sexta-feira, 3 de julho de 2015

POLÍCIA CIVIL PRENDE 14 POR TRÁFICO DE DROGAS DURANTE OPERAÇÃO EM IGARAPÉ-AÇU

A Polícia Civil deflagrou, nesta sexta-feira, 3, a operação Tentáculos, para reprimir o tráfico de drogas, na cidade de Igarapé-Açu, nordeste paraense. No total, 14 pessoas foram presas para responder por associação criminosa, tráfico de drogas, homicídio e dano qualificado. Sob comando do delegado Luís Xavier, titular da Superintendência da Região Integrada de Segurança Pública (RISP) Guamá, a ação policial teve por objetivo cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão domiciliar expedidos pelo juiz Antonio Koury, da Comarca de Igarapé-Açu. As ordens judiciais foram expedidas a partir de investigações relacionadas a pontos de venda de drogas no município realizadas pela equipe da Delegacia de Igarapé-Açu, sob coordenação do delegado Marcos Cruz. 

PRESOS
Durante o cumprimento dos mandados judiciais, as equipes de policiais civis prenderam Antonio Denis Costa Corrêa, 25 anos; Sandro Beker Neves Padilha, 30; Antônio Gean da Silva Freitas, 21; Walter Dan Costa Pereira Filho, 22; Silvia Cristina da Costa, 27; Valcira do Socorro Barros de Oliveira, 35; Maria Sofia Soeiro, 47; Osmarino Costa Melo, 45; Aldemir Lima Pinto, 42; Walisson Antonio Figueiredo Leal, 19; Antonio Junior Nogueira de Souza, 20; Luiz Herlone Santos Cruz, 49; Giovani Oliveira da Mota, 21, e Antonio Rodrigues da Silva Sobrinho, 49. Os presos foram conduzidos para a sede da Polícia Civil em Castanhal. 

Apreensões
APREENSÕES
Durante a operação, foram apreendidas duas armas de fogo; munições de diversos calibres; papelotes de maconha do tipo conhecido como "limãozinho"; telefones celulares; mais de R$ 3 mil em dinheiro; balança digital de precisão usada na pesagem da droga e substâncias usadas no preparo e distribuição de entorpecentes, como barrilha, solução de bateria, sacos plásticos e outros. Ao todo, 45 policiais civis e cinco policiais militares com apoio de 17 viaturas participaram da operação. Estiveram em atuação policiais que trabalham na Seccional de Jaderlândia em Castanhal; Delegacia de Homicídios; Delegacia da Mulher; e Delegacias de Marudá; Santa Maria do Pará; São Caetano de Odivelas; Santo Antônio do Tauá; Vigia de Nazaré; Santa Izabel do Pará; Concórdia do Pará; Maracanã; Bujaru; Magalhães Barata e Terra Alta.

POLÍCIA CIVIL PROMOVE AÇÃO ALUSIVA AO DIA NACIONAL DE COMBATE À DISCRIMINAÇÃO RACIAL

A equipe da Delegacia de Combate a Crimes Discriminatórios e Homofóbicos (DCCDH), unidade vinculada à Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis, da Polícia Civil, promoveu, nesta sexta-feira, 3, na praça da República, em Belém, uma programação de esclarecimento e orientação da sociedade alusiva ao Dia Nacional do Combate à Discriminação Racial. A ação da DCCDH teve por objetivo informar as comunidade sobre os serviços prestados pela Delegacia e conscientizar as pessoas sobre a cultura da aceitação e do respeito às diferenças raciais. 



Durante o evento, a equipe da DCCDH fez a distribuição de material informativo e prestou informações à comunidade sobre a discriminação racial. Segundo a delegada Rosangela Gouvea, diretora da DCCDH, a ação denominada “A Praça é de todas as Cores” faz parte do projeto “Orientar para Erradicar o Racismo”, da Delegacia. "Queremos demonstrar que uma sociedade, que sabe conviver com as diferenças, independentemente da cor da pele, e que aceita cada indivíduo com suas características próprias, é uma sociedade evoluída", detalha. 

Durante o evento, a equipe da DCCDH chamou a atenção das pessoas quanto ao crime de racismo e a importância da denúncia dos casos. "Hoje, o racismo é um crime inafiançável e imprescritível", salienta. A delegada ressalta que é fundamental o acesso às informações relacionadas à violência contra o racismo ao público para alertar sobre as consequências desses crimes.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

POLÍCIA CIVIL É HOMENAGEADA DURANTE SOLENIDADE PELO DIA NACIONAL DOS BOMBEIROS

A Polícia Civil foi uma das instituições homenageadas, nesta quinta-feira, 2, durante a cerimônia, em alusão aos 159 anos do Corpo de Bombeiros Militar no Brasil, realizada no quartel do Comando Geral do Corpo de Bombeiros do Pará, em Belém. Durante o evento, foi feita a entrega da Medalha do Mérito Bombeiro Militar Dom Pedro II a 75 personalidades civis e militares que contribuíram com relevantes serviços ao Corpo de Bombeiros do Pará. Entre elas, o delegado-geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino de Souza; o diretor da Secretaria de Inteligência e Análise Criminal da Segup, delegado Rogério Morais; o diretor do Grupamento Fluvial de Segurança Pública, delegado Dilermando Dantas, e o delegado Raimundo Benassuly. 

Governador entrega comenda ao delegado-geral Rilmar Firmino
SIMÃO JATENE ENTREGA COMENDA AO DELEGADO-GERAL
A cerimônia cívico-militar contou com a presença do governador do Estado, Simão Jatene; do Secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Jeannot Jansen; do general-de-Brigada Antônio César Rocha; do vice-almirante Edlander Santos; do comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Nahum Fernandes, dentre outras personalidades civis e militares. “O Corpo de Bombeiros é uma corporação que sempre prestou um enorme serviço ao nosso Estado, pois são heróis. Heróis estes que presam pelo nosso bem maior, a vida. Quero dizer um muito obrigado a todos os que fazem parte do CBMPA. A profissão de Bombeiro não é só uma opção de vida, mas um estilo de vida. Através de mim, recebam o agradecimento de toda a sociedade paraense”, disse o governador Simão Jatene. 

Ainda, durante a cerimônia, foram entregues pelo governador do Estado ao CBM, 10 veículos de combate a incêndios florestais, seis deles com capacidade para 4 mil litros de água e outros quatro com capacidade de 10 mil litros d’água. Todos foram adquiridos com recursos do BNDES e do Governo do Estado. Ainda foram entregues, na solenidade alusiva ao Dia Nacional do Bombeiro, três viaturas de resgate e outras três viaturas de auto rápido (Ranger). As viaturas serão distribuídas nos quarteis de Altamira, Castanhal, Santarém, Itaituba, Tucuruí, Redenção, Tailândia, Abaetetuba, Parauapebas e Paragominas. No evento foi realizado ainda o juramento dos novos monitores voluntários do PEV, baseado nos valores do Corpo de Bombeiros do Pará e Programa PROPAZ. A cerimônia cívica militar foi encerrada após o desfile de tropa da corporação do Pará, com participação dos alunos do Programa Escola da Vida e do Projeto Reviver.

POLÍCIA CIVIL PROMOVE CICLO DE DEBATES SOBRE INTERVENÇÃO POLICIAL E AUTO DE RESISTÊNCIA EM MARABÁ

A Corregedoria-Geral e a Academia da Polícia Civil realizaram, nesta quinta-feira, 2, o primeiro ciclo de debates voltado a policiais civis e militares, que atuam em Marabá, sudeste do Pará, para debater o tema "Intervenção Policial com Evento Morte versus Auto de Resistência”. O evento seguiu os mesmos moldes do ciclo de debates realizado em abril em Belém. Estiveram presentes dezenas de profissionais da área de Segurança Pública, no auditório da Seccional Urbana de Marabá. A abertura da programação foi presidida pela delegada Liane Martins, corregedora-geral da Polícia Civil. 

Ela explicou que a iniciativa visa orientar e informar os profissionais sobre os procedimentos que deverão ser adotados, pelos agentes de Segurança Pública, após o registro de morte de suspeitos de crimes durante o atendimento a ocorrências policiais. O encontro teve por objetivo ainda repassar aos policiais informações sobre as portarias do Ministério Público e dos Direitos Humanos, a respeito do auto de resistência, quando um suspeito reage à abordagem policial. A proposta do evento, além de informar, é discutir os temas e esclarecer dúvidas para adotar padrões de procedimentos que não prejudiquem os agentes públicos e que estejam dentro da legalidade. 

Dessa forma, destacou Martins, a meta sera desenvolver práticas que visem melhorar o desempenho dos policiais na busca da eficiência no serviço prestado à sociedade. O ciclo de debates contou com palestra inicial da especialista em segurança pública e direitos humanos, Magdala de Souza, que apresentou as “Portarias, Resoluções e Decretos que disciplinam o Uso da Força”. Logo em seguida, a delegada Márcia Raiol Lima, corregedora da Polícia Civil na Região Metropolitana de Belém, entrou no tema “Intervenção Policial com Evento Morte versus Auto de Resistência”. O Ministério Público apresentou discussão sobre o “Enfrentamento à Morte Decorrente de Intervenção Policial”.

POLICIAIS CIVIS CONCLUEM CURSO DE SEGURANÇA E PROTEÇÃO DE AUTORIDADES EM BELÉM

A Polícia Civil já conta com mais dois policiais civis formados no Curso de Segurança e Proteção de Autoridades. Os investigadores Durval Gondim e Thiago Sepeda, que atuam no GPE (Grupo de Pronto-Emprego), grupamento tático da Polícia Civil, concluíram o treinamento e estão aptos a exercer a atividade. 

Policiais civis concluem curso no Exército
POLICIAIS CIVIS CONCLUEM CURSO
Com 25 dias de duração, o curso foi coordenado pelo Exército Brasileiro e realizado na 15ª Companhia em Belém, destinado a formar profissionais da área de Segurança Pública a atuar na proteção de autoridades de alto escalão, como presidentes da República, ministros e governadores. 

Durante o curso, os policiais civis tiveram aulas teóricas e práticas, como tiro tático, defesa pessoal, rapel, uso de bombas e explosivos, resgate aquático e técnicas de segurança de autoridades. De parabéns aos policiais civis pela conclusão do Curso.

POLÍCIA CIVIL VAI PROMOVER AÇÕES DE CIDADANIA PARA EMISSÃO DE CARTEIRAS DE IDENTIDADE NO SUDESTE PARAENSE

A Polícia Civil, por meio da Assessoria de Relações Interinstitucionais (Arin), esteve em visita para audiências públicas e reuniões com a comunidade, em Marabá, Canaã dos Carajás e Parauapebas, sudeste do Pará, nos últimos dias. Nos encontros, o titular da Arin, assessor Luiz Monteiro Junior, e equipe da Assessoria, reuniu-se com lideranças comunitárias e representantes da área comercial e política, dos municípios, para tratar da promoção de ações de cidadania e prestar orientações a jovens e idosos. Após os encontros, ficou definida a realização de ações de cidadania para emissão de carteiras de identidade nos próximos meses.

Segundo Junior, serão realizados mutirões para expedição dos documentos durante dois dias, em cada cidade, restando ainda definir em qual mês o evento será realizado. As ações fazem parte do projeto de interiorização da Arin, unidade da Polícia Civil voltada a promoção de atividades para integrar a Polícia Civil e a comunidade. 


Em Marabá, a equipe da Arin reuniu-se com os delegados Marcelo Delgado, Simone Felinto e Ana Paula Matta, respectivamente, superintendente da Polícia Civil; diretora da Seccional de Marabá e diretora da Delegacia da Mulher de Marabá. Eles vieram se inteirar das ações voltadas à Segurança Pública no município. Ainda, em Marabá, a equipe da Arin reuniu-se com representantes das comunidades de Morada Nova e São Félix, e com dirigentes do Clube de Diretores Lojistas. Em Parauapebas, foi realizada reunião com representantes da Polícia Civil, da Secretaria de Segurança Pública, com diretores do Clube de Dirigentes Lojistas, Prefeitura Municipal de Parauapebas, Poder Judiciário e a comunidade na sede do CDL. 

