURANTE OPERAÇÃO POLICIAL EM MÃE DO RIO

A Polícia Civil deflagrou nesta quinta-feira, 6, uma operação para prender acusados de integrar uma associação criminosa envolvida nos crimes de tráfico de drogas, roubos de carros e receptação de veículos roubados, no município de Mãe do Rio, região nordeste do Pará. Denominada de operação "Jurupeba/Mãe do Rio", a ação policial foi realizada por policiais civis da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e da Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), com apoio de policiais civis do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA) e do Núcleo de Inteligência da Polícia Civil. 


Três pessoas foram presas em flagrante por tráfico de drogas. Ao todo, 125 pedras de óxi de cocaína; 14 petecas de cocaína e uma trouxa de maconha, além de três motos roubadas, foram apreendidas. Conforme o delegado André Costa, diretor da DRCO, ao todo, foram decretados 15 mandados de busca e apreensão pela Justiça de Mãe do Rio. No total, 52 policiais civis foram designados para atuação na operação iniciada por volta de 6h30 no município. 

Ainda durante a operação, policiais civis da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos, unidade vinculada à DRCO, realizaram apreensões de três motos roubadas. Três pessoas foram detidas e enquadradas em Termos Circunstanciados de Ocorrência, sendo depois liberadas. Uma pessoa também foi detida por consumo de entorpecentes e também foi liberada após o procedimento policial em Mãe do Rio. Essa foi a primeira grande operação desse porte no município realizada este ano.

POLÍCIA CIVIL RESGATA CAVALO EM SITUAÇÃO DE MAUS TRATOS EM BELÉM

A Polícia Civil resgatou um cavalo que estava em situação de risco na estrada da Ceasa, em Belém. O animal foi conduzido para tratamento médico veterinário no Projeto Carroceiro da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). O resgate foi realizado por policiais civis da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA). 


De acordo com o veterinário e investigador de Polícia da DEMA, Edelvan Soares, o quadrúpede apresentava sinais de maus tratos, como uma lesão em uma patas e ferimentos nas costas. O bicho foi colocado na carrocinha da DEMA e levado para a UFPA, onde recebeu os devidos cuidados.

POLÍCIA CIVIL DEFLAGRA OPERAÇÃO VOO DE ÁGUIA III PARA APREENDER ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI EM BELÉM

A Polícia Civil apreendeu, em cumprimento a mandados de busca e apreensão e de recaptura expedidos pela Justiça do Estado, nesta quinta-feira (6), 22 adolescentes em conflito com a lei, durante a operação denominada "Voo de Águia III". Sob coordenação da DAV (Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis), por meio da DATA e da Diretoria de Polícia Metropolitana (DPM), com apoio das Seccionais, Delegacias e Unidades Integradas Pro Paz (UIPPs), a operação foi realizada em 12 bairros de Belém, no distrito de Icoaraci e no município de Ananindeua, na região metropolitana. 

PRÉDIO ONDE ESTÁ A DATA
Os adolescentes respondem a processos por atos infracionais de roubo qualificado e homicídios. Ao todo, 48 mandados de busca e apreensão e de recaptura de adolescentes em conflito com a lei foram reunidos.

Todos os adolescentes foram apresentados na sede da Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA), no bairro do Jurunas, em Belém. 

Segundo a delegada Adriana Magno, diretora da DATA, os mandados foram expedidos pelo Juizado da Infância e Juventude e repassados as unidades policiais dos bairros.

Cada equipe policial das Seccionais e Delegacias saiu às ruas para tentar localizar os adolescentes e dar cumprimento aos mandados judiciais.

Entre os adolescentes, estão fugitivos. Após serem apresentados na DATA, todos passaram por exames periciais e em seguida foram colocados à disposição da justiça.