quinta-feira, 1 de junho de 2017

PRESO EM SÃO PAULO ACUSADO DE MATAR ENTEADOS DE 10 E 12 ANOS E DE TENTAR MATAR COMPANHEIRA E CRIANÇA DE SEIS ANOS EM CURIONÓPOLIS (PA)

Uma ação em conjunto das Polícias Civil do Pará e de São Paulo resultou na captura de José Carlos Anjos dos Santos, em Monguaguá, cidade da região metropolitana da Baixada Santista, litoral sul do Estado de São Paulo.  

Ele é acusado de assassinar os enteados de 10 e 12 anos, e de tentar matar a companheira Adriana Matos Alves, 29, e outra enteada de seis anos, no último dia 29 de maio, em Curionópolis, no sudeste do Pará. 

O preso está com mandado de prisão decretado pela Justiça. A provável motivação do crime foi ciúmes por parte do suspeito. 

Após o crime, que abalou a cidade paraense, José Carlos, que paulista e natural do litoral santista, fugiu inicialmente para Marabá de onde seguiu para o Estado de São Paulo. 

Segundo o delegado Thiago Carneiro, responsável pelo inquérito do caso, o preso será recambiado ao Pará para responder pelo crime. 

As vítimas foram atacadas em casa pelo acusado com pedaços de madeira que foram usados para desferir diversos golpes nas crianças e na mulher. 

Na casa, havia sinais de luta corporal. Por enquanto, ele vai permanecer na cidade paulista à disposição da Justiça do Pará, para responder pelo duplo homicídio e pelas duas tentativas de homicídio.

terça-feira, 30 de maio de 2017

POLÍCIA CIVIL JÁ EMITE DOCUMENTOS DE IDENTIDADE COM ENTREGA NA HORA EM IGARAPÉ-AÇU

A carteira de identidade, principal documento de identificação das pessoas, passou a ser emitida no município de Igarapé-Açu, nordeste paraense, com recebimento no mesmo dia. A novidade foi anunciada, nesta terça-feira, 30, pelo titular da Delegacia do município, delegado Augusto Damasceno. Segundo ele, o documento é emitido, diariamente, de 8 horas da manhã até as 14 horas, na sede da Delegacia de Polícia. 

Em Igarapé-Açu, o serviço de emissão de documentos de identificação conta com servidores públicos municipais, treinados pela Polícia Civil, para atuar como identificadores civis. O serviço é realizado graças a um convênio entre a corporação policial e a Prefeitura Municipal. "Por dia, o local vai emitir até 30 carteiras de identidade", explica o diretor de identificação da Polícia Civil, papiloscopista Antonio Ricardo Paula. 

EMISSÃO DE CARTEIRAS DE IDENTIDADE
O delegado explica que a emissão e entrega da carteira de identidade no ato é possível graças à informatização do sistema de identificação implantada no município que permite acesso online ao sistema de registros de identificação civil, fazendo com os que os dados dos cidadãos sejam registrados diretamente do município via internet sem necessidade de ter de enviar os prontuários das pessoas para outro município ou para Belém. 

Atualmente, a região nordeste do Pará conta com quatro municípios, onde o documento é emitido e entregue na hora aos usuários: Castanhal, Capanema, Bragança e agora Igarapé-Açu. Segundo a diretora de informática da Polícia Civil, delegada Perpétua Picanço, existe previsão de expandir o número de municípios com sistema informatizado, para que o documento passe a ser emitido e entregue na hora nessas cidades. "A medida visa atender não só no nordeste do Estado, como em todas as outras regiões paraenses", detalha.

Somente, no ano passado, o Estado do Pará emitiu cerca de 360 mil carteiras de identidade, o que representa uma média de 30 mil emissões de documentos por mês em 2016. Em 2017, em média, estão sendo emitidas por mês 50 mil carteiras de identidade no Estado. O Pará é o 10º Estado que mais emite documentos de identificação no Brasil. 

Local de emissão das carteiras de identidade em Igarapé-Açu
EMISSÃO DO DOCUMENTO EM IGARAPÉ-AÇU
EMISSÃO Para solicitar o documento de identidade, nos casos de primeira via da carteira, basta apresentar a certidão original de nascimento; duas fotos em cores, recentes e iguais tamanho 3 por 4, e algum comprovante de endereço. Se for adolescente até 16 anos, o responsável deve acompanhar. Se a pessoa for casada, deve apresentar a certidão de casamento original, em vez da certidão de nascimento. Se for divorciada, deve apresentar a averbação de divórcio original. As primeiras vias da carteira são gratuitas. A partir da segunda via, é cobrada taxa de emissão no valor de R$ 37,13. A taxa não é cobrada nos casos de apresentação de boletim de ocorrência de furto ou roubo da primeira via do documento.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

POLÍCIA CIVIL DIVULGA RETRATOS FALADOS DE SUSPEITOS DE ASSALTAR BANCO EM PLACAS

A Polícia Civil do Pará divulgou o retrato-falado de um homem procurado na região oeste do Estado acusado de uma série de assaltos na rodovia Transamazônica, em Rurópolis. O suspeito teve o rosto desenhado com auxílio de programas de computador a partir de informações colhidas durante as investigações. A reprodução simulada do rosto foi produzida pela Diretoria de Identificação Regional da Polícia Civil em Santarém. 

Denuncie: Ligue 181
SE RECONHECER, LIGUE 181
Um dos crimes cometidos pelo suspeito, explica o delegado Ariosnaldo Vital Filho, titular da Delegacia de Rurópolis e responsável pela investigação, foi o assalto ocorrido no último dia 13 de março, quando uma casa no bairro do Aeroporto foi invadida por um homem armado que rendeu os moradores e saqueou objetos pessoais e jóias.

De acordo com o delegado, a imagem elaborada foi avaliada em 70% de semelhança com o autor dos crimes. O suspeito tem cabelo curto e escuro, olhos grandes, redondos e castanhos claros, magro, pele negra, altura de cerca de 1,65m e idade aparente de 30 anos. 

