segunda-feira, 24 de outubro de 2016

OPERAÇÃO INTEGRADA RESGATA ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE RISCO EM SÃO SEBASTIÃO DA BOA VISTA

A Polícia Civil divulgou, nesta segunda-feira, 24, os resultados de uma operação integrada em parceria com a Polícia Militar, Ministério Público Estadual e Conselho Tutelar, realizada, no último final de semana, em São Sebastião da Boa Vista, na ilha do Marajó, para prevenir e combater crimes contra crianças e adolescentes e reprimir o tráfico de drogas. Ao todo, seis adolescentes encontrados em situação de risco em casas noturnas foram resgatados desses locais. Uma pessoa foi conduzida para a Delegacia loca para responder por crime de desacato. Um bar sem alvará para funcionar foi fechado. 

Fiscalização em São Sebastião da Boa Vista
FISCALIZAÇÃO NO MUNICÍPIO
Segundo o delegado Társio Martins, titular da Delegacia do município, a ação policial fiscalizou logradouros públicos e estabelecimentos de diversão pública da cidade, no período noturno, com foco principal na garantia dos direitos da infância e adolescência e para prevenir crimes em geral. Ele explica que todos os adolescentes resgatados foram encaminhados ao Conselho Tutelar para providências administrativas junto aos responsáveis dos jovens. Os responsáveis pelos estabelecimentos foram orientados sobre os direitos e deveres e sobre a proibição da permanência de menores de idade nesses locais nos horários proibidos por lei como forma de evitar crimes e situações de risco aos jovens. 

Os agentes fiscalizaram logradouros da cidade, como praças e orlas, em áreas em que a comunidade da cidade tem reclamado de ocorrências de crimes e exposição de jovens em situação de risco. Ainda, esta semana, será realizada uma reunião com os responsáveis por esses estabelecimentos para esclarecê-los. O MPE pretende realizar uma audiência pública sobre o tema em novembro. A ação policial foi uma continuidade de outras ações desenvolvidas de forma integrada entre os órgãos públicos de São Sebastião da Boa Vista. 

No último dia 5, a Polícia Civil, o MPE local e um oficial da Comarca Judiciária resgataram três crianças em situação de risco. Uma delas era um recém-nascido desnutrido. As outras duas crianças não estavam frequentando a escola. As três apresentavam problemas de saúde. Na ocasião, o MPE representou pela perda provisória do poder familiar dos pais e guarda para a avó, além da da inscrição das crianças em programas sociais e assistência médica. A Polícia Civil, por sua vez, representou na Justiça por medidas protetivas para a avó do bebê, devido ameaças feitas pelo pai.

Nenhum comentário: