sexta-feira, 22 de julho de 2016

PRESO ACUSADO DE MATAR ADOLESCENTE DURANTE ASSALTO EM SÃO MIGUEL DO GUAMÁ

A Polícia Civil prendeu, ontem, em Barcarena, nordeste paraense, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, Alan Rodrigo Cruz dos Santos, 20 anos, de apelido "Galo Cego", acusado da autoria de latrocínio (roubo seguido de morte) de um adolescente, em 30 de maio deste ano, em São Miguel do Guamá. A prisão dele foi cumprida por policiais civis da Superintendência Regional de Castanhal em decorrência das investigações sobre o paradeiro do foragido. Alan é apontado como autor dos disparos contra o jovem Adan Ollem durante assalto em que a vítima teve a motocicleta roubada. O crime gerou uma série de manifestações na cidade em protesto pelo crime. 


Além de Alan Rodrigo, outros dois estão envolvidos no crime. Um deles é Antônio Hiago Andrade Carmo, 20 anos, que também está preso, apontado como a pessoa que conduziu a moto usada para abordar a vítima e depois deu fuga aos autores do crime. O outro acusado é Jeferson Silva Ribeiro, 21 anos, que está foragido. 

As investigações foram realizadas pela equipe policial da Unidade Integrada Pro Paz de São Miguel do Guamá que prendeu, com apoio de policiais da Superintendência, Antonio Hiago, logo no dia seguinte ao crime. Ele foi identificado como o responsável em fornecer a arma usada no crime, um revólver calibre 38. 

As investigações mostraram ainda que o objetivo do grupo era roubar a moto da vítima. Segundo o delegado Themmer Khayat, da Polícia Civil de Castanhal, a prisão foi realizada durante a operação "Canta Galo". 

Após o crime, o acusado Alan Rodrigo fugiu de São Miguel do Guamá para o Amapá. Durante as investigações, a equipe policial tomou conhecimento de que o foragido havia se deslocado de barco com destino a Belém. Os policiais civis seguiram então em direção ao porto na capital paraense, onde receberam nova informação de que o acusado havia descido no porto da cidade de Barcarena. Assim, os policiais civis seguiram até Barcarena, onde conseguiram prendê-lo em cumprimento ao mandado de prisão da Comarca de São Miguel do Guamá. 

POLÍCIA CIVIL TRANSFERE FORAGIDO DO MARANHÃO PRESO EM SANTA LUZIA DO PARÁ


PRESO
A Polícia Civil transferiu para o Estado do Maranhão o preso de Justiça Marcos Vinicius Leite, que foi preso, em cumprimento a mandado de prisão temporária expedido pela Justiça maranhense, em Santa Luzia do Pará, nordeste do Estado. Ele responde a processo criminal por crime de roubo majorado (com uso de arma de fogo). A prisão foi cumprida no último dia 16 pela equipe de policiais civis coordenada pelo delegado Marcelo Mendes.

Segundo o policial civil, o crime foi cometido, no ano passado, na cidade de Santa Luzia do Paruá, situada no oeste do Maranhão. No decorrer das investigações sobre o paradeiro do foragido, explica o delegado, surgiram informações de que ele estava no Estado do Pará, em Santa Luzia do Pará. Após seis meses de investigações sobre a rotina do procurado, detalha o delegado, foi possível fazer o monitoramento do preso até o momento certo de sua prisão, em via pública, na cidade. 

Ainda, conforme o delegado, o foragido era investigado também em Altamira, Castanhal e Capanema, no Pará. Ele salienta que a prisão do foragido foi resultado do trabalho integrado das Polícias Civis do Pará e Maranhão, para enfrentamento aos crimes contra o patrimônio, como roubos e furtos. 

POLÍCIA CIVIL DE PERNAMBUCO PROCURA ENGENHEIRO QUE FUGIU COM A FILHA E ESTARIA NO PARÁ


A Polícia Civil de Pernambuco, com apoio da Polícia Civil do Pará, está à procura do engenheiro Janderson Rodrigo Salgado de Alencar, 29 anos, que saiu de Olinda, interior pernambucano, levando a filha de 1 ano, Julia Cavalcanti de Alencar, no último dia 10, e após passar pelo Estado do Maranhão, veio ao Estado do Pará, onde teria passado por Marabá e Belém. Ele perdeu a guarda da criança e deveria entregá-la à mãe, porém decidiu fugir de Pernambuco com a filha, descumprindo determinação da Justiça desse Estado. Se alguém reconhecê-lo ou reconhecer a criança, entre em contato com o fone 181, o Disque-Denúncia.