As Polícias Civil e Militar estão atuando de forma integrada no combate à criminalidade no município realizando diligências preventivas diárias e investigações para elucidação das autorias de crimes contra o patrimônio. "O retrato falado é mais um recurso com amparo técnico e científico que a Polícia Civil está lançando visando melhor embasar os procedimentos e chegar à autoria do delito", explica. Quem tiver informações que levem à localização do suspeito do crime deve denunciar ao fone 181, o Disque Denúncia.

PRESOS QUATRO SUSPEITOS DE MATAR LÍDER RURAL EM CASTANHAL

A Polícia Civil prendeu, nesta segunda-feira, 22, em Castanhal, nordeste paraense, quatro pessoas acusadas de envolvimento no assassinato da líder rural Kátia de Sousa Martins, morta a tiros em sua casa, no último dia 4. As prisões dos suspeitos foram realizadas por policiais civis da Delegacia de Homicídios de Castanhal em decorrência de decretação de prisões temporárias de 30 dias expedidas pela Justiça. Os presos são William Coelho dos Santos, Adriana Cristina Ferreira Coelho, Nazareno da Mota Oliveira e Pedro Pereira Barrozo Filho, assentados do Assentamento 1º de Janeiro, onde a vítima era presidente da Associação dos Assentados. Os presos negaram a autoria do crime em depoimento.


SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA DE CASTANHAL
William, filho de Adriana, foi reconhecido como um dos executores da vítima, enquanto que os demais são apontados como mandantes do crime e responsáveis em contratar William como executor da líder rural. As investigações realizadas pela equipe policial chegaram à identificação dos suspeitos e apontaram que a morte de Kátia Martins foi resultado de rixas entre os próprios assentados. Durante as investigações, detalha o delegado Temmer Khayat, titular da Superintendência da Região Integrada do Guamá, sediada em Castanhal, a hipótese de conflito agrário, como motivação do crime, foi descartada. As investigações são presididas pelo delegado Nélio Magalhães, titular da Delegacia de Homicídios de Castanhal. As investigações evidenciaram, com reforço de depoimentos testemunhais, que a hipótese de crime decorrente de invasão da área onde está o assentamento não tinha fundamento, pois em momento algum o proprietário da área entrou em conflito com os assentados e pelo fato de as informações todas apuradas, no inquérito, indicarem que a causa da morte foi conflito interno entre os próprios assentados. 

Devido as atividades que a vítima desenvolvia no Assentamento, ela criou inimigos que faziam oposição à sua liderança na área. Dessa forma, explica o policial, o grupo opositor passou a fazer ameaças e atos de violência no Assentamento. Além disso, ressalta o policial, os atos agressivos praticados pelo grupo opositor à liderança de Kátia Martins foram intensificados, após a reeleição dela à presidência da Associação dos Assentados, no final do ano passado, e após o terreno do assentado Pedro Pereira Barrozo Filho ter sido invadido por outro assentado, cunhado da vítima, há cerca de um mês antes do crime. 

Essa invasão teria ocorrido com a concordância da Associação, já que Pedro teria descumprido exigências para permanecer com o lote de terra, como morar e cultivar na propriedade. Dentre os integrantes do grupo opositor estavam Adriana Cristina e o companheiro dela, Nazareno Oliveira. Os dois abandonaram o terreno que possuíam no Assentamento, no final de semana, após o crime. Já o preso William chegou a trocar de motocicleta cerca de uma semana após o crime, apesar de conformar em depoimento que trabalha como pedreiro, mas que está atualmente sem trabalho fixo, apenas tirando "bicos". 

Em decorrência das investigações, os suspeitos irão permanecer recolhidos à disposição da Justiça. As investigações continuam para tentar identificar outro acusado de envolvimento na execução da vítima. Kátia Martins foi morta a tiros por dois homens, por volta de 20h20, do último dia 4, em sua residência, no Assentamento 1º de Janeiro, na zona rural de Castanhal. Os criminosos invadiram a casa e mataram a mulher. Em seguida, fugiram do local sem roubar nada. 

terça-feira, 18 de abril de 2017

POLÍCIA CIVIL PROMOVE ENCONTRO ENTRE PROFISSIONAIS E ESTUDANTES DE SERVIÇO SOCIAL EM BELÉM

A Polícia Civil promoveu, ontem, no auditório da Seccional do Guamá, em Belém, um encontro entre professores do curso de Serviço Social da Universidade Federal do Pará (UFPA), os profissionais da área que atuam no atendimento social dentro das Delegacias da Polícia Civil e alunos. O objetivo foi fazer uma visita monitorada para conhecer o trabalho desempenhado pelo profissional do Serviço Social na Seccional. A atividade faz parte da programação voltada à supervisão de estágio.


A assistente social Graciane Almeida, do Núcleo de Pacificação e Prevenção da Violência (Nuprev), que é responsável em coordenar o Serviço Social nas Delegacias de Polícia Civil, explica que, atualmente, a Polícia Civil conta com 60 estagiários de Serviço Social em atuação nas Delegacias da Região Metropolitana de Belém. "São estudantes de universidades que têm parceria com a Polícia Civil", detalha. A assistente social Luzia Matos, responsável pelo Serviço Social na Seccional do Guamá, recepcionou as professoras Verônica Couto e Vera Paracampo, da UFPA, juntamente com um grupo de alunos do curso.  

POLÍCIA CIVIL APREENDE 800 QUILOS DE CARNE ESTRAGADA EM SOURE

A Polícia Civil divulgou, nesta terça-feira, 18, informações sobre a apreensão de carne bovina, realizada, ontem, após recebimento de denúncia anônima. Ao todo, foram apreendidos 800 quilos de carne bovina estragada que seria usada na merenda escolar na rede municipal de ensino, em Soure, na Ilha do Marajó. A apreensão foi realizada por volta de 14 horas. A carne foi encontrada no interior de um caminhão-baú no porto da balsa que faz a travessia do rio Paracauari, entre as cidades de Salvaterra e Soure. Segundo o delegado Rodrigo Amorim, titular da Polícia Civil em Soure, o veículo saiu de Salvaterra com a carga que seria distribuída em escolas de Soure. 

