terça-feira, 27 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADO DE ATUAR COMO "PIRATA" EM CAMETÁ

PRESO
A Polícia Civil prendeu, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, Gessivaldo Siqueira Moura, também conhecido como Jeová, acusado de atuar como "pirata" na prática de roubos a embarcações na região das ilhas de Cametá, no Baixo-Tocantins. A prisão foi realizada durante operação coordenada pela Delegacia do município, nesta segunda-feira, 26. Sob coordenação do delegado Celso Saldanha, em conjunto com o investigador Ozi Brito e escrivão Sérgio Benedito, a ação chegou até o acusado após a expedição da ordem de prisão pela Comarca Judiciária de Cametá, mediante representação do delegado pela custódia preventiva contra Gessivaldo. 

Conforme o delegado, o preso já vinha sendo investigado desde o ano passado, após cometer um latrocínio - roubo seguido de morte - durante assalto a um navio, na região das ilhas do município. Na ocasião, precisamente em 21 de outubro de 2015, o acusado e um comparsa abordaram uma embarcação e anunciaram o assalto. 

Durante a abordagem dos criminosos, o proprietário do barco, Pedro Nazareno Pena da Costa, acabou sendo baleado pelos bandidos e morreu. Os criminosos saquearam a embarcação e levaram diversos objetos de valor. Após o crime, a Polícia Civil passou a investigar o caso até identificar o autor do crime. Gessivaldo Moura vai permanecer preso à disposição da Justiça de Cametá para responder pelo crime de roubo qualificado seguido de morte.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADOS DE MATAR AGENTE DE TRÂNSITO EM ABAETETUBA

A Polícia Civil prendeu, nesta segunda-feira, 26, em Abaetetuba, nordeste paraense, em cumprimento a mandados judiciais de prisão temporária de 30 dias, Edmundo de Sousa Quaresma Filho, Joana Cláudia da Costa Quaresma e Deuson da Silva Souza, acusados da autoria do assassinato do agente de trânsito, Ruy Carlos Sarges Rebelo, do Departamento Municipal de Trânsito do município (Demutran). A vítima, que trabalhava como chefe-de-operações do Demutran, foi morta a tiros, em março deste ano, na rua Estelina Contente, bairro Cristo Redentor. 

As investigações apontaram que Deuson Souza foi o autor da execução, enquanto que Edmundo e Joana foram os mandantes do crime. Conforme o delegado Rodrigo Leão, titular da Superintendência da Polícia Civil em Abaetetuba, a morte do agente de trânsito foi motivada por uma retaliação do casal contra o servidor do Demutran por causa de multas aplicadas pelo agentes contra os acusados.


O crime começou a ser desvendados, dias depois do assassinato, com a prisão de Deuson por tráfico de entorpecentes durante uma operação policial no município. Ao ser apresentado na Delegacia de Abaetetuba, o preso foi reconhecido por testemunhas oculares do homicídio como a pessoa que efetuou os disparos contra a vítima. A partir da prisão de Deuson, explica o delegado, foram realizadas novas investigações para identificar a motivação do delito. "Comprovamos que Edmundo e Joana contrataram Deuson para praticar o crime, em decorrência de diversas discussões envolvendo Edmundo e Joana com o agente de trânsito por cumprir o seu trabalho", explica o policial civil. 

Com base nas provas, a Polícia Civil solicitou à Justiça do município mandados judiciais. Ao todo, ao longo das investigações, foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão na residência de Edmundo e Joana; em um estabelecimento comercial na cidade e também em uma cela do presídio de Abaetetuba onde Deuson estava custodiado respondendo por tráfico de drogas. Com Edmundo, no momento em que foi preso, os policiais civis apreenderam uma pistola calibre .380 com dois carregadores e 18 munições de mesmo calibre, todas intactas. Assim, ele foi autuado pelo crime de posse ilegal de arma de fogo de calibre permitido por lei. Os presos já estão recolhidos à disposição da Justiça. A mulher foi transferida ao presídio feminino do Coqueiro, em Ananindeua.

A operação de prisão dos acusados foi realizada por policiais civis do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) de Abaetetuba e contou com apoio das equipes da Superintendência do Baixo Tocantins, do NAI de Castanhal, do Grupo de Pronto-Emprego (GPE) da Polícia Civil; de policiais civis da Delegacia de Barcarena e militares do Grupamento Tático-Operacional (GTO) da Polícia Militar de Abaetetuba.

domingo, 25 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL CELEBRA SEU 18º CÍRIO COM PROCISSÃO EM HOMENAGEM À NOSSA SENHORA DE NAZARÉ

Uma procissão de fé e devoção à Nossa Senhora de Nazaré tomou diversas ruas do bairro de Nazaré, na manhã deste domingo, 25, quando foi celebrado o Círio da Polícia Civil do Pará. Pelo décimo oitavo ano consecutivo, a corporação marca a tradição que render mais uma homenagem à padroeira do povo paraense no último domingo de setembro. Um grande público acompanhou o cortejo desde a Delegacia-Geral (DG), sede da Polícia Civil, na Avenida Governador Magalhães Barata, até a Basílica-Santuário de Nazaré, no centro de Belém. Uma missa foi celebrada antes da procissão por Dom Irineu Roman, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belém, e pelo padre Raimundo Silvio Jaques, da Basílica-Santuário, na área de estacionamento da DG.

CÍRIO DA POLÍCIA CIVIL
O evento contou com a presença do delegado-geral, Rilmar Firmino, que recepcionou o secretário de Estado de Segurança Pública, Jeannot Jansen, e o secretário de Meio-Ambiente e Sustentabilidade do Pará,  delegado Luiz Fernandes, ex-delegado-geral. O atual presidente do Sindicato dos Delegados do Pará, João Moraes, também ex-delegado e um dos criadores do Círio da Polícia também se fez presente na procissão, como em todos os anos. A homilia da missa foi marcada pelas referências ao Dia Mundial da Bíblia, data celebrada neste domingo. 

