quinta-feira, 25 de agosto de 2016

POLÍCIA CIVIL PROMOVE PEREGRINAÇÃO EM HOMENAGEM À VIRGEM DE NAZARÉ COM PEREGRINAÇÃO EM DELEGACIAS DE BELÉM

A Polícia Civil chegou, nesta quinta-feira, 25, ao 13º local da peregrinação iniciada no último dia 9 em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré, a padroeira dos paraenses, e que faz parte da programação do 18º Círio da corporação policial. Desta vez foi a vez da equipe da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) do Tapanã, no distrito de Icoaraci, em Belém, receber a visita da comissão de servidores públicos responsável pela peregrinação que antecede à procissão do Círio da Polícia Civil, que será realizado no último domingo de setembro. A imagem saiu, pela manhã, da Seccional Urbana de Icoaraci e foi conduzida até a UIPP do Tapanã. 



A imagem foi recepcionada pelo delegado Fabiano Amazonas, diretor da UIPP, onde a equipe de servidores participou da novena em homenagem à padroeira. Uma mesa foi preparada como local onde a imagem vai passar as próximas 24 horas. Ao redor do local, ornamentações com balões e flores embelezaram o ambiente na Unidade. Com orações e cânticos religiosos, os participantes da programação louvaram à Virgem de Nazaré, para que continue a abençoar o trabalho desenvolvido na UIPP do Tapanã. A imagem vai permanecer até esta sexta-feira, 26, quando será levada para a Seccional Urbana da Marambaia. 

POLÍCIA CIVIL PROMOVE SEMINÁRIO PARA DEBATER O TEMA AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA EM BELÉM

A audiência de custódia foi o tema escolhido para ser debatido, durante seminário promovido pela Academia da Polícia Civil (Acadepol), nesta quinta-feira, 25, na Delegacia-Geral, em Belém. O evento reuniu diretores de Divisões, Seccionais e Delegacias de Belém, e investigadores que ocupam cargo de chefe de operações, de unidades policiais da capital e região metropolitana. O objetivo é fornecer aos policiais civis do Estado o conhecimento aprofundado sobre o assunto. A audiência de custódia é o procedimento que consiste na garantia da rápida apresentação do preso a um juiz nos casos de prisões em flagrante. 

Em comemoração aos 37 anos da Acadepol, seminário sobre audiência de custódia
SEMINÁRIO
O evento faz parte da programação alusiva aos 37 anos de criação da Acadepol, unidade da Polícia Civil responsável pela formação dos futuros policiais civis e pela capacitação e especialização do quadro de pessoal da Polícia Civil, por meio de instrução técnica e operacional. Instituída nacionalmente há quase um ano, a audiência de custódia tem sido assunto recorrente entre os policiais. Para ajudar a esclarecer sobre o tema, a Academia promoveu o debate com o tema "Audiência de Custódia: superando paradigmas", que contou com quatro palestras de representantes da Polícia Civil, do Judiciário, do Ministério Público e da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe).

Seminário na Delegacia-Geral
EVENTO NA DELEGACIA-GERAL
A abertura do evento foi realizada pelo delegado-geral, Rilmar Firmino de Sousa, que deu as boas a todos os presentes e parabenizou a Academia por seus 37 anos e pela iniciativa. A primeira palestra foi a do delegado Carlos Daniel Fernandes de Castro, ex-titular da Superintendência da Polícia Civil de Castanhal, ex-diretor da Seccional de Santa Isabel do Pará e da Polinter, e ex-servidor do Tribunal de Justiça do Pará, e atualmente diretor da Seccional Urbana do Guamá, em Belém. O policial civil fez uma explanação de apresentação da audiência de custódia, destacando a conceituação e mostrando a evolução que representou o estabelecimento desse novo procedimento, e destacando a garantia de direitos das pessoas. 

Palestrantes: Daniel Castro, Cristiano Gomes, André Cunha e Ana Carvalho
PALESTRANTES
Delegado-geral Rilmar Firmino de Sousa
DELEGADO-GERAL RILMAR FIRMINO DE SOUSA
Em seguida, a promotora da Justiça Criminal, Ana Maria Magalhães Carvalho, do Ministério Público de Castanhal, que apresentou um caso prático de audiência de custódia, em que um preso por latrocínio foi apresentado ao juiz em Castanhal, como exemplo do procedimento. O juiz de Direito titular da Comarca de Mãe do Rio, Cristiano Magalhães Gomes, também apresentou sua contribuição para o evento abordando o tema do ponto de vista do Judiciário, mostrando que a Audiência de Custódia é um procedimento que veio para ficar e que, portanto, precisa ser cada vez mais aperfeiçoada para que seja ainda mais bem aplicada. 

Para tanto, destaca o magistrado, a comunicação entre o juiz e a autoridade policial precisa ser cada vez mais fortalecida para o êxito ainda maior do procedimento da audiência de custódia. Por fim, o superintendente do Sistema Penitenciário do Pará, coronel PM André Luiz de Almeida e Cunha, que apresentou dados sobre as audiências de custódia realizadas em Belém e no interior para mostrar a evolução do procedimento. Em março deste ano, por exemplo, quando foram iniciadas as audiências de custódia na capital, foram apresentados 19 presos ao juiz. Já em junho deste ano, o número de audiências de custódia aumentou para 192. 

Segundo a delegada Marlise Tourão, diretora da Acadepol, o evento está integrado ao programa de capacitação continuada da Polícia Civil que visa qualificar os policiais civis na busca de melhores conhecimentos voltados à qualificação profissional do servidor público. Para ela, debater sobre o tema Audiência de Custódia é fundamental nos dias atuais. "O tema é recente e assim temos de fomentar discussões sobre o assunto, dentro de uma política democrática, e trazer pessoas que venham a somar com a gente para tratar dos mais variados temas", reforça. 

POLÍCIA CIVIL LEVA PROJETO "OLÉ NO ESTRESSE" À SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA METROPOLITANA EM ANANINDEUA

A Polícia Civil promoveu nesta terça-feira, 23, atendimentos voltados à saúde de trabalhadores da corporação policial que atuam na sede da Superintendência da Região Metropolitana, em Ananindeua, na grande Belém. O trabalho foi realizado pela equipe da Diretoria de Atendimento ao Servidor (DAS), da Polícia Civil, que deslocou profissionais das áreas médicas, Psicologia e Assistência Social. A atividade faz parte do projeto denominado "Olé no Estresse", que tem por objetivo levar aos policiais civis e administrativos os serviços prestados pela Diretoria até o local de trabalho.

À direita, de cima para baixo, atendimentos na Terra Firme, Jurunas e DIOE
ATENDIMENTO ITINERANTE
Os profissionais da DAS atenderam aos servidores que atuam na Superintendência, onde estão sediadas também a Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) e Delegacia de Homicídios de Ananindeua. Entre os atendimentos prestados estiveram medição de pressão arterial, verificação de glicose e de massa corporal, além de aplicação de questionário sobre estresse no trabalho.

Além desses atendimentos, os servidores da Superintendência Metropolitana também tiveram teste sobre hepatites virais. 

Segundo a titular da DAS, delegada Leomar Maués, entre os dias 9 e 16 deste mês, servidores de outras três unidades da Polícia Civil foram atendidas no projeto "Olé no Estresse". No último dia 9, os atendimentos foram prestados na Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) da Terra-Firme, em Belém. No dia seguinte, o atendimento itinerante foi levado para a Delegacia do Jurunas, também em Belém.

ATENDIMENTO MÉDICO
Já no dia 16, foi a vez dos servidores que trabalham na Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), receber os atendimentos de saúde. O projeto foi iniciado, este ano, no mês de março como forma de orientar e alertar aos servidores para os cuidados com a saúde física e mental e contribuir para uma melhor qualidade de vida aos profissionais de segurança pública. "Os policiais atendidos pela equipe da Diretoria têm agradecido muito pelo atendimento e pelo fato de o projeto estar despertando a atenção para os cuidados com a saúde", destaca a titilar da Diretoria de Atendimento ao Servidor. 

A delegada Leomar Maués salienta que a DAS dispõe de profissionais de saúde, como médica clínica, para atender aos servidores públicos da Polícia Civil na sede da Diretoria, situada na Avenida Nazaré, centro de Belém, em horário de expediente. O projeto "Olé no Estresse" já passou por Delegacias situadas em todos os municípios da região metropolitana de Belém e por diversas unidades na capital. A ação da DAS também será levada a outras unidades policiais.

POLÍCIA CIVIL PRENDE SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE TOMÉ-AÇU POR EMPREGAR FUNCIONÁRIOS FANTASMAS

A Polícia Civil prendeu, na tarde desta quarta-feira, 24, em cumprimento a mandado judicial de prisão, durante a operação "Dirceu", o secretário municipal de educação do município de Tomé-Açu, Antonio da Silva e Silva. Ele já vinha sendo investigado por empregar funcionários fantasmas na prefeitura do município. A prisão foi cumprida por policiais civis da Delegacia de Repressão a Defraudações Públicas (DRDP), unidade vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Polícia Civil.

Segundo o delegado Carlos Eduardo Vieira, titular da DRDP, as investigações apontaram que o acusado havia adquirido um veículo Renault Duster 2014 e como pagamento de parte do automóvel teria forjado a contratação de dois parentes da pessoa que fez a venda do carro. Os nomes constavam na lista de contratados da prefeitura de Tomé-Açu nos meses de março e maio deste ano. 

NETO ESTÁ PRESO
Foi descoberto também que a esposa do vendedor do veículo e ex-servidor da prefeitura nunca havia trabalhado em qualquer atividade remunerada. "O vendedor do carro era contratado da prefeitura. Para pagar o valor de entrada do carro vendido ao secretário (R$ 25 mil), este teria forjado a contratação da esposa e do irmão do vendedor na folha de pagamento da prefeitura. Na verdade, esses dois (irmão e esposa) nunca trabalharam na prefeitura", detalha o delegado. 

Ainda, durante as investigações, foi constatado que o irmão do vendedor chegou a receber seguro-desemprego entre janeiro e maio deste ano. As funções para as quais as pessoas foram falsamente contratadas eram de auxiliar de serviços gerais, com vencimentos acima de R$ 5 mil nos contracheques. Além do veículo que foi objeto de negociação, foram apreendidas documentações referentes aos servidores da Prefeitura, cartões de contas salário de terceiros, listagem de servidores fantasma e a quantia de 15 mil reais em espécie, cuja origem Antônio da Silva não soube informar. 

O delegado, titular da DRDP, e a Promotoria do município representaram pela prisão preventiva e pela busca e apreensão domiciliar contra o acusado. Na época dos fatos, Antonio Silva desempenhava a função de secretário de administração municipal e em junho assumiu a Secretaria de Educação do município. A ação policial contou com o apoio da equipe de policiais civis da Delegacia de Tomé-Açu, sob coordenação do delegado Alexandre Lopes. O preso foi transferido para uma casa penal na região metropolitana de Belém.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

POLÍCIA CIVIL PRENDE TRÊS ENVOLVIDOS NA MORTE DE DONO DE EMBARCAÇÃO DURANTE ASSALTO NO MARAJÓ

A Polícia Civil, através da Superintendência de Breves, deflagrou neste domingo, dia 21, em Melgaço, no Marajó, a operação "Ruah" com o objetivo de conter a onda de roubos a embarcações no trecho Melgaço/Portel. Segundo o delegado Rodrigo Amorim, titular da Delegacia do município, as investigações se iniciaram após um assalto ocorrido à embarcação "Comandante Miró", no último dia 12 de junho, quando o dono do barco foi morto durante o assalto. Na ocasião, os celulares das vítimas foram roubados. 


DELEGADO RODRIGO AMORIM
Os aparelhos foram rastreados e a Polícia Civil identificou quatro pessoas acusadas de envolvimento no crime. Durante a operação, três dos envolvidos foram presos.

Luiz Junior Lisboa, de 24 anos; Francivaldo Cunha Barbosa, 37 anos, e Manoel Martins, 59 anos, são apontados como integrantes de uma associação criminosa acusada de cometer assaltos a embarcações na região do Marajó e em Macapá, no Amapá. O quarto integrante do grupo, Aglerivaldo Martins Lisboa, de apelido "Manduca", não foi encontrado e está foragido. 

Eles tiveram o mandado de prisão temporária expedido e três deles foram presos na cidade de Portel. Foi encontrado com Manoel Martins um dos celulares roubados.

Conforme o delegado Rodrigo Amorim, a equipe policial continua com as investigações para capturar "Manduca". Luiz Lisboa e Francivaldo Barbosa já possuem passagem na polícia por participação em outro latrocínio, e Francivaldo Barbosa responde por tráfico de drogas. As investigações irão prosseguir para combater a ação de piratas na região.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

POLÍCIA CIVIL INSTAURA 180 INQUÉRITOS POLICIAIS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA DURANTE OPERAÇÃO BATOM CARMIM

A Polícia Civil já instaurou 180 inquéritos policiais, nos últimos 40 dias, desde o início da operação denominada "Batom Carmim", da Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), unidade vinculada à Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV) e que integra o complexo de serviços do programa Pro Paz Mulher voltados às mulheres vítimas de violência doméstica e violência de gênero. Somente no último sábado, 20, a equipe da DEAM instaurou 82 inquéritos policiais relacionados a estes crimes. Os dados foram divulgados, nesta segunda-feira, 22, como balanço das ações da Polícia Civil alusivas aos 10 anos da Lei Maria da Penha celebrados neste mês de agosto. 

VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA É OUVIDA
De acordo com a delegada Nilma Lima, titular da DAV, a operação atende às ações previstas no Barômetro do Progresso Social, ação do Governo do Pará com vistas a monitorar resultados da atuação governamental dentro de 43 indicadores sociais previstos do IPS (Índice de Progresso Social) do Estado desenvolvido pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas – FAPESPA. Dentro das medidas, está previsto o índice de conversão de boletins de ocorrência policial em inquéritos policiais como indicador do combate à violência doméstica e à violência de gênero nas DEAMs do Pará. 

A delegada explica que o número de procedimentos policiais instaurados a partir do registo de Boletins de Ocorrência nas DEAMs passa agora a ser avaliado também como indicador de IPS no monitoramento da violência doméstica contra a mulher no Estado, cujos dados servirão para observar os avanços e os desafios da área social no Pará. O desenvolvimento de ações governamentais interligadas ao desenvolvimento social é a meta do Governo para os próximos anos. 

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

OPERAÇÕES RESULTAM EM CERCA DE 300 QUILOS DE DROGAS APREENDIDAS EM MENOS DE UMA SEMANA

As Polícias Civil e Militar de Cachoeira do Piriá e Santa Luzia do Pará, no nordeste do Estado, prenderam em flagrante, nesta quinta-feira, 18, durante operação de combate ao tráfico de drogas, cinco homens e apreenderam um adolescente por envolvimento em uma associação responsável por um esquema de comércio ilegal de maconha na região. Ao todo, 23 tabletes de maconha prensada foram apreendidos, além de sementes, pés da erva e duas armas de fogo. Denúncias levaram os policiais até uma estrada vicinal perto da localidade de Vila do Igarapé de Areia, em Cachoeira do Piriá, onde uma plantação de maconha foi localizada. Em menos de uma semana, em torno 300 quilos de drogas foram apreendidos em três operações policiais no Pará. 

APREENSÕES
Os presos adultos são Genilson Nascimento Corrêa, 21 anos, natural de Marapanim (PA); Marcos Junior Pereira da Silva, 27, de apelido "Junhão", natural de Cachoeira do Piriá (PA); Isaque Nunes da Silva, 28, natural de Viseu (PA); Welerson Matheus Costa Silva, 18, de Boa Vista do Gurupi (MA), e Evandison da Silva Sampaio, 30, de Governador Nunes Freire (MA). Na chegada dos policiais à região, inicialmente, dois homens em uma motocicleta foram abordados na estrada. Ao serem revistados, os dois foram flagrados transportando um carregamento de vários tabletes de maconha prensada. Aos policiais, os suspeitos confessaram que estavam traficando a droga e, assim, levaram a equipe policial até a plantação da erva na região. 

No caminho até o roçado de maconha, os policiais capturaram mais três pessoas que também transitavam na estrada em motocicletas fazendo o transporte de tabletes da droga. Logo em seguida, a equipe de policiais civis e militares chegou ao local da plantação, onde mais um homem foi preso. Ele era o responsável em cuidar do roçado de maconha. No local, duas armas usadas pelos traficantes foram apreendidas. Conforme o delegado Augusto Damasceno, titular da Superintendência da Polícia Civil na Região Integrada de Segurança Pública do Caeté, que abrange os municípios na chamada Zona Bragantina, no nordeste do Pará, entre os presos, dois são maranhenses. 

O preso Marcos Junior, conhecido por "Junhão", é foragido da Justiça do Pará. As investigações mostraram que a droga coletada na plantação seria levada para o Estado do Maranhão e cidades do nordeste paraense, como Marapanim. Após as prisões, os policiais conduziram os presos para Capanema, onde os presos foram autuados em flagrante por tráfico e associação para fins de tráfico de drogas. Eles irão permanecer custodiados na Cadeia Pública à disposição da Justiça. Segundo o delegado, de janeiro até agosto, quase 200 quilos de maconha prensada foram apreendidos na região do Piriá, situada no nordeste do Pará, na fronteira com o Maranhão. 

Apreensões
APREENSÕES DE DROGAS
CERCA DE 300 QUILOS DE DROGAS Em menos de uma semana, operações realizadas pelas Polícias Civil e Militar resultaram em cerca de 300 quilos de drogas apreendidas no Pará. No último domingo, dia 14, as Polícias Civil e Militar efetuaram a maior apreensão de drogas da região do Marajó. Ao todo, 119 quilos de pasta base de cocaína foram apreendidos na cidade de Muaná. Alexandre Moraes Martins foi detido e levado para a Delegacia de Muaná para averiguação, uma vez que ele estava na companhia de outros dois rapazes, na ilha de Jupatituba, com uma lancha, tipo “voadeira”, que supostamente seria usada para transportar a droga. Os dois fugiram no momento em que a Polícia Militar efetuou a abordagem. 

Na Delegacia, após consultas nos diversos sistemas de informações, constatou-se que a identidade apresentada pelo acusado era falsa, inclusive o número da carteira de identidade não existia no banco de dados da Polícia Civil. Assim, após as constatações de falsidade, Alexandre foi autuado pelo crime de uso de documento falso. A equipe policial de Muaná, coordenada pelo delegado Heitor Guimarães, continuou as investigações para levantar a identificação do autuado, até que, na manhã do dia seguinte, por volta de 11:30, um investigador que conduzia a lancha “voadeira” para o pátio da Delegacia, com o apoio da Polícia Militar, suspeitou que houvesse algo escondido na lataria. Assim, pediu autorização do delegado para verificar o casco da voadeira. Com o apoio da Policia Militar, o policial civil encontrou 102 tabletes de cocaína escondidos nos bancos da lancha. 

Diante da grande quantidade de droga e o risco em mantê-la na Delegacia, tudo foi levado para a Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), em Belém, para continuidade às investigações. Foi então que se verificou que o preso Alexandre já respondeu por tráfico de drogas na cidade de São Luis (MA), onde foi preso pela Polícia Federal. No último dia 12, a Polícia Civil realizou uma das maiores apreensões de drogas do ano. Ao todo, foram apreendidos mais de 120 quilos de maconha, do tipo “limãozinho”, uma droga preparada em laboratório para deixar mais forte o efeito alucinógeno. 

A apreensão foi realizada no bairro do Distrito Industrial, em Ananindeua, na região metropolitana de Belém, por policiais civis da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE). O delegado Hennison Jacob, titular da DRE, informou que, além da droga, foram apreendidas três pistolas, duas delas de calibre .40 e outra de calibre 380, além de 22 munições e uma balança digital para pesagem do entorpecente. O material apreendido estava com Elielson Lobato da Silva, 34 anos, e Franpson Soares da Silva, 33, que foram presos em flagrante, por tráfico de drogas e porte ilegal de armas de fogo.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

PRESO APÓS TORTURAR E TENTAR MATAR A COMPANHEIRA EM TOMÉ-AÇU

As Polícias Civil e Militar prenderam em flagrante, na quarta-feira, 17, Natanael Cristo Lima, acusado dos crimes de tentativa de homicídio, resistência e lesão corporal, em Tomé-Açu, nordeste paraense. Ele, no dia de ontem (17), tentou matar a própria companheira que escapou da morte ao fugir de casa com o filho de sete anos. A prisão de Natanael foi resultado de uma informação recebida pelos policiais de que, na manhã de quarta-feira, dia 17, uma mulher havia desaparecido na Vila Água Branca, localidade na zona rural do município. 

Segundo o delegado Alexandre Lopes, de posse dessas informações, a equipe policial foi até o local, onde moradores conformaram o fato e acusaram o companheiro da vítima como autor do crime. Os policiais foram até a casa em que ambos residiam e ali constataram que teria havido intensa luta corporal. "Os móveis estavam desarrumados e havia muitas marcas de sangue na casa", descreveu o delegado a cena do crime. Os policiais passaram a investigar o caso até encontrar o acusado naquela comunidade. Ao ser abordado pelos policiais, Natanael reagiu e resistiu à prisão. Ele chegou a ferir um investigador de Polícia. 

PRESO
Logo após ser contido, ele foi conduzido até Delegacia de Polícia para prestar esclarecimentos sobre o paradeiro da mulher. No percurso, os policiais foram informados de que a vítima estava escondida em um sítio naquela região. Assim, os agentes foram até o local e ali a encontraram muito debilitada e lesionada pelo corpo por causa de agressões por parte do acusado. A vítima foi levada pelos policiais até o hospital local, para receber atendimento médico. Em depoimento ao delegado Alexandre Lopes, a mulher acusou o ex-companheiro de praticar uma série de agressões físicas, agir com tortura e tentativa de homicídio, sob alegação de desconfiar de uma suposta traição por parte da vítima. 

Os atos criminosos, segundo relato da vítima, ocorreram durante três horas, no último dia 16, na casa em que a mulher vivia com o companheiro. Segundo ela, Natanael a agrediu com três golpes de facão em seu corpo, e ainda desferiu socos, chutes e pauladas. Logo em seguida, tomado de fúria, o acusado ainda chegou a sacar uma arma de fogo e atirou em sua direção, mas o tiro não acertou a vítima. "A crueldade narrada foi tão grande, que, em depoimento, ela disse que chegou a desmaiar devido as agressões, recobrando os sentidos também em razão das agressões que não cessavam", contou a mulher ao delegado. Ainda, de acordo com ela, a sessão de espancamentos chegou ao ponto de o acusado passar molho de pimenta nos olhos da vítima e depois ele rasgou-lhe as roupas, deixando a vítima nua e arrastou até um igarapé, onde tentou afogá-la. Ainda, conforme o delegado, os crimes foram presenciados pelo filho da vítima de apenas sete anos de idade. Após o acusado tentar matá-la, a vítima aproveitou um descuido de Natanael e conseguiu fugir de casa, levando o filho para uma mata, onde ficou escondida por algumas horas. 

A vítima relatou que, enquanto ficou escondida, escutou disparos de arma de fogo dados pelo acusado. O delegado ressaltou que Natanael já era investigado sob suspeita de ter cometido outra tentativa de homicídio e é suspeito de envolvimento em um homicídio no mês de julho. O acusado se recusou a prestar depoimento. O delegado Alexandre Lopes lavrou o auto de flagrante por tentativa de homicídio triplamente qualificado com base na lei do feminicídio, por dificultar chance de defesa da vítima e uso de tortura, além da resistência à prisão e lesão corporal pela agressão ao policial civil. Ele está preso e recolhido à disposição da Justiça.

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR FRUSTRAM ASSALTO A BANCO EM TAILÂNDIA

O trabalho conjunto das Polícias Civil e Militar impediu uma nova ocorrência de roubo a banco, nesta quinta-feira, 18, em Tailândia, sudeste paraense, onde dois homens foram presos em flagrante, no momento em que tentavam assaltar a agência do Banpará do município. Um terceiro envolvido com o grupo criminoso foi preso logo em seguida durante as investigações. Um quatro homem também envolvido no crime já foi identificado e está sendo investigado. Com os presos, uma arma de fogo, munição e varetas usadas para amordaçar vítimas de roubo, uma mochila e um notebook, entre outros objetos usados no crime, foram apreendidos. Os presos foram conduzidos para a Delegacia de Tailândia, onde o delegado Márcio Nogueira lavrou o flagrante dos presos. 

APREENSÕES
DINEY E JUSCELINO
WELTON
A ocorrência foi por volta de 9h30, quando dois homens identificados depois como Juscelino da Silva e Silva, 27 anos, e Diney Melo de Araújo, 26 anos, entraram no banco e renderam vigilantes e funcionários. Segundo informou o delegado, os criminosos conseguiram passar na porta giratória detectora de metais usando uma artimanha.

Eles portavam um computador tipo notebook e assim solicitaram para liberar o acesso ao banco. Já dentro da agência, os dois homens anunciaram o assalto. 

Ao perceber a ação dos criminosos, um funcionário entrou em contato com a Polícia Militar. Em poucos minutos, policiais militares do Grupamento Tático de Tailândia cercaram a agência bancária e deu voz de prisão aos assaltantes que não esboçaram reação e se entregaram de imediato sem fazer qualquer refém no local.

Os presos foram conduzidos para a Delegacia de Tailândia, onde foram interrogados. Com as informações prestadas, a equipe da Delegacia seguiu até o endereço de um terceiro acusado de envolvimento no crime, identificado como Welton Monteiro Andrade, 22 anos, foi preso acusado de ser a pessoa que iria dar fuga aos comparsas em um carro estacionado às proximidades. 

O veículo não foi encontrado. Um quarto suspeito de envolvimento na tentativa de roubo já foi identificado. Todos continuam recolhidos na Delegacia de Tailândia à disposição da Justiça. 

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

POLÍCIA CIVIL CELEBRA MISSA DE ABERTURA QUE MARCA INÍCIO DA PROGRAMAÇÃO DO 18º CÍRIO DA CORPORAÇÃO

A Polícia Civil deu início, nesta segunda-feira,  8, à programação alusiva ao Círio da instituição policial em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré, padroeira dos paraenses. Uma missa celebrada no auditório da Delegacia-Geral, em Belém, com presença de dezenas de policiais civis e servidores administrativos, marcou a abertura do trabalho da Comissão Organizadora da peregrinação da imagem da Virgem de Nazaré, pelas unidades policiais da Região Metropolitana de Belém. Será o 18º ano seguido da programação da Polícia Civil. O delegado-geral, Rilmar Firmino, esteve na missa de abertura celebrada pelos padres Fabrício Nunes, capelão do Exército Brasileiro, e Francisco Carlos Saraiva Nunes, da Basílica Santuário de Nazaré, e diácono Fábio Lobato.


A imagem da padroeira dos paraenses começa, nesta terça-feira, 9, a percorrer as Delegacias, Seccionais, Divisões Especializadas, órgãos da Segurança Pública e entidades sindicais da Polícia Civil, na região metropolitana de Belém. O ponto de partida será a sede da Divisão de Polícia Administrativa (DPA), na Delegacia-Geral, onde a imagem chega às 9 horas da manhã. Na quarta-feira, a imagem será levada para a Seccional Urbana de Mosqueiro, onde deve chegar por volta de 10 horas. Este ano, a peregrinação começará mais cedo, que nos anos anteriores, e vai ter mais de um mês de duração, por causa da entrada de novas Delegacias e Unidades Integradas Pro Paz que foram recentemente inauguradas e que, por isso, não faziam parte do roteiro do percurso da imagem de Nossa Senhora. 

Cerimônia na Delegacia-Geral

Na missa de abertura, foi apresentada a comissão de servidores da Polícia Civil que ficará responsável pela peregrinação. O ex-delegado-geral, João Moraes, um dos fundadores do Círio da Polícia Civil, no final da década de 1990, também participou da missa. Este ano, o grupo vai levar cestas que serão usadas para coletar as anotações de pedidos em pedaços de papel feitos pelos servidores da Polícia Civil pelas unidades policiais por onde a imagem passar. No dia da procissão do Círio da Polícia Civil, que será realizada na manhã do último domingo de setembro, as papeis serão abençoados e queimados como forma de simbolizar a elevação dos pedidos aos céus. 

Missa

Este ano, a programação do 18º Círio da Polícia Civil terá como lema "Rogai Por Nós, Ó Mãe da Eucaristia", que tem como base o tema do Círio de Nazaré deste ano: "Salve Rainha, Mãe de Misericórdia". A Polícia Civil vai homenagear a Mãe de Jesus pedindo as bênçãos de Deus por intercessão de Maria Santíssima a todos os servidores, familiares e comunidade em geral. Ao todo, serão este ano 34 locais a serem visitados durante a peregrinação, até o próximo dia 23 de setembro, quando uma romaria rodoviária marcará o encerramento das novenas. A procissão do Círio da Polícia Civil será realizada no último domingo de setembro, dia 25, como já é tradicional.  

"Rogai Por Nós, Ó Mãe da Eucaristia"

HISTÓRICO O Círio da Polícia Civil teve início em 1999 quando o então delegado-geral João Moraes criou uma celebração religiosa para proporcionar aos servidores seus familiares e amigos, uma oportunidade para louvar a Deus, homenageando a Mãe de Jesus, Nossa Senhora de Nazaré, a padroeira dos paraenses, pois no Círio oficial, os servidores da Polícia Civil estavam trabalhando na Segurança Pública. De lá pra cá, a cada ano, o Círio da Polícia Civil reúne maior número de pessoas, não só servidores da corporação como também da comunidade em geral. 

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

OPERAÇÃO AMAZÔNIA LEGAL COMBATE FRAUDES AMBIENTAIS NO PARÁ

A Polícia Civil deflagrou, nesta quarta-feira, 3, a segunda etapa da operação Amazônia Legal para desarticular um esquema de desbloqueio de empresas madeireiras irregulares nos sistemas do Ibama e da Secretaria de Estado de Meio-Ambiente e Sustentabilidade (Semas). Ao todo, foram cumpridos, em Belém e nos municípios de Marabá, Tailândia, Goianésia e Santarém, no Pará, e em Itinga, no Maranhão, nove mandados de prisão preventiva e dois de condução coercitiva, além de 16 mandados de busca e apreensão. A fraude rendeu mais de R$ 12 milhões aos criminosos. O trabalho investigativo teve início, no ano passado, quando foi realizada a primeira fase da operação, com cumprimentos de mandados de busca e apreensão. 

Policiais civis cumprem mandados judiciais
POLICIAIS CIVIS CUMPREM MANDADOS JUDICIAIS
Na ocasião, as equipes policiais apreenderam na casa de um madeireiro, em Goianésia do Pará, sudeste do Estado, centenas de canhotos de cheques já emitidos. Dentre os documentos, havia quatro canhotos no valor de R$ 50 mil em que um dos beneficiados era Uederson de Amadeu Ferreira, analista ambiental do Ibama de Marabá e especialista em informática. As investigações presididas pela delegada Juliana Cavalcante, da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (Dema), apontaram que o funcionário público federal era o beneficiário direito dos cheques. No aprofundamento das investigações, destaca a delegada, foi possível constatar que Uederson instalou programas que copiavam dados digitados em um computador situado na mesma sala em que trabalhava no Ibama. 

Nos momentos de ausência do colega de trabalho, ele utilizava o computador para desbloquear empresas madeireiras que estavam irregulares junto ao Ibama e que, portanto, estavam impedidas de atuar na extração e transporte de madeira. Para tanto, ele mantinha contato com os responsáveis pelas empresas para cobrar deles valores em dinheiro para fazer o desbloqueio e assim possibilitar a liberação das guias florestais para autorizar o transporte de madeiras. Ao todo, 23 empresas bloqueadas no sistema foram liberadas para atuar na extração de madeira pelo analista ambiental, segundo as investigações. 

Conforme apurou a delegada, durante o inquérito, o analista ambiental teria recebido em torno de R$ 200 mil de pessoas ligadas às empresas madeireiras. O esquema contava ainda com apoio de um comparsa de Uederson, identificado como Anderson Ferreira Bezerra, responsável em receber os valores em conta bancária. Pelas investigações, a estimativa é de que 1.293 caminhões tenham feito o transporte de madeira ilegal extraída de 3.642 árvores. Os presos irão permanecer presos à disposição da Justiça. A operação policial foi coordenada pela Diretoria de Polícia Especializada (DPE), da Polícia Civil, e contou com atuação de policiais civis de Delegacias Especializadas da capital. 

Os presos e objetos apreendidos foram levados para a Delegacia-Geral, onde foram realizados os depoimentos dos acusados. As investigações continuam. Para o delegado-geral Rilmar Firmino, as investigações ajudaram no combate ao desmatamento e transporte ilegal de madeira. Conforme o titular da Polícia Civil, no ano passado, o Estado do Pará conseguiu reduzir os índices de desmatamento, porém, no primeiro semestre deste ano, houve um aumento nos níveis de devastação da floresta.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

DELEGADO RENATO WANGHON ASSUME A DIREÇÃO DA DIVISÃO DE HOMICÍDIOS EM BELÉM

A Polícia Civil procedeu, nesta terça-feira, 2, a transmissão de cargo de diretor da Divisão de Homicídios que agora passa a ser comandada pelo delegado Renato Wanghon. O anúncio oficial foi realizado durante reunião que contou com as presenças do delegado-geral, Rilmar Firmino; do diretor de Polícia Especializada, delegada Silvio Maués; o novo diretor e a equipe de servidores da DH. Wanghon assume a função em substituição ao delegado Marco Antonio de Oliveira, que dirigia a unidade policial há mais de um ano e meio. A mudança na direção da Divisão se deu a pedido do ex-diretor, o que foi acatado pela diretoria da Polícia Civil. 

REUNIÃO NA DIVISÃO DE HOMICÍDIOS
Com mais de 36 anos de carreira policial, o delegado Renato Wanghon teve o nome indicado para o cargo pela experiência e por seu perfil na investigação de crimes de homicídio. A Divisão de Homicídios, explica o diretor de Polícia Especializada, é considerada uma unidade da Polícia Civil fundamental dentro da política nacional de enfrentamento aos crimes de homicídio. 

O delegado-geral agradeceu ao delegado Marco Antonio por todo seu empenho demonstrado durante o tempo em que permaneceu à frente da Divisão de Homicídios. "Sempre que a gente lhe repassava uma demanda, o senhor nos atendia e muito bem. Ficamos satisfeitos com o seu trabalho e de toda a equipe", destacou.