O caminhão foi abordado no momento em que desceu da balsa. No veículo, estavam o motorista e o dono da carga, Jacy Nunes, 42 anos. "Dentro do baú, foram encontrados diversos sacos de carne em estado de decomposição. Após solicitação de documentos necessários para transporte do produto, o dono da carga informou que não estava de posse da documentação", explica o delegado.

Assim, foi acionada a Agência de Defesa Agropecuária (Adepará) para averiguar a situação. O dono da carne foi conduzido para a Delegacia, para ser autuado em flagrante por receptação e depósito de produto inapropriado para consumo de pessoas. Ele vai permanecer recolhido à disposição da Justiça. Os 800 quilos de carne, detalha o delegado, foram incinerados. 

Jacy Nunes venceu uma licitação aberta pelo município de Soure para contratação de distribuidora de carne bovina para a rede municipal de ensino de Soure. Em depoimento, ele alegou que a carne era procedente de uma fazenda de sua propriedade, mas não disse o nome da empresa fornecedora. 

DESTINAÇÃO Segundo o delegado, em informações coletadas durante a apuração do caso, a carne tinha como destinação a merenda escolar, já que o condutor do caminhão-baú foi contratado para distribuir o produto em escolas municipais de Soure. Ainda, conforme o delegado, o produto não apresentava o selo obrigatório de inspeção da Vigilância Sanitária nem autorização da Adepará. A equipe da Agência de Defesa Agropecuária acompanhou todo o trabalho da equipe de policiais civis em Soure. "A médica veterinária do órgão público atestou que a carne estava inapta para consumo", ressalta.

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR PRENDEM NOVE ENVOLVIDOS EM CRIMES NAS CIDADES DE IGARAPÉ-AÇU E MARACANÃ

As Polícias Civil e Militar intensificaram operações em conjunto para combate à criminalidade nos municípios de Igarapé-Açu e Maracanã, no nordeste paraense. Somente nos últimos dias, nove envolvidos em crimes foram presos em flagrante ou em cumprimento de mandados judiciais de prisão preventiva na região. Os presos respondem por crimes diversos, desde tráfico de drogas até porte ilegal de armas de fogo. Em uma das ações policiais, realizada por policiais civis e militares dos municípios de Igarapé-Açu e Magalhães Barata, foram presos Milton Junior Aquino, Clebson Barros Monteiro e Leandro da Silva de Lira por receptação e uso de documentos falsos. Com eles, os policiais apreenderam um carro roubado que estava com documentação falsa. 

DROGAS APREENDIDAS

SOM APREENDIDO

A prisão foi realizada na Vila Mocooca, no município de Maracanã, onde os policiais recuperaram outras motos roubadas. Outro preso, acusado do crime de tráfico de drogas, foi Paulo Félix da Silva, de 21 anos. Ele foi flagrado no momento em que revendia cocaína na Vila São João. Com ele, os policiais apreenderam drogas e dinheiro referente do comércio de entorpecentes. 

Em outra abordagem policial, Eduardo Cordovil de Brito, 21, e Roni Saldanha dos Santos, 22, foram flagrados com uma arma de fabricação artesanal semelhante ao calibre 38. Os dois foram autuados por porte ilegal de arma de fogo. Outro preso com arma de fogo ilegal foi Adenilson Corrêa da Silva, 29 anos, que foi autuado por posse ilegal de arma e por furto. 

Os policiais civis apreenderam, durante outra incursão policial, dois equipamentos de som automotivo, cujos proprietários estavam cometendo perturbação do sossego alheio. A apreensão foi realizada após denúncia de moradores em Igarapé-Açu. 

As ações policiais também resultaram no cumprimento de mandados de prisão preventiva decretados contra Alexandre Leal da Conceição, 21, e Jackson Renan Silva Costa, 19, acusados dos crimes de roubo e furto, respectivamente. Ambos já estiveram presos pelos mesmos crimes e estavam atualmente em liberdade concedida pela Justiça. Todos os presos estão recolhidos à disposição da Justiça. 

POLÍCIA CIVIL PRENDE EM CASTANHAL NO PARÁ FUGITIVO DO PRESÍDIO DE PEDRINHAS NO MARANHÃO

A Polícia Civil apreendeu, neste final de semana, armas e drogas em poder de José Ricardo Silva e Silva, que foi autuado em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma, em Santa Maria do Pará, nordeste paraense. A apreensão foi realizada por policiais civis do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI), da regional Guamá no Pará, durante trabalho investigativo. 

O preso é investigado pela autoria de um homicídio no município e já responde a processo criminal por tráfico de drogas, além de ter sido apreendido quando menor de idade por ato infracional análogo a tentativa de homicídio.

Conforme o delegado Gabriel Batista, do NAI de Castanhal, o acusado foi localizado em via pública em frente à casa onde reside no município. 

Ao ser revistado, os policiais apreenderam com ele um revólver calibre 38 com uma munição intacta. A prisão ser preso, os policiais fizeram uma vistoria na residência. 

No local, foi apreendida mais uma arma de fogo, no caso, uma espingarda calibre 20 sem marca de fabricação nem numeração visível. 

Foram encontrados também três cartuchos intactos e 19 "trouxas" grandes de pasta de cocaína que estavam dentro de um pote enterrado no quintal da casa. 

Os policiais apreenderam ainda a quantia de R$ 331 em dinheiro da venda de drogas e telefones celulares. O preso foi autuado em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, e vai ficar recolhido à disposição da Justiça.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO PARÁ APROVA PROJETOS QUE GARANTEM MELHORIAS A POLICIAIS CIVIS DO ESTADO

O Parlamento Estadual aprovou em Sessão Ordinária realizada nesta quarta-feira (12), dois Projetos de Lei Complementares nº 2/2017 e nº 3/2017, que garantem melhoria profissional para os policiais civis. Os projetos - oriundos do Governo do Estado - tratam de promoções para os policiais civis e da criação da Divisão Estadual de Narcóticos. Eles foram aprovados em dois turnos e redação final. Agora, serão encaminhados para o governador do Estado, Simão Jatene, para serem sancionados. O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), deputado Márcio Miranda ressaltou a unanimidade da aprovação dos projetos e os benefícios que trarão para os policiais civis e para a segurança pública do Estado. 


“Mais uma vez o Parlamento Estadual cumpre o seu papel, os deputados votaram à unanimidade, com um nível de debate e consciência excelentes e também mais uma vez o parlamento colabora com o funcionalismo público, em particular a Polícia Civil e os delegados, aprovando Projetos de Lei que incorporam mais garantias, mais benefícios, trazendo pra eles mais tranquilidade no decorrer da carreira e no momento posterior, quando se aposentarem”, destacou. O deputado estadual Neil Duarte apresentou uma proposta de emenda, ao segundo projeto, mas não foi aprovada. Os projetos nº 2/2017 e nº 3/2017 alteram a Lei Complementar nº 22, de 15 de março de 1994, que estabelece normas de organização, competências, garantias, direitos e deveres da Polícia Civil do Estado do Pará. 

O primeiro (nº 2/2017) cria a Divisão Estadual de Narcóticos, com uma estrutura de servidores, composta de um cargo de Diretor de Divisão, dois cargos de titular de delegacia, um cargo de chefe de Centro, um cargo de chefe de Cartório de Divisão Especializada, um cargo de chefe de cartório de Delegacia de Polícia, um cargo de chefe de Operações de Divisão Especializada e um cargo de chefe de Operações de Delegacia de Polícia. Já o projeto nº 3/2017 garante promoção para os policiais civis em todos os seus cargos (delegados de polícia, escrivães, investigadores e papiloscopistas), anualmente, no mês de abril e publicadas no Diário Oficial do Estado, no dia 21 de abril. 

“O parlamento do Pará cria condições para que a Polícia Civil seja melhor atendida pelo Estado, no futuro e no presente, e assim possam trabalhar com mais prazer e atender melhor a nossa população nas delegacias, em todos os registros e ocorrências”, destacou Márcio Miranda. Para o líder do governo na Alepa, deputado estadual Eliel Faustino, os dois projetos garantem o fortalecimento da Polícia Civil e da área de segurança pública. “Esses projetos vão propiciar que sejam feitas mais de mil promoções a policiais civis e mais de dois cargos serão criados. E o que temos a festejar é que isso vai suprir uma deficiência de quadros na Polícia Civil e dará um estímulo aos que já integram o quadro do órgão e que receberão promoções e poderão prestar melhor serviços à população”, destacou Eliel Faustino. 

O deputado estadual Iran Lima, da bancada de oposição, destacou que esses projetos atendem a reivindicações que já vinham sendo feitas pelos policiais civis desde 2014. O deputado Neil Duarte apresentou uma emenda ao projeto de Lei Complementar 3/2017, estabelecendo que o cargo de diretor da Diretoria de Identificação do Instituto Médico Legal (IML) fosse de provimento “exclusivo” de papiloscopista. Porém, a emenda não foi aprovada, pois recebeu apenas dez votos favoráveis e 15 abstenções. Para ser aprovada, a emenda precisaria ter 21 votos favoráveis. Permanece vigorando a lei atual que permite o provimento ao cargo por qualquer profissional do quadro da segurança pública. 

Os dois projetos foram, anteriormente, apreciados e votados, na manhã desta quarta-feira (12/04), em reunião conjunta das comissões de Constituição e Justiça (CCJ), Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Segurança, realizada às 8h30, na sala da CCJ. Segundo o presidente da CCJ, deputado Raimundo Santos, ambos tiveram pareceres favoráveis e foi feita uma negociação com a bancada de lideranças para que eles fossem votados em plenário no mesmo dia para garantir que os policiais civis possam ter suas promoções realizadas ainda neste mês de abril, devendo ser publicadas em diário oficial no próximo dia 21. Texto: Avelina Castro ASSESSORIA DE IMPRENSA DA ALEPA.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

POLÍCIA CIVIL INVESTIGA ASSASSINATO DE VEREADOR EM RIO MARIA

A Polícia Civil já investiga as circunstâncias do assassinato do vereador Paulo Chaves Marinho, que era conhecido por Paulão Chefia e que foi morto a tiros, na tarde desta segunda-feira, 10, em Rio Maria, no sudeste paraense. A equipe da Delegacia do município, sob coordenação do delegado Max Müller, já trabalham na apuração do crime. Policiais civis da Superintendência Regional do Araguaia Paraense, sob coordenação do delegado Antônio Miranda, estão em deslocamento para Rio Maria para reforçar as investigações.


Informações preliminares dão conta de que o vereador foi alvejado com cerca de dois tiros na cabeça, por volta de 16 horas, quando estava no bairro Planalto, próximo a uma empresa de produtos laticínios no município. Dois homens seriam os autores dos tiros. Ainda não há suspeitos do crime que tem características de execução. As circunstâncias e motivação do homicídio serão apuradas no decorrer das investigações. 

Segundo o delegado Antonio Miranda, um inquérito policial foi instaurado, no último dia 24 de março, pelo delegado Max Müller, da Delegacia de Rio Maria, para apurar tentativa de homicídio sofrida pelo vereador. Na ocasião, Paulo Marinho conduzia seu carro, quando o veículo foi atingido por disparos, enquanto o vereador retornava da cidade para sua propriedade, perto da comunidade Placas, na zona rural do município. 

quinta-feira, 6 de abril de 2017

POLÍCIA CIVIL PROMOVE CURSO SOBRE RECONHECIMENTO DE ANIMAIS EM SITUAÇÃO DE MAUS TRATOS EM BELÉM

A Polícia Civil, por meio do projeto Sala Verde Ambiente Seguro, vai promover, no próximo dia 18, no auditório da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA), em Belém, um curso de capacitação sobre reconhecimento de animais em situação de maus tratos. A programação terá como público-alvo policiais, agentes de Segurança Pública e profissionais da área jurídica. O curso terá seis palestras. Pela manhã, a partir de 8:30, será feita a apresentação da DEMA e do projeto Sala Verde pela investigadora Sonia Gonçalves. 


Em seguida, será a vez do tema "Aspectos Legais do Crime de Maus Tratos - Lei 9.805/1998" a ser abordado pelo biólogo, advogado e especialista em Direito Ambiental e Urbanismo, Augusto Neves. A programação vai contar com a palestra do médico veterinário da Universidade Federal Rural da Amazônia, Heriberto Figueiredo, que vai abordar o tema "Animais de Tração". Ainda, pela manhã, haverá a palestra "Manejo e Identificação de Serpentes" pelo biólogo Breno Jackson de Almeida. 

Pela parte da tarde, serão realizadas duas palestras. A primeira terá como tema "Cativeiro ilegal, maus tratos e suas consequências para o bem-estar e conservação da fauna silvestre na Amazônia Brasileira" pela analista ambiental do Ibama no Pará, Christina Whiterman. Por fim, a programação vai contar com a palestra "Sinais que indicam maus tratos a animais domésticos" pelo investigador de Polícia e médico veterinário da DEMA, Edelvan Soares. O evento terá apoio do Ibama e Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), da Polícia Militar. 

INSCRIÇÕES Os interessados em participar devem se inscrever na própria sede da DEMA ou pelo telefone (91) 3279-5410 em horário comercial. A DEMA fica na rodovia Augusto Montenegro, km-01, ao lado do Centro de Saúde da Marambaia.

sexta-feira, 31 de março de 2017

POLÍCIA CIVIL EMITE CARTEIRA DE NOME SOCIAL NA ESTAÇÃO CIDADANIA DO SHOPPING BOSQUE GRÃO PARÁ

A Polícia Civil já está emitindo a Carteira de Identidade de Nome Social, para travestis e transexuais, no Posto de Identificação da Estação da Cidadania, localizada no térreo do Shopping Bosque Grão Pará, em Belém. O documento visa proporcionar aos transgêneros um documento oficial de identidade com o nome e gênero com os quais se identificam. A emissão do documento está ocorrendo desde o início deste mês no Posto inaugurado em dezembro passado.

POSTO DE IDENTIFICAÇÃO DO SHOPPING GRÃO PARÁ
A emissão da Carteira de Identidade de Nome Social no novo Posto de Identificação em Belém atende à meta da Polícia Civil de promover a expansão da emissão desse documento no Estado. Para requisitar a Carteira, travestis e transexuais deverão apresentar o documento de identidade original, com duas fotos tamanho 3x4 iguais e em cores, certidão de nascimento original e comprovante de residência no Posto de Identificação da Estação Cidadania. A emissão da carteira de nome social é gratuita. A documento é emitido no mesmo dia.

Posto de Identificação da Estação Cidadania do Bosque Grão Pará

No interior do Estado, atualmente, o documento é emitido na sede da Polícia Civil, em Soure, no Marajó, mas, em breve, será expandido para outros municípios no Estado. O documento é válido como identificação oficial ao ser apresentado em qualquer órgão do Governo do Pará, como hospitais, escolas e delegacias. O novo Posto de Identificação, na Estação Cidadania, conta com atendimento de excelência para emissão da carteira de identidade.

O novo serviço iniciou suas atividades em dezembro de 2016, após ser inaugurado pelo governador do Pará, Simão Jatene. No serviço, com atendimento por ordem de chegada, o atendimento tem atenção especial para as prioridades, como idosos, gestantes, cadeirantes e lactantes. O posto de Identificação tem funcionamento diário de 8 horas da manhã até 18 horas. 

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR DESARTICULAM ESQUEMA DE TRÁFICO DE DROGAS EM MARACANÃ

As Polícias Civil e Militar deflagraram, nesta sexta-feira, 31, uma operação policial para dar cumprimento a mandado judicial de busca e apreensão em um ponto de tráfico de drogas no município de Maracanã, nordeste paraense. Foi preso em flagrante o casal José Hernandes Alves da Conceição e Cláucia Cilene dos Santos com os quais os policiais apreenderam 46 pedras de óxi de cocaína, uma balança digital, sacos plásticos, luvas, mais de R$ 200 em dinheiro e diversos objetos de origem desconhecida. 

APREENSÃO
JOSÉ HERNANDES

CLAUCIA
Sob coordenação do delegado Fábio de Andrade, titular da Delegacia de Maracanã, a operação iniciou nas primeiras horas da manhã com destino ao endereço. Durante o cumprimento do mandado judicial, os policiais civis e militares apreenderam as petecas de cocaína petrificada, conhecida como óxi, prontas para venda. 

Entre elas, havia duas de tamanhos diferentes e, portanto, mais caras que as demais. Uma de 25g e outra de 50 gramas, além dos demais objetos, o que caracteriza o local como um ponto de distribuição de drogas. O casal está preso à disposição da Justiça. Todo o trabalho contou com participação dos investigadores Nicolau, Gilson e Marília, além do comandante da PM, sargento Marinho, e da guarnição comandada pelo sargento Dionisio.

PRESO ACUSADO DE ESTUPRAR MENINA DE SEIS ANOS EM BELÉM

Policiais civis da Seccional Urbana da Sacramenta prenderam, nesta quinta-feira, 30, em cumprimento a mandado de prisão preventiva decretada pela Justiça do Estado,  Augusto das Chagas Ferreira Junior, 33 anos, acusado de estuprar uma menina e de usar o celular para fotografar as partes íntimas da vítima. Ele foi preso em sua casa, em Belém, durante operação realizada no início da manhã pela equipe policial coordenada pelos delegados Alberto Teixeira, diretor da Seccional, e Sinélio Menezes, responsável pelo inquérito do caso. Além da ordem de prisão, os policiais civis cumpriram mandado de busca e apreensão domiciliar na casa do acusado. 

PRESO

PERÍCIA PROSOPOGRÁFICA AJUDOU NA IDENTIFICAÇÃO DO PRESO
Os mandados judiciais foram expedidos com base nas investigações realizadas pela equipe da Seccional da Sacramenta.

A partir de câmeras de monitoramento de uma empresa construtora e de um Shopping Center, localizados no bairro de Val-de-Cães, e do laudo de perícia prosopográfica realizado pela Diretoria de Identificação da Polícia Civil, foi possível identificar Augusto das Chagas como o autor do estupro de vulnerável ocorrido no último dia 11, um sábado.

As investigações iniciaram após as autoridades policiais terem tomado conhecimento de crime de estupro de uma criança, por meio de atos libidinosos, cujas imagens foram captadas por uma câmera de monitoramento instalada na entrada de uma construtora, em Val-de-Cães, às proximidades de um Shopping Center.

Nas imagens é possível ver o acusado chegando ao local ao lado da vítima, por volta de 13h45. Os dois usavam capacetes de motoqueiro.

Na chegada ao local, após se certificar de que não havia ninguém no prédio, o acusado passou a despir a vítima parcialmente, abaixando a calça e a calcinha da menina para praticar os abusos sexuais. 
MOTO DO ACUSADO FOI APREENDIDA
Em momento algum, nas imagens, a criança reage à investida do indiciado. Um minuto depois de cometer os abusos sexuais, o acusado pega seu telefone celular e passa a fotografar a criança. Em seguida, ele aparentemente envia as fotos para outra ou outras pessoas. Os abusos continuam. Ele deita a menina e volta a praticar novos abusos sexuais. Ao finalizar os atos criminosos, o acusado ajuda a criança a se vestir, enquanto verifica o perímetro antes de deixar o local. 
CAMISA QUE O ACUSADO USAVA NO DIA DO CRIME
A partir da análise das imagens, os delegados chegaram à conclusão de que o indiciado aparentemente pertencia ao círculo de convívio da criança e que não era a primeira vez que ele cometia os abusos na menina. A partir do conhecimento dos fatos, a equipe da Seccional da Sacramenta teve acesso às fotos e vídeos de câmeras de monitoramento do Shopping Center que mostram o momento em que o acusado chega ao local de moto, com a manina, às 11h42 do dia do crime. Os dois passearam pelo local, por cerca de duas horas, até a saída às 13h36. Nas imagens, destacou o delegado Sinélio Menezes, chamou a atenção o fato de que a criança em momento algum se mostra oprimida ou sob domínio do acusado. 

OPERAÇÃO XEQUE-MATE PRENDE CINCO PESSOAS ENVOLVIDAS EM CRIMES EM MARITUBA

As Polícias Civil e Militar deflagraram, nesta sexta-feira (31), a operação "Xeque-Mate", para combate à criminalidade no município de Marituba, Região Metropolitana de Belém. Desde o início da manhã, os policiais iniciaram o cumprimento de cinco mandados judiciais na região contra pessoas envolvidas nos crimes de roubo, lesão corporal e tráfico de drogas. A ação policial foi coordenada pelo delegado Marco Antonio Duarte, titular da Superintendência da Polícia Civil na região metropolitana, e James Moreira, diretor da Seccional de Marituba. 

MULHERES PRESAS
PRESOS
POLICIAIS ENVOLVIDOS NA OPERAÇÃO


Durante a operação, os policiais recapturaram Marilene Cruz da Costa que estava presa no presídio feminino do Coqueiro, em Ananindeua, e de fugiu. Além dela foram presos Michael Naite da Silva Cruz, Paulo Cezar da Silva Costa, Selma Maria Gomes e Rosineide Antunes de Souza. A ação contou com policiais militares da Ronda Ostensiva Tática Metropolitana (Rotam) e policiais civis do Grupo de Pronto Emprego (GPE). Os detidos foram conduzidos até a Seccional de Marituba, para os procedimentos policiais e assim comunicar à Justiça sobre o cumprimento das ordens de prisão.

quinta-feira, 23 de março de 2017

PRESO MAIS UM ENVOLVIDO NO ASSASSINATO DA JOVEM MAYARA MARTINS EM ANANINDEUA

Clevyson Erick Sousa da Silva, 22 anos, conhecido por Erick, acusado de envolvimento no assassinato da jovem Mayara da Silva Martins, 19 anos, foi preso, na tarde desta quinta-feira, 23, no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, região metropolitana de Belém. Ele foi localizado por policiais militares que o conduziram para a Seccional Urbana da Cidade Nova, em Ananindeua, onde está recolhido à disposição da Justiça. Com a prisão dele, a Polícia Civil contabiliza sete pessoas presas por participação no crime de um total de 14 envolvidos. O corpo da vítima foi encontrado, em 15 de julho do ano passado, em Águas Lindas. 

DIVISÃO DE HOMICÍDIOS INVESTIGA CRIME
A vítima foi sequestrada e levada para as matas do parque ambiental do Utinga, onde foi torturada e morta a tiros. A tortura e a execução de Mayara foram filmadas com um celular por um dos bandidos e as imagens do crime foram compartilhadas nas redes sociais na época. Clevyson tem mandado de prisão preventiva decretado em outubro do ano passado pela juíza Cristina Collyer, da Vara do Tribunal de Júri da Comarca de Ananindeua. O inquérito sobre o caso foi instaurado pelo delegado Eduardo Rollo, da Divisão de Homicídios. 

Segundo o delegado Marco Antonio Duarte, titular da Superintendência da Polícia Civil na Região Metropolitana, a prisão de Clevyson Erick era questão de tempo. Ele explica que os policiais do bairro de Águas Lindas já estavam à procura do criminoso, que foi localizado na área do residencial Verdejantes, onde mora. Após a apresentação na Seccional da Cidade Nova, o delegado Duarte solicitou ao delegado Roberto Gomes, titular da Delegacia do Julia Seffer, para enviar cópia do mandado de prisão preventiva. O preso foi recolhido na Central de Triagem da Cidade Nova, para responder pelo crime. 

CLEVYSON ERICK
Segundo a Divisão de Homicídios, um dos mandantes do crime - Márcio Guilherme Prado Lima Filho, 23, de apelido Bugalu - foi preso em fevereiro deste ano. Ele foi o sexto envolvido no crime a ser preso durante as investigações. Do total de 14 envolvidos no assassinato, um acusado já morreu. Dos demais envolvidos, dois são adolescentes. Os outros 11 envolvidos são adultos. Todos com mandados de prisão decretados pela Justiça. Sete agora estão presos e outros quatro continuam foragidos. 

As investigações mostraram que Mayara foi morta a mando de Bugalu e José Adriano Gomes Santos, 26, conhecido por Adriano Gordo, que, na época do crime, estavam presos. Atualmente, Adriano Gordo está recolhido no presídio de Catanduvas, no Paraná, por determinação da Justiça. A vítima foi morta por ter sido apontada como informante de policiais militares que prenderam em flagrante, dias antes, por tráfico de drogas, Mayara Madalena Prado Silveira, 21, prima de Bugalu e dona de um ponto de venda de drogas, em Águas Lindas. Outra pessoa envolvida no crime é a irmã da vítima, Tayná de Jesus Martins de Lima, 20, e uma amiga da vítima, menor de idade. As duas, sob alegação de que iriam consumir drogas, perto das matas do parque do Utinga, levaram a vítima até o encontro dos algozes. Ao chegar nesse local, a vítima foi surpreendida pelos criminosos que a obrigaram a entrar na mata e ali passaram a torturá-la até que a mataram com vários disparos. 

Além de Bugalu; Tayná, irmã da vítima; Mayara Madalena, prima de Bugalu, e Adriano Gordo, estão presos também Alef Cunha Mininea, 19 anos, também conhecido por Alace ou Walace, e Lidean da Silva Borges, 25, de apelido Fred. Estão foragidos Ewerton Correa Maués, 25, de apelido Churrasco; Alessandro do Nascimento Araújo, 22, conhecido por Sandro; Wagner Martins Gomes, 21, de apelido Peste, e Leonardo Martins da Rocha, 22, de apelido Beca.

segunda-feira, 13 de março de 2017

DIVISÃO ESPECIALIZADA EM MEIO-AMBIENTE AUTUA DUAS PESSOAS POR MAUS TRATOS A ANIMAIS EM BELÉM

A Polícia Civil autuou duas pessoas por crime de maus tratos contra cães, nesta segunda-feira, 13, em Belém. Os casos foram investigados pela equipe da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA) após a divulgação de vídeos nas redes sociais com as imagens das agressões. Em um dos casos, a senhora Raimunda de Jesus Ferreira Leal, de 57 anos, foi filmada por uma pessoa que trafegava de carro, na rua da Olaria, bairro do Tapanã, distrito de Icoaraci, em Belém, no momento em que pilotava uma bicicleta motorizada puxando uma cadela filhote amarrada a uma corda. Em determinado momento, a cadela não consegue acompanhar a moto e cai no chão, passando a ser arrastada pelo asfalto. No outro caso, o senhor Carlos Alberto Pereira de Souza, 66 anos, foi filmado na rua Barão de Mamoré, no bairro do Guamá, em Belém, no momento em que jogou um cão contra o calçamento e depois o agrediu a socos na cabeça. 

Cadela filhote Chaila vítima de maus tratos
CADELA FILHOTE COM SINAIS DE MAUS TRATOS
No caso de Raimunda de Jesus, as investigações iniciaram logo após a equipe da DEMA tomar conhecimento pelas redes sociais. De imediato, explica o delegado Vicente Costa, a equipe policial passou a diligenciar na área do Tapanã e localizou a acusada e a cadela filhote de nome Chaila. A cadela apresentava sinais evidentes de maus tratos, como ferimentos nas patas e pelo corpo. Assim, Raimunda foi conduzida até a DEMA, onde foi lavrado Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por crimes de maus tratos. Após ser ouvida e assinar o TCO, a mulher vai responder ao processo criminal na Justiça. Ela alegou que a cadela de seis meses teria fugido de casa e foi procurá-la no bairro. Como não estava se sentindo bem e, por isso, não tinha como carregar a cadela, resolveu amarrá-la à bicicleta motorizada. A cadela foi entregue à ONG Peludinhos, do campus do Guamá da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, responsável em cuidar da cadela até que ela seja acolhida, medicada, alimentada e recuperada, para ser encaminhada para adoção. O procedimento foi acompanhado por representantes da Comissão de Direitos de Animais da OAB do Pará.

Equipe da DEMA foi ao Tapanã
POLICIAIS CIVIS DA DEMA RESGATAM ANIMAL AGREDIDO
Ainda, nesta segunda-feira, 13, um outro vídeo compartilhado na rede social do Abrigo Au Family na internet denunciava um senhor de meia idade espancando um cão no canteiro central da rua Barão de Mamoré, no Guamá. A partir do conhecimento das imagens, a equipe da DEMA, coordenada pelo investigador e veterinário da DEMA, Edelvan Soares, foi até o endereço e localizou o agressor. Carlos Alberto foi conduzido junto com o cão até a DEMA para responder também por maus tratos. O animal doméstico foi entregue à uma ONG, sediada no bairro de São Brás, em Belém, responsável em cuidar do cão vítima de maus tratos. No local, ele vai receber atendimentos veterinários e alimentação necessária a se restabelecer. 

Cão resgatado no Guamá
CÃO RESGATADO
No ano passado, a DEMA instaurou 510 procedimentos para apurar crimes ambientais no Estado. No total, a DEMA recebeu 1.076 denúncias anônimas feitas ao serviço telefônico 181, o Disque Denúncia, sobre crimes ambientais, como maus tratos de animais, poluição sonora, poluição ambiental, entre outros. 

O crime de maus tratos a animais é previsto no artigo 32, da Lei de Crimes Ambientais nº. 9.605/98, que tipifica como crime o ato de abusar, maltratar, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos (de outro país). A pena prevista para quem cometer esse crime é de três meses a um ano de detenção e multa. A pena é aumentada de um terço a um sexto, se ocorrer a morte do animal. Os atos de maus-tratos e crueldades mais comuns são:

- Abandono.
- Manter animal preso por muito tempo sem comida e contato com seus donos/responsáveis.
- Deixar animal em lugar impróprio e anti-higiênico.
- Envenenamento.
- Agressão física, covarde e exagerada.
- Mutilação.
- Utilizar animal em shows, apresentações ou trabalho que possa lhe causar pânico e sofrimento.
- Não procurar um veterinário se o animal estiver doente.

sexta-feira, 10 de março de 2017

PRESO ACUSADO DE ENVOLVIMENTO EM TENTATIVA DE ROUBO A BANCO EM BENEVIDES

A Polícia Civil deu cumprimento nesta quinta-feira, dia 9, ao mandado de prisão preventiva expedido contra Lauro Jorge do Amaral Mineiro. Ele é acusado de participar do ataque à agência do Banco do Brasil em Benevides no dia 3 de fevereiro deste ano. A prisão foi realizada por policiais civis da Delegacia de Repressão a Roubo a Banco e Antissequestro (DRRBA), unidade vinculada à Divisão de Combate ao Crime Organizado (DRCO) do Pará.

Durante o assalto, ele estava na companhia de Rafael Fagundes, morador de Joinville, no Estado de Santa Catarina, e um terceiro comparsa. A dupla pretendia abrir os cofres e subtrair dinheiro e armas dos vigilantes. Rafael Fagundes foi preso em flagrante ainda na madrugada do dia 3. 

Já Lauro Jorge foi identificado através das câmeras de segurança do banco e foi preso no Aeroporto Internacional Júlio Cezar Ribeiro, no bairro Val-de-Cães, em Belém, no momento em que pretendia embarcar em um voo com destino à Recife, capital de Pernambuco. O acusado está recolhido à disposição da justiça.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

JUSTIÇA DECRETA PRISÃO PREVENTIVA DE EX-POLICIAL MILITAR ACUSADO DE HOMICÍDIO EM OUTEIRO

A Justiça decretou a prisão preventiva, nesta quarta-feira, 22, do ex-policial militar Gerson Vitoriano de Oliveira, de 46 anos, preso no último dia 1º, em decorrência de investigações realizadas pela equipe da Divisão de Homicídios da Polícia Civil. Ele é acusado de assassinar Carlos Gomes da Silva, 24 anos, em 28 de novembro de 2016, na praia do Amor, ilha de Caratateua (Outeiro), em Belém. Gerson Vitoriano está recolhido à disposição da Justiça no presídio Coronel Anastácio das Neves, no Complexo Penitenciário de Santa Isabel do Pará. Ao ser preso, no dia 1º, ele estava com mandado de prisão temporária expedido pela Justiça e que, agora, foi convertido para prisão preventiva.

Material apreendido com acusado
MATERIAL APREENDIDO COM ACUSADO
O ex-policial militar responde a seis processos criminais na Justiça, dos quais cinco por homicídio e um por concussão (extorsão praticada por servidor público). Ele é apontado como um dos principais responsáveis por execuções nos distritos de Outeiro e Icoaraci, em Belém. O inquérito que resultou inicialmente na decretação de mandado de prisão temporária de Gerson Vitoriano é presidido pelo delegado Guilherme Macedo. Segundo o policial civil, após a prisão do acusado, no último dia 1º, mais seis denúncias de outros crimes praticados pelo ex-policial militar foram recebidas pela Divisão de Homicídios e outros dois inquéritos policiais foram instaurados para apurar os crimes. 

Vitoriano, como é mais conhecido, foi preso em sua casa, em Outeiro, em operação comandada pelos delegados Guilherme Macedo e Eduardo Rollo, da DH. Ao ser preso, no dia 1º, ele foi flagrado com mais de 200 estojos de munição de pistola calibre ponto40 e revólver 38; um revólver calibre 38 com duas munições; um par de algemas; um colete à prova de balas e seis placas de veículos diferentes, das quais, quatro de carros e uma de moto, além de uma carteira de identidade funcional da Polícia Militar do Pará. Vitoriano foi expulso da PM do Pará após conclusão de processo administrativo por ter assassinado a tiros um preso que estava algemado. 

POLÍCIA CIVIL INVESTIGA TRIPLO HOMICÍDIO EM BRAGANÇA

A Polícia Civil já investiga as mortes de três pessoas que foram assassinadas e tiveram os corpos carbonizados dentro de um carro, na madrugada desta quarta-feira, 22, na zona rural de Bragança, nordeste paraense. A equipe policial da Unidade Integrada Propaz (UIPP) do município investiga se as mortes têm relação com outro homicídio ocorrido poucas horas antes, cuja vítima era primo de uma das três vítimas. O caso está sendo tratado como triplo homicídio com características de execução. Segundo o delegado Marcelo Mendes, as três vítimas já foram identificadas. Wesley Santos da Luz, 29 anos, dono do carro; Alinna Sayure de Jesus Pereira, namorada de Wesley, e Mário Massias Pires Neto. Os três são residentes em Bragança. 

CARRO É PERICIADO
Pessoas que passavam em tráfego por uma estrada rural, em Bragança, encontraram o carro pegando fogo no local, por volta de 5 horas. O Corpo de Bombeiros foi acionado e apagou as chamas. Foi então que os corpos foram vistos dentro do veículo. Após isso, as Polícias Civil e Militar estiveram no local. Uma equipe de peritos criminais fez o levantamento pericial de local de crime e a remoção dos corpos. 

Para o delegado, existem sinais de execução, uma vez que há suspeitas de que as vítimas foram mortas a tiros antes de serem queimadas no carro. "Só no final das perícias isso será respondido com certeza", salienta o delegado. Segundo ele, a linha de investigação do triplo homicídio é uma possível relação com a morte de Alexsandro do Rosário de Quadros, que foi morto ao tentar roubar a arma de um vigilante noturno, durante a madrugada de hoje, em Bragança, horas antes do carro com os corpos ser encontrado na estrada. Alexsandro era primo de Mário Massias, uma das três vítimas. 

Wesley Santos da Luz já tinha duas passagens pela Polícia Civil em Bragança. Em 2015, ele foi preso em flagrante por crime de receptação de roubo e, em 2016, ele foi preso também em flagrante por crime de roubo. Mário Massias teve o corpo reconhecido por meio de tatuagens no peito. Alinna foi identificada por familiares que reconheceram as roupas e as sandálias da vítima.