sexta-feira, 16 de setembro de 2016

OPERAÇÃO MIRITI PRENDE FORAGIDOS NA ÁREA CENTRAL DE BELÉM

As Polícias Civil e Militar, em conjunto com a Guarda Municipal de Belém, realizaram a ação denominada "Miriti", que faz parte da Operação Belém Segura, nas áreas dos bairros da Campina e Cidade Velha, área de abrangência da Seccional Urbana do Comércio, centro de Belém. No total, 78 pessoas foram abordadas, das quais 11 estavam com mandados de prisão ou de recaptura decretados pela Justiça por envolvimento em crimes diversos, como roubos, tráfico de drogas e homicídio. Oito delas permaneceram presas após consulta ao Judiciário, pois os mandados de prisão permaneciam em aberto. 

Seccional do Comércio
SECCIONAL DO COMÉRCIO
Titular da Seccional do Comércio, a delegada Flávia Leal explica que a ação foi elaborada levando em consideração os casos de homicídios registrados nos últimos meses na área. Foram, ao todo, cinco mortes nos últimos dois meses, de pessoas em situação de rua. A ação policial também teve meta de atender ainda a demanda de ocorrências de crimes contra o patrimônio, como roubos e furtos, que tendem a aumentar com a aproximação da festa do Círio de Nazaré, em outubro, quando o número de pessoas circulando na área central da capital paraense aumenta, principalmente, nos espaços públicos, como praças, e área comercial. 

Diante disso, explica a policial civil, as equipes policiais se reuniram na Seccional e iniciaram a operação por volta de 16 horas desta quinta-feira. O trabalho foi encerrado por volta de 3 horas da madrugada desta sexta-feira, 16. Os agentes abordaram e revistaram moradores em situação de rua que foram levados à Seccional para identificação e verificação da situação de cada um junto ao Poder Judiciário. Dentre os que ficaram presos, há casos de presos que estavam indiciados em processos criminais, porém tinham paradeiro desconhecido, e outros que fugiram de prisões. 

Entre os presos, há foragidos de Bragança e Breves, no Pará, e até um foragido do Amapá identificado como Jairo Souza Chagas, acusado de homicídio nesse Estado. "A ideia é continuar a operação nesses espaços públicos fazendo a abordagem e a checagem das pessoas que estão utilizado esses espaços como moradia e retirando do meio dos moradores de rua aqueles que têm passagem pela Polícia e que estão com prisão decretada", explica Flávia Leal, ao ressaltar que a meta é estender a operação por toda área comercial de Belém. Após serem identificados, os presos foram encaminhados a exame de corpo de delito no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e depois colocados à disposição da Justiça em unidades do Sistema Penitenciário do Pará. 

Nenhum comentário: