sábado, 1 de outubro de 2016

POLÍCIA CIVIL AJUDA IDOSO A REENCONTRAR FAMILIARES APÓS 30 ANOS DESAPARECIDO EM BELÉM

Neste sábado, 1º de outubro, quando se celebra o Dia do Idoso, vamos registrar um momento de muita felicidade para a Polícia Civil. A equipe da Delegacia de Proteção ao Idoso (DPID), da Polícia Civil do Pará, localizou familiares de um idoso que estava havia 30 anos sem dar qualquer notícia. Aos 68 anos, seu João de Castro Moura, reencontrou os parentes que moram em Belém, após viver fora do Pará por mais de três décadas. Com problemas de memória, que lhe causam constantes esquecimentos, seu João conta que viajou do Pará até Oiapoque, no Amapá, para trabalhar em áreas de garimpo. Ali, naquela região do extremo-norte do Brasil, na fronteira com outros países da América Latina, explica o idoso, chegou a conhecer a cidade de Caiena, capital da Guiana Francesa.

Servidores da Delegacia do Idoso ao lado de João Moura
IDOSO FOI LOCALIZADO
Após proporcionar o reencontro de seu João com a família, a equipe da DPID sob coordenação da delegada Regina Tavares, titular da DPID, e da assistente social Simone Aguiar, esteve esta semana na casa de dona Marinete, onde seu João passou a morar. Eles relataram parte da jornada pela qual o idoso passou nos últimos 30 anos distante da família até o reencontro com a família, em Belém. O único momento que seu João não se lembra foi como retornou para Belém, o que, para os familiares, é um mistério. Cearense de nascimento, assim como toda sua família, seu João deixou o Ceará e passou a morar em Belém há cerca de 50 anos. Após cerca de 20 anos vivendo na capital paraense, ele resolveu viajar para o Amapá, na região de fronteira com a Guiana Francesa, para trabalhar em garimpos. 

Assim, o idoso passou três décadas na região e, desde então, ficou sem dar notícias à família, que já estava sem esperanças de reencontrá-lo. Mas, no mês passado, seu João conseguiu retornar para Belém de forma misteriosa, pois nem ele mesmo sabe de que forma chegou à capital paraense. Perdido e desorientado após retornar a Belém, o idoso foi ajudado por uma série de pessoas até ser levado à sede do IPAMB (Instituto de Previdência e Assistência do Município de Belém), órgão da Prefeitura, localizado no bairro do Marco, na capital paraense. Neste local, novamente, seu João foi ajudado por pessoas de bem. Uma funcionária chegou a acolhê-lo na casa de familiares, onde o idoso permaneceu até ser levado à Delegacia de Proteção ao Idoso (DPID). 

Foi então que a equipe da Delegacia tomou conhecimento de que o idoso estava havia 30 anos longe da família e que não lembrava onde os parentes moravam em Belém. Assim, após fazer levantamentos, a DPID conseguiu localizar dois endereços de parentes de seu João, em Belém. Mediante contato prévio com os familiares, a equipe policial levou o idoso para reencontrá-los. Um dos reencontros mais emocionantes foi com a irmã, Marinete de Castro Gonçalves, 56 anos, moradora no bairro de Canudos. Ao lado do marido, o feirante Raimundo Gonçalves, 63, a dona-de-casa relatou os anos todos de angústia que passou por não ter qualquer informação sobre o paradeiro do irmão. "Foi muito desesperador passar todo esse tempo sem notícias dele, mas graças a Deus, ele está de volta", comemorou.

Nenhum comentário: