segunda-feira, 21 de março de 2016

POLÍCIA CIVIL DESARTICULA ESQUEMA DE DESVIO DE MEDICAMENTOS DA REDE DE SAÚDE PÚBLICA EM BELÉM

A Polícia Civil deu continuidade, nesta segunda-feira, 21, à operação "Remédio Legal", com a apreensão de aproximadamente mil caixas de medicamentos desviados da rede municipal de saúde pública de Belém. Os produtos foram encontrados em duas farmácias clandestinas, no bairro do Guamá, em Belém, onde os remédios destinados apenas para uso hospitalar eram comercializados. Duas pessoas responsáveis pelos estabelecimentos foram detidas e autuadas por crime de receptação pelo delegado Daniel Castro, titular da Seccional do Guamá. 

Medicamentos desviados foram recuperados
MEDICAMENTOS APREENDIDOS
"Com essa apreensão, já passam de 11 mil medicamentos apreendidos durante a operação", salienta o delegado. Na semana passada, três funcionários públicos da Sesma foram presos em flagrante, no distrito de Mosqueiro, em Belém, por crime de furto e peculato, que é quando servidor público se apropria de valores ou bens públicos sob sua posse em razão do cargo. Eles foram presos no Posto de Carananduba, em Mosqueiro, acusados de desviar os medicamentos depois que os produtos eram retirados da central da distribuição da Secretaria, de onde deveriam ser levados para abastecer postos de saúde pública municipal. Eles eram responsáveis em fazer as entregas nas unidades de saúde.

Medicamentos de venda proibida
REMÉDIOS DE VENDA PROIBIDA
Conforme o policial civil, a operação é resultado da segunda fase da operação "Remédio Legal", cujas investigações foram iniciadas, no último dia 15, quando uma mulher procurou a Seccional do Guamá para reclamara que havia sido maltratada em uma farmácia do bairro, situada na Avenida Barão de Igarapé-Miri, no momento em que tentou fazer a troca de um remédio que havia comprado no local. Ao pedir para ver o medicamento, o delegado percebeu a ilegalidade. "No frasco havia a informação de venda proibida no comércio comum", detalha. Assim, foi iniciada a investigação para apurar o esquema de desvio de remédios de postos de saúde vinculados à Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Belém.  

Parte dos medicamentos eram desviados por funcionários públicos municipais. Ainda, conforme o delegado, que preside as investigações, o esquema de desvio de medicamentos envolvia os servidores municipais e farmácias clandestinas que recebiam os remédios desviados. As investigações continuam, pois, segundo o delegado, há fortes suspeitas do envolvimento de outras pessoas no crime.

Nenhum comentário: