sexta-feira, 16 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL APREENDE ANIMAIS MANTIDOS EM CATIVEIRO ILEGAL NO DISTRITO DE MOSQUEIRO EM BELÉM

A Polícia Civil apreendeu, na tarde desta quinta-feira, 15, mais de 40 animais em situação irregular em uma propriedade situada em um ramal perto da estrada de acesso à praia do Chapéu Virado, no distrito de Mosqueiro, em Belém. A ação policial foi coordenada pela Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA) em parceria com o Ministério Público do Estado. Foram apreendidos 33 galos com sinais visíveis de maus-tratos. No local, foram apreendidos ainda dez quelônios, dos quais nove jabutis e uma perema - espécie de cágado, aninais da fauna silvestre que eram mantidos em cativeiro no local sem autorização. 

Munição, quelônios e galos apreendidos em cativeiro
ARMA, MUNIÇÃO E ANIMAIS APREENDIDOS
Além dos animais, mais de 200 munições de calibres como 9 mm e 38 e uma arma de fogo foram apreendidos no local. Os policiais civis apreenderam ainda 240 sacas de carvão. Um funcionário do criadouro foi conduzido para a Seccional Urbana de Mosqueiro, para prestar esclarecimentos. Conforme o delegado Luís Xavier, diretor da DEMA, havia no local mais de 100 galos guardados em caixas chamadas de baias, em espaços individualizados, antibióticos, esporas artificiais e uma rinha, o que reforça as suspeitas do uso desses aninais em rinhas de briga de galos. 

Conforme o delegado, a apreensão é resultado de investigação da DEMA realizada em trabalho conjunto com a promotora de Justiça de Mosqueiro, Ociralva Tabosa, após denúncia repassada ao MPE sobre suposta prática de rinha de galo no local. O proprietário do local, segundo o funcionário, está viajando, mas já foi identificado e deverá ser intimado a prestar esclarecimentos. Os animais apreendidos foram encaminhados para uma propriedade no nordeste do Pará. As investigações para apurar crimes ambientais praticados no local prosseguem.

OPERAÇÃO MIRITI PRENDE FORAGIDOS NA ÁREA CENTRAL DE BELÉM

As Polícias Civil e Militar, em conjunto com a Guarda Municipal de Belém, realizaram a ação denominada "Miriti", que faz parte da Operação Belém Segura, nas áreas dos bairros da Campina e Cidade Velha, área de abrangência da Seccional Urbana do Comércio, centro de Belém. No total, 78 pessoas foram abordadas, das quais 11 estavam com mandados de prisão ou de recaptura decretados pela Justiça por envolvimento em crimes diversos, como roubos, tráfico de drogas e homicídio. Oito delas permaneceram presas após consulta ao Judiciário, pois os mandados de prisão permaneciam em aberto. 

Seccional do Comércio
SECCIONAL DO COMÉRCIO
Titular da Seccional do Comércio, a delegada Flávia Leal explica que a ação foi elaborada levando em consideração os casos de homicídios registrados nos últimos meses na área. Foram, ao todo, cinco mortes nos últimos dois meses, de pessoas em situação de rua. A ação policial também teve meta de atender ainda a demanda de ocorrências de crimes contra o patrimônio, como roubos e furtos, que tendem a aumentar com a aproximação da festa do Círio de Nazaré, em outubro, quando o número de pessoas circulando na área central da capital paraense aumenta, principalmente, nos espaços públicos, como praças, e área comercial. 

Diante disso, explica a policial civil, as equipes policiais se reuniram na Seccional e iniciaram a operação por volta de 16 horas desta quinta-feira. O trabalho foi encerrado por volta de 3 horas da madrugada desta sexta-feira, 16. Os agentes abordaram e revistaram moradores em situação de rua que foram levados à Seccional para identificação e verificação da situação de cada um junto ao Poder Judiciário. Dentre os que ficaram presos, há casos de presos que estavam indiciados em processos criminais, porém tinham paradeiro desconhecido, e outros que fugiram de prisões. 

Entre os presos, há foragidos de Bragança e Breves, no Pará, e até um foragido do Amapá identificado como Jairo Souza Chagas, acusado de homicídio nesse Estado. "A ideia é continuar a operação nesses espaços públicos fazendo a abordagem e a checagem das pessoas que estão utilizado esses espaços como moradia e retirando do meio dos moradores de rua aqueles que têm passagem pela Polícia e que estão com prisão decretada", explica Flávia Leal, ao ressaltar que a meta é estender a operação por toda área comercial de Belém. Após serem identificados, os presos foram encaminhados a exame de corpo de delito no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e depois colocados à disposição da Justiça em unidades do Sistema Penitenciário do Pará. 

POLÍCIA CIVIL PROMOVE COMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO DOS SERVIDORES DA DELEGACIA-GERAL

A Polícia Civil vai promover nova campanha de vacinação, na próxima terça-feira, 20, voltada à complementação das doses iniciais contra a Hepatite B e Tétano que foram ministradas aos servidores da corporação policial, nos dias 14 e 15. A atividade faz parte das ações da Diretoria de Atendimento ao Servidor da Polícia Civil (DAS) voltadas ao bem-estar dos profissionais da Segurança Pública. As doses complementares serão aplicadas no auditório B, da Delegacia-Geral. Na terça e quarta-feira, foram ministradas 80 doses das vacinas contra as doenças durante a campanha.

Vacinação na Delegacia-Geral
CAMPANHA DE VACINAÇÃO NA DELEGACIA-GERAL
Para receber as doses complementares, os servidores da Polícia Civil deverão apresentar a caderneta de vacinação. A delegada Leomar Maués, titular da DAS, explica que a campanha de vacinação dos servidores públicos da Polícia Civil vem sendo promovida ao longo do dias deste ano. Na terça-feira passada, a DAS esteve na Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA) e na Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) do Tenoné, em Icoaraci.

A ação foi coordenada pela equipe da Diretoria de Atendimento ao Servidor e faz parte das ações itinerantes da Diretoria que visam levar atendimentos de saúde ao local de trabalho dos funcionários públicos da Polícia Civil. As ações itinerantes voltadas aos servidores da corporação irão continuar.

POLÍCIA CIVIL CUMPRE MANDADO DE PRISÃO DE FORAGIDO DE MATO GROSSO EM TUCUMÃ NO PARÁ

A Polícia Civil capturou, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, o foragido José Meck de Sousa, durante operação policial, ontem, na cidade de Tucumã, no sudeste paraense. Ele tem mandado de prisão decretado pela Justiça em Alto Taquari, no Estado de Mato Grosso, onde responde a processo criminal por estupro. De acordo com o delegado William Crispim, titular da Delegacia de Tucumã, o mandado de prisão se refere a um crime cometido em 2013 naquela cidade mato-grossense. 

PRESO
Ele explica que, de posse da ordem de prisão, o investigador Antonio Vasconcelos e o escrivão de Polícia Douglas Oliveira, sob coordenação do delegado, seguiram até o endereço em que estava o acusado. Ao ser encontrado, ele tomou ciência da ordem de prisão decretado e foi conduzido para a Delegacia, onde foi feita a comunicação do cumprimento da ordem judicial. O preso está recolhido no aguardo de recambiamento ao Estado de Mato Grosso.