Dom Irineu destacou a importância das sagradas escrituras como ferramenta para fortalecimento da fé e rogou para que instituições, como a Polícia Civil, possam também utilizar a palavra de Deus contida na Bíblica para este fim. "Cada profissão tem seu desafio e a Polícia Civil também tem seu desafio de incentivar a leitura da Bíblia e de orientar as pessoas para que busquem a fé por meio da divulgação da palavra de Deus que ajuda a converter as pessoas. O Sistema de Segurança Pública pode usar a Bíblia como meio de superação de todo mal que exista na sociedade", salientou. 

DEVOÇÃO E FÉ EM NOSSA SENHORA
O delegado-geral ressaltou o empenho da equipe de servidores da Polícia Civil responsável pela programação do Círio da corporação policial. "Durante mais de um mês, foram realizadas peregrinações nas Delegacias, Seccionais e Unidades Policiais na região metropolitana de Belém, como parte da programação do Círio da Polícia Civil. Hoje celebramos o 18º ano consecutivo do nossa romaria justamente no mesmo dia em que é comemorado o Dia da Bíblia", festeja. Ainda, durante a missa, todos os pedidos anotados em pedaços de papel feitos pelos servidores da Polícia Civil durante a peregrinação nas Unidades Policiais foram abençoados e depois incinerados como forma de simbolizar a elevação dos pedidos aos céus. 

Padre Raimundo Silvio foi um dos celebrantes
MISSA MARCOU CELEBRAÇÃO
Ao final da missa, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi conduzida inicialmente pelo delegado-geral, Rilmar Firmino, que depois a repassou ao secretário Jeannot Jansen, até por fim chegar à berlinda instalada no alto de um veículo da Policia Civil. A caminhada seguiu pela Avenida Governador Magalhães Barata e depois dobrou na Travessa Nove de Janeiro, tomando rumo pelas Avenidas Governador José Malcher e Generalíssimo Deodoro até chegar à Avenida Nazaré, em direção à Basílica-Santuário. A procissão deu uma parada em frente ao Hospital Amazônia, onde o padre Silvio Jaques rogou preces para cura dos pacientes e de todas as pessoas que trabalham no local. Durante o percurso, moradores se manifestaram emocionados com preces e mãos estendidas com pedidos de bênçãos. Alguns chegaram a adornar a frente de suas casas com balões e imagens da padroeira. O trânsito foi controlado por agentes da Superintendência de Mobilidade Urbana da Prefeitura de Belém (Semob). 

A funcionária administrativa Mara Viana, que veio à procissão acompanhada do filho, Paulo, de sete anos, conta que a devoção à Virgem de Nazaré sempre foi muito forte em sua vida e de sua família. Emocionada, ela considera que o nascimento de seu filho, por causa da gestação de risco, foi um milagre realizado graças à intercessão de Nossa Senhora de Nazaré. Desde então, ela procura repassar aos filhos a devoção à padroeira dos paraenses. "Eles vivem isso todos os dias em nossa família", festeja. Este ano, o Círio da Polícia Civil tem como lema "Rogai Por Nós, Ó Mãe da Eucaristia", inspirado no tema oficial do Círio de Nazaré, que é "Salve Rainha, Mãe de Misericórdia". O Círio da Polícia Civil já faz parte do calendário oficial de romarias da Arquidiocese de Belém. 

O evento em devoção à Nossa Senhora de Nazaré teve início em 1999, quando o então delegado-geral João Moraes criou uma celebração religiosa para proporcionar aos servidores seus familiares e amigos, uma oportunidade para louvar a Deus, homenageando a Mãe de Jesus, Nossa Senhora de Nazaré, a padroeira dos paraenses, pois no Círio oficial, os servidores da Polícia Civil estavam trabalhando na Segurança Pública. De lá pra cá, a cada ano, o Círio da Polícia Civil reúne maior número de pessoas, não só servidores da corporação como também da comunidade em geral.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

OPERAÇÃO CASTANHEIRA PRENDE TRÊS ENVOLVIDOS EM EXTRAÇÃO ILEGAL DE MADEIRA EM PACAJÁ

A Polícia Civil deflagrou, nesta quinta-feira, 22, a operação "Castanheira", para combater a extração ilegal de madeira e outros crimes ambientais, na região de Pacajá, no sudeste do Pará. Três pessoas foram presas em flagrante com armas, motosserras e um trator-rampa usado para derrubar árvores na mata. Ainda, durante a operação, uma serraria clandestina foi fechada. A ação policial foi deslanchada por volta de 5 horas da manhã. 

ARMAS E MOTOSSERRAS
 O delegado Arthur Nobre, responsável pela operação, explica que a ação policial foi realizada na estrada vicinal conhecida como "Três Barracos", localizada no km 238, da rodovia BR-230 (Transamazônica), em Pacajá. 




Estiveram em atuação no local policiais civis das Delegacias de Pacajá e Novo Repartimento. Durante a incursão, os policiais apreenderam na área três espingardas de calibre 32 em posse dos acusados. Eles foram encontrados em uma serraria clandestina dentro da mata, caracterizando extração e beneficiamento no local de madeira retirada da natureza. 


A equipe policial foi formada pelos investigadores Rogério Pegado, Alessandro Cardoso, Claudio Dias, Sergio Caldeira e Sidney Almeida, sob coordenação do delegado. Arthur Nobre ressalta que existem outras áreas exploradas ilegalmente e, para combater essa prática criminosa, outras operações serão realizadas na região. 

