segunda-feira, 19 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL DESARTICULA ESQUEMA CRIMINOSO DE VENDA ILEGAL DE MEDICAMENTOS EM BELÉM

A Polícia Civil divulgou, nesta segunda-feira, 19, a desarticulação de um esquema de venda ilegal do medicamento Pramil - versão alternativa do Viagra, remédio para disfunção erétil - que era colocado à venda na área do centro comercial de Belém. Denominada de "Hímeros", a operação foi resultado de investigações da equipe da Delegacia do Consumidor (DECON), vinculada à Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), que levaram à decretação de mandados de prisão de cinco pessoas acusadas do crime. As ordens judiciais foram expedidas pela 1º Vara de Inquéritos Policiais e Medidas Cautelares da Comarca de Belém. 

APREENSÃO
A delegada Vera Batista, titular da DECON, explica que as investigações iniciaram em fevereiro deste ano, após a unidade policial receber denúncia anônima feita ao fone 181, o Disque-Denúncia, sobre comércio ilegal de medicamentos. Diante das informações, a equipe policial passou a investigar com objetivo de identificar os acusados que estariam em um estabelecimento comercial na área do Mercado do Ver-O-Peso, no centro comercial de Belém. Durante as investigações, a equipe da DECON constatou que a existência de uma rede criminosa, formada por cinco pessoas que atuam em conjunto para aquisição dos medicamentos e depois cada um atuava na venda ilegal de medicamentos no comércio. 

Diante das provas, a delegada solicitou à Justiça as prisões preventivas dos acusados de envolvimento no esquema. No último dia 16, foram presos por ordem judicial quatro dos cinco acusados. O quinto acusado não foi encontrado. Os nomes dos indiciados não foram divulgados, pois a investigação continua em andamento. As investigações mostraram que os medicamentos eram enviados de Foz do Iguaçu, no Pará, para a capital paraense. Um dos integrantes do esquema, conhecido por Ivo, morador na cidade paranaense, recebia valores em dinheiro depositados em conta bancária e depois ficava responsável em enviar os medicamentos para Belém. 

Para tanto, Ivo utilizava caminhoneiros, que traziam os medicamentos direto para a capital paraense ou deixavam os produtos na cidade de São José do Rio Preto (SP) para outros caminhoneiros que concluíam a remessa para Belém. Os presos vão responder pelos crimes previstos no artigo 273, do Código Penal, parágrafo 1º-B, incisos I, V e VI, por falsificar, corromper, adulterar ou alterar produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais, com venda sem registro, quando exigível, no órgão de vigilância sanitária competente; de procedência ignorada e adquiridos de estabelecimento sem licença da autoridade sanitária competente. A pena é de reclusão de 10 a 15 anos. Também irão responder no artigo 288, caput, do Código Penal, por associação criminosa. A pena é de reclusão de 1 a 3 anos. 

Ainda, conforme a delegada, durante cumprimento de mandado de busca domiciliar, os policiais civis apreenderam na casa de um dos acusados 16 mil comprimidos do medicamento Pramil, que foi comprado por R$ 2,50 pelo grupo e foi repassado ao atravessador ao preço de R$ 14 cada unidade, porém o medicamento era oferecido no comércio a R$ 16. "Este mercado ilegal é muito lucrativo, contudo, ao contrário dos outros tipos de falsificações, a falsificação de medicamento pode causar risco à saúde da população, podendo levar à morte. Além de que a comercialização se dá em total desacordo com a legislação vigente", explica a policial civil. 

O Pramil é uma alternativa ao Viagra, por ser uma opção mais barata e menos conhecida, mas com o mesmo princípio ativo – o citrato de sildenafil. A delegada salienta que, além de não possuir registro no Ministério da Saúde, o medicamento é vendido fracionado por unidade, sem embalagem, sem apresentação de receita médica nem emissão de nota fiscal. Os produtos, detalha a titular da DECON, não contêm na embalagem as descrições obrigatória da composição, as indicações, o modo de usar e quando for o caso, as contra-indicações e advertências do produto em língua estrangeira, com a devida tradução.

POLÍCIA CIVIL PROMOVE PEREGRINAÇÃO DO CÍRIO DA CORPORAÇÃO NO CENTRO INTEGRADO DE OPERAÇÕES

A peregrinação da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, que faz parte da programação do 18º Círio da Polícia Civil, foi realizada, nesta segunda-feira, 19, na sede do Centro Integrado de Operações. A comissão de servidores públicos da corporação policial saiu, pela manhã, da sede da Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA), onde a imagem estava desde sexta-feira, com destino ao CIOP, na rua Cesário Alvim, bairro da Cidade Velha, em Belém. Na chegada, a imagem da padroeira dos paraenses, que foi conduzida pelo investigador Bandeira, da DATA, e repassada às mãos do sargento Walfredo Ferreira, do CIOP.