ENCONTRO NA NOVA UIPP DE CANAÃ DOS CARAJÁS
NOVA UIPP Já em Canaã dos Carajás, a equipe da Arin visitou as novas instalações da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP), que será brevemente inaugurada. Na ocasião, estiveram presentes lideranças comunitárias, dirigentes sindicais, representantes de escolas, vereadores e membros da Associação Comercial e Industrial, para prestar esclarecimentos e orientações sobre o funcionamento da nova unidade policial, onde estão em atuação, no mesmo espaço, as Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e atendimento social. Ainda, no município, foi realizada uma reunião na sede da Associação Comercial, Industrial e Agropastoril de Canaã dos Carajás, em que estiveram servidores da Polícia Civil, representantes da OAB e da Câmara Municipal. 

quarta-feira, 1 de julho de 2015

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR PRENDEM 7 ENVOLVIDOS EM CRIMES EM VIGIA DE NAZARÉ

As Polícias Civil e Militar capturaram sete pessoas envolvidas nos crimes de violência doméstica contra mulher, receptação de roubo, tentativa de homicídio e roubo em residência, durante operação integrada, em Vigia de Nazaré, nordeste paraense. As prisões foram realizadas no último dia 29, para marcar o encerramento das festas juninas e início das férias de julho. Um dos presos é Manoel de Jesus Ferreira Gomes acusado de fazer ameaças de morte à própria companheira. Ele foi preso depois que a mulher o denunciou à Polícia. Conforme o delegado, a vítima contou que já havia sido agredida fisicamente pelo companheira, em outras ocasiões, mas que somente após a última ameaça resolveu denunciá-lo. Outro preso é Waldimar Sousa dos Santos, acusado de vender uma moto com registro de roubo. 

Procedimentos foram realizados na UIPP de Vigia de Nazaré
UNIDADE INTEGRADA PRO PAZ DE VIGIA DE NAZARÉ
O crime chegou ao conhecimento da Polícia Civil depois que a pessoa que comprou a moto desconfiou que o veículo fosse roubado. Segundo o delegado, Waldimar estava influenciando de boa-fé a vítima a comprar a moto. Após o comprador da moto procurar a Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) de Vigia de Nazaré, a equipe policial constatou que se tratava de uma moto roubada. Assim, os policiais civis saíram à procura do acusado até localizá-lo. Foram presas, por tentativa de homicídio, as irmãs Keyciane Patricia e Kelly Patricia Ferreira da Silva. Durante um acerto de contas, as duas tentaram matar a facadas e golpes de gargalo de garrafa um desafeto. 

A vítima procurou a UIPP para denunciar as criminosas que foram presas logo em seguida. Segundo o delegado Alexandre Lopes, o crime foi praticado após bebedeira em que as partes se envolveram em uma briga generalizada. Outras três prisões foram realizadas, por policiais militares, após briga generalizada em um bar. No local, foram presos os irmãos José Raimundo Pureza de Souza e José Rochelle Pureza de Souza e Abenildo Araújo da Silva. Com eles, facas, paus e pedras foram encontradas. Após prendê-los, os policiais receberam denúncias de que os três teriam invadido duas casas para tentar encontrar um suposto inimigo. Em uma delas, onde estava apenas a mãe do procurado, eles resolveram roubar eletrodomésticos. Os presos estão recolhidos à disposição da Justiça.

POLÍCIA CIVIL APREENDE 400 MIL CIGARROS CONTRABANDEADOS NA ORLA DE ICOARACI

A Polícia Civil apreendeu, na madrugada desta quarta-feira, 1º, 42 caixas de cigarros contrabandeados que eram transportadas em uma embarcação na baía do distrito de Icoaraci, em Belém. No total, foram mais de 400 mil cigarros apreendidos. Três homens que estavam transportando o material foram presos em flagrante e conduzidos para a sede da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), em Belém. 



A embarcação foi levada para a sede do Grupamento Fluvial de Segurança Pública, onde está apreendida à disposição da Justiça. Segundo o delegado André Costa, titular da DRCO, os produtos apreendidos não apresentavam documentação fiscal, para comprovar a procedência. A embarcação foi abordada, por volta de 1 hora, enquanto navegava em um trecho da baía de Icoaraci. 

Durante a revista, as caixas de cigarros foram encontradas na área de cargas da embarcação, que não apresentava qualquer nome. Os tripulantes do barco são Ivanildo Maués Gomes, José Raimundo de Aquino e Benedito Aluísio Maia de Souza. As suspeitas são de que eles tenham conduzido a carga desde o Suriname, pois se trata da rota mais frequente desse tipo de produto na região Norte. Os presos vão responder por crime descaminho e associação criminosa.

POLÍCIA CIVIL E SEMAS DESARTICULAM ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA ENVOLVIDA EM FRAUDES DE CRÉDITOS FLORESTAIS NO PARÁ

Uma operação denominada “Crashwood”, realizada em parceria pela Polícia Civil do Pará e a Secretaria de Meio-Ambiente e Sustentabilidade (Semas), resultou nas prisões de dez pessoas, em Belém e interior do Estado, acusadas de envolvimento em uma esquema que fraudava dados de valores em créditos florestais no Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora). Até o final da manhã, sete pessoas haviam sido conduzidas para a sede da Delegacia-Geral da Polícia Civil, na Avenida Magalhães Barata, em Belém. Iniciadas em fevereiro deste ano, as investigações apontaram um desvio superior a R$ 400 milhões em créditos de produtos florestais (valores revertidos a projetos de manejo florestal em áreas de floresta nativa aprovados pela Secretaria). 