POLÍCIA CIVIL PRENDE SUSPEITOS DE ENVOLVIMENTO EM FRAUDES AMBIENTAIS EM BELÉM

A Polícia Civil do Estado do Pará deflagrou na manhã desta quinta-feira (22) a operação R.I.P., destinada ao cumprimento de nove mandados judiciais expedidos pelo Juízo da 1ª. Vara de Inquéritos Policiais e Medidas Cautelares da Comarca de Belém, sendo quatro de prisão temporária e cinco mandados de busca e apreensão em domicílios pertencentes a membros de associação criminosa que praticavam fraudes ambientais no estado do Pará. A operação foi realizada em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). 

PRESO NA OPERAÇÃO
A investigações tiveram início no começo de agosto, quando, a partir de informações repassadas pela Inteligência da Semas, foram detectadas e comunicadas à polícia judiciária irregularidades em processos referentes a Planos de Manejo Florestal Sustentável (PMFS) que tramitavam no órgão ambiental. O plano de manejo é um documento que autoriza a exploração de área para o desenvolvimento da atividade madeireira, a qual deve ser praticada dentro de parâmetros sustentáveis, visando a preservação do meio ambiente. 

Durante a operação policial foi descoberto que a suposta proprietária da área, localizada no município de Portel, onde o manejo seria realizado, teria firmado contrato com os investigados da operação em abril de 2014, porém a mesma faleceu em julho de 2013, em São Paulo – ou seja, cerca de nove meses antes da data da celebração do contrato fraudulento. 

A partir de então, constatou-se que o grupo criminoso protocolou, em diversos órgãos públicos, vários documentos falsificados. A área onde os projetos estavam previstos reunia 77257,03m³ de madeira e teria um custo de total de mais de seis milhões de reais, sendo que o lucro líquido dos projetos renderia mais de dois milhões de reais aos acusados. A operação evitou o desmatamento ilegal de quase três mil hectares de terra no estado.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL PRENDE FORAGIDO DA JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO EM PARAGOMINAS

A Polícia Civil deu cumprimento nesta quarta-feira, 21, em Paragominas, nordeste do Pará, ao mandado de prisão preventiva expedido pela justiça do Estado do Espírito Santo contra José Gazole de Abreu, pelo crime de homicídio. Ele é acusado de matar o próprio pai. A prisão foi realizada após a equipe policial de Paragominas receber informação de que um foragido da justiça do Espírito Santo estava no município. 


A operação foi comandada pelo delegado Pedro Rocha e contou com a participação dos investigadores Bruno de Castro, Clayton Pereira e Miguel Tomaz; e da escrivã Cibele Rolim. O acusado permanece preso em Paragominas à disposição da justiça do Espírito Santo, para onde será recambiado para responder ao processo.

POLÍCIA CIVIL INCINERA CERCA DE 600 QUILOS DE DROGAS APREENDIDAS EM OPERAÇÕES POLICIAIS NO PARÁ

A Polícia Civil destruiu, nesta quarta-feira, 21, mais de meia tonelada de drogas apreendidas, em 2015 e este ano, em operações integradas para repressão e combate ao tráfico de drogas na capital, região metropolitana e interior do Estado. As drogas foram incineradas, pela manhã, na sede de uma indústria de cerâmica, no bairro da Pedreirinha, município de Marituba, na grande Belém. Ao todo, foram queimados cerca de 600 quilos de drogas, dentre os quais 130 quilos de cocaína e o restante de maconha nos formatos haxixe e Skank - tipos de maconha modificada em laboratório para potencializar os efeitos alucinógenos. 

Incineração de drogas
INCINERAÇÃO
Autorizada pela Justiça, a incineração foi coordenada por policiais civis da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), unidade vinculada à Diretoria de Polícia Especializada da Polícia Civil e contou com as presenças de representantes do Ministério Público do Estado, Vigilância Sanitária e Corregedoria da Polícia Civil. Conforme o delegado Hennison Jacob, titular da DRE, as drogas são resultados de operações das Polícias Civil e Militar, para combate ao tráfico de drogas, realizadas no ano passado e ao longo deste ano. Essa foi a segunda incineração de drogas do ano. 

Incineração de drogas


Em 17 de junho, a Polícia Civil incinerou cerca de meia tonelada de drogas, em maioria, derivados de cocaína, como pedras de óxi e pasta, e ainda derivados de maconha, como haxixe e "limãozinho", apreendidas durante operações realizadas pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Civil, e por unidades policiais da Grande Belém e da Polícia Militar, entre 2014 e este ano. 

De acordo com o delegado Hennison Jacob, a lei nº 12.961, de abril de 2014, determina que drogas apreendidas devem ser incineradas, mediante autorização judicial, com prazo de até dias após a comunicação do flagrante feita pela autoridade policial. A presença do Ministério Público do Estado na queima das drogas é prevista pela lei 11.343/2006, que determina que um promotor de Justiça deve acompanhar a incineração autorizada pela Justiça de entorpecentes apreendidos em operações policiais.

POLÍCIA CIVIL PRENDE CASAL ACUSADO DE INTEGRAR GRUPO DE "PIRATAS" QUE ASSALTOU NAVIO NO MARAJÓ

A Polícia Civil prendeu, na noite de ontem, dia 20, um casal acusado de envolvimento em um grupo de assaltantes de embarcações, popularmente chamados de "piratas", responsável pelo assalto ao navio Luzeiro, em Muaná, na ilha do Marajó. As prisões foram realizadas por policiais civis da Delegacia de Polícia Fluvial (DPflu), unidade vinculada ao Grupamento Fluvial de Segurança Pública do Estado.   