No CIOP
NO CIOP
Os servidores do Centro se reuniram no auditório do órgão responsável em recepcionar os acionamentos ao fone 190, do Sistema de Segurança Pública, para louvar à Nossa Senhora de Nazaré. Durante novena, eles oraram e entoaram cânticos para celebrar a passagem da peregrinação no local. A imagem vai permanecer no CIOP até esta terça-feira, dia 20, quando será levada para a Seccional Urbana do Comércio, no centro comercial de Belém.

A peregrinação vai encerrar na próxima sexta-feira, 23, quando a imagem será levada da Seccional Urbana do Guamá, com destino à Delegacia-Geral, em uma romaria rodoviária. A programação realizada por servidores públicos da Delegacia-Geral, conta com novenas diárias nas unidades policiais, sob coordenação da delegada Wildenyra Lima. O grupo promove também arrecadação de alimentos a serem doados à Casa de Plácido, instituição sem fins lucrativos, que visa ajudar os romeiros que vêm até Belém no período da festividade de Nossa Senhora de Nazaré.

CÍRIO DA POLÍCIA CIVIL O 18º Círio da Polícia Civil em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré será realizado no próximo domingo, dia 25. O evento vai iniciar com celebração de missa às 7 horas da manhã, na sede da Delegacia-Geral, na Avenida Magalhães Barata, em Nazaré. Após o final da cerimônia, será realizada a caminhada com a imagem da padroeira dos paraenses, em direção à Basílica-Santuário de Nazaré, em Belém. O evento já faz parte do calendário oficial de romarias da Arquidiocese de Belém. A caminhada sairá da Delegacia-Geral e depois segue pela Travessa Nove de Janeiro, Avenida Governador José Malcher, Avenida Generalíssimo Deodoro e Avenida Nazaré, em direção à Basílica-Santuário.

Este ano, o Círio da Polícia Civil tem como lema "Rogai Por Nós, Ó Mãe da Eucaristia", com base no tema do Círio de Nazaré "Salve Rainha, Mãe de Misericórdia". O Círio da Polícia Civil teve início em 1999 quando o então delegado-geral João Moraes criou uma celebração religiosa para proporcionar aos servidores seus familiares e amigos, uma oportunidade para louvar a Deus, homenageando a Mãe de Jesus, Nossa Senhora de Nazaré, a padroeira dos paraenses, pois no Círio oficial, os servidores da Polícia Civil estavam trabalhando na Segurança Pública. De lá pra cá, a cada ano, o Círio da Polícia Civil reúne maior número de pessoas, não só servidores da corporação como também da comunidade em geral.

POLÍCIA CIVIL APREENDE MAIS DE 430 QUILOS DE MACONHA DO TIPO "LIMÃOZINHO" EM SANTA ISABEL DO PARÁ

A Polícia Civil apreendeu, na noite deste domingo, 18, durante operação conjunta de policiais civis da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) e da Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), em Santa Isabel do Pará, nordeste paraense, cerca de 430 quilos de maconha prensada. A droga era transportada no interior de um caminhão, tipo baú, que foi abordado pela equipe policial na rodovia BR-316. No momento da abordagem, o motorista do veículo abandonou o veículo na estrada e saiu em fuga por um matagal.

APREENSÃO
Sob coordenação do delegado Hennison Jacob, titular da DRE, a equipe policial recebeu informações sobre o transporte da droga do interior do Estado em direção à região metropolitana de Belém. Diante disso, os agentes saíram em diligência em busca de interceptar o veículo que era usado para conduzir a carga. Durante a abordagem policial, o motorista não parou e tentou fugir no caminhão pela estrada, porém, mais adiante, após acabar o combustível, ele abandonou o veículo na estrada e fugiu pela mata às margens da estrada federal. 

Dentro do compartimento de transporte de cargas, os policiais civis encontraram o carregamento de "limãozinho", um tipo de maconha modificada em laboratório para deixar mais forte o efeito alucinógeno da droga. Ao todo, três equipes de policiais civis estiveram em atuação na operação que resultou em uma das maiores apreensões de drogas do ano. A apreensão foi levada para a sede da DRE na rodovia Mário Covas, em Ananindeua, onde foi lavrado o Auto de Apreensão do entorpecente e requisição de perícia ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves.