terça-feira, 21 de junho de 2016

POLÍCIA CIVIL PRENDE DUPLA ENVOLVIDA NOS CRIMES DE ROUBO E FURTO EM CURUÇÁ

A Polícia Civil divulgou, nesta terça-feira, 21, as prisões de dois homens envolvidos em crimes contra o patrimônio, em Curuçá, nordeste paraense. As prisões resultaram de inquéritos policiais instaurados pelo delegado Gabriel Batista que representou pelas prisões preventivas dos autores dos crimes. Um dos presos acusado de roubo qualificado é Rubens Correia de Lima, de apelido "Cicatriz". Ele é apontado como responsável em praticar assaltos com uso de arma de fogo nas cidades de Curuçá e Maracanã. 

RUBENS CORREIA DE LIMA
A prisão foi realizada pela equipe de policiais civis da Delegacia de Curuçá. Conforme o delegado Gabriel Batista, titular do município, a prisão foi efetuada após decretação da ordem judicial de prisão contra o acusado por representação feita pelo delegado junto ao Poder Judiciário. "Ele possui histórico criminal relevante nos crimes contra o patrimônio nas comarcas de Curuçá e Maracanã", pontua o delegado. Após ser preso, Rubens Lima foi recolhido para responder pelos crimes na Justiça. 
ANDRÉ VALE
O outro preso é André Vale Ferreira acusado do crime de furto qualificado. A prisão dele foi resultado de inquérito policial instaurado pelo delegado Gabriel Batista e que levou à identificação do autor do crime e que foi preso pela equipe policial de Curuçá em cumprimento de mandado de prisão preventiva. Com o mandado de prisão nas mãos, os policiais civis do município localizaram e prenderam o acusado, que agora está preso à disposição da Justiça.   

POLÍCIA CIVIL DESARTICULA GRUPO CRIMINOSO RESPONSÁVEL POR ROUBOS E TRÁFICO DE DROGAS EM MARABÁ

A Polícia Civil desarticulou um grupo de criminosos responsável em praticar diversos crimes em Marabá, sudeste paraense, como roubos com uso de arma de fogo e tráfico de drogas. As cinco pessoas presas foram transferidas, na última sexta-feira, 17, para uma casa penal na região. Davyla Rodrigues Ferreira; George Nascimento Sousa; Wagner Souza dos Santos; Raylson Ribeiro dos Santos e Maurício Maniere Rodrigues Costa foram presos em flagrante em uma casa, na Folha 20, na noite anterior, com armas, drogas e produtos roubados de um salão de beleza, como apliques de cabelo e chapinhas elétricas.

PRESOS
APLIQUES DE CABELO
De acordo com o delegado Marcelo Delgado, titular da Superintendência da Polícia Civil na Região Sudeste do Pará, as prisões dos acusados resultaram de uma operação para prender envolvidos no assalto a um salão de beleza, situado no Núcleo Cidade Nova, no último dia 15. Logo após o crime, a equipe de policiais civis da 21ª Seccional de Marabá deu início às investigações que resultaram na identificação do local em que estavam escondidos dois dos três envolvidos no roubo. Durante abordagem no imóvel, foram presos Dalyla e George, com os quais foi apreendida uma arma de fogo usada no crime. 
APREENSÕES
Na casa também foram presos Wagner, Raylson e Maurício que não participaram do assalto ao salão de beleza, mas que foram flagrados com munição, balança de precisão e cerca de 1,8 quilo de maconha. Ainda, durante a revista na casa, os policiais recuperaram cerca de 70% dos produtos roubados do salão, entre os quais apliques de cabelo, avaliados em R$ 15 mil, além de chapinhas (pranchas de cabelo) e telefones celulares. Segundo o delegado, a operação policial foi coordenada pelos delegados Washington Santos e Márcio Maio, com atuação do policiais civis Carvalho e Jhonathan. 

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR PRENDEM AUTOR DE HOMICÍDIO NA TERRA-FIRME EM BELÉM

As Polícias Civil e Militar prenderam em flagrante, durante a madrugada desta terça-feira, 21, Geferson Reis Macedo, 23 anos, conhecido como "Junior Capivara". Ele está internado no Pronto-Socorro do Umarizal, na Travessa 14 de Março, em Belém, após se envolver em uma troca de tiros, no bairro da Terra-Firme, na noite de ontem, quando morreu Artur do Nascimento Rodrigues, 24, de apelido "Arturzinho". Geferson levou em torno de três tiros e teria sido o autor dos disparos contra a vítima.  

GEFERSON: AUTOR DO CRIME
O fato ocorreu em uma bar situado na Passagem Miranda, perto da feira do bairro. Conforme o delegado Victor Manfrini, titular da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) da Terra-Firme, Geferson vai responder por homicídio qualificado. O preso também era foragido de Justiça. Contra ele, existem dois mandados de prisão decretados pela Justiça do Estado. 

Em um dos processos iniciado em 2013, em que respondeu por tráfico de entorpecentes e associação para o tráfico de drogas, Geferson foi condenado à pena de dois anos e seis meses de reclusão a serem cumpridos inicialmente em regime aberto, porém deixou de cumprir as condições da pena de restrição de direitos e teve decretada a prisão. No outro processo, ele também foi condenado, desta vez inicialmente em regime fechado, em 2013, à pena de três anos e quatro meses de reclusão por tráfico de entorpecentes. Ambas as condenações foram pela Vara de Entorpecentes e Combate às Organizações Criminosas de Belém. 

Geferson Macedo está sendo monitorado por policiais civis do Grupo de Pronto-Emprego. Conforme o policial civil, o preso integrava um grupo criminoso conhecido como "Rex", no bairro da Terra-Firme. Artur Rodriques, que morreu na troca de tiros, também já tinha passagem pela Polícia por ter sido processado em três inquéritos. Em dois deles, ele foi autuado em flagrante por roubo qualificado e no outro por homicídio, e no terceiro inquérito foi indiciado por roubo qualificado. 

ARTUR RODRIGUES: MORREU
CRIME Informações apuradas inicialmente por policiais civis da Divisão de Homicídios deram conta de que Geferson Macedo estava na Passagem Miranda, ontem à noite, quando chegaram ao local Artur Rodrigues e um parceiro não identificado. Os três pararam na rua e ali ficaram conversando até que, de repente, passaram a discutir.

Testemunhas relataram que, durante o bate-boca, Artur sacou uma arma de fogo e atirou em direção a Geferson, que correu para dentro de um bar e foi perseguido pelos outros dois. Dentro do comércio, houve uma troca de tiros entre Geferson e Artur em que o acusado desferiu, pelo menos, seis disparos na vítima. Artur e o parceiro correram para a rua, onde a vítima caiu morta e outro fugiu. 

No bolso de Artur, os policiais encontraram um carregador de pistola calibre .380, porém a arma não foi encontrada. Mesmo baleado, "Junior Capivara" fugiu do local e veio procurar socorro médico. As buscas ao autor do crime foram iniciadas de imediato por policiais militares do 20º Batalhão da PM em conjunto com a UIPP da Terra-Firme, até a localização do acusado, durante a madrugada.

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR CAPTURAM ENVOLVIDOS EM GRUPO DE "PIRATAS" EM GURUPÁ NO MARAJÓ

As Polícias Civil e Militar prenderam em flagrante, neste domingo, 19, três homens acusados de integrar um grupo de "piratas" no momento em que assaltavam um empurrador acoplado a duas balsas, no rio Amazonas, perto de Gurupá, na região do Marajó, no Pará. Salomão Alves Mendes, Geovani Lisboa Pereira e Carlos Alberto Brito de Oliveira foram capturados depois de uma intensa troca de tiros com os policiais. Os autores do crime se renderam e foram conduzidos para a Delegacia. A Justiça já manteve o flagrante e decretou as prisões preventivas dos acusados que agora passam à condição de presos de Justiça no aguardo de decisão judicial. 

EMPURRADOR ASSALTADO
BARCO USADO PELOS ASSALTANTES
ARMAS E DINHEIRO APREENDIDO
O delegado Geraldo Pimenta, titular da Delegacia de Gurupá, informou que a operação foi deflagrada logo após tomar conhecimento da ocorrência do assalto. De imediato, os policiais passaram a seguir ao local onde estava o empurrador no momento em que o veículo era assaltado pelos criminosos e que seguiam pelo rio com apoio de um barco. No momento da abordagem policial, houve troca de tiros. "Conseguimos interceptar o empurrador Comandante Pedrão, ao qual estavam acopladas as balsas Turibia Sales e Dias Neto III e prender os assaltantes", conta o policial civil. No empurrador estavam os presos Salomão e Geovani. Com eles, duas armas de fogo foram apreendidas.

PRESOS EM FLAGRANTE
GALÕES DE COMBUSTÍVEL
Na continuidade da operação, os policiais prenderam horas depois Carlos Alberto, o outro envolvido no roubo. Ele estava no barco usado no apoio dos assaltantes para transportar 46 galões com capacidade para armazenar até 200 litros de combustível, os quais seriam usados na retirada de óleo diesel das balsas. Ainda, de acordo com o delegado, um quarto integrante do grupo criminoso, que estava ao lado de Carlos Alberto, conseguiu fugir. Além do barco, duas armas usadas pelos bandidos e dinheiro foram apreendidos pelos policiais.