PRESOS
Os presos são Waldir Alho Marques, de apelido "Pezão", e a companheira dele, Taiane Rodrigues Pinheiro. Waldir é um dos principais líderes do grupo de "piratas" conhecido como Família Caterpillar, que tem base no bairro da Pratinha, em Belém. O assalto ao navio ocorreu, na madrugada do último dia 12, quando a embarcação transportava 262 passageiros com destino à Belém. Na ocasião do crime, um passageiro de 59 anos chegou a se jogar na água em desespero e foi resgatado com vida depois de horas.

Durante o assalto, policiais militares, que viajavam como passageiros, chegaram a trocar tiro com os criminosos, mas não conseguiram impedir o roubo.

A pistola calibre ponto40 de um dos policiais foi roubada pelos "piratas". Após a fugas dos bandidos, a Delegacia de Polícia Fluvial iniciou as investigações e conseguiu prender em flagrante, no mesmo dia do crime, três pessoas e apreendeu oito armas de fogo longas, inclusive, um fuzil, usadas pelo bando. 

Além do armamento, a equipe da DPFlu apreendeu uma lancha, tipo voadeira, que foi usada no crime e recuperou diversos objetos roubados das vítimas do assalto ao navio. Os demais integrantes do bando fugiram. Durante as investigações do crime, explica o delegado Arthur Braga, titular da DPFlu, os policiais civis receberam informação de que integrantes do grupo de "piratas" estavam escondidos em uma quitinete localizada na Passagem Dois Amigos, Vila Saraiva, no bairro Pratinha II, em Belém.  

OBJETOS APREENDIDOS
Assim, os policiais civis foram até o local, onde esperaram o momento certo para fazer a abordagem. "Foi feita a entrega de uma pequena mudança no local. Após essa entrega, os policias fizeram a abordagem na residência", explica. No local, foi preso Waldir Alho Marques, de apelido "Pezão", e a companheira dele, Taiane Rodrigues Pinheiro. 

Durante a revista no imóvel, foram encontradas munições de pistola calibre .40, arma de uso restrito por lei a policiais, além de uma porção de maconha, uma balança digital usada para medir a droga, R$ 191,25 em dinheiro, uma caixa de som, um ventilador, um televisor de 32 polegadas e um aparelho celular, um aparelho tipo Pendrive, que foi roubado de um dos passageiros durante o assalto ao navio Luzeiro em Muaná. 

O objeto foi identificado, explica o delegado, porque contém diversos documentos descritos pela vítima e o nome do proprietário que registrou boletim de ocorrência na Delegacia. O casal permanece preso à disposição da Justiça.

POLÍCIA CIVIL PRENDE UNIVERSITÁRIO EM FLAGRANTE ACUSADO DE VENDER DROGAS EM FRENTE DE FACULDADE EM ALENQUER

A Polícia Civil divulgou, nesta quarta-feira, 21, as prisões de dois homens envolvidos nos crimes de tráfico de drogas e roubo, em Alenquer, oeste paraense. Um dos presos é o universitário Hebert Alan Barrozo, 29 anos, acusado de vender drogas em frente a uma faculdade no município. Ele foi flagrado no último sábado, quando depois que policiais civis receberam denúncias anônimas sobre a prática criminosa. Barroso é estudante do curso de Pedagogia e foi preso pela equipe policial em sala de aula.

UNIVERSITÁRIO PRESO
ACUSADO DE ASSALTO
Ao ser revistado, o acusado portava 16 petecas de drogas, das quais três de pó de cocaína e 13 de maconha e um telefone celular que usava para se comunicar com os compradores. O preso foi apresentado ao delegado Djalmo Nogueira que o autuou por tráfico de drogas. 

ASSALTO O outro preso, que estava com mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça por roubo, é Josenias Duarte dos Santos. Ele é acusado de envolvimento no assalto a um estabelecimento comercial no município. O crime ocorreu há um mês. Na ocasião, explica o delegado Edjalmo Nogueira, Josenias deu ajuda ao autor do assalto na fuga. O outro envolvido no crime está sendo investigado. Josenias vai permanecer preso à disposição da Justiça.

PRESO EM TRACUATEUA NO PARÁ EX-ASSESSOR DE PREFEITO AFASTADO NO MATO GROSSO DO SUL

As Polícias Civil e Militar cumpriram, nesta terça-feira, 20, o mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul contra Ronan Edson Feitosa de Lima, 38 anos, natural de Alto Araguaia (MT). Ele foi preso, em Tracuateua, nordeste paraense, em decorrência de mandado de prisão expedido pela Comarca de Mato Grosso do Sul. O preso é ex-assessor do prefeito afastado de Campo Grande, Gilmar Olarte, e é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro obtido em esquema de agiotagem. 

PRESO
Ele foi preso em Tracuateua, durante ação conjunta de policiais civis e militares de Tracuateua, mediante informação repassada pelo Núcleo de Inteligência Policial em apoio ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul.

O pedido de prisão preventiva foi expedido pelo desembargador Luiz Cláudio Bonassini em agosto deste ano. 

Ronan é réu na ação de corrupção passiva no caso dos cheques em branco em processo do qual responde também o ex-prefeito Olarte. Ronan foi preso por volta das 19 horas, quando foi abordado em um carro em frente a casa de familiares.

Ao ser abordado, ele não reagiu. Ronan de Lima foi encaminhado para a Superintendência da Polícia Civil em Capanema, onde está recolhido à disposição da Justiça do Mato Grosso do Sul.

