sábado, 9 de abril de 2016

POLÍCIA CIVIL JÁ CONTA COM NOVA UNIDADE INTEGRADA PRO PAZ NA CIDADE DE VITÓRIA DO XINGU

A nova Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) construída no município de Vitória do Xingu, no sudoeste do Pará, foi inaugurada nesta sexta-feira (8). Com um investimento de mais de R$ 2 milhões de reais, esta é a 51º UIPP entregue no Pará pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup). Desde a escolha do terreno até a conclusão da obra, o Governo do Pará contou com a parceria da prefeitura de Vitória do Xingu. Para Amilson Leocádio de Souza, 55 anos, morador do bairro Jardim D’alaqua, o investimento vai trazer muitos benefícios para a população de Vitória do Xingu. “Agora é uma delegacia padrão. Vitória do Xingu precisava de um prédio com essa estrutura”, disse. 

UIPP DE VITÓRIA DO XINGU
O delegado Lindoval Borges, que assume o trabalho na nova UIPP, disse que através desse novo modelo de segurança pública, os índices de criminalidade na região vão diminuir. Participaram da inauguração o Chefe da Casa Civil da Governadoria, José Megale, no ato representando o governador Simão Jatene; o superintendente da Susipe (Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado), André Luis Cunha; o delegado geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino; o secretário adjunto de Gestão Administrativa da Segup, Edmilson Lobato; o delegado de Polícia do Interior, delegado João Bosco Rodrigues; o deputado estadual Ozório Juvenil (PMDB) e a diretora geral do CredCidadão, Tetê Santos. 

A comitiva visitou as instalações da nova UIPP e conheceram os espaços para atendimentos das polícias Civil e Militar e Pro Paz, salas de monitoramento, mediação de conflitos e de reconhecimento, espaço de custódia e banheiros públicos. Além disso, a unidade contará com uma copa/cozinha e uma sala de convivência para os agentes de segurança. André Luís Cunha, da Susipe, destacou o trabalho conjunto que prima a UIPP, com a integração de diversos órgãos como Polícia Militar, Polícia Civil e Pro Paz. “Todos esses órgãos integram o conceito de unidade integrada de polícia, ao agregar segurança pública com as políticas sociais do estado para ofertar esse conjunto de serviços à população”, definiu o superintendente. 

O chefe da Casa Civil, José Megale, pediu à população de Vitória do Xingu para cuidar e zelar pelo prédio da UIPP. “Essa obra não é do Governo. Essa obra é de vocês. Realizada com recursos da sociedade. E que cada um de nós, servidores públicos e sociedade civil, possamos enxergar no outro a sua dor, pois quando se procura um atendimento em uma unidade de polícia, é porque se vive um momento de muita dificuldade. Temos que atender com decência e carinho, demonstrando compromisso com a sociedade”, discursou Megale. 

O prefeito de Vitória do Xingu, Erivando Oliveira Amaral, agradeceu ao Governo do Pará pela atenção dada àquela região. “Eu quero agradecer a toda equipe que veio aqui para participar desse momento. Também quero reconhecer o trabalho dos delegados da nossa região e da Polícia Militar, que trabalham com competência e compromisso para defender o povo da nossa região”. 

Inauguração
INAUGURAÇÃO DA UIPP
COMPLEXO PENITENCIÁRIO A comitiva, após a inauguração da UIPP de Vitória do Xingu, visitou o canteiro de obras do Complexo Penitenciário de Vitória do Xingu, na BR 230, no Km 18 da Transamazônica. A obra, que teve início em 2014, está com previsão de ser inaugurada no começo do segundo semestre deste ano. Na obra, 350 funcionários estão trabalhando em uma área de 20 mil metros quadrados. Serão três unidades prisionais: feminino, masculino e semiaberto com capacidade de mais de 600 vagas. 

André Luís Cunha ressalta que a obra foi uma necessidade diagnosticada em função do impacto gerado pelo empreendimento de Belo Monte e da crescente taxa anual da população carcerária. “Aqui na região só existe uma unidade prisional, em Altamira, e ela não daria conta de comportar esse aumento do número de pessoas presas. Então, era preciso fazer esse investimento, ocasionado pelo aumento populacional em torno do empreendimento”, explicou o titular da Susipe. 

O titular da Susipe explicou também que dentro da concepção do projeto, foi idealizada uma unidade masculina, de regime fechado, uma masculina, de regime aberto e uma feminina. “Para cá é uma inovação. Aqui as mulheres não têm onde ficar e, a maioria, segue para capital, o que é ruim para a construção do processo de reinserção na sociedade E mais, elas ficam muito distante dos seus familiares. Ter uma unidade feminina nessa região também é muito importante”, explica André Cunha. 

A outra novidade nesse sistema penitenciário é a unidade de semiaberto que terá um galpão com celas e espaço com estrutura elétrica, hidráulica, de vestiário e salas de treinamentos que serão destinadas para empresas que queiram usar a mão de obra prisional. “Esse espaço vai ser submetido a um edital de seleção pública para alguma empresa que tenha interesse em instalar ali um canteiro produtivo usando a mão de obra carcerária”, explicou André. 

O superintendente reforça que a empresa que usar esse espaço e essa mão de obra estará fazendo um trabalho significativo de reinserção social. “Apesar de já termos esse modelo no Estado, esse é o primeiro modelo de complexo penitenciário que traz o conceito do uso da mão de obra prisional desde o projeto”, completou. Fonte: Silvia de Souza Leão - Casa Civil.