quinta-feira, 23 de junho de 2016

ACUSADO DE ESTUPRAR MULHER PEDE PERDÃO AO MARIDO DA VÍTIMA ANTES DE SER PRESO EM ALTAMIRA

A Polícia Civil prendeu, em Altamira, sudoeste paraense, em cumprimento a mandado de prisão, Idalvo Kassio de Araújo, 30 anos, por crime de estupro. Ele é acusado de agir mediante violência para abrir a vítima, uma mulher de 24 anos, a se submeter a relações sexuais. O caso foi denunciado à Delegacia da Mulher de Altamira, onde a delegada Renata Gurgel representou pela custódia preventiva do acusado perante a Justiça local. 

PRESO
Idalvo foi enquadrado no crime previsto no artigo 213, do Código Penal, por constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com se pratique outro ato libidinoso, cuja pena é de reclusão de seis a dez anos. 

De acordo com a delegada, o crime teria ocorrido em uma comunidade conhecida como Ressaca, na zona rural de Altamira, no último dia 16.

A vítima e o acusado são vizinhos. Após o crime, Idalvo ainda teria procurado o marido da vítima para lhe pedir perdão pelo crime. 

De posse do mandado de prisão, os policiais civis da DEAM passaram a investigar o paradeiro do acusado que foi preso na sede do município de Altamira, no momento em que ele iria embarcar em uma lancha no porto da cidade, para fugir ao Estado do Maranhão.

Após ser cumprida a ordem de prisão, Idalvo foi conduzido à Delegacia e depois recolhido à disposição da Justiça.

MAIS DE 30 QUILOS DE MACONHA TIPO "LIMÃOZINHO" SÃO APREENDIDOS EM ANANINDEUA

A Polícia Civil apreendeu mais de 30 quilos de maconha do tipo "limãozinho", nesta quarta-feira, 22, durante operação de repressão ao tráfico de drogas, no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, na região metropolitana de Belém. O flagrante foi resultado de denúncia que levou policiais civis da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) até uma casa que era usada como ponto de distribuição de drogas.


No local, foram presos em flagrante Erico Noronha Baião, 22; Raissa Albino da Silva Santos, 18; Jhessica Barbosa de Oliveira, 18; Meury Lene Aleixo Eglezias, 27, e Priscila Santos Costa, 21, que foram autuados em flagrante por tráfico e associação para o tráfico de drogas. Durante a revista no imóvel, os policiais encontraram 35 tabletes da droga embrulhados em papel para presente. 

Conforme o delegado Hennison Jacob, diretor da DRE, o local era monitorado desde a última terça-feira pela equipe policial. Durante a abordagem, por volta de 12h30, os policiais civis encontraram as drogas no local. O policial civil explica que levantamentos já vinham sendo realizados na área do residencial Olga Benário, em Águas Lindas, para comprovar a prática de tráfico de drogas. 

As investigações mostram que a droga foi trazida de Goiânia para Ananindeua por Raissa e Jhessica, que moram na capital goiana. Dentre os presos, Priscila, que mora no Bengui, em Belém, foi até a casa, em Ananindeua, para receber a droga e depois fazer a distribuição em outros bairros da capital paraense. Todos estão recolhidos à disposição da Justiça.

EX-JOGADOR DO BOTAFOGO DO RIO É PRESO ACUSADO DE ESTUPRAR ADOLESCENTES EM CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA

A Polícia Civil prendeu, nesta quinta-feira, 23, em cumprimento a mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça de Conceição do Araguaia, no sudeste paraense, o jogador de futebol Jobson Leandro Pereira de Oliveira, 28 anos, que está indiciado em inquérito policial sob acusação de estuprar quatro adolescentes que residem no município. Ex-jogador do Botafogo do Rio de Janeiro, ele foi preso pela equipe de policiais civis de Conceição do Araguaia, comandados pelo delegado Rodrigo da Motta, nesta manhã, em sua chácara, localizada na cidade de Couto Magalhães, oeste do Estado de Tocantins. O jogador é paraense, nascido em Conceição do Araguaia, e atualmente está sem clube.

A ordem de prisão foi decretada pelo juiz da Comarca de Conceição do Araguaia, Marcos Paulo Sousa Campelo. Um quinto caso de estupro em que o jogador é acusado está sendo investigado na Delegacia. As investigações contaram com atuação dos investigadores Washington José Lima da Silva e Manoel Oliveira da Costa para elucidação do caso. 

Ao ser preso, o jogador recebeu das mãos dos policiais civis o mandado de prisão e não ofereceu resistência. Ele foi conduzido em viatura policial até a Delegacia de Conceição do Araguaia, inicialmente, para prestar depoimento. Em seguida, ficou de ser apresentado ao juiz responsável pelo mandado de prisão.  

PRESO
CASOS O inquérito policial foi instaurado há uma semana, na Delegacia do município paraense, após uma das vítimas, uma garota de 13 anos, procurar a Polícia Civil para denunciar que fotos suas em situações pornográficas estavam circulando em grupos de rede social por meio do aplicativo de mensagens por telefone celular WhatsApp. Segundo relatou a vítima ao delegado, o jogador teria a aliciado em Conceição do Araguaia para levá-la até sua chácara, em Tocantins, junto com outras três adolescentes, e ali as vítimas teriam sido embriagadas e entorpecidas possivelmente com "roupinol", para então serem abusadas sexualmente. 

Ainda, conforme as denúncias, essa prática por parte do jogador teria ocorrido em diversas ocasiões no município. "Ele aliciava as garotas para fazer festas com bebidas e drogas e as levava para sua chácara ou para outros lugares", explica o policial. A vítima relatou que, durante a farra regada a álcool e drogas, acabou desmaiado e, dessa forma, o jogador e outros que estavam com ele se aproveitaram para fazer as fotos que foram compartilhadas nos grupos de rede social. 

Ainda, conforme o delegado, a vítima chegou a telefonar para o jogador, dizendo que iria denunciá-lo, e o acusado teria feito ameaças à garota. Após ouvir o depoimento da adolescente, a equipe da Polícia Civil localizou as outras vítimas. "São quatro adolescentes, uma vai completar 13 anos, a outra já tem 13 anos completos e as outras duas têm 14 anos completos", explica o policial. Elas foram ouvidas e e confirmaram a prática criminosa. Todas passaram por exames periciais e atendimentos médicos.

Os exames comprovaram que nas duas menores de 12 e 13 houve conjunção carnal (penetração). As outras duas adolescentes alegaram, em depoimento, que consentiram as relações sexuais, no entanto, afirmaram estavam sob efeito de bebidas alcoólicas e substâncias entorpecentes colocadas na bebida. Conforme o delegado, existe uma quinta adolescente que também acusa o jogador, porém o caso ainda está sob apuração e ainda não foi comprovado.