Segundo o delegado Augusto Damasceno, a prisão de Ronan já foi comunicada ao Sistema Penitenciário do Pará, que ficou de providenciar a transferência do preso para uma Casa Penal, na região metropolitana de Belém, onde o preso vai aguardar o recambiamento para Campo Grande.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL DESARTICULA ESQUEMA CRIMINOSO DE VENDA ILEGAL DE MEDICAMENTOS EM BELÉM

A Polícia Civil divulgou, nesta segunda-feira, 19, a desarticulação de um esquema de venda ilegal do medicamento Pramil - versão alternativa do Viagra, remédio para disfunção erétil - que era colocado à venda na área do centro comercial de Belém. Denominada de "Hímeros", a operação foi resultado de investigações da equipe da Delegacia do Consumidor (DECON), vinculada à Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), que levaram à decretação de mandados de prisão de cinco pessoas acusadas do crime. As ordens judiciais foram expedidas pela 1º Vara de Inquéritos Policiais e Medidas Cautelares da Comarca de Belém. 

APREENSÃO
A delegada Vera Batista, titular da DECON, explica que as investigações iniciaram em fevereiro deste ano, após a unidade policial receber denúncia anônima feita ao fone 181, o Disque-Denúncia, sobre comércio ilegal de medicamentos. Diante das informações, a equipe policial passou a investigar com objetivo de identificar os acusados que estariam em um estabelecimento comercial na área do Mercado do Ver-O-Peso, no centro comercial de Belém. Durante as investigações, a equipe da DECON constatou que a existência de uma rede criminosa, formada por cinco pessoas que atuam em conjunto para aquisição dos medicamentos e depois cada um atuava na venda ilegal de medicamentos no comércio. 

Diante das provas, a delegada solicitou à Justiça as prisões preventivas dos acusados de envolvimento no esquema. No último dia 16, foram presos por ordem judicial quatro dos cinco acusados. O quinto acusado não foi encontrado. Os nomes dos indiciados não foram divulgados, pois a investigação continua em andamento. As investigações mostraram que os medicamentos eram enviados de Foz do Iguaçu, no Pará, para a capital paraense. Um dos integrantes do esquema, conhecido por Ivo, morador na cidade paranaense, recebia valores em dinheiro depositados em conta bancária e depois ficava responsável em enviar os medicamentos para Belém. 

Para tanto, Ivo utilizava caminhoneiros, que traziam os medicamentos direto para a capital paraense ou deixavam os produtos na cidade de São José do Rio Preto (SP) para outros caminhoneiros que concluíam a remessa para Belém. Os presos vão responder pelos crimes previstos no artigo 273, do Código Penal, parágrafo 1º-B, incisos I, V e VI, por falsificar, corromper, adulterar ou alterar produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais, com venda sem registro, quando exigível, no órgão de vigilância sanitária competente; de procedência ignorada e adquiridos de estabelecimento sem licença da autoridade sanitária competente. A pena é de reclusão de 10 a 15 anos. Também irão responder no artigo 288, caput, do Código Penal, por associação criminosa. A pena é de reclusão de 1 a 3 anos. 

Ainda, conforme a delegada, durante cumprimento de mandado de busca domiciliar, os policiais civis apreenderam na casa de um dos acusados 16 mil comprimidos do medicamento Pramil, que foi comprado por R$ 2,50 pelo grupo e foi repassado ao atravessador ao preço de R$ 14 cada unidade, porém o medicamento era oferecido no comércio a R$ 16. "Este mercado ilegal é muito lucrativo, contudo, ao contrário dos outros tipos de falsificações, a falsificação de medicamento pode causar risco à saúde da população, podendo levar à morte. Além de que a comercialização se dá em total desacordo com a legislação vigente", explica a policial civil. 

O Pramil é uma alternativa ao Viagra, por ser uma opção mais barata e menos conhecida, mas com o mesmo princípio ativo – o citrato de sildenafil. A delegada salienta que, além de não possuir registro no Ministério da Saúde, o medicamento é vendido fracionado por unidade, sem embalagem, sem apresentação de receita médica nem emissão de nota fiscal. Os produtos, detalha a titular da DECON, não contêm na embalagem as descrições obrigatória da composição, as indicações, o modo de usar e quando for o caso, as contra-indicações e advertências do produto em língua estrangeira, com a devida tradução.

POLÍCIA CIVIL PROMOVE PEREGRINAÇÃO DO CÍRIO DA CORPORAÇÃO NO CENTRO INTEGRADO DE OPERAÇÕES

A peregrinação da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, que faz parte da programação do 18º Círio da Polícia Civil, foi realizada, nesta segunda-feira, 19, na sede do Centro Integrado de Operações. A comissão de servidores públicos da corporação policial saiu, pela manhã, da sede da Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA), onde a imagem estava desde sexta-feira, com destino ao CIOP, na rua Cesário Alvim, bairro da Cidade Velha, em Belém. Na chegada, a imagem da padroeira dos paraenses, que foi conduzida pelo investigador Bandeira, da DATA, e repassada às mãos do sargento Walfredo Ferreira, do CIOP.

No CIOP
NO CIOP
Os servidores do Centro se reuniram no auditório do órgão responsável em recepcionar os acionamentos ao fone 190, do Sistema de Segurança Pública, para louvar à Nossa Senhora de Nazaré. Durante novena, eles oraram e entoaram cânticos para celebrar a passagem da peregrinação no local. A imagem vai permanecer no CIOP até esta terça-feira, dia 20, quando será levada para a Seccional Urbana do Comércio, no centro comercial de Belém.

A peregrinação vai encerrar na próxima sexta-feira, 23, quando a imagem será levada da Seccional Urbana do Guamá, com destino à Delegacia-Geral, em uma romaria rodoviária. A programação realizada por servidores públicos da Delegacia-Geral, conta com novenas diárias nas unidades policiais, sob coordenação da delegada Wildenyra Lima. O grupo promove também arrecadação de alimentos a serem doados à Casa de Plácido, instituição sem fins lucrativos, que visa ajudar os romeiros que vêm até Belém no período da festividade de Nossa Senhora de Nazaré.

CÍRIO DA POLÍCIA CIVIL O 18º Círio da Polícia Civil em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré será realizado no próximo domingo, dia 25. O evento vai iniciar com celebração de missa às 7 horas da manhã, na sede da Delegacia-Geral, na Avenida Magalhães Barata, em Nazaré. Após o final da cerimônia, será realizada a caminhada com a imagem da padroeira dos paraenses, em direção à Basílica-Santuário de Nazaré, em Belém. O evento já faz parte do calendário oficial de romarias da Arquidiocese de Belém. A caminhada sairá da Delegacia-Geral e depois segue pela Travessa Nove de Janeiro, Avenida Governador José Malcher, Avenida Generalíssimo Deodoro e Avenida Nazaré, em direção à Basílica-Santuário.

Este ano, o Círio da Polícia Civil tem como lema "Rogai Por Nós, Ó Mãe da Eucaristia", com base no tema do Círio de Nazaré "Salve Rainha, Mãe de Misericórdia". O Círio da Polícia Civil teve início em 1999 quando o então delegado-geral João Moraes criou uma celebração religiosa para proporcionar aos servidores seus familiares e amigos, uma oportunidade para louvar a Deus, homenageando a Mãe de Jesus, Nossa Senhora de Nazaré, a padroeira dos paraenses, pois no Círio oficial, os servidores da Polícia Civil estavam trabalhando na Segurança Pública. De lá pra cá, a cada ano, o Círio da Polícia Civil reúne maior número de pessoas, não só servidores da corporação como também da comunidade em geral.

POLÍCIA CIVIL APREENDE MAIS DE 430 QUILOS DE MACONHA DO TIPO "LIMÃOZINHO" EM SANTA ISABEL DO PARÁ

A Polícia Civil apreendeu, na noite deste domingo, 18, durante operação conjunta de policiais civis da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) e da Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), em Santa Isabel do Pará, nordeste paraense, cerca de 430 quilos de maconha prensada. A droga era transportada no interior de um caminhão, tipo baú, que foi abordado pela equipe policial na rodovia BR-316. No momento da abordagem, o motorista do veículo abandonou o veículo na estrada e saiu em fuga por um matagal.

APREENSÃO
Sob coordenação do delegado Hennison Jacob, titular da DRE, a equipe policial recebeu informações sobre o transporte da droga do interior do Estado em direção à região metropolitana de Belém. Diante disso, os agentes saíram em diligência em busca de interceptar o veículo que era usado para conduzir a carga. Durante a abordagem policial, o motorista não parou e tentou fugir no caminhão pela estrada, porém, mais adiante, após acabar o combustível, ele abandonou o veículo na estrada e fugiu pela mata às margens da estrada federal. 

Dentro do compartimento de transporte de cargas, os policiais civis encontraram o carregamento de "limãozinho", um tipo de maconha modificada em laboratório para deixar mais forte o efeito alucinógeno da droga. Ao todo, três equipes de policiais civis estiveram em atuação na operação que resultou em uma das maiores apreensões de drogas do ano. A apreensão foi levada para a sede da DRE na rodovia Mário Covas, em Ananindeua, onde foi lavrado o Auto de Apreensão do entorpecente e requisição de perícia ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves. 

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL APREENDE ANIMAIS MANTIDOS EM CATIVEIRO ILEGAL NO DISTRITO DE MOSQUEIRO EM BELÉM

A Polícia Civil apreendeu, na tarde desta quinta-feira, 15, mais de 40 animais em situação irregular em uma propriedade situada em um ramal perto da estrada de acesso à praia do Chapéu Virado, no distrito de Mosqueiro, em Belém. A ação policial foi coordenada pela Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA) em parceria com o Ministério Público do Estado. Foram apreendidos 33 galos com sinais visíveis de maus-tratos. No local, foram apreendidos ainda dez quelônios, dos quais nove jabutis e uma perema - espécie de cágado, aninais da fauna silvestre que eram mantidos em cativeiro no local sem autorização. 

Munição, quelônios e galos apreendidos em cativeiro
ARMA, MUNIÇÃO E ANIMAIS APREENDIDOS
Além dos animais, mais de 200 munições de calibres como 9 mm e 38 e uma arma de fogo foram apreendidos no local. Os policiais civis apreenderam ainda 240 sacas de carvão. Um funcionário do criadouro foi conduzido para a Seccional Urbana de Mosqueiro, para prestar esclarecimentos. Conforme o delegado Luís Xavier, diretor da DEMA, havia no local mais de 100 galos guardados em caixas chamadas de baias, em espaços individualizados, antibióticos, esporas artificiais e uma rinha, o que reforça as suspeitas do uso desses aninais em rinhas de briga de galos. 

Conforme o delegado, a apreensão é resultado de investigação da DEMA realizada em trabalho conjunto com a promotora de Justiça de Mosqueiro, Ociralva Tabosa, após denúncia repassada ao MPE sobre suposta prática de rinha de galo no local. O proprietário do local, segundo o funcionário, está viajando, mas já foi identificado e deverá ser intimado a prestar esclarecimentos. Os animais apreendidos foram encaminhados para uma propriedade no nordeste do Pará. As investigações para apurar crimes ambientais praticados no local prosseguem.

OPERAÇÃO MIRITI PRENDE FORAGIDOS NA ÁREA CENTRAL DE BELÉM

As Polícias Civil e Militar, em conjunto com a Guarda Municipal de Belém, realizaram a ação denominada "Miriti", que faz parte da Operação Belém Segura, nas áreas dos bairros da Campina e Cidade Velha, área de abrangência da Seccional Urbana do Comércio, centro de Belém. No total, 78 pessoas foram abordadas, das quais 11 estavam com mandados de prisão ou de recaptura decretados pela Justiça por envolvimento em crimes diversos, como roubos, tráfico de drogas e homicídio. Oito delas permaneceram presas após consulta ao Judiciário, pois os mandados de prisão permaneciam em aberto. 

Seccional do Comércio
SECCIONAL DO COMÉRCIO
Titular da Seccional do Comércio, a delegada Flávia Leal explica que a ação foi elaborada levando em consideração os casos de homicídios registrados nos últimos meses na área. Foram, ao todo, cinco mortes nos últimos dois meses, de pessoas em situação de rua. A ação policial também teve meta de atender ainda a demanda de ocorrências de crimes contra o patrimônio, como roubos e furtos, que tendem a aumentar com a aproximação da festa do Círio de Nazaré, em outubro, quando o número de pessoas circulando na área central da capital paraense aumenta, principalmente, nos espaços públicos, como praças, e área comercial. 

Diante disso, explica a policial civil, as equipes policiais se reuniram na Seccional e iniciaram a operação por volta de 16 horas desta quinta-feira. O trabalho foi encerrado por volta de 3 horas da madrugada desta sexta-feira, 16. Os agentes abordaram e revistaram moradores em situação de rua que foram levados à Seccional para identificação e verificação da situação de cada um junto ao Poder Judiciário. Dentre os que ficaram presos, há casos de presos que estavam indiciados em processos criminais, porém tinham paradeiro desconhecido, e outros que fugiram de prisões. 

Entre os presos, há foragidos de Bragança e Breves, no Pará, e até um foragido do Amapá identificado como Jairo Souza Chagas, acusado de homicídio nesse Estado. "A ideia é continuar a operação nesses espaços públicos fazendo a abordagem e a checagem das pessoas que estão utilizado esses espaços como moradia e retirando do meio dos moradores de rua aqueles que têm passagem pela Polícia e que estão com prisão decretada", explica Flávia Leal, ao ressaltar que a meta é estender a operação por toda área comercial de Belém. Após serem identificados, os presos foram encaminhados a exame de corpo de delito no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e depois colocados à disposição da Justiça em unidades do Sistema Penitenciário do Pará. 

POLÍCIA CIVIL PROMOVE COMPLEMENTAÇÃO DA VACINAÇÃO DOS SERVIDORES DA DELEGACIA-GERAL

A Polícia Civil vai promover nova campanha de vacinação, na próxima terça-feira, 20, voltada à complementação das doses iniciais contra a Hepatite B e Tétano que foram ministradas aos servidores da corporação policial, nos dias 14 e 15. A atividade faz parte das ações da Diretoria de Atendimento ao Servidor da Polícia Civil (DAS) voltadas ao bem-estar dos profissionais da Segurança Pública. As doses complementares serão aplicadas no auditório B, da Delegacia-Geral. Na terça e quarta-feira, foram ministradas 80 doses das vacinas contra as doenças durante a campanha.

Vacinação na Delegacia-Geral
CAMPANHA DE VACINAÇÃO NA DELEGACIA-GERAL
Para receber as doses complementares, os servidores da Polícia Civil deverão apresentar a caderneta de vacinação. A delegada Leomar Maués, titular da DAS, explica que a campanha de vacinação dos servidores públicos da Polícia Civil vem sendo promovida ao longo do dias deste ano. Na terça-feira passada, a DAS esteve na Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA) e na Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) do Tenoné, em Icoaraci.

A ação foi coordenada pela equipe da Diretoria de Atendimento ao Servidor e faz parte das ações itinerantes da Diretoria que visam levar atendimentos de saúde ao local de trabalho dos funcionários públicos da Polícia Civil. As ações itinerantes voltadas aos servidores da corporação irão continuar.

POLÍCIA CIVIL CUMPRE MANDADO DE PRISÃO DE FORAGIDO DE MATO GROSSO EM TUCUMÃ NO PARÁ

A Polícia Civil capturou, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, o foragido José Meck de Sousa, durante operação policial, ontem, na cidade de Tucumã, no sudeste paraense. Ele tem mandado de prisão decretado pela Justiça em Alto Taquari, no Estado de Mato Grosso, onde responde a processo criminal por estupro. De acordo com o delegado William Crispim, titular da Delegacia de Tucumã, o mandado de prisão se refere a um crime cometido em 2013 naquela cidade mato-grossense. 

PRESO
Ele explica que, de posse da ordem de prisão, o investigador Antonio Vasconcelos e o escrivão de Polícia Douglas Oliveira, sob coordenação do delegado, seguiram até o endereço em que estava o acusado. Ao ser encontrado, ele tomou ciência da ordem de prisão decretado e foi conduzido para a Delegacia, onde foi feita a comunicação do cumprimento da ordem judicial. O preso está recolhido no aguardo de recambiamento ao Estado de Mato Grosso.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL PUBLICA PORTARIA QUE PROÍBE FESTAS E VENDA DE BEBIDAS ALCOÓLICAS NAS ELEIÇÕES

A Polícia Civil já publicou a portaria de número 064/2016 que trata da proibição de venda e fornecimento de bebidas alcoólicas em todo o território do Pará no próximo dia 2 de outubro quando será realizado o pleito das eleições municipais. A mesma medida irá valer em caso de segundo turno no próximo dia 30 de outubro. A portaria proíbe a venda e o fornecimento, ainda que gratuito, de bebidas alcoólicas em bares, restaurantes, lanchonetes, trailer, quiosques, boates e outros estabelecimentos comerciais similares, bem como por vendedores ambulantes, no período entre meia-noite e 18 horas no dia de votação. 


A determinação proíbe também a realização de festas dançantes em clubes, casa de shows, boates, bares e similares no mesmo período. O delegado Silvio Maués, diretor de Polícia Especializada, explica que a proibição da venda de bebidas alcoólicas, no dia da votação, é específico para estabelecimentos com comércio do produto para consumo imediato, como bares, lanchonetes e outros, não atingindo supermercados, por exemplo, onde a venda, em tese, não é para consumo imediato. Quem comprar, por exemplo, bebidas no dia anterior ao pleito eleitoral, para consumir em casa, no dia 2 de outubro, não estará em desacordo com a portaria. 

Da mesma forma, explica o delegado, a Divisão de Polícia Administrativa (DPA), da Policia Civil, não irá fornecer licenças para festas dançantes, no período de meia-noite às 18 horas, do dia 2 de outubro. No caso de descumprimento, quem for flagrado vendendo ou fornecendo gratuitamente bebidas alcoólicas no dia do pleito eleitoral, está sujeito a responder por desobediência. Se for dono de ponto comercial, como bar, lanchonete ou boate, poderá também ter o estabelecimento fechado. A portaria pode ser alterada por determinação do Tribunal Regional Eleitoral. Qualquer pessoa que presenciar alguém vendendo ou fornecendo bebidas alcoólicas, pode denunciar anonimamente através do telefone 181 (disque-denúncia).



quarta-feira, 14 de setembro de 2016

POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADO DE ATIRAR E MATAR UNIVERSITÁRIA DURANTE ASSALTO EM OUTEIRO

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira, 14, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, Armando Matheus Pinheiro Leite, 18 anos, que confessou ter dado um tiro que resultou na morte da estudante universitária Ingrid Fabiana da Cruz, 21, no último dia 5, no distrito de Outeiro, em Belém. Ele foi preso, no momento em que estava em um salão de beleza, em Outeiro, por policiais civis da Delegacia de Homicídios de Icoaraci, e conduzido até a Divisão de Homicídios. Além dele, está preso Jonas Douglas Reis Rezende, 21, que juntamente com Armando é dono da arma usada no crime. 

JONAS DOUGLAS E ARMANDO MATHEUS: PRESOS
Conforme o delegado Renato Wanghon, titular da DH, o nome dele  passou a figurar nas investigações após a detenção de Alberto Saulo Nascimento, 18 anos, que foi apontado inicialmente como suspeito do crime, mas que, no decorrer da investigação, foi descartada sua participação no crime. Contudo, ao ser preso, por cumprimento de mandado de busca e apreensão, Nascimento declinou que Jonas Douglas seria o autor do crime. No entanto, outra informação apurava dava conta de que Armando Matheus é que seria o responsável pelo disparo que resultou na morte da estudante, enquanto tentava levar a bolsa da vítima. As imagens do crime registradas por uma câmera de segurança e que foram divulgadas pela imprensa contribuíram para a identificação do acusado. 

Em depoimento, ele relatou que no dia anterior havia se encontrado com Jonas, que é dono de um ponto de tráfico de drogas em Outeiro, para pegar uma arma para praticar um assalto. No dia seguinte, após ter consumido drogas, segundo Armando, pegou sua bicicleta e saiu por uma rua em Outeiro, até visualizar a estudante parada falando ao celular em frente da própria casa. Segundo ele, no momento em que abordou a vítima para levar a bolsa, a estudante reagiu para impedir que o assaltante levasse a bolsa, partindo aos tapas em sua direção. Foi então, segundo ele, que houve o disparo. Ele vai responder pelo crime de roubo qualificado com resultado morte e ficará preso à disposição da Justiça. 


segunda-feira, 12 de setembro de 2016

SISTEMA DE SEGURANÇA APRESENTA ARMAS E MATERIAIS USADOS POR BANDO QUE ASSALTOU EMPRESA PROSEGUR EM MARABÁ

O Sistema de Segurança Pública apresentou nesta segunda-feira, 12, parte do armamento e de objetos utilizados pela associação criminosa que assaltou a empresa Prosegur, no último dia 5, em Marabá, sudeste paraense, além de um acusado de envolvimento no crime. Foram apreendidos três fuzis AR15, um fuzil H47 e uma pistola ponto 40; objetos conhecidos como "miguelitos", objetos em formato de cruz formados por pregos entrelaçados usados para furar pneus de viaturas; uma serra do tipo "maquita", usada para cortar o cofre; uniformes camuflados e dinamites usadas na explosão que destruiu parte do prédio da empresa de transporte de valores durante a ação criminosa. 


Além desse material, foram apreendidos em poder do preso, o maranhense Antônio Rangel Duarte Lima, 34 anos, conhecido como "Bin Laden", 120 tabletes de maconha e a quantia de R$ 301 mil reais, parte do dinheiro roubado da empresa. A prisão foi realizada na última sexta-feira, dia 9, em uma chácara localizada na fronteira do Pará com o Maranhão, na região de Dom Eliseu, nordeste paraense. Segundo o delegado-geral Rilmar Firmino, o preso é natural da cidade de Estreito, no Maranhão, e já respondia por roubo a banco nos Estados do Pará, Maranhão e Tocantins. 

Secretário Jansen e delegado-geral Rilmar Firmino falaram sobre operação
COLETIVA DE IMPRENSA
O secretário de Segurança Pública do Pará, Jeannot Jansen, destacou a periculosidade do armamento utilizado pelos criminosos durante a ação. "Eles utilizaram armas pesadas, de uso restrito das forças armadas, que em caso de confronto com a Polícia em uma área urbana, causariam pânico e colocariam toda população em risco", destaca. As investigações são presididas por policiais civis da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e contam com apoio da Superintendência de Marabá, do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), e da Polícia Militar, por meio do Comando de Operações Especiais (COE) e do Comando de Policiamento Regional de Marabá.