quinta-feira, 26 de março de 2015

POLÍCIA CIVIL FLAGRA MARANHENSE COM PEDRAS DE ÓXI DE COCAÍNA EM CACHOEIRA DO PIRIÁ

A Polícia Civil de Cachoeira do Piriá, nordeste paraense, prendeu em flagrante, por tráfico de drogas, o maranhense Rubens Cesar Costa, conhecido como Rubens da Pedra. Ele foi preso em sua residência, localizada no bairro da Piçarreira, onde foram encontradas 46 petecas de pedra de óxi de cocaína. Rubens é considerado um dos traficantes com mais tempo de atuação na região, porém até então não havia sido preso. 

PRESO
Material apreendido
APREENSÕES
A operação policial, explica o delegado Augusto Damasceno, titular da Superintendência da Região Bragantina, contou com os policiais civis de Cachoeira do Piriá. Segundo o delegado, a ação policial se registrou após denúncia anônima sobre a prática de venda de drogas ilegais. Ao fazer a revista na casa, os policiais encontraram as drogas escondidas dentro de um pote de cosmético escondido em uma saca de milho. O preso está recolhido à disposição da Justiça.

GRUPAMENTO FLUVIAL DO ESTADO PRENDE PIRATA ENVOLVIDO EM ASSALTO COM MORTE DE UNIVERSITÁRIA NO MARAJÓ

Policiais do Grupamento Fluvial de Segurança Pública (Gflu) e da Superintendência da Região do Marajó Ocidental prenderam, nesta quarta-feira, 25, em Breves, na ilha do Marajó, Sirval de Jesus Ferreira, de apelido "Japonês", que também é conhecido pelos nomes Sinval e Samuel. Ele é acusado de envolvimento em grupo de "piratas" fluviais, responsáveis por assaltos contra embarcações. Contra ele, existem dois processos por envolvimento em assaltos nos rios. 

PRESO
Em um dos casos, houve uma vítima fatal, a estudante universitária Rafaelen de Souza Cavalcante, 20 anos, que foi morta durante assalto ao barco "Arca da Aliança", em Muaná, em 2011. Ele foi capturado durante operação do Gflu, pela equipe formada pelos investigadores Neto e Josias, sob comando do delegado Dilermando Dantas. Conforme o delegado, Sinval fazia parte de um grupo criminoso, denominado de "Família Caterpilar", que foi desarticulado em decorrência de investigações da equipe da Delegacia de Polícia Fluvial. 

Entre os presos envolvidos no crime estão Elielson de Souza Marques, de 21 anos, conhecido como 'Lourinho', e Odileno Martins Rodrigues, de 28 anos, o 'Calu', que foram presos em uma casa, na Passagem Duas Estrelas, bairro da Prainha II, em Belém, em 2011. Com eles, foram apreendidos objetos roubados no assalto à embarcação, como bijuterias e relógios de pulso de vítimas. Também foi apreendido um colete à prova de belas roubado em um assalto em Tucuruí, no mesmo ano. 

As investigações mostraram que o autor do disparo que matou a universitária foi Sirval de Jesus Ferreira. Na época em que foi preso, em 2011, Sirval acusou "Lourinho" de ser o autor do disparo que levou à morte da estudante, mas tudo se esclareceu. O disparo que atingiu a estudante na nuca foi acidental, conforme as investigações, ocorreu no momento em que Sirval puxou da mochila um revólver. A arma de fogo engatilhou e disparou de dentro da bolsa.

quarta-feira, 25 de março de 2015

DIOCESE DE BRAGANÇA SE PRONUNCIA SOBRE CASO DA PRISÃO DE PADRE EM CASTANHAL

Após o crime cometido pelo padre Jeorge Miranda Gomes, na segunda-feira passada (23), que resultou na morte de uma pessoa, o titular da Diocese de Bragança, Dom Luís Ferrando, se pronunciou através de nota sobre o caso. O religioso reitera o compromisso da Igreja Católica em defender e valorizar a vida humana contra qualquer forma ou atitude que atente sua integridade, além de se colocar em oração pela família e pelos amigos da vítima do acidente, o senhor José Hilton dos Neves Conceição. O padre Jeorge Gomes foi liberado, ainda na segunda-feira, após a Justiça de Castanhal expedir alvará de soltura mediante pagamento de fiança no valor de R$ 5,2 mil. 


Na nota, o titular da Diocese, à qual pertence o padre envolvido no acidente, reconhece que, de acordo com o que foi comprovado pelas autoridades competentes, o autor do atropelamento dirigia alcoolizado e fugiu do local do acidente. O bispo explicou ainda que o padre Jeorge integra a Congregação Religiosa Padres Barnabitas, à qual é confiada a administração da Paróquia do Município de São Miguel do Guamá, e que tal paróquia pertence à Diocese de Bragança. 

CORPO DA VÍTIMA APÓS ATROPELAMENTO
Nesta mesma paróquia, o padre Jeorge prestava serviço como vigário auxiliar e é responsável pela repetidora local da TV Nazaré, sendo ele formado em Jornalismo. Em relação à direção do veículo pertencente à congregação, Dom Luís explicou que toda paróquia da Diocese de Bragança dispõe de um ou mais veículos para a realização de serviços pastorais. 

Estes carros são confiados ao uso correto dos sacerdotes e, por causa disso, cada um dos padres se responsabiliza pelo uso do veículo da diocese a ele confiado. “Por ora, posso dizer somente isto, confiando que a Justiça faça seu curso, sabendo bem que, diante das acusações formalizadas e das imagens do padre alcoolizado veiculadas pela Internet, a responsabilidade do sacerdote em causa se apresenta muito grave”, conclui Dom Luís Ferrando.

ARTIGO: "UM SOPRO DE ESPERANÇA", POR ARMANDO MOURÃO *

Há alguns dias, uma senhora nos buscou e abriu seu coração de mãe e avó. Ela estava preocupada com a crueldade praticada por jovens neste município de Ananindeua, na Grande Belém. Solicitou que nos manifestássemos publicamente a respeito do assunto. Talvez, dessa forma, haja um sopro de esperança destinada a conter essa onda de violência e o descaso para com a vida dos semelhantes, desabafou. Sem a pretensão de apresentar uma fórmula capaz de solucionar o problema grave por que passa grande parte dos nossos jovens, prometemos expor algumas ideias dos espíritos superiores que sabem mais do que imaginamos os dramas por que passamos na face da Terra. 

Elucidam que há possibilidades diversas para que tal situação se apresente. Uma delas está justamente no espírito reencarnado, ou seja, no espírito que anima o corpo do nosso filho problema, que traz a própria bagagem infeliz de vidas anteriores. Esse filho, mesmo tendo, por parte dos pais, os melhores exemplos de vida digna, de honestidade e grandeza no esforço do bem, não se interessará pela honradez ou probidade de seus pais. Ainda assim, cabe aos pais o esforço por continuar exemplificando o bem, ainda que pareça inútil na certeza de que um dia despertarão para uma realidade melhor. 


Outra possibilidade é a da demissão dos pais, enquanto educadores de seus filhos. Pais que largam os filhos "ao Deus dará", sem se preocupar com o que fazem desde a infância, crescendo e se desenvolvendo com as informações variadas que lhes chegam por diversos meios, sem que alguém lhes oriente sobre o que é certo ou errado. Filhos que passam boa parte da infância e adolescência em frente à televisão, assistindo a desenhos animados de crueldade, violência e brutalidade. Outros que consomem boa parte do tempo manejando os "joysticks" dos videogames, utilizando fitas alugadas pelos próprios pais, que não se preocupam, sequer, em observar com que tipo de jogos - ou até filmes pornô - os filhos se divertem. 


Dia desses em visita a amigos, observávamos dois garotos brincando na rua de um condomínio fechado, onde, supostamente não deveria haver perigo decorrente do rigor no acesso. Todavia tal nossa surpresa quando um dos garotinhos, de apenas oito anos de idade, sacou do bolso um canivete e ameaçou o amiguinho, só porque este ajuntou do chão um papel de bala que ele desejava para si. Ao perceber a possibilidade de alguém sair ferido, fomos até a portaria e avisamos a um dos porteiros que o garoto estava com o canivete. Este nos disse, para maior surpresa ainda, que ele já havia falado com a mãe do menino, e esta lhe dissera que sabia, pois fora ela mesma que lhe presenteara com a arma. 

Podemos imaginar, pela tendência do garoto, o que ele fará com mais uns anos de idade. Essa mãe tem grandes possibilidades de vir a amargar mais tarde as consequências de sua indiferença com relação às atitudes do filho. Trata-se de assunto de alta complexidade e não será possível ser contido apenas com a ação policial. A família tem a maior responsabilidade. Faça seu filho chorar hoje para não fazê-lo por ele amanhã quando vê-lo preso ou sobre uma pedra fria do Instituto Médico Legal. 

* ARMANDO MOURÃO É DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL DO PARÁ E DIRETOR DA SECCIONAL URBANA DE POLÍCIA CIVIL NA CIDADE DE ANANINDEUA, NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM (PA).

terça-feira, 24 de março de 2015

DELEGADO NELSON SOBREIRA É O PRIMEIRO POLICIAL CIVIL A SER COMANDANTE DE HELICÓPTERO NO PARÁ

O delegado da Polícia Civil do Pará, Nelson Sobreira de Oliveira, é o primeiro policial civil a chegar ao posto de comandante de helicóptero no Estado do Pará. A solenidade, que marcou a ascensão do delegado ao comando da aeronave, foi realizada nesta terça-feira, dia 24, na sede do Graesp (Grupamento Aéreo de Segurança Pública), sediada no Hangar do Estado, no Aeroporto Internacional de Belém. O delegado atua como co-piloto no Grupamento Aéreo há mais de oito anos. 

DELEGADO NELSON SOBREIRA
Ainda, durante o evento, o capitão da Polícia Militar Alcides Machado foi anunciado como o primeiro piloto responsável pelo comando de avião do Graesp. A solenidade foi presidida pelo diretor do Grupamento Aéreo, tenente-coronel Josilei Gonçalves, e contou com as presenças da corregedora-geral da Polícia Civil, delegada Liane Martins, e a chefe-de-gabinete da Delegacia-Geral, delegada Vera Loureiro, além de servidores do Grupamento. 

CAPITÃO MACHADO, À DIREITA, RECEBE CERTIFICADO

Josilei Gonçalves explica que a ascensão ao comando de aeronave exige o nivelamento do policial para exercer a função de piloto em atividades aéreas. "São dois pilotos, um deles, o comandante se preocupa com a segurança da aeronave, enquanto o co-piloto atua com o gerenciamento do voo durante o atendimento à ocorrência", explica. Ele detalha ainda que existe um plano de ascensão funcional a comandante de helicóptero em que cada piloto deve acumular, no mínimo, 500 horas de voo para estar apto ao comando da aeronave, onde, durante o treinamento, deverá acumular de 700 a mil horas de voo. 

A partir dessas condições, conforme decreto do Governo do Estado, um Conselho instituído no Grupamento Aéreo avalia se o piloto reúne condições para ser considerado apto ao comando da pilotagem ou se deve retornar para mais preparação. Durante o evento, o delegado Nelson Sobreira e o capitão Alcides Machado receberam os certificados do treinamento. Com mais de 20 anos de carreira policial e natural do Estado do Ceará, o delegado Sobreira acumula uma vasta experiência na Polícia Judiciária paraense. Já foi diretor da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), diretor de Seccional Urbana e superintendente regional no interior do Pará. 

Ao ingressar no concurso para fazer parte do Grupamento, o policial civil lembra que disputou com cerca de 30 delegados de Polícia as quatro vagas disponíveis. Para ele, a ascensão a comandante de helicóptero representa uma responsabilidade ainda maior. Após a solenidade, o delegado e o capitão Machado foram até a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, onde se apresentaram ao secretário Jeannot Jansen, e aos integrantes do CIGESP (Comitê Integrado de Gestores de Segurança Pública do Pará), entre eles, o delegado-geral, Rilmar Firmino, e o comandante-geral da PM, coronel Roberto Campos. 

DELEGADO COM DELEGADAS LIANE E VERA
INOVAÇÃO Com mais de dez anos de existência, o Grupamento Aéreo é um serviço de integração do Estado do Pará, que atua em todas as atividades aéreas públicas, como operações policiais, busca e salvamento, defesa civil e transporte de pessoas com atendimento aeromédico em convênio com a Secretaria de Estado de Saúde Pública. Atualmente, o Graesp conta com oito aeronaves - sete helicópteros e um avião - com quatro bases no interior, localizadas em Altamira, Santarém, Marabá e Redenção. 

Para Ivan Teixeira, representante da empresa Helibrás, fabricante dos helicópteros usados pelo Grupamento, hoje, o Graesp é referência nacional em atividades aéreas, utilizando os mais modernos aparelhos de voo, para uso operacional e em ações de resgate, do mercado brasileiro. Entre eles, o helicóptero Esquilo que conta com sistema de vigilância aérea formado por um imageador térmico e display tático em HDTV, aparelhos para funções específicas de segurança. Também está equipado com guincho de salvamento, gancho de carga, portas corrediças, kit rapel e rádio tático policial.

POLÍCIA CIVIL APRESENTA PARTE DO GRUPO CRIMINOSO QUE ASSALTOU BANCO EM PLACAS

A Polícia Civil apresentou na manhã de hoje, dia 23, na Delegacia-Geral, em Belém, três presos por envolvimento no roubo ao Banco da Amazônia do município de Placas, região Oeste do Pará, ocorrido no último dia 12. Fernando de Matos Oliveira, 21 anos; Cleisson Silva Duarte, 25, e Wellington Almeida Costa, 31, foram localizados, na sexta-feira passada, em Uruará. Os presos foram transferidos, no final de semana, para a capital paraense, onde permanecerão presos à disposição da Justiça. Com eles, cinco armas de grosso calibre foram apreendidas e também trazidas para Belém. Ao todo, seis homens envolvidos no assalto em Placas já estão presos. 

Dois deles - Keulesson Vieira dos Santos e Francisco Alves de Lima - foram capturados, no sábado passado, em Altamira, e permanecem na região.  O outro preso, Marcos Silva Duarte, natural de Altamira, foi baleado e preso logo após o assalto ao banco em Placas. Ele não foi transferido para Belém, pois teve de passar por uma cirurgia. Marcos é irmão do preso Cleisson apresentado em Belém. Além das armas, uma caminhonete usada no assalto foi apreendida em Uruará. Somando os sete presos por envolvimento no assalto ao Banco do Brasil, em São Geraldo do Araguaia, e os acusados do roubo em Placas, já são 13 assaltantes de bancos presos neste ano no Pará. 

PRESO
O armamento apreendido em Uruará - três espingardas calibre 12, uma metralhadora calibre 9 mm e um fuzil calibre 762 - foi encontrado enterrado em uma plantação de cacau, na zona rural do município. A apresentação dos presos foi presidida pelo delegado João Bosco Rodrigues, diretor de Polícia do Interior da Polícia Civil; delegado André Costa, diretor da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO); investigador Célio Salvador, de Uruará, e major Kleverson Firmino, comandante do Comando de Operações Especiais (COE), da PM do Pará.

ARMAS APREENDIDAS APRESENTADAS NA ENTREVISTA COLETIVA À IMPRENSA
Fernando, Wellington e Cleisson foram presos durante operação policial iniciada após uma abordagem feita pelos investigadores de Uruará, Célio Salvador e Silvio Alex, na rodovia Transamazônica, na quinta-feira passada. Os policiais civis suspeitaram de três homens que trafegavam na rodovia em duas motos e uma caminhonete Saveiro. Ao darem sinal para a parada dos veículos, os homens atiraram em direção aos policiais civis e saíram em fuga. A perseguição aos criminosos teve início à altura do Km 140 da rodovia, onde os policiais receberam apoio de policiais militares da Rotam, da equipe do Comando de Operações Especiais (COE) e da PM de Uruará. 

De acordo com o delegado André Costa, o assalto ao Banco da Amazônia em Placas trouxe características diferentes de outros assaltos na modalidade conhecida como "novo cangaço" ou "vapor". Desta vez, explica o policial civil, foram pessoas da região de Altamira os autores do crime e não integrantes de células de grupos organizados oriundos no nordeste brasileiro. Outra diferença é que, pela primeira vez, houve registro de revide por parte de policiais militares, que trocaram tiros com os assaltantes, durante a fuga, atingindo um deles. Segundo o delegado João Bosco, a Polícia Civil prossegue as investigações.

POLÍCIA CIVIL PROCURA OUTROS DOIS ENVOLVIDOS EM SEQUESTRO NO MUNICÍPIO DE TOMÉ-AÇU

A Polícia Civil investiga o paradeiro de outras duas pessoas envolvidas no sequestro de uma auxiliar administrativa, no distrito de Quatro Bocas, em Tomé-Açu, nordeste paraense. O crime se registrou no último dia 15. Quatro envolvidos no crime foram presos, no último dia 19, durante operação da Superintendência da Polícia Civil da Região Integrada de Segurança Pública do Guamá, sediada em Castanhal, do Núcleo de Apoio à Investigação (NA), e das Delegacias de Quatro Bocas e Mãe do Rio. O crime foi planejado pelo empresário Alcino Balduino de Andrade Filho, 61 anos, ex-namorado da vítima, que tem 22 anos. 

MÁRIO, ALCINO, JOÃO PAULO E MARCOS: PRESOS POR SEQUESTRO
O plano era que o idoso também seria sequestrado e que pagaria pelo resgate R$ 50 mil para que ambos fossem libertados e, assim, Alcino pretendia reatar o namoro com a jovem. De acordo com a delegada Gérsica Raphaela Veiga da Silva, titular da Unidade Policial de Quatro Bocas, a vítima foi sequestrada, por volta de 23 horas, quando um dos bandidos rendeu a irmã dela no momento em que chegava em casa, no distrito. O criminoso entrou na casa e obrigou a vítima a acompanhá-lo até um táxi, que aguardava às proximidades. Após o fato ser comunicado à Unidade Policial em Quatro Bocas, as investigações foram iniciadas. 

Durante o último dia 16, a equipe policial levantou informações junto a testemunhas, de que o suspeito de estar envolvido no crime seria o empresário. Testemunhas relataram que os dois tiveram um envolvimento amoroso, mas que, com o tempo, a jovem manifestou a vontade de não mais se relacionar com Alcino. Este, por sua vez, não aceitava o fim do relacionamento e continuava a procurar a vítima. O então suspeito foi detido, na noite de segunda-feira, e interrogado. Ele acabou por confessar o crime. Assim,foi solicitada à Justiça a prisão do acusado. Com a ordem judicial, a equipe policial passou a investigar o paradeiro dos demais sequestradores, até, durante as investigações, descobrir que a vítima havia sido levada para a comunidade de Badajós, às margens do rio Capim, zona rural da cidade de Ipixuna do Pará. 

Era nessa região, em uma ilha, que a vítima era mantida como refém. Ela dormia em uma lona instalada na mata. Com as buscas feitas na região via fluvial, os policiais civis localizaram dois dos envolvidos no crime, Marcos Aires de Carvalho, 27 anos, de apelido "Bebê", e João Paulo Mininéia da Silva, 18 anos. Os dois foram encontrados, em uma canoa, às margens da ilha, no momento em que iriam deixar a ilha com a vítima para mudarem o local do cativeiro. Dentro da canoa, uma arma caseira e a lona usada como cobertura do cativeiro foram encontrados. Ainda, durante as investigações, outro envolvido no crime foi preso, desta vez, na sede de Ipixuna do Pará. Trata-se de Mário de Moraes, 47 anos, apontado como responsável em agenciar o crime. Ele teria recebido mil reais para contratar os sequestradores. 

As investigações mostram ainda que os acusados receberam, cada um, de 2 e 5 mil reais. A ação policial foi realizada por policiais civis da Superintendência da Região Integrada de Segurança Pública do Guamá, comandados pelos delegados Luis Xavier, Temmer Khayat, Carlos Vieira e Gersica Silva. Os outros dois suspeitos de participar do crime são o taxista, conhecido como "Bigodinho", que fez o transporte da vítima desde Quatro Bocas até o local do cativeiro, e outro comparsa, que seria adolescente. Os presos foram encaminhados para Castanhal, onde estão recolhidos no presídio do Centro de Recuperação Regional de Castanhal (CRCast) à disposição da Justiça.

segunda-feira, 23 de março de 2015

PADRE É PRESO EM FLAGRANTE APÓS ATROPELAR E MATAR UMA PESSOA NA RODOVIA BR-316 EM CASTANHAL

O padre Jeorge Maria Miranda Gomes, 37 anos, pároco da Igreja de São Miguel do Guamá, no Pará, foi preso em flagrante, nesta segunda-feira, 23, após ter atropelado e matado uma pessoa, na rodovia BR-316, em Castanhal, nordeste paraense. Bêbado, o sacerdote fugiu após o atropelamento, mas foi perseguido e interceptado por policiais rodoviários federais, na cidade de Santa Maria do Pará. O padre foi apresentado, na sede da Superintendência da Polícia Civil, em Castanhal, onde foi enquadrado pelo delegado Rodrigo Zambardino, de plantão na unidade policial, por crime de homicídio culposo com agravante por ter consumido bebida alcoólica. Ele ficará preso à disposição da Justiça. O pagamento de fiança para responder ao processo em liberdade, nesse caso, só é possível na Justiça. 

PADRE JEORGE MARIA ESTAVA BÊBADO
O atropelamento fatal se registrou à altura do quilômetro 68 da rodovia federal. Quem morreu foi o ciclista José Hilton das Neves Conceição, 52 anos. Ele pedalava sua bicicleta no acostamento da estrada e mesmo assim foi atingido, de forma violenta, pelo carro dirigido pelo padre, uma caminhonete Fiat Strada Adventure, cor prata, placa OTV 6103, de Bragança (PA). Testemunhas relataram que o carro dirigido pelo sacerdote saiu da estrada e atropelou o ciclista no acostamento. A vítima foi arremessada contra o asfalto e sofreu lesões graves, morrendo logo em seguida ainda no local.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que o padre Jeorge estava alcoolizado e, após o atropelamento, não prestou socorro e saiu em fuga do local, mesmo com o parabrisa, o capô, o pára-choque e o pára-lamas frontal danificados e com manchas de sangue do impacto com o ciclista. O padre dirigiu o carro pela rodovia no sentido de Castanhal para Santa Maria do Pará, onde, ao passar em frente ao posto da PRF, o sacerdote recebeu ordem de parar, mas desobedeceu e continuou a dirigir o veículo. Ele tomou rumo em direção ao início da rodovia Belém-Brasília, na confluência com a BR-316, onde foi alcançado pelos policiais. 

CARRO DIRIGIDO POR PADRE FICOU DANIFICADO
Conforme os policiais rodoviários federais, o carro dirigido pelo padre é de propriedade da Arquidiocese de Bragança e estava cedido para uso particular do padre. O sacerdote passou por teste de alcoolemia, cujo resultado deu positivo para embriaguez. Ao ser interrogado, Jeorge Maria mentiu, negando ser padre. Aos policiais rodoviários federais, ele disse que trabalhava na TV Nazaré de Belém na área de marketing, mas depois confessou ser padre. Ele revelou ainda que passou a noite toda bebendo cerveja na casa de amigos em Bragança.

domingo, 22 de março de 2015

SUPERINTENDÊNCIA DO SISTEMA PENITENCIÁRIO DO PARÁ DIVULGA FOTOS E NOMES DOS FUGITIVOS DE PRESÍDIO

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe) divulgou as fotos e os nomes dos 20 detentos de fugiram na tarde deste domingo (22) do Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III (CRPP), em Santa Isabel, Região Metropolitana de Belém. 

FUGITIVOS
Os foragidos são: Anderson José Araújo,Antônio Edson Alves Amaral, Bruno Daniel Veloso ,Davyson Fernando Correa Ferreira, Diogo Cunha da Silva, Fábio Santos Silva, Helder Rodrigues Silva, Jhemisson Ferreira Santos, Jhonatan Freire dos Santos, Jorge Moraes Gomes, José Fagner, Rodrigues Nascimento, Marco Antônio Lopes, Railson Allan Vieira Meireles, Ramon Gomes dos Santos, Sidney Carlos Teixeira das Virgens, Thiago Felipe Barbosa Gomes, Thiago Lélis Pojo, Walber Santos Costa, Willian Oliveira do Carmo e Willian Sacramento da Silva. 

Eles escaparam da prisão por volta das 12h de hoje, após seis deles deixarem celas de visita íntima armados com pistolas e revólveres. Eles fugiram em dois carros pela rodovia BR-316, em direção à Castanhal. 

A PM continua fazendo a busca pelos foragidos na região de Marituba, Santa Isabel e Castanhal, com apoio de um helicóptero do grupamento aéreo, além de continuara ouvir as testemunhas do ocorrido. Quem tiver informações sobre os foragidos pode denunciar através do Disque Denúncia 181 e também pelo Whatsapp da Susipe no número 98814-1218.

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR PRENDEM HOMENS POR AMEAÇAR E INCENDIAR CASA DAS EX-COMPANHEIRAS EM BONITO E MAGALHÃES BARATA

Dois homens foram presos em flagrante, por ameaçar as ex-companheiras e tocar fogo nas casas das vítimas, em duas cidades da região nordeste do Pará. Em um dos casos, no município de Bonito, José Renato Menezes Moraes foi preso após incendiar móveis e eletrodomésticos da própria casa em que vivia com a companheira. No outro caso, em Magalhães Barata, foi preso em flagrante Denilson Fonseca Costa, 27 anos, após colocar fogo na casa da ex-companheira, por não aceitar o fim do relacionamento. As prisões foram realizadas neste final de semana.

JOSÉ RENATO E DENILSON COSTA
De acordo com o delegado Marcelo Mendes, titular da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) de Bonito, a Polícia Civil recebeu denúncia de que José Renato estava colocando fogo em todos os objetos da residência, como fogão, televisor, colchões e roupas da companheira Maria Cleidiane Medeiros da Silva. "Ela pediu ajuda aos vizinhos e conseguiu ligar para a Polícia Civil", explica o policial civil. 

Policiais civis e militares, que integram a UIPP, chegaram ao local em tempo de prender em flagrante José Renato. Em depoimento, a vítima contou ao delegado que vivia havia anos sob ameaças e constrangimentos por parte do companheiro. Apos ser enquadrado por ameaça contra a mulher, crime previsto na Lei Maria da Penha, e por incêndio criminoso, o acusado permanecerá recolhido à disposição da Justiça.  

MAGALHÃES BARATA A vítima do crime relatou ao delegado Alexandre Lopes, titular da Delegacia do município de Magalhães Barata, que Denilson Costa teria lhe ameaçado ao dizer que ela iria pagar por tudo "de novo e de velho e bem caro". Após as ameaças, ele resolveu ir até a residência para cometer o crime. Ainda, segundo a mulher, na semana anterior, ele já a teria agredido fisicamente, mas o crime não foi registrado na Delegacia. Em decorrência do incêndio, a vítima perdeu todos os pertences. O Centro de Perícias Científicas Renato Chaves foi acionado para fazer a perícia de local de crime. O preso está recolhido à disposição da Justiça.

POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADO DE ENVOLVIMENTO NA MORTE DE ADOLESCENTE EM BREVES

A Polícia Civil prendeu, em cumprimento a mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça do Pará, na cidade de Breves, na ilha do Marajó, Renato dos Anjos de Oliveira, de apelido "Frita Peixe", acusado da autoria do homicídio, cuja vítima foi um adolescente de 14 anos. Conforme a delegada Renata Gurgel, da Superintendência da Polícia Civil na Região Integrada de Segurança Pública do Marajó Ocidental, Renato Oliveira é foragido da Justiça do Estado do Amapá. As investigações sobre o crime tiveram início há um mês, em Breves. O crime teve alta repercussão no município. 

PRESO
A vítima foi violentada e morta em uma estrada, na comunidade de Santa Luzia, zona rural do município. A partir da atuação da Polícia Civil, foram identificados alguns suspeitos de envolvimento no crime. Um deles teve a ordem de prisão solicitada pela delegada ao Poder Judiciário de Breves. Assim que o mandado de prisão foi expedido, a equipe de policiais civis efetuou buscas na cidade até localizar o procurado. Conforme a delegada, o preso está recolhido para responder ao crime. As investigações prosseguem para identificar outros suspeitos de envolvimento no caso.

sexta-feira, 20 de março de 2015

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR OCUPAM TRÊS BAIRROS DE BELÉM PARA PREVENIR E REPRIMIR CRIMES

As Polícias Civil e Militar ocuparam, nesta sexta-feira, 20, os bairros do Tapanã, Pratinha e Cabanagem, em Belém, para realizar ações de prevenção e combate ao crime. A operação integrada será realizada até a próxima segunda-feira nessas áreas. Com início pela manhã, a operação resultou, até final da tarde, nas prisões de nove pessoas - cinco delas foram recapturadas por serem fugitivas do Sistema Penitenciário do Pará, outras três foram presas em flagrante por tráfico de drogas e uma por venda ilegal de gás de cozinha. Foram apreendidas mais de 30 gramas de maconha prensada, 18 petecas de cocaína, um revólver calibre 38 e 30 munições de calibres 9mm e 38. Ainda, durante a manhã, diversas mídias piratas foram apreendidas em uma feira do bairro do Tapanã. 

Presos: Diego Martins, Ismael Ferreira, Laise Santos e Diego Rosa
PRESOS NA OPERAÇÃO
As prisões e apreensões foram apresentadas na Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) do bairro do Tapanã, onde está sediada a operação. Sob coordenação da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (SEGUP), a operação "Ocupação" conta com policiais civis e militares; guardas municipais de Belém; agentes da Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (SIAC) vinculada à SEGUP; da Superintendência de Mobilidade Urbana de Belém (SEMOB); da Secretaria Municipal de Economia de Belém (SECON); da Secretaria Municipal de Meio-Ambiente (SEMMA); do Departamento Estadual de Trânsito; do Grupamento Aéreo de Segurança Pública; do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e do Corpo de Bombeiros. 

A meta da ação policial, explica o delegado Silvio Maués, diretor de Polícia Metropolitana da Polícia Civil, é promover ações de prevenção de crimes, como barreiras de fiscalização no trânsito e incursões pelas ruas dos bairros; dar cumprimento a mandados judiciais de prisão e de busca e apreensão; reprimir crimes como o tráfico de drogas, comércio ilegal de produtos falsificados e revenda clandestina de gás butano. 

Apreensão de mídias e fiscalização em feira
APREENSÕES DE MÍDIAS E FISCALIZAÇÃO EM FEIRA
Também, ressalta o policial civil, a ação visa fazer averiguações em feiras, observando o ordenamento público; fazer a identificação de crianças e adolescentes em situação de risco, e fiscalizar estabelecimentos comerciais, como bares, oficinas mecânicas e postos de combustível. No que se refere às barreiras de trânsito, os agentes estão realizando buscas e revistas pessoais e em veículos, nas principais vias de acesso aos bairros abrangidos na operação. Durante o período noturno, os policiais irão fiscalizar o trânsito, por meio de barreiras nas vias principais dos bairros, para prevenir o crime de dirigir sob efeito de bebida alcoólica, dentro da ação Lei Seca. O objetivo principal é a redução dos índices de criminalidade nesses bairros. 

APREENSÕES COM PRESOS
PRISÕES Ao longo do dia, nove pessoas foram conduzidas para a UIPP do Tapanã. Cinco delas são fugitivos do Sistema Penitenciário, onde respondem a processos criminais. Um deles é Diego Oliveira Rosa, que responde a processos criminais por homicídio, roubo e estupro. Três delas, identificadas como Ismael Moraes Ferreira, 18 anos; Diego Mendes Martins, 24, e Laise dos Santos Pamplona, 19, foram presos em flagrante, no bairro da Pratinha I, com drogas, munições, um revólver, celulares e dinheiro. Um homem foi flagrado enquanto comercializava gás de cozinha em um ponto clandestino, no Tapanã. Ele foi conduzido até a UIPP do Tapanã, onde pagou fiança, e vai responder ao processo em liberdade. Quatro botijões de gás foram apreendidos no local.

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR APREENDEM 26 QUILOS DE COCAÍNA COM AMAZONENSE EM JURUTI

As Polícias Civil e Militar apreenderam mais de 26 quilos de pedras de óxi, droga derivada da cocaína, após denúncia, na cidade de Juruti, oeste do Pará. A droga foi encontrada em poder do amazonense Raimundo José de Paulo Campos, 35 anos, que foi preso em flagrante e autuado por tráfico de entorpecentes, pelo delegado Arthur Nobre, na Delegacia do município. A apreensão foi realizada na tarde de ontem, 19. Segundo o delegado, a informação foi recebida pela Polícia Militar em Juruti. Raimundo estava em um hotel, na cidade. 

PRESO
Ele veio do Amazonas, com a droga, até Juruti, via aérea. O objetivo do traficante era levar a droga até a cidade de Santarém, onde seria feita a distribuição do entorpecente, que estava dentro da mala do acusado. Raimundo confirmou que teria pego a droga no município de Atalaia do Norte, no Amazonas, onde nasceu. O preso reside em Manaus. Além do entorpecente, os policiais apreenderam R$ 500 e uma carteira de habilitação (CNH) falsa, além de dois telefones celulares. Francisco foi levado para Santarém, para ser autuado em flagrante por tráfico de drogas.

POLÍCIA CIVIL PRENDE SETE ENVOLVIDOS NO ASSALTO A BANCO EM SÃO GERALDO DO ARAGUAIA

A Polícia Civil apresentou nesta sexta-feira, 20, na Delegacia-Geral, em Belém, sete envolvidos na associação criminosa responsável pelo roubo ao Banco do Brasil, de São Geraldo do Araguaia, sul do Pará, crime registrado na madrugada de 8 de fevereiro deste ano. As prisões foram realizadas, por policiais civis da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), com apoio do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), Comando de Operações Especiais (COE) e de policiais civis de Goiás e Tocantins. A operação policial foi realizada em Redenção e Marabá, no Pará; Araguaína em Tocantins; Imperatriz no Maranhão, e Goiânia, capital de Goiás. Presidida pelo delegado-geral Rilmar Firmino, a apresentação dos presos contou com as presenças dos delegados André Costa e Evandro Araújo, da DRCO; do coronel Roberto Campos, comandante-geral da Polícia Militar do Pará, e delegado Alex Cavalcante, do Grupo Anti-Roubo a Banco (GAB), da Polícia Civil de Goiás. Presos: Valdinei; Reginaldo; Jonas e Bruno (no alto); Davi; Roberto e Paulo Ao todo, dez bandidos participaram do assalto à agência bancária. 

BANDO PRESO

Um oitavo envolvido no crime, identificado como Luiz Aguinaldo Farias Brito, de apelido "Ferrugem", foi localizado, em Marabá, mas reagiu e acabou morrendo em decorrência da troca de tiros com os policiais civis. Outros dois criminosos estão foragidos. Eles não tiveram os nomes divulgados, por conta do andamento das investigações. De acordo com o delegado-geral, foram, ao todo, 40 dias de investigações. Rilmar Firmino salientou que a prisão dos envolvidos no roubo ao banco era considerada uma questão de honra, já que, na ocasião do crime, os assaltantes mataram uma adolescente, de 14 anos, que foi atingida por um disparo, no momento em que passava de carro, em frente ao banco. 


Durante a ação criminosa, os bandidos agiram com violência, usando dinamite para explodir dois dos seis caixas eletrônicos de autoatendimento da agência e um dos cofres. Eles fizeram oito pessoas reféns durante a fuga. Entrevista coletiva na Delegacia-Geral Segundo o delegado André Costa, os criminosos carregavam armamento pesado e estavam encapuzados para dificultar a identificação. Durante a ação, moradores da cidade foram usados como "escudos humanos" para evitar a aproximação da Polícia. Após o crime, os assaltantes fugiram por uma estrada de ferro que dá acesso aos municípios de Piçarra, no sul do Pará, e Araguanã, no Tocantins. A prisão deles ocorreu durante as investigações, após a localização de um dos carros usados pelos bandidos. O veículo foi furtado em Goiânia. Os presos irão responder pelos crimes de associação criminosa, roubo e latrocínio por conta da morte da adolescente. 


PREVENÇÃO O comandante-geral da PM ressaltou a corporação está a postos, diariamente, para agir em ocorrências de roubos a bancos em todo Estado. Ele citou a operação denominada de Reprerban (Prevenção e Repressão a Roubos a Bancos), que conta com 13 equipes da PM do Pará, que se deslocaram da capital, para reforçar o policiamento preventivo nas regiões consideradas preocupantes para ocorrências de roubos a bancos, como, por exemplo, a região sudeste. "São, ao todo, 40 municípios cobertos, com apoio de nove aeronaves deslocadas das bases do Grupamento Aéreo de Segurança Públicas instaladas em todo Estado, como em Altamira, Santarém, Marabá e Redenção", detalha. Ele salienta que todos os esforços são desenvolvidos para evitar essas ocorrências e o que não for possível impedir a resposta é dada de imediato. OS 

PRESOS O tocantinense Reginaldo Sousa dos Santos, conhecido como "Régis", de 36 anos, foi preso em Araguaína, no Tocantins. Ele tem uma condenação da Justiça por furto, em Natal, no Rio Grande do Norte, em 2012. Atualmente, cumpria pena de prestação de serviços comunitários em Araguaína. 

O pernambucano Jonas Fabiano Ferreira da Silva, de 47 anos, foi preso em Goiânia. Ele é natural de Recife e ainda não tinha passagem pela Polícia. O baiano Valdinei Pereira da Silva, de 39 anos, conhecido como "Nei", é proprietário de uma fazenda próximo a Araguaína, usada para abrigar o grupo criminoso. Natural de Itaju do Colônia, na Bahia, ele foi preso em Araguaína, mas mora em Imperatriz no Maranhão. Ainda não tinha passagem pela Polícia. 

O pernambucano Paulo de Tarso Carneiro de Sousa, de 50 anos, de apelido "Pernambuco", foi preso na cidade de Imperatriz, no Maranhão. Também afirma não ter passagem pela Polícia. O tocantinense Roberto Guega Chiquett Bezerra, de 25 anos, foi preso no município de Redenção, sudeste paraense. Ele já responde a um processo por crime de receptação de uma caminhonete roubada, há dois anos, em Palmas no Tocantins. Natural de Araguaína, mora atualmente em Redenção. Foi preso dentro do Hospital Municipal de Redenção, onde havia passado por uma cirurgia por conta de um tiro que recebeu durante outro assalto cometido no município. 

O pernambucano Davi Fabiano Ferreira da Silva, de 36 anos, foi preso em Araguaína. Há três anos, ele foi condenado pela Justiça de Tocantins à pena de 1 ano e 6 meses de prisão, por ter cometido a receptação de um aparelho de tv roubado, em Porto Nacional, no Tocantins. Segundo ele, a pena já havia sido cumprida. O goiano Bruno Alves do Nascimento, de 29 anos, foi preso em Goiânia. Ele também afirma não ter passagem pela Polícia.

ACADEMIA DE POLÍCIA CIVIL DO PARÁ INICIA CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA ATUAÇÃO NO GRUPO DE ELITE DA CORPORAÇÃO

A Academia da Polícia Civil do Pará (ACADEPOL) vai iniciar, neste sábado, 21, o Curso de Capacitação da 5ª Turma do Grupo de Pronto-Emprego (GPE). São, ao todo, 22 policiais civis que iniciaram as aulas de formação para atuação no grupo de elite da Polícia Civil. Neste sábado, explica a delegada Marlise Modesto Tourão, diretora da Academia, será realizada a Aula Inaugural  do Curso, a partir de 5 horas da manhã, na própria sede do GPE, na Delegacia-Geral, em Belém. 

POLICIAIS CIVIS DO GPE EM OPERAÇÃO
Os 22 selecionados passaram por Testes de Aptidão Física e testes teóricos, para serem aprovados ao Curso, que irá prepará-los para atuação em atividades táticas em operações policiais em todo Estado. A seguir, a relação de policiais civis que irão participar do Curso:

- DELEGADOS DE POLÍCIA CIVIL : EVANDRO MOREIRA DA ROCHA ARAÚJO JÚNIOR,  FERNANDA MAUÉS DE SOUZA E RICARDO OLIVEIRA DO ROSÁRIO.

- INVESTIGADORES DE POLÍCIA CIVIL:  ANGELO FERREIRA MARTINS,  ANTONIO PAULO AZEVEDO COSTA,  ARLEY MIRALHA CARNEIRO,  CARLOS ALBERTO DE JESUS SANTOS,  FERNANDO ANDRÉ REIS DAMASCENO,  GLEUDSON ROSA DE MEDEIROS,  GUSTAVO ADOLF REBELO BATISTA PINHEIRO,  HÉLIO MARINHO DE AZEVEDO NETO,  JOÃO FLÁVIO DA SILVA SANTOS,  JORGE SÉRGIO BANDEIRA DE OLIVEIRA,  JOSÉ AUGUSTO LOUREIRO RAULINO, JOSÉ CRISTIAN FARIAS DE LIMA,  MAURÍCIO RAMOS CARDOSO,  MIQUÉIAS DE FREITAS LEÃO,  NELSON JORGE DE OLIVEIRA COSTA FILHO,  SÉRGIO MURILO ABREU DA SILVA,  SÉRGIO VICTOR CORRÊA BARBOSA,  THIAGO DE MIRANDA OLIVEIRA E VICTOR FERNANDES BRÍCIO.

quarta-feira, 18 de março de 2015

POLÍCIA CIVIL ENCERRA PRIMEIRO DIA DO SEMINÁRIO DE GESTÃO DA INSTITUIÇÃO POLICIAL

A Polícia Civil deu prosseguimento, durante a tarde desta terça-feira, 17, ao 1º Seminário de Gestão da instituição policial. O evento é realizado no auditório A da Delegacia-Geral. A primeira palestra da tarde foi da delegada Leomar Maués, diretora de Recursos Humanos. Ela abordou o tema “Gestão de RH”. Em seguida, com o tema “Gestão Administrativa”, foi a vez do delegado Roberto Teixeira, diretor de Administração da Polícia Civil. 

Palestras do delegado Roberto Teixeira e Cynthia Protazio (alto); e Leomar Maués
PALESTRAS
Ao final do primeiro dia do evento, a diretora de recursos financeiros da Polícia Civil, administrativa Cynthia Protázio, abordou o tema “Gestão Financeira”. O 1º Seminário de Gestão da Polícia Civil prossegue, nesta quarta-feira, 18, pela manhã, com as palestras sobre “Instrumentos de Planejamento”, com o professor Rafael Laredo. 

Em seguida, a administrativa Betânia Barros, assessora de Planejamento e Orçamento da Polícia Civil, aborda o tema “Orçamento Público”. Ao findar da manhã, o escrivão Altemir Pacheco, diretor de Informática, Manutenção e Estatística da Polícia Civil, aborda o tema “Gestão de Tecnologias da Informação”. O 1º Seminário de Gestão da Polícia Civil é uma realização da Delegacia-Geral, sob coordenação das Assessorias de Planejamento e Orçamento (APO) e de Planejamento Estratégico (APE).

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR PRENDEM ENVOLVIDOS EM HOMICÍDIOS NA CIDADE DE SÃO MIGUEL DO GUAMÁ

As Polícias Civil e Militar têm agido de forma integrada, em São Miguel do Guamá, nordeste do Pará, na repressão à práticas criminosas, principalmente, os crimes contra a vida, como os homicídios e latrocínios (roubos seguidos de morte). As ações policiais resultaram, nos últimos dias, nas prisões de quatro criminosos em cumprimento a mandados de prisão preventiva decretada pela Justiça. Entre os presos estão Ademir da Conceição, 22 anos, e o comparsa Marivaldo Lopes Ferreira, 27, envolvidos em um homicídio por arma de fogo e golpes de terçado, na madrugada de 18 de fevereiro deste ano, no bairro das Palmeiras. As investigações mostraram que o crime foi motivado por vingança, já que a vítima teria no mesmo dia, em uma festa de Carnaval, realizada na orla da cidade, ferido com um objeto cortante, dois familiares dos acusados. 

Antônio Júlio; Ademir e Marivaldo, e Geelison
PRESOS
Após o crime, Ademir e Marivaldo fugiram do município e passaram a viver escondidos na casa de familiares, em uma fazenda, a cinco quilômetro da sede de São Miguel do Guamá. Com a instauração de inquérito policial sob presidência do delegado Ronaldo Lopes, os dois foram indiciados pelo homicídio e tiveram decretadas as prisões preventivas pela Justiça. Eles foram localizados em uma fazenda situada na zona rural do município pela equipe policial formada pelos investigadores Océlio Miranda e Manoel Vasconcelos, sob comando do delegado, além dos policiais militares, cabos Freitas e Lopes. Segundo Ronaldo Lopes, as investigações para coibir a violência e a criminalidade em São Miguel do Guamá, em especial os crimes de homicídios, estão sendo intensificadas, por determinação do superintendente da Região Integrada de Segurança Pública do Guamá, delegado Luís Xavier, e do diretor de Polícia do Interior, delegado João Bosco Rodrigues. 

OUTRAS PRISÕES Nos últimos dias foram presos quatro envolvidos em homicídios. Além de Ademir e Marivaldo, foram presos Geelison Silva Barata, 27, apontado como matador de devedores do tráfico de drogas, e Antônio Júlio Ferreira de Oliveira, 28, conhecido por “Bad Boy”. "As prisões irão ajudar a diminuir os homicídios relacionados ao tráfico de drogas na cidade de São Miguel do Guamá", salienta. As investigações continuam para elucidar todos os crimes ocorridos na cidade, nos últimos dias. O delegado ressalta que a população deve participar, fazendo denúncias de pontos de venda de drogas, de forma anônima, sigilosa e gratuita, através do telefone 181, o Disque Denúncia.

terça-feira, 17 de março de 2015

COMEÇA 1º SEMINÁRIO DE GESTÃO DA POLÍCIA CIVIL EM BELÉM

Começou nesta terça-feira, dia 17, o 1º Seminário de Gestão da Polícia Civil que reúne servidores públicos da instituição policial visando a capacitação com foco na melhoria dos serviços públicos. O evento, que encerra amanhã, dia 18, é realizado no auditório A da Delegacia-Geral, sob coordenação das Assessorias de Planejamento e Orçamento (APO) e de Planejamento Estratégico (APE), da Polícia Civil, em parceria com a Escola de Governança Pública do Estado do Pará. O evento foi aberto com a palestra sobre Gestão e Liderança ministrada pelo professor Zultonney Velasco, da EGPA. O evento terá ainda exposições sobre temas, como Gestão Estratégica, Gestão Financeira, Orçamento Público, Comunicação Social, entre outros. 


ABERTURA DO EVENTO
Segundo o delegado Ricardo Caçapietra, assessor de Planejamento Estratégico da Polícia Civil, o objetivo principal do evento é implementar gestão estratégica por intermédio de processos e projetos. "O evento conta com todos os gestores estratégicos e táticos da Polícia Civil. É o primeiro contato com uma parceria com a Escola de Governança Pública do Estado como um processo continuado de capacitação dos servidores", detalha. A programação vai transmitir aos servidores da corporação informações sobre o gerenciamento e cumprimento de metas, levando em consideração os programas de Governo e a área orçamentária do Estado.

PALESTRA DO PROFESSOR ZULTONNEY VELASCO
DELEGADO RICARDO CAÇAPIETRA: GESTÃO ESTRATÉGICA
O Seminário servirá também para demonstrar aos gestores públicos as novas ferramentas de gestão que visam facilitar a tomada de decisão e a execução operacional, bem como, dinamizar os serviços prestados pela instituição policial ao público em geral. O diretor geral da Escola de Governança Pública do Estado, Ruy Martini Santos Filho, falou sobre a importância da parceria da instituição com a Polícia Civil. "O seminário é uma forma de entender como os programas de formação do servidor público podem contribuir para o surgimento de metas na área da segurança. Essa aproximação entre a Escola e a Polícia Civil já existe e nós entendemos que as políticas públicas precisam e devem estar em um amplo programa de formação para os servidores públicos, e é nesse contexto que a Escola de Governança vem trabalhando nos últimos anos", destaca. Segundo ele, o objetivo maior da aproximação entre a Escola de Governança Pública do Estado e a área da segurança é proporcionar ao servidor mecanismos para que ele possa desempenhar melhor o seu papel, melhorando o serviço prestado para a população.  

DELEGADA LEOMAR MAUÉS: GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS
DELEGADO ROBERTO TEIXEIRA: GESTÃO ADMINISTRATIVA
CYNTHIA PROTÁZIO: GESTÃO FINANCEIRA
O delegado-geral, Rilmar Firmino, falou sobre os projetos que serão realizados ao longo do ano. "Vamos fazer ainda esse semestre um telecentro para que possamos capacitar nossos servidores. Teremos também uma representação da Academia da Polícia Civil aqui dentro da Delegacia-Geral para facilitar a inscrição e divulgação de outros cursos. Já começamos a capacitação de servidores na área operacional essa semana em Santarém, seguindo para Redenção e passando por todo interior do Estado", salienta. 

DELEGADO-GERAL RILMAR FIRMINO
SERVIÇO O Seminário de Gestão da Polícia Civil teve início às 8:00 horas da manhã com intervalo para almoço ao meio-dia, e retorno às 14 até as 18 horas. O evento reinicia nesta quarta-feira, também às 8 horas. No primeiro dia, além da palestra do professor Zultonney Velasco, ocorreu também, pela manhã, a palestra sobre Gestão Estratégica, com o delegado Ricardo Caçapietra. À tarde, o evento prosseguiu com as palestras sobre gestão de RH, ministrada pela delegada Leomar Narzila; Gestão Administrativa, com o delegado Roberto Teixeira; e Gestão Financeira, com a servidora administrativa Cynthia Protázio, diretora de recursos financeiros.

PRESO ACUSADO DE SER MANDANTE DE HOMICÍDIO NO MUNICÍPIO DE TRACUATEUA

A Polícia Civil prendeu, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, Márcio Fernando da Silva Costa, acusado de ser o mandante de um homicídio no município de Tracuateua, nordeste paraense. O crime se registrou em 13 de fevereiro deste ano, quando a vítima Alessandro Cavalcante de Castro, foi morta por três homens, que já estão presos. 


As investigações mostraram que o crime foi motivado por ciúmes da ex-companheira do acusado. Ela mantinha um relacionamento com a vítima. Em decorrência do trabalho investigativo, a equipe policial de Tracuateua, sob comando do delegado Douglas Murilo, obteve o mandado de prisão contra o acusado, que foi localizado e preso à disposição da Justiça. 

POLÍCIA CIVIL CUMPRE MANDADO DE PRISÃO DE AUTOR DE HOMICÍDIO EM AUGUSTO CORRÊA

A Polícia Civil de Augusto Corrêa, nordeste paraense, prendeu, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, Manoel Costa da Silva, conhecido como Domingos. Ele é acusado de matar, a golpes de faca, a própria companheira, Keila Maria da Silva Paiva, em 2013, no município. Desde a época do crime, ele estava na condição de foragido. A prisão foi realizada na cidade de Marituba, na Região Metropolitana de Belém, onde o acusado foi encontrado por policiais civis comandados pelo delegado Tobias Ferreira. Atualmente, Manoel Costa trabalhava na construção civil em uma obra habitacional. 


De acordo com o delegado, as investigações mostraram que o crime foi resultado de ciúmes que o acusado nutria da companheira. Ele suspeitava que a vítima tinha um envolvimento amoroso com o ex-namorado. Manoel é suspeito da autoria de outro homicídio, no ano de 2003, em Bragança. A vítima seria Manoel Raimundo Junior dos Reis. O preso permanece recolhido à disposição da Justiça.