quarta-feira, 25 de maio de 2016

PRESO AUTOR DE HOMICÍDIO NO BAIRRO DO GUAMÁ EM BELÉM

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira, 25, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, acusado da autoria de um homicídio, Paulo César Correia, de apelido "Paulo Pistola". Ele foi preso, na Travessa Nove de Janeiro, bairro da Cremação, pela equipe policial formada pelo delegado Daniel Castro, diretor da Seccional Urbana do Guamá, e investigadores Carlos Alberto Pires e Izan Souza. A vítima do crime é Alberth Jean Ribeiro, 19, que foi morto a tiros, na passagem Albi Miranda, no Guamá, em 8 de dezembro do ano passado. 

As investigações mostraram que a vítima foi morta porque teria momentos antes assaltado uma amiga do acusado. Assim, Paulo César resolveu pegar uma arma de fogo e saiu em perseguição a Alberth, atingindo-o a tiros. O preso já responde a quatro inquéritos policiais, dois deles por homicídios e outros dois por roubo. A prisão dele é resultado de inquérito policial instaurado pelo Bruno Brasil, na Seccional Urbana do Guamá. Ao final das investigações, o delegado solicitou à Justiça a prisão do acusado. 

De acordo com o delegado Daniel Castro, após ser baleado, Alberth ainda chegou a ser socorrido por amigos da vítima que obrigaram um motoqueiro a prestar socorrido levando o baleado na garupa da moto. Porém, a caminho do hospital, quando a pessoa que estava na garupa segurando Alberth, percebeu que ele já estava morto resolveu abandonar o corpo na esquina da Avenida Barão de Igarapé-Miri com Avenida José Bonifácio, no Guamá. 

Durante as investigações, testemunhas reconheceram o acusado como o autor dos disparos. Com base nas provas testemunhas e outras investigações realizadas durante o inquérito, foi solicitada à Justiça a prisão do acusado. Agora preso, ele ficará recolhido no Sistema Penitenciário à disposição da Justiça. 

POLÍCIA CIVIL INVESTIGA MORTES DE QUATRO PESSOAS EM FAZENDA NA ZONA RURAL DE BREJO GRANDE DO ARAGUAIA

A Polícia Civil está investigando as circunstâncias das mortes de quatro pessoas, três delas da mesma família, na noite de ontem, 24, no interior da fazenda Santa Fé, no KM 85, da rodovia Transamazônica, zona rural de Brejo Grande do Araguaia, sudeste paraense. As vítimas foram mortas com tiros de arma de fogo na cabeça, por volta de 19 horas, segundo o delegado Toni Vargas, responsável pelas investigações. A principal linha de investigação quanto à possível motivação do crime é queima de arquivo, devido ao suposto envolvimento de uma das vítimas em um esquema de roubos e receptação de carros roubados na região. As vítimas são o dono da fazenda, Atamir Nascimento de Souza, 51 anos; a esposa dele, Rita da Cruz Souza, 46; o filho do casal Ronildo da Cruz Souza, 34, e o vaqueiro da fazenda, Océlio Filho Ferreira de Sousa, 24. 

BREJO GRANDE DO ARAGUAIA
De acordo com o delegado, os corpos das vítimas foram encontrados dentro da residência da propriedade rural caídos no chão. A partir da perícia do local do crime, explica o policial civil, foram coletados materiais que podem ajudar no esclarecimentos dos fatos. 

As investigações feitas até o momento, salienta o delegado, mostram que a principal linha de investigação do crime é queima de arquivo. O policial civil explica que, no último dia 19, as Polícias Civil e Militar realizaram uma operação, denominada Santa Fé, em alusão ao nome da fazenda, para desarticular um esquema criminoso de roubos de carros e receptação dos veículos roubados na região que eram levados para Imperatriz, no Maranhão. 

Durante a operação, que cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão na sede da fazenda e na cidade de Santana do Araguaia, um dos filhos do casal, Ronilson Souza, 29, foi preso e o irmão dele, Ronildo, não foi encontrado. Diante disso, acredita o delegado, o alvo dos criminosos seria Ronildo e os demais foram mortos porque estavam juntos com a vítima. Os corpos foram removidos ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, núcleo de Marabá, para serem periciados e depois ficarem à disposição para liberação, o que deve ocorrer nesta quinta-feira, 26. O delegado já ouviu depoimentos, nesta quarta-feira, 25, na região, e dará prosseguimento na apuração das mortes. O inquérito tem prazo legal de até 30 dias para ser concluído.

PRESO EM SALINÓPOLIS AUTOR DE ASSASSINATO EM BELÉM

A Polícia Civil prendeu, ontem, 24, em Salinópolis, nordeste paraense, Márcio Diego Cunha dos Santos, 25 anos, acusado de assassinar Adriano da Silva Campelo, em 3 de maio do ano passado, no Conjunto Catalina, bairro do Mangueirão, em Belém. 

PRESO
A vítima, que tinha 25 anos, foi morta a tiros às proximidades de um bar, nesse residencial. O acusado está com mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça como consequência de inquérito policial instaurado pelo delegado Marco Antonio Oliveira, da Divisão de Homicídios de Belém.

A prisão do acusado foi efetuada por policiais civis da DH em missão naquela cidade.  

O delegado Eduardo Rollo, que coordenou a prisão de Márcio Diego, explica que, após receber informações sobre o paradeiro do foragido, a equipe da DH formada pelos investigadores Valéria Franco e Rogério Brito, e escrivão Marco Aurélio Matos, conseguiu localizá-lo e cumprir o mandado de prisão. 

Conforme o delegado, Márcio Diego já havia cometido um homicídio anteriormente na capital paraense.

A vítima foi um homem de prenome Eder, namorado da ex-companheira do acusado. 

Por causa deste crime, Márcio chegou a ser preso, mas foi colocado em liberdade por ordem da Justiça, em 18 de março de 2015, após passar quatro meses na prisão. 

Ao sair da prisão, explica o policial civil, ele matou Adriano, que era cunhado do acusado e principal testemunha da morte de Eder. Agora preso, Márcio Diego será recambiado para Belém para responder pelo crime na Justiça.

POLÍCIA CIVIL ENTREGA 180 VASILHAMES DE VIDRO AO BANCO DE LEITE HUMANO DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DO PARÁ

A Polícia Civil em apoio à campanha do Banco de Leite Humano da Santa Casa de Misericórdia do Pará fez a entrega, nesta quarta-feira, 25, de 180 recipientes de vidro arrecadados, ao longo dos últimos meses, na Delegacia-Geral. São vidros de café solúvel ou de maionese que serão usados para armazenar leite humano doado por mulheres à maternidade para ajudar na alimentação de bebês que nascem prematuros ou que não podem ser amamentados pelas próprias mães após o nascimento. A entrega dos recipientes foi feita pelo investigador Luiz Monteiro Junior, assessor de Relações Interinstitucionais da Polícia Civil, à coordenadora do Banco de Leite Humano do hospital, médica Cynara Souza. 


Segundo Junior, a campanha de arrecadação dos recipientes vai continuar e terá na sala da ARIN (Assessoria de Relações Interinstitucionais), situada no bloco C, da Delegacia-Geral, um ponto de entrega do material a ser entregue ao Banco de Leite Humano da Santa Casa. Além de auxiliar as mães a amamentarem, o Banco de Leite realiza a coleta, armazenamento e processamento do leite coletado. "Qualquer mulher que esteja amamentando e que precisa ajuda neste processo ou que deseja doar seu excedente de leite pode procurar o banco", explica Cynara. 

Todos os recipientes de vidro foram doados por servidores públicos da Polícia Civil e por pessoas da comunidade, que viram a campanha de doação dos recipientes e contribuíram para ajudar a Santa Casa de Misericórdia do Pará. Para tanto, foi montado um ponto de recebimento dos vasilhames de vidro na sala da Assessoria. A entrega dos recipientes também é uma alusão ao Dia Nacional de Doação de Leite Humano celebrado em 19 de Maio.


POLÍCIAS CIVIL INVESTIGA DESAPARECIMENTO DE MENINO EM SÃO FÉLIX DO XINGU

A Polícia Civil investiga o desaparecimento de uma criança de nove anos de idade em São Félix do Xingu, sul do Pará. O menino Jessé da Rocha desapareceu no último dia 17, na localidade de Vila Taboca, a 100 quilômetros da sede do município. Conforme o delegado José Carlos Rodrigues, responsável pelas investigações, Jessé saiu de casa para brincar, por volta de 8 horas da manhã, e não voltou mais para casa. A mãe do menino, Adelicia Rocha, relatou no boletim de ocorrência que a criança chegou a lhe avisar que iria sair para brincar. "Essa foi a última imagem que ela tem do filho antes de desaparecer misteriosamente", afirma o delegado. Ao saber do desaparecimento da criança, os moradores da localidade se mobilizaram para ajudar a família a procurá-lo. 


A partir do registro do desaparecimento, as Polícias Civil e Militar de São Félix do Xingu também passaram a se empenhar na procura pelo menino. "Já enviamos ofício pedindo auxílio ao Corpo de Bombeiros. Um delegado de Polícia já esteve na Vila Taboca para aprofundar as investigações juntamente com o Comando da Polícia Militar da região, além de militares que ficam sediados na localidade", explica José Carlos. Ainda, de acordo com o delegado, informações falsas estão circulando em grupos de rede social, o que só faz aumentar a angústia da família do menino. 

A Prefeitura de São Félix do Xingu, por meio do prefeito João Cleber Torres, também está engajada nas buscas ao menino. Segundo o delegado, o trabalho conta com apoio de uma aeronave colocada à disposição das Polícias Civil e Militar para deslocamento até a Vila Taboca. Quem tiver informações sobre o paradeiro do menino deve entrar em contato pelo fone 181, o Disque Denúncia, ou ligar para a Delegacia de São Félix do Xingu, no fone (94) 3435-1156. Pode enviar mensagem via WhatsApp para colaboradores da família do menino, para (94) 99175-2615.