terça-feira, 19 de abril de 2016

POLÍCIA CIVIL JÁ INVESTIGA MORTE DE POLICIAL MILITAR E ATAQUE À FAZENDA EM MARABÁ

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil já iniciou as investigações para esclarecer as circunstâncias da morte do sargento da Polícia Militar Marcos Rak. Ele foi morto após ter reagido a uma tentativa de assalto na Folha 22, bairro Nova Marabá, na tarde da última segunda-feira (18). Da mesma forma, os policiais da Divisão de Homicídios de Belém já começaram os trabalhos para elucidar também as mortes de Allyson Sousa de Carvalho e Erisson Neves de Melo, suspeitos de cometerem o latrocínio contra o sargento Marcos Rak. Os dois teriam sido mortos por integrantes de um grupo de cerca de 20 homens. Eles teriam entrado no hospital municipal de Marabá e efetuado perfurações e cortes nos acusados, que recebiam atendimento na unidade de saúde. 


Esses foram alguns dos esclarecimentos que agentes da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) repassaram durante coletiva de imprensa, nesta terça-feira (19), no auditório do Comando de Policiamento Regional 2. O superintendente da Polícia Civil em Marabá, delegado Marcelo Delgado, juntamente com o comandante regional da PM, coronel Almério Moraes, detalharam a ação que vitimou o sargento que há 18 anos integrava a corporação militar. 

Estiveram presentes ainda os coronéis Roberto da Silveira e Sérgio Fialho, e o titular da Delegacia Especializada em Conflitos Agrários (Deca), delegado Alexandre Nascimento, que repassou o andamento das investigações relacionadas à fazenda Cedro. “A Polícia Civil já estava investigando o caso da morte do sargento Rak, quando soube, por volta das 3h30 desta terça, da morte dos dois bandidos acusados de trocar tiros com o militar”, disse o superintendente da Polícia Civil. A polícia já ouviu, em depoimento, oito testemunhas relacionadas aos dois inquéritos instaurados. 

As imagens do circuito interno do hospital ainda serão analisadas, caso haja condições técnicas. Questionado sobre a possível participação de policiais militares na morte dos dois homens que estavam no hospital, o delegado Marcelo Delegado alegou que “nenhuma hipótese está descartada, mas vamos aguardar as investigações dos policiais de Belém, da Divisão de Homicídios”. O corpo do sargento Marcos Rak foi trasladado para a cidade maranhense de Imperatriz, onde será sepultado. A PM cuidou não apenas deste transporte, mas de todos os serviços sociais, como apoio psicológico aos familiares. 

Também já está sendo agilizado o processo para obtenção da pensão e do pecúlio, benefícios previstos em lei. “Oferecemos todo o apoio ao militar, fizemos as honras pelos anos prestados e daremos a atenção devida à família”, garantiu o coronel Almério. Na madrugada da terça-feira, novamente a fazenda Cedro, localizada a cerca de 50 quilômetros da sede de Marabá, foi invadida por supostos integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra. Segundo o delegado Alexandre Nascimento, a Deca já instaurou novo procedimento para investigar a ação. 

Um total de 14 pessoas já foi indiciado em apenas um inquérito instaurado e que tem a fazenda como objeto de conflito. Somente em 2016, cinco inquéritos foram formalizados. O último fato registrado na propriedade, que tem milhares de cabeças de gado, ocorreu no dia 17 de abril, quando uma aeronave que havia pousado, emergencialmente, na fazenda, recebeu vários disparos na fuselagem e teve parte da cabine queimada. “Não é uma intervenção tão fácil, pois existe uma questão social que envolve outras instituições. Estamos fazendo nosso trabalho para garantir a integridade das pessoas e o direito à propriedade”, disse o delegado.

PRESOS DOIS HOMENS POR PRATICAR VIOLÊNCIA CONTRA AS PRÓPRIAS COMPANHEIRAS EM ALTAMIRA

A Polícia Civil divulgou, nesta terça-feira, 19, as prisões de dois homens por agressão às companheiras, em Altamira, sudoeste paraense. Em um dos casos, o acusado Neildo Reis da Rocha foi preso em cumprimento de mandado de prisão preventiva pelos crimes de lesão corporal e tortura contra a mulher. No outro caso, Alex Santos da Silva foi preso em flagrante após agredir a companheira. A ordem de prisão contra Neildo foi decretada pela Justiça por representação da delegada Renata Gurgel, titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), da região. Há quatro meses, conta a delegada, Neildo mutilou a vítima com um facão durante briga em casa. À época do crime, os dois viviam juntos em Altamira. 

DELEGACIA DE ALTAMIRA
Durante a confusão, Neildo cortou uma das orelhas da mulher e depois jogou sal de cozinha no ferimento aberto para causar intensa dor à vítima. Após o crime, o acusado fugiu. O caso foi denunciado à Deam, que instaurou inquérito policial para apurar o crime. A vítima foi ouvida em depoimento, após receber atendimentos médicos na época, e revelou detalhes sobre a agressão física cometido pelo então companheiro. A mulher também passou por exames periciais que atestaram a lesão sofrida pela vítima. Com base nas provas, ressaltou a delegada, foi solicitada a prisão preventiva do acusado. A ordem de prisão foi expedida na segunda-feira e o acusado foi encontrado em menos de 24 horas depois da decretação do mandado de prisão. Preso, Neildo permanecerá recolhido à disposição da Justiça para responder pelo crime. 

OUTRO CASO A Polícia Civil prendeu, nesta segunda-feira, 18, Alex Santos da Silva, acusado de lesionar fisicamente e de fazer ameaças à companheira, em Altamira, sudoeste paraense. Ele foi preso em flagrante por policiais civis da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam). Conforme a delegada Renata Gurgel, o crime chegou ao conhecimento da unidade policial depois que a vítima procurou ajuda para comunicar que havia sido agredida na cabeça e pernas pelo acusado. Logo em seguida, uma equipe policial foi até o endereço de Alex e o prendeu em flagrante. Ele já responde processo na Justiça por ter sido preso em flagrante em 5 de maio de 2014 por roubo majorado pelo concurso de pessoas e uso de arma de fogo ilegal. O acusado estava em liberdade provisória concedida pela Justiça desde 30 de junho do mesmo ano. Conforme a delegada Renata Gurgel, a prisão faz parte de uma política de tolerância zero à violência doméstica contra a mulher.

OPERAÇÃO "CHECK LIST" COMBATE VENDA DE PEÇAS E VEÍCULOS ROUBADOS EM LOJAS NA CIDADE DE TUCUMÃ

As Polícias Civil e Militar deflagraram, nesta segunda-feira, 18, uma operação denominada "Check List", para desarticular um esquema de roubos e revenda de motos roubadas em revendedoras de peças e veículos, na cidade de Tucumã, sudeste paraense. Ao todo, oito pontos comerciais foram fiscalizados durante a ação policial, durante a manhã. Um homem foi preso em flagrante pelo crime de receptação de moto roubada. Foram apreendidas diversas peças sem documentação, seis motos irregulares, combustível armazenado de forma irregular em uma das lojas e motores com numeração raspada. 

Segundo o delegado William Crispim, titular de Tucumã, a operação atendeu ao cumprimento de mandados de busca e apreensão decretados peja Justiça em decorrência de investigações realizadas pela equipe policial do município. As informações apuradas, após denúncias, mostraram que os estabelecimentos de venda de peças de motos e revenda dos veículos faziam parte de um esquema de comércio de peças e motos furtadas ou roubadas. 

Assim, explica o policial civil, a operação foi deslanchada para agir de forma preventiva e repressiva contra essa prática criminosa. "Alguns outros casos estão sendo analisados passíveis também de prisão", detalha o delegado. Estiveram em atuação na operação policiais civis da Superintendência da Região do Alto Xingu e das Delegacias de Tucumã, Ourilândia do Norte, Água Azul do Norte e São Félix do Xingu, junto com policiais militares da região.

POLÍCIA CIVIL INTENSIFICA REPRESSÃO AO TRÁFICO DE DROGAS NA CIDADE DE BRAGANÇA

A Polícia Civil intensificou a repressão ao tráfico de drogas, na cidade de Bragança, nordeste paraense, por meio de investigações sobre pontos de vendas de entorpecentes, no municípios. Um balanço divulgado, nesta segunda-feira, 18, revela que 14 pessoas envolvidas no crime foram presas apenas este mês em flagrante durante operações policiais na região. O combate ao tráfico de drogas é realizado de forma integrada com a Polícia Militar. 

APREENSÕES
Com os presos, diversas quantidades de drogas foram apreendidas. Conforme o delegado Marcelo Mendes, da Unidade Integrada Pro Paz de Bragança, o trabalho de repressão aos pontos de venda de drogas, as conhecidas "bocas de fumo", já mostrou que os traficantes têm recrutado cada vez mais adolescentes na prática criminosa.

A apreensão de dois adolescentes colocou em evidência essa prática. Assim, explica o policial civil, as investigações para desarticular as atividades do tráfico de drogas no município vão continuar. "Foram instaurados inquéritos na UIPP de Bragança para investigar o esquema de captação de crianças e adolescentes para a prática criminosa do tráfico de drogas", ressalta. 

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR PROSSEGUEM BUSCAS A GRUPO DE ASSALTANTES EM RURÓPOLIS

A Polícia Civil intensificou, nesta terça-feira, 19, as investigações para identificar o restante do grupo criminoso que assaltou uma agência bancária, em Rurópolis, sudoeste paraense. Durante as buscas, no dia de ontem, quatro homens que integravam a associação criminosa, trocaram tiros por duas vezes com policiais nas matas da zona rural do município, e morreram durante o confronto. Com os criminosos, quatro armas de fogo, sendo um revólver, duas pistolas e um fuzil, foram apreendidas. O armamento foi encaminhado para o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves em Itaituba para passar por perícia.

Os corpos dos criminosos também foi levados para Itaituba e ficaram de ser liberados. Ainda, durante as buscas aos assaltantes, os policiais já conseguiram recuperar mais de R$ 14 mil do dinheiro roubado do banco. De acordo com o delegado Ariosnaldo Vital Filho, titular da Delegacia de Rurópolis, as buscas aos demais membros do bando continuaram por todo dia.  O trabalho conta com policiais civis de Rurópolis, da Superintendência da Região do Tapajós, da Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos (DRRB), e policiais militares do Comando de Operações Especiais (COE), do Grupamento Tático Operacional (GTO) de Itaituba, e do município.


POLICIAIS CIVIS E MILITARES NA OPERAÇÃO
ARMAS APREENDIDAS
PARTE DO DINHEIRO RECUPERADO
As incursões realizadas na mata foram coordenadas pelos delegados Vicente Gomes, titular da Superintendência, e Tiago Barreto, da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). As ações policiais também contam com apoio de policiais civis do Núcleo de Apoio à Investigação de Santarém no levantamento de informações. Conforme o delegado Vicente Gomes, as buscas contam com apoio de um helicóptero do Grupamento Aéreo de Segurança Pública.

GRUPO QUE VENDIA DROGAS EM CAMPO DE FUTEBOL É FLAGRADO EM MUANÁ

As Polícias Civil e Militar flagraram, na noite desta segunda-feira, 19, dois adultos e um adolescente praticando tráfico de drogas, em um campo de futebol, na cidade de Muaná, na ilha do Marajó. A equipe policial prendeu Daniel Oliveira Martins e Toniel de Oliveira Ferreira com drogas, celulares e dinheiro da venda dos entorpecentes. A ação policial foi iniciada após uma denúncia anônima sobre a prática criminosa no local conhecido como campo do Poeirão. 


Conforme a investigadora Anna Thays, em resposta à denúncia, a guarnição da Polícia Militar formada pelos sargentos Bentes e Malato, e cabo Vanilson, junto com a policial civil, foram até o local para averiguar a informação. A denúncia foi constatada. 

Os três acusados foram flagrados com porções de maconha, petecas, uma garrafa plásticas, papelotes, celulares e dinheiro do comércio ilegal das drogas. As suspeitas eram de que os acusados aproveitaram a movimentação de jovens no campo de futebol. 

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR ACABAM COM FARRA DE ASSALTOS PRATICADOS POR GRUPO CRIMINOSO

As Polícias Civil e Militar, em operação conjunta, deram fim a uma série de assaltos praticados por um grupo formado por cinco pessoas, dentre elas uma adolescente de 15 anos. Os presos haviam horas antes roubado um carro, em Belém, e depois seguiram para Santa Izabel do Pará, onde roubaram uma moto. Eles foram perseguidos e interceptados pelos policiais na cidade de Benevides, na região metropolitana de Belém. Os quatro presos adultos são Josiel Augusto Sodré Teixeira, 18 anos; Jailson Marcos Vaz Costa, 23; Anderson do Nascimento Ferreira, 20, e Maria Aparecida de Oliveira Monteiro, 31. Eles foram apresentados no plantão da Seccional Urbana de Santa Izabel do Pará. 

ADULTOS PRESOS E ADOLESCENTE APREENDIDA
Segundo a delegada Priscilla Morgado, responsável pela autuação em flagrante do grupo, os presos são todos moradores no bairro da Pedreira, em Santa Izabel do Pará. Os crimes foram praticados na segunda-feiram, 18. Inicialmente, eles foram até Belém, com objetivo de praticar um assalto. Durante a madrugada, eles roubaram um carro no cruzamento da rua Boaventura da Silva com Travessa Quintino Bocaiúva, em Belém. O carro foi levado até Santa Izabel do Pará. Nesta cidade, ressalta a delegada, os criminosos praticaram um novo assalto. Desta vez, explica a policial civil, roubaram uma moto e em seguida roubaram o telefone celular de uma pessoa que estava em frente à sua casa no município. 

Após os crimes, a Polícia Civil de Santa Izabel do Pará, sob coordenação da delegada Priscilla Morgado, em ação integrada com policiais militares, passou a perseguir os assaltantes que tomaram rumo da cidade de Benevides, onde eles foram presos. Com eles, a moto e o carro roubados foram recuperados, além do telefone celular roubado também recuperado. Também foram encontrados com os acusados outros telefones celulares, um computador portátil e joias roubadas.

PRESO EM TUCUMÃ ACUSADO DE MATAR O PRÓPRIO IRMÃO EM APARECIDA DE GOIÂNIA

A Polícia Civil localizou e prendeu, na manhã desta terça-feira, 19, em Tucumã, no sudeste do Pará, o goiano Sebastião Pereira de Carvalho, 35 anos, que está na condição de foragido da Justiça de Goiás, onde responde processo acusado de matar o próprio irmão Ailson Pereira de Carvalho, 33. O crime foi em dezembro do ano passado, na cidade de Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital de Goiás. 

Desde a época do crime, o acusado fugiu de Goiás e estava escondido na casa de familiares da esposa, em Tucumã. A prisão foi realizada pela equipe de policiais civis da Delegacia do município após denúncia anônima.

O delegado William Crispim, titular da Polícia Civil em Tucumã, explica que após receber a informação, os policiais civis foram até o endereço em que o foragido estava morando.

Após localizá-lo, os policiais o conduziram até a Delegacia, onde foi feita uma verificação no banco de dados sobre foragidos de Justiça e encontraram um mandado de prisão decretado pela Comarca de Aparecida de Goiânia contra Sebastião. 

Em depoimento ao delegado, o acusado admitiu ter morto o próprio irmão por parte de pai com um golpe de faca no peito, durante uma briga. Porém, o acusado alegou que agiu em legítima defesa.

A vítima trabalhava como açougueiro. Após cumprir mandado de prisão, o preso ficará recolhido na cidade à disposição da Comarca de Aparecida de Goiânia para ser recambiado ao Estado de Goiás para responder pelo crime de homicídio qualificado. 

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR DESARTICULAM EQUIPE REX RESPONSÁVEL POR COMANDAR TRÁFICO DE DROGAS NA PERIFERIA DE BELÉM

O Sistema Estadual de Segurança Pública deflagrou, nesta terça-feira, 19, a operação "Terra Segura" com objetivo de prender integrantes de uma associação criminosa, conhecida como "Equipe Rex", que atua no bairro da Terra-Firme, periferia de Belém, na prática de tráfico de drogas e de crimes relacionados à venda de substâncias entorpecentes na área. Foram cumpridos 44 mandados de busca e apreensão em residências e mais 36 ordens de prisão. Dentre os acusados, 18 são presidiários que ordenavam crimes no bairro. Durante a operação, foi presa uma pessoa em flagrante com drogas. Até metade da manhã, 12 presos haviam sido apresentados na Delegacia-Geral (DG), no bairro de Nazaré, em Belém.  

SAÍDA DAS VIATURAS
SECRETÁRIO JEANNOT JANSEN ACOMPANHA A OPERAÇÃO
A operação teve início por volta de 5h30, com a saída das viaturas das Polícias Civil e Militar, em um total de 58 equipes, da sede da DG, com destino à Terra-Firme. Mais de 200 policiais da capital, região metropolitana e interior, participaram da operação. Dentre os agentes participantes estão policiais civis de Seccionais e Delegacias da capital e Grande Belém, e de Superintendências do interior, e policiais militares da Rotam e Comando de Operações Especiais (COE).

VIATURAS NA OPERAÇÃO POLICIAL
O secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Jeannot Jansen, e o secretário adjunto de Gestão Operacional da Segup, coronel Hilton Benigno, acompanharam pessoalmente a operação, que teve na coordenação o delegado-geral Rilmar Firmino, e o delegado Claudio Galeno, diretor de Polícia Metropolitana. O trabalho, explica Firmino, contou com investigações e levantamentos realizados por policiais civis vinculados à Diretoria de Polícia Metropolitana e Núcleo de Inteligência. 

DELEGADO RILMAR FIRMINO
O policial civil explica que foram investigados os envolvidos no esquema do tráfico de drogas na área, que envolvia pessoas que moram no bairro e presidiários, que de dentro da prisão, davam ordens a comparsas no lado de fora para execução de crimes, como tráfico de drogas e homicídios ligados à venda de drogas. 

Um dos dos presos, destaca o delegado-geral, é Mauro Alexandre Ramos, conhecido como Mauro Gordo, apontado como um dos líderes do grupo criminoso. O policial civil explica que, desde o final do ano de 2014, quando foram registrados assassinatos no bairro da Terra-Firme, após a morte do cabo Antonio Figueiredo, as investigações para desarticular o bando foram intensificadas. 

DROGAS APREENDIDAS
Para o delegado-geral, com as prisões, a Equipe Rex está completamente extinta. Ele salienta que, entre os presidiários, havia seis lideranças do grupo criminoso responsáveis por comandar o tráfico de drogas na Terra-Firme. "A partir do momento, quebramos esse elo de comunicação e também prendemos essas pessoas que estão aqui fora executando as ordens das pessoas que estão presas", destaca. Ele ressalta que as ações preventivas da violência na área da Terra-Firme que têm contribuído para redução dos índices de criminalidade. "Além das ações preventivas que temos na Unidade Integrada Pro Paz na Terra-Firme, temos o trabalho repressivo, com policiamento ostensivo e o trabalho investigativo de crimes", salienta.