terça-feira, 22 de março de 2016

POLÍCIA CIVIL DO PARÁ PRENDE DOIS FORAGIDOS NO ESTADO DE SANTA CATARINA

A Polícia Civil do Pará prendeu, nesta terça-feira, 22, em cumprimento a dois mandados de prisão preventiva, Ruan Ruciê da Silva Almeida, 25 anos, de apelidos "Basic" ou "Babidi", e Admir da Silva Reis, 24, de apelido "Ad'. As prisões foram realizadas na cidade de Navegantes, a 112 quilômetros de Florianópolis, no Estado de Santa Catarina. Os dois presos estão indiciados em inquéritos policiais instaurados pela Divisão de Homicídios (DH) do Pará. Ruan responde por latrocínio e tentativa de homicídio, no distrito de Icoaraci, em Belém, e Admir pelo assassinato de um cabo da Polícia Militar, no conjunto Jardim Sevilha, na capital paraense. Os presos devem ser transferidos para Belém até a próxima semana.

ADMIR E RUAN
As prisões foram realizadas em bairros distintos do município catarinense por policiais civis da DH do Pará, com apoio de o agente Silvanio, e do sargento Padilha, do Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina, e do agente Donato, da Delegacia de Navegantes. O preso Ruan está com ordem de prisão decretada pela Justiça do Pará a partir de representação feita pela delegada Cristina Esteves, da DH, que indiciou o acusado por latrocínio (roubo seguido de morte) e tentativa de homicídio, durante assalto, no distrito de Icoaraci, em Belém, no ano passado. 

Ruan foi localizado na casa de conhecidos, no bairro Nossa Senhora das Graças, periferia da cidade. Ao ser preso, Ruan usava uma carteira de identidade com o nome falso de João Paulo da Costa e estava com dois relógios de pulso roubados da mãe da vítima do latrocínio. Já Admir Reis foi preso no centro do município também na casa de conhecidos. Ele é acusado de envolvimento no assassinato do cabo PM Marcos Antonio Corrêa, 47, morto a pedradas, pauladas e um tiro, em 6 de setembro do ano passado, no conjunto Jardim Sevilha, em Belém. 

Segundo o delegado Eduardo Rollo, responsável pelo inquérito, Admir fugiu para Santa Catarina em 23 de novembro de 2015, e desde então morava em Navegantes. Outro envolvido no mesmo crime, Adelson Ribeiro da Paixão, 26 anos, de apelido "Gordo", está preso desde janeiro deste ano.

Nenhum comentário: