sexta-feira, 18 de novembro de 2016

PRESO ACUSADO DE MATAR A EX-COMPANHEIRA EM CAMETÁ

As Polícias Civil e Militar prenderam em cumprimento a mandado de prisão preventiva, nesta quinta, 17, em Cametá, nordeste paraense, Benedito Neto Dias Pantoja, de 32 anos, acusado de crime de feminicídio. A vítima foi Elizangela de Sousa Garcia, ex-companheira do acusado, e que foi morta em 2015, no município. Ele foi preso por policiais civis e militares enquanto viajava de ônibus pela rodovia PA-151, perto do trevo do Carapajó. O acusado está recolhido à disposição da Justiça. Conforme o delegado Rodrigo Leão, titular da Superintendência da Região do Tocantins, Benedito Neto teve a prisão decretada pela Justiça após o cometimento do crime. 

Na época, o crime ganhou repercussão na cidade, já que foi o primeiro caso de feminicídio no município após a criação da Lei 13.104, de 9 de março de 2015, que alterou o artigo 121 do Código Penal, instituindo o feminicídio - homicídio de mulher em decorrência de sua condição feminina - no rol dos crimes hediondos. 

O assassinato também repercutiu devido à forma violenta que foi cometido. A vítima foi degolada e teve o corpo jogado no rio Tocantins. 

O delegado explica que a prisão de Benedito Neto ocorreu após o recebimento de denúncia anônima informando que o acusado estava se deslocando de Belém para a cidade de Mocajuba em um ônibus via rodoviária. 

Assim, a equipe de policiais coordenada pelos delegados Celso Sandanha e Gilandeson Caldas, da Delegacia de Cametá, com apoio dos investigadores Ozi Brito, Sergio Pompeu e Agostinho, junto com policiais militares do Distrito de Carapajó, fizeram uma barreira na estrada para abordar o ônibus. 

No momento em que o veículo foi avistado, os policiais deram ordem de parada ao motorista e prenderam o acusado. Ele foi conduzido para a Unidade Integrada Pro Paz de Cametá para responder pelo crime.

Nenhum comentário: