quinta-feira, 12 de maio de 2016

POLÍCIA CIVIL APREENDE MAIS DE UM QUILO DA "SUPERMACONHA" DENTRO DE TELEVISOR EM JURUTI

A Polícia Civil apreendeu durante investigações, no porto da cidade de Juruti, oeste paraense, mais de um quilo da nova droga conhecida como "Skank" ou "supermaconha". O entorpecente foi transportado escondido no interior de um televisor, em uma balsa vinda de Manaus, capital do Amazonas. Um homem identificado como William de Souza Vieira foi preso em flagrante logo após receber o produto no local. A operação policial foi realizada nesta quarta, 11, após a equipe policial de Juruti receber informações sobre o transporte de drogas em uma embarcação oriunda do Amazonas e que chegaria à cidade de Juruti. 

Nas informações recebidas pela equipe policial, explica o delegado Gilberto Aguiar, titular da Superintendência da Polícia Civil na Região do Baixo Amazonas, a droga estaria escondida dentro de um televisor. Com a informação, o delegado Jaime Paixão, titular da Delegacia de Juruti, determinou ao investigador Nelson Costa e ao escrivão Victor Sousa, para se deslocarem até o porto da cidade. 

DROGA EM TELEVISOR
PACOTE É ABERTO
PRESO

Durante a investigação, os policiais civis ficaram em observação no local até o momento em que atracou a balsa denominada Seresta com procedência de Manaus. Logo em seguida, um suspeito chegou ao porto. Os policiais observaram o momento em que o suspeito pegou o televisor e o repassou a um homem contratado como carregador para fazer o transporto do objeto. Na saída do porto, o suspeito foi abordado e o televisor foi revistado. 

Dentro do eletrodoméstico, os policiais encontraram um bloco da droga envolto em plástico com peso total de 1,150 quilo. Conforme os policiais, trata-se da maconha conhecida como "Skank" ou "supermaconha", uma droga modificada em laboratório e que apresenta efeito entorpecente mais forte do que a maconha comum. William Vieira foi preso em flagrante e conduzido para a Delegacia, para ser autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas. As investigações irão prosseguir para tentar identificar o responsável pelo fornecimento da droga. 

POLÍCIA MILITAR DO PARÁ CONTA COM PRIMEIRA MULHER A INTEGRAR GRUPO DE POLICIAMENTO TÁTICO DA CORPORAÇÃO

Natália Lourenço, 31 anos, é a primeira policial militar feminina no Pará a compor a equipe Rotam, criada para atender ocorrências de alta complexidade e atuar em ações ostensivas da PM. A conquista veio com a conclusão do “IV Curso Operacional Rotam”, que dos 240 inscritos teve apenas 38 certificados, submetidos a um árduo treinamento de quase dois meses. A formação, inédita nos quadros da Polícia Militar do Pará, rendeu à Natália a distinção como "Policial Destaque", conferida na noite desta terça-feira, 10, durante cerimônia de formatura no Batalhão de Polícia Tática (BPOT), em Belém. 

POLICIAL MILITAR NATÁLIA LOURENÇO
Casada e mãe de um menino de dois anos, Natália entrou para a Polícia Militar aos 28 anos. Orgulhosa, ela deseja que seu exemplo seja seguido por outras mulheres. "É uma honra saber que as mulheres estão quebrando paradigmas e mostrando que são capazes, sim, de atuar em qualquer área que queiram, inclusive as forças militares”, diz. Para a baiana adotada pelo Pará, a presença de uma policial feminina nas Rondas Táticas Metropolitanas pode fazer a diferença no combate ao crime, facilitando, por exemplo, as buscas pessoais. 

A persistência e o profissionalismo foram essenciais para que ela se tornasse a primeira mulher a concluir o curso da Rotam e, assim, escrever seu nome na história da PM do Pará. “Passei por treinamento semelhante aos dos homens, não houve distinção alguma pelo fato de ser mulher. E isso é essencial dentro de uma tropa especializada, para garantir a excelência no nosso trabalho, uma vez que somos garantidores de direitos”, defende. Para o comandante da Rotam, tenente coronel Luiz Carlos Rayol, a formação faz de Natália uma policial diferenciada e preparada para atender ocorrências de alta periculosidade. 

“Ter uma policial feminina formada nesse curso demonstra claramente a força e o potencial que tem as mulheres. E serve de exemplo para as demais, que agora tem um caminho aberto para chegar no mesmo objetivo, basta que elas se dediquem", referendou. Durante a solenidade de formatura, Natália e os três primeiros colocados no “Curso Operacional Rotam” receberam menção honrosa e uma placa de mérito. A formação é voltada para militares que atuam ou podem vir a compor as equipes da Ronda Tática Metropolitana. Entre os temas trabalhados no treinamento estão Doutrina, Conhecimento Jurídico, Conhecimento Tático e Técnicas Especiais para o cumprimento de missões especializadas.