As informações sobre as investigações foram repassadas durante entrevista coletiva na Delegacia-Geral, em que estiveram presentes o secretário adjunto de Gestão Operacional, Hilton Benigno; o delegado-geral, Rilmar Firmino; os delegados Marcos Miléo e Fernando Rocha, responsáveis pela operação policial; o secretário adjunto da Semas, Thales Belo, e o superintendente regional do Ibama, Hugo Américo. O trabalho investigativo contou com as parcerias do Ministério Público do Estado, por meio do promotor de Justiça Carlos Stilianidi, e do Tribunal de Justiça do Estado, por meio do juiz Flávio Sanchez, da 1ª Vara de Inquéritos Policiais e Medidas Cautelares, responsável em expedir os mandados judiciais de prisão e de busca e apreensão. 

A operação teve início, por volta de 5h30, quando as equipes policiais saíram da Delegacia-Geral para dar cumprimento a 11 mandados de prisão e de busca e apreensão. Além de Belém, a operação foi realizada em Castanhal, Uruará, Tucuruí e Itaituba. No total, 60 policiais civis participaram da operação, entre equipes do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), e de Divisões Especializadas. Durante a operação, duas pistolas calibres 380; um revólver calibre 38 e uma escopeta 12 foram apreendidas em posse de acusados de envolvimento no esquema e, assim, eles também irão responder por posse ilegal de arma de fogo. 

De acordo com Marcos Miléo, as investigações tiveram início, há quatro meses, quando foi constatada pelo Ibama a inserção fraudulenta de 121.391,300 metros cúbicos (m3) de madeira em créditos florestais no Sisflora em nome da empresa Madeireira Sagrada Família. Parte dos créditos chegou a ser vendida para empresas do ramo madeireiro, provavelmente, desacompanhados do produto florestal respectivo. Conforme o delegado, os créditos foram utilizados para “esquentar” madeiras de desmatamento ilegal no interior do Estado. As investigações mostraram que, por ocasião das fraudes, conforme a Totalização de Entradas e Saídas no Sisflora, o saldo da madeireira Sagrada Família, que ficaria em 124.902,09 metros cúbicos em créditos florestais, teve acrescentados, de forma ilegal, 121.391,300m3 de madeira serrada. 

A partir dessa constatação, detalha o policial civil, a comercialização dos créditos foi feita da seguinte forma: 117.621,58m3 foram objetos de Documento de Venda de Produtos Florestais (DVPF), por parte da empresa investigada, a empresas de fora do Pará. Além disso, foram emitidas Guias Florestais para empresas no Pará, nas quais 3.510,79m3 estavam na pasta da Madeireira Sagrada Família e outros 3.769,72m3 foram repassados aos créditos obtidos mediante fraude. Além da Sagrada Família, outras 11 madeiras são citadas nas investigações como sociedades empresariais às quais foram emitidas as Guias Florestais. 

Nas investigações, salienta Marcos Miléo, uma das empresas alegou ter recebido a madeira, e não só os créditos, proveniente da madeireira Sagrada Família, no montante de 800m3 de Ipê. “Seriam necessários 20 caminhões com a carga, trafegando e chegando ao local simultaneamente, para fazer o transporta de tanta madeira”, detalha. Assim que houve a constatação do esquema, os DVPFs emitidos foram bloqueados no sistema pelo órgão ambiental para impedir o prosseguimento da comercialização dos créditos. O delegado Marcos Miléo detalha que a operação está em sua segunda fase. Na primeira fase, foi presa uma ex-servidora da Semas, acusada de ter lançado os créditos fraudulentos na pasta da madeireira Sagrada Família no Sisflora. 

Também foi preso o então dono do empreendimento, em Pacajá, sudeste do Pará. “No decorrer das investigações, apuramos que se trata de um grupo criminoso ramificado que compra de empresas 'fantasmas' e as coloca em nome de terceiros como 'laranjas', onde transacionam créditos de forma ilegal até que o empreendimento seja bloqueado no Sistema e assim, partem para o próximo empreendimento a ser fraudado”, explica. As empresas “fantasmas” são usadas na comercialização de créditos florestais, crimes ambientais e lavagem de dinheiro. De janeiro a junho de 2015, a associação criminosa movimentou mais de 400 mil m3 em produtos florestais, o que representa mais de R$ 400 milhões em dinheiro. A atuação dos presos no esquema ficou delineada na apuração, segundo explica o delegado. “Eram adquiridos produtos florestais de desmatamento, não só no Pará, como em Manaus e Rondônia, os quais eram 'esquentados' com créditos de empreendimentos no Pará. Em seguida, eles eram revendidos ao mercado no Pará, fora do Estado e no exterior”, detalha. 


Além de combater o esquema fraudulento, a operação policial atuou no combate e prevenção do desmatamento e outros crimes ambientais na região amazônica. “Temos a obrigação legal de fazer a gestão de recursos florestais, como o Sisflora, e para isso contamos com um serviço de inteligência, que sempre nos repassa informações ao constatar a atuação de associações criminosas e assim mantemos contatos com os órgãos ambientais e policiais”, destaca o superintendente do Ibama, Hugo Américo. Ele ressalta que as prisões e apreensões realizadas durante a operação representam mais de 15 mil caminhões de transporte de madeiras que deixaram de circular de forma ilegal. Para o delegado-geral Rilmar Firmino, a integração entre os órgãos foi importante para os resultados positivos da operação. Ele destacou ainda a atuação do Laboratório de Tecnologia Contra Lavagem de Dinheiro instalado em janeiro deste ano, na Delegacia-Geral, em Belém, para atuação em investigações relacionadas ao crime de lavagem de dinheiro, no Pará. 

OSTENTAÇÃO Todas as pessoas investigadas, detalhou o delegado, mantinham uma vida de alto padrão. “Constatamos que eles ostentavam bens e valores e faziam do crime seu meio de vida, em prejuízo do meio-ambiente e da coletividade”, salienta. Ele ressalta que, dentre os presos, um deles havia negociado um relógio um relógio Rolex a R$ 60 mil pela internet. Outro chegou a postar fotos em uma rede social em que fazia poses em cima de pilhas de madeira. Outro acusado havia pago um voo particular de São Paulo para Paris. Tudo com valores obtidos no esquema. Dentre os presos de hoje, havia um despachante, que atuava junto à Semas, e um ex-servidor do órgão, além de uma engenheira florestal, sem vínculo com a secretaria. Ela já havia sido condenada pela Justiça Federal, por fomentar a atuação de empresas “fantasmas”. Outros presos são empresários que atuam na prática de crimes ambientais e fraudes. Um deles, detalha Marcos Mileo, já foi condenado pela Justiça Federal à pena de 24 anos de prisão e recorria atualmente em liberdade. Outro preso cumpria prisão domiciliar por outro crime.

terça-feira, 30 de junho de 2015

PRESOS ACUSADOS DE ENVOLVIMENTO EM ROUBOS DE CARGAS EM MARABÁ

A Polícia Civil prendeu, ontem, em Marabá, sudeste paraense, três homens acusados de integrar um grupo de assaltantes responsável por roubos a transportes de cargas na região. Com eles, armas de fogo e um carro roubado que seriam usados nos crimes. Os presos são Paulo do Ó Monteiro, Elissandro Caetano de Sá, de apelido "Formigão", e Manoel Messias Paulino. De acordo com o delegado Márcio Maio, da Seccional de Marabá, os presos são apontados por envolvimento nos crimes de roubo, furto e receptação de cargas roubadas. 

Apreensões e presos
APREENSÕES E PRESOS
As armas encontradas com os presos são dois revólveres de calibres 38 e 20, além de munições intactas e um par de algemas. Por terem sido presos com as armas e carro roubados, os presos foram autuados em flagrante por associação criminosa, receptação dolosa e posse ilegal de arma de fogo. As investigações sobre a atuação do grupo criminoso continuam.

PRESO ENVOLVIDO EM INVASÃO DE FESTA DE ANIVERSÁRIO INFANTIL EM QUE UMA CRIANÇA FOI MORTA EM ANANINDEUA

A Polícia Civil deu cumprimento, nesta terça-feira, 30, ao mandado de prisão preventiva de Danilo de Azevedo Monteiro, 18 anos, acusado de envolvimento na invasão a uma casa, onde ocorria uma festa de aniversário infantil, em maio deste ano, quando uma menina de oito foi morta durante a troca de tiros, no conjunto Júlia Seffer, em Ananindeua. A prisão dele foi resultado de investigações conjuntas da Delegacia do Júlia Seffer e da Superintendência da Polícia Civil na Região Metropolitana. Danilo havia fugido para Manaus logo após o crime. 

Conforme o delegado Jefferson Gualberto, supervisor da Delegacia do Júlia Seffer, Danilo foi identificado dois dias depois do fato. "Ele ficou na porta da casa, observando a movimentação no lado de fora, enquanto o outro comparsa, Joel Gomes da Silva, entrou armado no local e anunciou o assalto", detalha o delegado. O policial civil detalha que Danilo tomou ciência do mandado de prisão ao ser apresentado na Delegacia do Júlia Seffer, por advogados. 

Em depoimento, ele reservou-se ao direito de permanecer calado e apenas se manifestar na Justiça. Na ocasião do crime, um policial civil, que era convidado na festa e estava de folga, trocou tiros com o assaltante, que foi baleado e morreu. Além dele, outros dois estão envolvidos no crime. Um deles é Bruno Pereira Lima que está foragido. O outro acusado não teve o nome divulgado. As investigações continuam visando a localização e prisão dos demais envolvidos no crime. Danilo já está recolhido à disposição da Justiça.

PRESO ACUSADO DE ENVOLVIMENTO NA MORTE DE POLICIAL MILITAR EM BELÉM

A Polícia Civil deu cumprimento ao mandado de prisão preventiva expedido contra Deivid Leal Assunção, conhecido como “Azinha”, após ele ter sido apresentado pela Polícia Militar na Divisão de Homicídios. Ele é acusado de ter participação na morte do soldado Ângelo João Braga de Souza, em julho do ano passado. O soldado Braga, do 24º Batalhão da Polícia Militar, foi morto durante uma tentativa de assalto na Vila da Barca, no bairro do Telégrafo, em Belém. 

PRESO
Segundo informações, o policial estava à paisana em frente a uma casa de show, quando foi abordado por dois homens armados que anunciaram o assalto. O PM reagiu e acabou levando um tiro no peito. 

A vítima ainda chegou a ser socorrida para o Pronto Socorro da travessa 14 de março, no Umarizal, mas não resistiu e morreu. Uma pistola ponto 40, que estava com o policial, foi levada pelos criminosos. Ainda em julho do ano passado, a polícia prendeu Emanuel Pantoja, de 19 anos, e apreendeu um adolescente de 15 anos, acusados de também terem participação no crime.

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR PRENDEM 53 ENVOLVIDOS EM TRÁFICO DE DROGAS EM SANTO ANTÔNIO DO TAUÁ

As Polícias Civil e Militar de Santo Antônio do Tauá, nordeste do Estado, prenderam 53 pessoas apontadas por envolvimento no tráfico de drogas, no município, desde janeiro até 26 de junho deste ano. No total, foram efetuados 50 procedimentos policiais relacionados a crimes ligados à venda de substâncias entorpecentes na cidade. Os dados foram divulgados, nesta terça-feira, 30, pela Superintendência da Região Integrada de Segurança Pública do Guamá, sediada em Castanhal e que responde por mais de 20 municípios da chamada zona do Salgado, no nordeste do Estado. As mais recentes prisões em flagrante, de envolvidos no tráfico de drogas, no município, foram realizadas, no último dia 26, quando as Polícias Civil e Militar prenderam durante operação para combate ao tráfico de drogas na região, Euclides da Silva Domingos e Edielson Paiva Ramos. 

Dupla presa com drogas e arma de fogo
PRESOS E APREENSÕES
Além dos presos, foram apreendidos dois adolescentes. Eles irão responder pelos crimes de tráfico de drogas, associação ao tráfico e corrupção de menores. Foram apreendidas com os acusados, 15 petecas de drogas e uma arma de fogo, tipo “garrucha”. A prisão ocorreu na residência dos acusados, localizada no bairro do Xurupita. O titular da Superintendência, delegado Luiz Xavier, explica que os números foram levantados pela equipe policial da Delegacia de Santo Antônio do Tauá, sob coordenação do delegado João Amorim, com base nos registros efetuados no banco de dados do Sisp (Sistema Integrado de Segurança Pública), usado para registrar procedimentos e ocorrências policiais. 

Os números, na avaliação do delegado, mostram que o combate ao tráfico de drogas ilegais tem sido feito diariamente e de forma conjunto pelas Polícias Civil e Militar. Os dados, ressalta Xavier, possibilitam que as Polícias trabalhem os resultados obtidos como forma de mapear os locais de maior incidência de delitos e o modo de atuação dos criminosos. O levantamento dos dados contou com participação do delegado João Amorim, do escrivão Pantoja e do servidor administrativo Amaro. Ainda, segundo o policial civil, todas as drogas apreendidas durante o ano serão destruídas após autorização judicial. "Tão logo ocorra a determinação da Justiça, será marcada a incineração", detalha.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

PRESOS ACUSADOS DE ENVOLVIMENTO EM ESQUEMA DE FRAUDES COM CARTEIRAS DE HABILITAÇÃO EM CURIONÓPOLIS

A Polícia Civil prendeu, nesta segunda-feira, 29, em cumprimento a mandados de prisão preventiva, o gerente da agência do Detran de Curionópolis, Reginaldo da Silva Santos, e Francisco Ítalo Duarte Barros, acusados de envolvimento em um esquema de fraude na emissão de Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) para condução de veículos automotores. Os dois foram presos, no interior da unidade do Detran, no município, por policiais civis da Superintendência da Região de Parauapebas, sob comando do delegado Thiago Carneiro. 

REGINALDO E FRANCISCO ITALO: PRESOS
Conforme o delegado, Francisco Ítalo, que não é funcionário do Detran, é apontado como responsável em arregimentar pessoas e falsificar processos para a emissão das CNHs sem necessidade de apresentar laudo de exame médico, exame psicotécnico e exame prática de direção do Detran, para obter os documentos legais. Por sua vez, Reginaldo é acusado de ratificar os processos e autorizar a emissão das CNHs, além de permitir a presença de Francisco Ítalo na agência do órgão.

As investigações iniciadas há três meses mostram que os esquemas aconteciam dentro das unidades do Detran em Curionópolis e em Parauapebas, onde imagens registradas por câmeras de monitoramento obtidas nas investigações mostram Francisco Ítalo recebendo dinheiro do esquema. Ele se passava por funcionário do Detran e chegava a cobrar de R$ 1,5 mil até R$ 2,5 mil para emitir cada carteira. Ao ser preso, ele portava três carteiras fraudadas e mais R$ 640 em dinheiro.

Os indiciados foram conduzidos para Parauapebas, onde estão presos à disposição da Justiça. As investigações continuam para apurar o envolvimento de mais pessoas no esquema. Os presos irão responder pelos crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, usurpação de função pública, entre outros crimes.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

OPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL E DO DETRAN DESARTICULA ESQUEMA DE VENDA ILEGAL DE ACESSÓRIOS QUE TEM VENDA EXCLUSIVA NO DETRAN

Uma operação conjunta da Polícia Civil e do Departamento de Trânsito do Estado (Detran) resultou, na manhã desta sexta-feira, 26, em 24 pessoas detidas. Elas vendiam ilegalmente produtos que só podem ser adquiridos no Detran. Denominada de “Operação Lacre”, a ação policial foi realizada na área do entorno do Departamento, na Rodovia Augusto Montenegro, em Belém. Os presos foram conduzidos para a Seccional Urbana da Marambaia. A operação foi iniciada após de denúncias de que usuários que procuram os serviços do Detran estacionavam os veículos no local e ali eram abordadas pelos vendedores dos produtos. Com os suspeitos, foram apreendidos lacres, placas, chaves de fenda, arames, tesouras, alicates, adesivos, capas de veículos, tarjetas e extintores. 


Os policiais encontraram, ainda, com os detidos dinheiro, uma quantidade expressiva de documentos de veículos e vistoria, além de aparelhos celulares. A operação foi resultado de uma investigação com duração de quase três meses. Policiais militares que atuam no setor de Inteligência do Detran iniciaram as investigações a partir da apuração de denúncias sobre a venda de placas e lacres na área externa do departamento. De posse de fotos e vídeos com claros indícios de que se tratava de um comércio ilegal, o coordenador do Núcleo de Segurança Orgânica do Detran, major PM Erick Miranda, solicitou o apoio das polícias Civil e Militar para deslanchar a operação e dar início às investigações. 

Sob o comando do delegado Pery Neto, diretor da Seccional da Marambaia, os policiais detiveram 24 suspeitos que foram levados, provisoriamente, ao auditório da sede do Detran para uma triagem inicial. De acordo com o delegado, os lacres apreendidos podem ter saído de dentro da instituição ou serem produtos de furto ou roubo. A polícia vai identificar, por meio da numeração, a origem dos lacres e os seus proprietários. Na seccional, Pery Neto deu início à fase de depoimentos, onde os detidos foram ouvidos pelas autoridades policiais. “Quem não tiver nada a ver com essa situação será liberado, já aqueles que tiverem algum tipo de participação nas irregularidades serão enquadrados no crime de receptação. O inquérito policial também vai apurar se há o envolvimento de servidores do órgão em todos os casos investigados”, informou. 

Objetos apreendidos

Dos 24 detidos, dez foram qualificados nos autos do procedimento policial por terem sido detidos com placas refletidas. Os objetos foram encaminhados ao Detran para tomadas de medidas cabíveis junto às empresas credenciadas. Outros seis foram ouvidos em declarações sobre a posse de placas e lacres, objetos de uso exclusivo do Detran e serão indiciados em inquérito policial. Um dos detidos estava com mandado de prisão preventiva decretada por sentença condenatória. Outro foi autuado em flagrante por tráfico de influência e outros seis foram liberados após checadas suas situações criminais e liberados por não estarem ligados ao foco da investigação. O diretor-geral do Detran, Nilton Atayde, ressaltou que esse tipo de operação vai ocorrer de forma sistemática, tanto na capital quanto nas unidades localizadas no interior do Pará.

POLÍCIA CIVIL INCINERA MAIS DE UMA TONELADA DE DROGAS APREENDIDAS NO ESTADO

A Polícia Civil incinerou, nesta sexta-feira, 26, mais de uma tonelada de drogas, entre maconha e cocaína, apreendidas desde novembro do ano passado até junho deste ano, em Belém, Região Metropolitana e interior do Estado. A destruição dos entorpecentes foi realizada em uma indústria de cerâmica, no município de Marituba, na Grande Belém. Um comboio formado por viaturas da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) e da Diretoria de Polícia Metropolitana (DPM), com apoio de policiais civis do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), levou as drogas desde a sede da DRE, na rodovia Mário Covas, em Ananindeua, até a indústria, localizada na rua Manoel de Souza, bairro da Pedreirinha, em Marituba. 

A incineração é alusiva à data de 26 de junho, Dia Internacional de Combate ao Tráfico e ao Consumo de Drogas. O procedimento de queima das drogas contou com acompanhamento de uma equipe da Vigilância Sanitária Municipal e um representante da Corregedoria da Polícia Civil. De acordo com o delegado Hennison Jacob, diretor da DRE, de janeiro até junho deste ano, mais de meia tonelada de drogas foi apreendida no Estado. A incineração foi realizada mediante autorização da Justiça. Entre as drogas destruídas estão, em maior parte, maconha em formatos prensado, haxixe e limãozinho. 

Drogas são incineradas

Entre as drogas incineradas estão as que foram apreendidas nas maiores apreensões de drogas do ano no Estado do Pará. Uma delas foi realizada pela DRE, em abril, na Alça Viária, em Marituba. Foram apreendidos, na ocasião, 234 quilos, entre maconha, pedras de óxi, pó e pasta de cocaína, encontrados dentro da caixa de som de uma caminhonete Saveiro branca, placa NXI 0627, de Goiás. Foi a maior apreensão de drogas do ano de 2015 no Pará. O veículo foi transportado desde Goiânia, capital de Goiás, até a cidade de Redenção, no sudeste do Pará. 

Drogas apreendidas

Ao chegar a esta cidade, a caminhonete foi embarcada em um carro-guincho, que a conduziria até Castanhal, nordeste paraense, de onde seria distribuída para a região metropolitana de Belém e para cidades do nordeste do Estado. Antes de chegar ao destino, o veículo foi interceptado pela equipe de policiais civis da Delegacia de Repressão a Entorpecentes. Quatro pessoas foram presas. A outra apreensão foram apreendidos 198 quilos de maconha na Região Metropolitana de Belém. Quatro pessoas foram presas em uma quitinete alugada, no bairro do Paracuri II, distrito de Icoaraci, em Belém. Dentro do imóvel, estavam os quase 200 quilos de maconha prensada pronta para venda. 

Delegado Hennison Jacob
DELEGADO HENNISON JACOB
AURORA DO PARÁ Outra parte da droga incinerada veio da cidade de Aurora do Pará, nordeste paraense. A delegada Fernanda Almeida, titular da Polícia Civil no município, esteve presente na incineração em Marituba. Segundo ela, no total, cerca de 130 quilos de maconha prensada em formato de tabletes foram apreendidos na zona rural do município pelas Polícias Civil e Militar. A droga estava escondida dentro de uma caixa d'água e foi localizada em um matagal. O responsável pela droga fugiu na ocasião. 

Delegada Fernanda Almeida incinera drogas de Aurora do Pará
DELEGADA FERNANDA ALMEIDA
De acordo com o delegado João Bosco Rodrigues, desde o ano de 2011, o Sistema de Segurança Pública do Governo do Estado tem investido no aparelhamento das Polícias do Estado para intensificar as ações de repressão ao crime de tráfico de drogas. Entre os investimentos estão a aquisição de novas aeronaves do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (GRAESP) e aumento das bases de atuação do Grupamento, em todo Estado, além da ampliação da estrutura da DRE, que passará a ser chamada de Denarc (Divisão Estadual de Narcóticos). As obras de construção do novo prédio da Denarc, localizado na antiga Delegacia do bairro do Telégrafo, estão em andamento, com previsão de inauguração até o final deste ano.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

POLICIAIS PRENDEM GRUPO CRIMINOSO QUE PRETENDIA PRATICAR ASSALTO EM BELÉM

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), autuou em flagrante, nesta quinta-feira, 25, pelos crimes de associação criminosa e receptação de um carro roubado, no bairro do Tapanã, no distrito de Icoaraci, em Belém. Jefferson Rodrigo Saldanha, Charles Antônio Freitas Pastana; William Araújo Barros e Jonatan Silva Barbosa foram presos após um policial civil desconfiar dos acusados, que trafegavam em um carro. Segundo o delegado Ricardo Rosário, diretor da DRFR, o policial civil suspeitou de quatro homens, que haviam parado, pela manhã, para tomar café em uma pizzaria. 

PRESOS 
Eles estavam em um carro cor cinza, marca Corola, de placa JVP 6603. Usando o aplicativo de celulares "Sinesp Cidadão", o servidor público fez uma pesquisa da placa do carro e verificou que se tratava de um veículo roubado. Assim, o policial civil entrou em contato com o fone 190, do Centro Integrado de Operações (CIOP), para pedir apoio de uma viatura da Polícia Militar, para fazer a abordagem dos suspeitos. Com apoio da guarnição militar, os quatro homens foram abordados e revistados, no momento em que saíam da pizzaria. 

CARRO ROUBADO
Três deles, Charles, Jonatan e Jefferson, são foragidos da Justiça. Os presos e o carro roubado foram levados para a sede da DRFR, no bairro do Marco, em Belém. Em depoimento, os presos confessaram que pretendiam praticar um assalto. "Eles pretendiam roubar o dinheiro que seria usado no pagamento de funcionários de uma empresa, mas não informaram o local do assalto, pois alegam que não chegaram a se encontrar com a pessoa que iria lhes passar a informação", apurou o delegado. Os presos estão recolhidos à disposição da Justiça.

POLÍCIA CIVIL PRENDE SETE ENVOLVIDOS EM PONTOS DE VENDA DE DROGAS EM SALINÓPOLIS

A Polícia Civil deflagrou, nesta quinta-feira, 25, a operação "Pescador de Ilusões", em Salinópolis, nordeste paraense, que resultou no cumprimento de 14 mandados judiciais de busca e apreensão em pontos de tráfico de drogas. Sete pessoas foram presas em flagrante pelo crime. Cinco adolescentes que eram usados na venda das drogas foram resgatados dos locais. Os presos foram conduzidos para a sede da Delegacia de Salinópolis. Sob coordenação da Superintendência da Região Integrada de Segurança Pública (RISP) do Caeté, a operação contou com 70 policiais civis e militares de cidades da região nordeste do Pará, como Capanema, Bragança e Bonito, junto com policiais civis do Grupo de Pronto-Emprego (GPE) e policiais militares do Grupo Tático Operacional (GTO) da PM, que utilizaram 18 viaturas. 

PRESOS
APREENSÕES
MAIS APREENSÕES
Segundo o delegado Augusto Damasceno, titular da Superintendência, no decorrer da operação, foram cumpridos todos os mandados judiciais. Em cinco locais, foram encontradas drogas, como petecas de cocaína; material usado no preparo dos entorpecentes para venda, como tesoura e plástico; telefones celulares e uma arma de fogo tipo garrucha. Foram presos, na operação, Rosilene Maia da Costa, 32 anos; Jonathan Hugo Ferreira do Rosário, 20; Maria Nazaré dos Reis, 51; Rogério dos Reis Furtado, 23; Giovane dos Reis, 24; Cleiton Nazaré Santana, 31, e Anderson de Oliveira Ferreira, 31. Os presos foram autuados pelos crimes de associação para o tráfico, tráfico de drogas, posse ilegal de arma de fogo e corrupção de adolescentes.

POLÍCIA CIVIL APREENDE DEZ QUILOS DE MACONHA EM MATA FECHADA NA ESTRADA DO CURUÇAMBÁ EM ANANINDEUA

A Polícia Civil apreendeu, nesta quinta-feira, 25, em torno de dez quilos de maconha prensada, que seriam distribuídos para abastecer pontos de venda de drogas, no município de Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém. A droga estava escondida em um galpão dentro de uma mata fechada, de difícil acesso, às margens da estrada do Curuçambá, nessa cidade. O dono da droga, identificado como Danilo Coelho Monteiro, conseguiu fugir e terá a prisão solicitada à Justiça. A apreensão da droga foi realizada pela equipe de investigadores da Seccional Urbana do Paar. 

DELEGADA ROSALINA ARRAES COM DROGAS APREENDIDAS

Segundo a diretora da Seccional, delegada Rosalina Arraes, uma denúncia recebida pelos investigadores da unidade policial levou a equipe até o local, onde a droga estava estocada. Após manter observação na área, os policiais civis entraram na mata para tentar prender o traficante, mas ele fugiu, deixando a droga no local. 

DANILO FUGIU
Conforme a policial civil, há duas semanas os policiais civis monitoravam o esquema de recepção e distribuição de drogas que ocorria na área. "Ele recebia a droga na mata e ali mesmo fazia a revenda para outros traficantes de Ananindeua", apurou. Danilo Monteiro estava preso, mas foi colocado em liberdade, há cerca de um mês, por ordem judicial. Ele já responde processo por tráfico de drogas. A delegada informou que vai instaurar inquérito policial para apurar os fatos e representar pela prisão do acusado. A droga está apreendida à disposição da Justiça.

DESARTICULADA ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA QUE PLANEJAVA GRANDE ASSALTO EM MARABÁ

A Polícia Civil desarticulou uma associação criminosa responsável por roubos na região Sudeste do Pará e suspeita de planejar um assalto a banco na região. Sidney Carlos Teixeira das Virgens, Alex Ferreira Cardoso, Rosivan Trindade da Silva, Renan Araújo do Nascimento e Claudio Fontenele Ribeiro foram preso em flagrante após praticar um assalto à mão armada a um depósito de cereais, no bairro Belo Horizonte, no último dia 23, em Marabá, sudeste paraense. Durante a ação, eles roubaram um veículo, de placa OTK 4299, dinheiro, relógios e aparelhos celulares das pessoas que estavam no local. Eles foram reconhecidos pelo proprietário do veículo roubado. 


Os acusados utilizaram duas pistolas e um revólver durante o assalto, porém as armas não foram encontradas. Os objetos roubados foram recuperados. As prisões resultaram de uma operação conjunta que envolveu policiais civis da Superintendência da Região Integrada do Sudeste Paraense, da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) de Marabá, com apoio de policiais militares do GTO (Grupo Tático Operacional). Os presos são suspeitos de roubos a bancos. Conforme apurou o delegado Marcelo Delgado, titular da Superintendência, o assalto ao estabelecimento comercial foi praticado por seis homens, que estavam em uma caminhonete Saveiro. 

Inicialmente, explica o policial civil, o alvo das investigações era o assaltante conhecido por Sidney, apontado por envolvimento em um grupo de assaltantes. Ele já havia sido reconhecido por uma das vítimas do assalto por meio de uma foto. Durante as buscas, a caminhonete usada no assalto foi encontrada abandonada no estacionamento de um shopping center. Desse carro, segundo testemunhas, quatro homens teriam saído e entrado em outro carro. Os policiais passaram a fazer buscas até localizar a casa em que o grupo estava escondido. Após a prisão dos acusados, todos foram conduzidos para a sede da Superintendência de Marabá para serem autuados em flagrante. As investigações prosseguem para apurar o envolvimento deles em outros crimes.