quinta-feira, 22 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL PRENDE SUSPEITOS DE ENVOLVIMENTO EM FRAUDES AMBIENTAIS EM BELÉM

A Polícia Civil do Estado do Pará deflagrou na manhã desta quinta-feira (22) a operação R.I.P., destinada ao cumprimento de nove mandados judiciais expedidos pelo Juízo da 1ª. Vara de Inquéritos Policiais e Medidas Cautelares da Comarca de Belém, sendo quatro de prisão temporária e cinco mandados de busca e apreensão em domicílios pertencentes a membros de associação criminosa que praticavam fraudes ambientais no estado do Pará. A operação foi realizada em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). 

PRESO NA OPERAÇÃO
A investigações tiveram início no começo de agosto, quando, a partir de informações repassadas pela Inteligência da Semas, foram detectadas e comunicadas à polícia judiciária irregularidades em processos referentes a Planos de Manejo Florestal Sustentável (PMFS) que tramitavam no órgão ambiental. O plano de manejo é um documento que autoriza a exploração de área para o desenvolvimento da atividade madeireira, a qual deve ser praticada dentro de parâmetros sustentáveis, visando a preservação do meio ambiente. 

Durante a operação policial foi descoberto que a suposta proprietária da área, localizada no município de Portel, onde o manejo seria realizado, teria firmado contrato com os investigados da operação em abril de 2014, porém a mesma faleceu em julho de 2013, em São Paulo – ou seja, cerca de nove meses antes da data da celebração do contrato fraudulento. 

A partir de então, constatou-se que o grupo criminoso protocolou, em diversos órgãos públicos, vários documentos falsificados. A área onde os projetos estavam previstos reunia 77257,03m³ de madeira e teria um custo de total de mais de seis milhões de reais, sendo que o lucro líquido dos projetos renderia mais de dois milhões de reais aos acusados. A operação evitou o desmatamento ilegal de quase três mil hectares de terra no estado.

Nenhum comentário: