quarta-feira, 16 de março de 2016

POLÍCIA MILITAR INVESTE EM TRABALHO INTEGRADO COM COMUNIDADE PARA PREVENIR VIOLÊNCIA

Moradores de três bairros situados na área de abrangência da 2ª Companhia da Polícia Militar foram cadastrados no aplicativo de celular WhatsApp que permite a comunicação imediata de qualquer ocorrência à corporação. Criado há oito meses, o grupo Comunidade em Alerta, integra um projeto de segurança comunitária coordenado pela PM, que funciona como uma rede de monitoramento e troca de informações para prevenção de casos de violência. Atualmente, mais de 100 pessoas, entre moradores, comerciantes e empresários dos bairros do Marco, Pedreira e Curió-Utinga estão cadastrados no grupo. 

Eliane Dias, 42 anos, é representante comercial e mora no bairro da Pedreira desde que nasceu. Para ela, a criação dessa ferramenta vem ao encontro do que a comunidade espera há tempos. “Tem muita gente que só critica e não vê o lado bom das coisas. Esse é mais um meio de integração com representantes da área da segurança pública. O trabalho de prevenção é muito importante, e o de denúncia ainda mais. Esse projeto veio em boa hora e estamos confiantes que teremos bons resultados. Alguns deles já pudemos conferir”, contou. 

CELULAR PERMITE COMUNICAÇÃO IMEDIATA COM A POLÍCIA
A publicitária Cida Amâncio, de 58 anos, e a professora de Educação Física Rosana Russo Olmmos, de 44, dividem suas rotinas no Jardim Guarani e apoiam irrestritamente a iniciativa da PM. "Eu acho uma ótima a ideia de criar um canal onde a comunidade pode interagir diretamente com os órgãos de segurança. Aqui na área do conjunto vem acontecendo muitos assaltos e a população precisa de um suporte para tentar ajudar a coibir essas ocorrências", relatou a publicitária. 

De acordo com Diógenes Braga, comandante da 2ª Companhia PM, que abrange cerca de 153 mil moradores, a ideia é que as pessoas possam trocar mensagens instantâneas sobre ocorrências criminosas que estejam acontecendo para que a polícia possa intervir em tempo hábil. "A rede facilita a resposta da polícia às demandas da comunidade. Através do WhatsApp cada morador poderá fazer a sua denúncia. 

Além disso, a ferramenta serve para que a corporação possa prestar contas do trabalho operacional que é feito diariamente. É mais um instrumento à disposição da sociedade", relata o policial. O trabalho integrado vem rendendo um saldo positivo. Nos dois primeiros meses do ano, oito armas de fogo foram apreendidas e nove pessoas presas, contra duas no mesmo período do ano passado. O número de homicídios também caiu, foram cinco este ano contra 12 em 2015. 

O delegado Walter Resende reforça a importância do trabalho integrado entre as forças de segurança pública e a comunidade. “Podemos observar que as cinco ocorrências com reféns registradas no período de 28 de fevereiro ao dia 5 de março foram neutralizadas. Isso indica um trabalho de prevenção e o reforço operacional feito pela polícia aqui na nossa área. A PM conseguiu identificar prontamente a ação dos bandidos e evitar um desfecho mais sério”, relatou. 

Andrea Cardoso, diretora da Escola Salesiano do Trabalho, onde estudam cerca de 1.280 alunos, em dois turnos, a ferramenta de troca de informações via celular poderá facilitar o combate à criminalidade principalmente no ambiente escolar. "Sempre que surge qualquer situação na escola eu mando mensagens e a viatura está sempre a postos. Para nós, da comunidade escola, é uma ajuda muito válida”, afirmou a educadora.

Um comentário:

Sueli Maria Lopes Chaves disse...

Bom dia. Moro em Barcarena.Pa.
Gostei do Blog.
Podemos anunciar roubo, furtos e tudo de ruim que acontece em nossa comunidade?

Obrigada.