quarta-feira, 26 de novembro de 2014

POLÍCIA CIVIL CUMPRE MANDADOS DE PRISÃO CONTRA ENVOLVIDOS EM ESTUPRO DE VULNERÁVEL E VIOLÊNCIA DOMÉSTICA EM CAPANEMA

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira, 26, durante operação policial coordenada pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Capanema, três homens acusados dos crimes de estupro de vulnerável e violência doméstica, no município. Um deles é Roberto Aviz dos Santos, acusado de estupro de vulnerável. Os outros dois são Nauto da Silva Figueiredo e Malto da Silva Figueiredo acusados de descumprir medida protetiva de crime de ameaça contra mulher, o que configura violência doméstica. 

ROBERTO AVIZ DOS SANTOS
Sob comando da delegada Mikaella Ferreira, titular da DEAM, a operação deu cumprimento a mandados de prisão preventiva decretados pela Justiça em desfavor dos acusados. O trabalho policial foi alusivo ao Dia Internacional da Não-Violência Contra Mulher. A operação contou com o apoio da equipe de policiais civis da Delegacia de Capanema.

POLÍCIA CIVIL PRENDE EM FLAGRANTE ENVOLVIDO EM TRÁFICO DE DROGAS EM SOURE

A Polícia Civil flagrou Tiago José dos Santos Maciel, de apelido Matoso, de posse de uma moto roubada, na noite de terça-feira, 25, em Soure, na ilha do Marajó. O acusado foi preso após ser abordado por policiais civis no momento em que saía de sua casa, pela porta dos fundos, no veículo. Investigado por envolvimento em tráfico de drogas, ele foi abordado por policiais civis no local, durante investigação sobre a prática de venda de drogas no local. Mas, ao perceber a presença dos policiais, ele jogou uma pedra semelhante a “óxi” de cocaína para um terreno baldio aos fundos da casa. Os policiais ainda fizeram buscas no local, porém a droga não foi encontrada. 

PRESO COM MOTO ROUBADA
Após revista, foi apreendido dinheiro bastante trocado e em notas e moedas de pequeno valor, com características de tráfico de drogas. A equipe policial formada pelos delegados Lucas Sadigursky e Thiciane Maia; investigadores Fabrício Castelo, Samara, IPC Ted Maciel, e escrivã Cleice Isacksson chegaram até o acusado após um viciado ter sido detido com duas petecas de droga após sair da casa de Tiago José. 

Com o acusado, inúmeros documentos de pessoas desconhecidas deixados, segundo o próprio preso, como garantia de pagamento da dívida com a venda das drogas. Também foram apreendidas duas máquinas fotográficas digitais; três celulares e uma motocicleta. Após consulta, os policiais verificaram que o veículo apresentava adulteração da placa e chassi e ainda tinha documento falso. 

POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADOS DE ENVOLVIMENTO EM HOMICÍDIO EM SOURE NO MARAJÓ

A Polícia Civil desvendou rapidamente um homicídio registrado, no município de Soure, na ilha do Marajó. Dois adultos foram presos e um adolescente foi apreendido por envolvimento no crime, que foi premeditado e motivado por vingança. As investigações foram iniciadas após a equipe policial ter tomado conhecimento de que um corpo havia sido encontrado às margens do rio Paracauary, perto da invasão da Alegria, bairro Novo, periferia de Soure. Formada pelo delegado Lucas Sadigursky, e investigadores Fabrício Castelo, Samara Santos e Ted Maciel, e escrivã Cleice Isacksson, a equipe policial fez levantamentos para verificar suspeitos do crime. 

DOIS PRESOS
A vítima foi Rodrigo Modesto dos Santos, de apelido “Corcunda ou Dadiga”, que já teve passagens pela Polícia. Ele apresentava ferimentos no rosto e na cabeça e ainda na barriga . Três suspeitos foram detidos, para averiguação, dentre eles um adolescente. Segundo detalham os policiais, denúncias anônimas levaram à localização dos suspeitos. As informações colhidas davam conta de que a vítima foi vista acompanhada dos suspeitos. Durante depoimento, Rosivaldo Silva da Silva, de apelido "Mongó", e um adolescente de 17 anos confessaram o crime, mas os outros dois confirmam que ele também participou da morte de Rodrigo. 

O outro preso, Ivanildo Câmara Rocha, conhecido como "Nildo", negou participação no homicídio. Ainda, durante o interrogatório, eles alegaram que o crime foi premeditado, pois há algum tempo planejavam a morte da vítima. Os acusados alegaram que eram comparsas de Rodrigo dos Santos na prática de roubos na cidade. "Sempre que roubavam e posteriormente eram presos, a vítima delatava os comparsas e ainda colocava culpa neles", detalha o delegado. Ainda, segundo os acusados, a ideia de matar Rodrigo teria sido do adolescente. 

Além de Rosivaldo, Ivanildo e do adolescente, outro rapaz de 17 anos também é apontado por participação no crime. Ainda, em depoimento, os acusados confirmaram que a vítima foi morta pelos criminosos no interior de uma fazenda, após beber e fumar drogas com os demais. Rodrigo foi morto após receber um soco no rosto dado pelo adolescente e ter sido espancado pelos comparsas, que usaram ainda um pedaço de osso de búfalo para agredi-lo a pancadas na cabeça e rosto. Após a morte, o corpo foi jogado em um rio. Os acusados estão presos à disposição da Justiça, enquanto que o adolescente foi encaminhado para Belém para internação. 

terça-feira, 25 de novembro de 2014

POLÍCIA CIVIL DEBATE ATENDIMENTO AOS CASOS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

A Polícia Civil promoveu, nesta terça-feira, 25, palestras para servidores públicos da corporação policial com a temática sobre o combate à violência contra a mulher. Organizado pela Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV), o evento foi uma forma de marcar o Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher celebrado neste dia 25. A delegada Simone Edoron, titular da DAV, explicou que o foco principal foi orientar os homens que atuam como agentes públicos sobre o atendimento prestado às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar nas unidades em que atuam. 


Ela ainda salientou a importância da apuração de denúncias de casos. "Urge a necessidade de sensibilização e compreensão do policial de seu papel, enquanto homem cidadão e também enquanto servidor", detalha. Entre as palestras, a delegada Alessandra Jorge, diretora da DEAM (Divisão Especializada no Atendimento à Mulher), ministrou palestra com o tema "A Segurança Pública no Laço Branco - Homens pelo Fim da Violência Contra a Mulher: O Agente Consciente e Protetor", no auditório B, da Delegacia-Geral da Polícia Civil. 

Na palestra, ela trata da qualificação dos agentes públicos para prestar um atendimento mais humanizado às mulheres que buscam ajuda em casos de violência doméstica e familiar. Pela manhã, às 10 horas, a delegada Alessandra Jorge, diretora da DEAM, ministrou palestra para guardas municipais, na sede da Secretaria Municipal de Segurança Pública, localizada na estrada do Maguary, em Ananindeua. A temática também foi para sensibilizar o servidor público para o atendimento e encaminhamento dos casos de violência contra a mulher. 

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

POLÍCIA CIVIL DESARTICULA ESQUEMA DE TRÁFICO DE ENTORPECENTES EM PARAGOMINAS

A Polícia Civil prendeu, por envolvimento em tráfico de drogas, David Rocha dos Santos, que foi flagrado, no momento em que comercializava pedras de óxi de cocaína, no bairro Jaderlândia, em Paragominas, nordeste do Estado. A captura do acusado ocorreu após levantamentos realizados por investigadores da Seccional Urbana do município. Os policiais civis apuraram que David, após deixar a prisão em agosto deste ano, continuou a praticar vendas de entorpecentes. 


Só que agora, detalha o delegado Jivago Ferreira, da Seccional de Paragominas, o acusado escondia as drogas no fundo falso de um balde, para tentar não ser descoberto pela Polícia. Mas a equipe policial conseguiu descobrir o esquema do acusado, que acabou flagrado com um total de 21 pedras de óxi de cocaína e ainda R$ 285 em dinheiro da arrecadação com a venda de drogas. 

O delegado, que comandou as investigações, explicou que David, por ser reincidente na conduta de tráfico de drogas, voltará à prisão para responder pelo crime em regime fechado. Ainda, conforme o policial civil, o combate ao tráfico de drogas no município atende diretrizes da Superintendência da Região do Rio Capim, sob comando da delegada Bruna Paolucci. 

Segundo ela, a Polícia Civil está atuando em duas frentes de trabalho. "Uma delas é a prevenção por meio de palestras e trabalho educativo junto à comunidade e a outra é a repressão ao crime, para não permitir que traficantes continuem a vender drogas livremente", asseverou. Participaram da operação a delegada Ariane Magno, escrivães Ivar Araújo e Cibelle Vilar, e investigadores Andreza Silva e Raimundo Carlos Prestes.

POLÍCIA CIVIL EM ATUAÇÃO EM AÇÕES DE COMBATE Á VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER EM BELÉM E INTERIOR DO PARÁ

A Polícia Civil, através da Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV), vai promover, nesta terça-feira, 25, uma série de palestras, em Belém e no interior do Estado, para marcar o Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher celebrado neste dia 25 e também em alusão aos 16 Dias de Ativismo pelo fim da Violência Contra a Mulher. Em Belém e Ananindeua, na região metropolitana, e em Santarém, Bragança, Barcarena, Castanhal, Itaituba e Soure, no Marajó, as Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (DEAMs), da Polícia Civil, irão participar de ações educativas e de promoção da cidadania voltadas ao enfrentamento da violência contra a mulher.  

Em Belém, a delegada Alessandra Jorge, diretora da DEAM, irá palestrar sob o tema "A Segurança Pública no Laço Branco - Homens pelo Fim da Violência Contra a Mulher: O Agente Consciente e Protetor", o evento será realizado, às 16 horas, no auditório B, da Delegacia-Geral da Polícia Civil, na Avenida Magalhães Barata, bairro de Nazaré. A delegada Simone Edoron, titular da DAV, explica que os eventos têm a meta de orientar os homens que atuam como agentes públicos sobre o atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar e sobre a apuração de denúncias de casos. "Urge a necessidade de sensibilização e compreensão do policial de seu papel, enquanto homem cidadão e também enquanto servidor", detalha. 

Pela manhã, às 10 horas, a mesma palestra será ministrada a guardas municipais, na sede da Secretaria Municipal de Segurança Pública, localizada na estrada do Maguary, em Anananindeua. 

Em Bragança, a delegada Cristina Lima, titular da DEAM do município, irá palestrar, pela manhã, na sede do Salão da Marujada, sobre o tema. 

Em Santarém, a equipe da DEAM do município irá promover uma “blitz”, na Avenida Sérgio Henn, bairro Interventoria, de 8h30 às 9h30 da manhã. Durante a ação, os policiais civis irão distribuir flores às mulheres e laços brancos aos homens. A delegada Adrienne Pessoa informa que, durante a ação, serão repassadas informações ao público sobre a rede de atendimento à mulher no município e orientações sobre como denunciar casos de violência na região. 

Em Barcarena, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher da cidade fará parte da programação da Coordenadoria de Políticas às Mulheres, que começa nesta terça-feira e termina na quarta, dia 26. Entre as ações, haverá oficinas às famílias atendidas e na quarta-feira será realizada uma palestra presidida pela delegada Emanuela Amorim, titular da DEAM de Barcarena. 

Em Itaituba, o dia será marcado com uma caminhada, que sairá às 17 horas, da Praça do Cidadão, e seguirá até a orla do município, para chamar a atenção da sociedade quanto à violência contra a mulher. O evento contará com a participação de diversos órgãos, entre eles, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), sob direção da delegada Leilane Reis. À noite, às 21h30, a delegada irá proferir uma palestra, na sede da Faculdade de Itaituba (FAI), sobre Lei Maria da Penha, para estudantes universitários. 

Em Castanhal, será realizada uma ação de cidadania, que contará com emissão de documentos de identidade. Durante a programação, a DEAM do município, representada pela delegada Lyvia Rodrigues, irá palestrar sobre a temática do combate à violência contra a mulher. 

No Marajó, a delegada Ticiane Maia, da DEAM de Soure, irá proferir uma palestra, às 14 horas, na Escola Salomão, localizada no município vizinho de Salvaterra. Ela vai falar a estudantes sobre violência doméstica contra a mulher.

POLÍCIA CIVIL INVESTIGA CIRCUNSTÂNCIAS DE INCÊNDIO CRIMINOSO NO BAIRRO DA CABANAGEM

A Polícia Civil do Pará já está ouvindo, na seda da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), quatro testemunhas do incêndio criminoso que destruiu um ônibus de transporte coletivo em Belém, na tarde desta segunda-feira (24), no bairro da Cabanagem. Três suspeitos, detidos com drogas no bairro, serão submetidos a reconhecimento pelas testemunhas. A Polícia Civil, sob a coordenação de quatro delegados, já avança nas investigações das circunstâncias do crime. 


Segundo informações preliminares, pelo menos três homens teriam assaltado o coletivo, da empresa Belém-Rio, na chegada à Rua Benjamim com Rua Damasco, na Cabanagem. Após roubarem os passageiros e a renda do coletivo, os assaltantes incendiaram o veículo, utilizando combustível. O inquérito aberto para apurar o crime está a cargo da DRCO. Durante a tarde, policiais civis e militares fizeram buscas pelo bairro, a fim de localizar os suspeitos de envolvimento no crime. 

Em uma casa, onde estaria um deles, os policiais apreenderam drogas, e nas ruas também encontraram entorpecentes com os três detidos. De acordo com o delegado Pery Netto, diretor da Seccional Urbana da Marambaia, as suspeitas indicam que os acusados podem ter incendiado o coletivo para destruir as câmeras do circuito de segurança existentes no veículo, e assim apagar as imagens do assalto. Ainda, conforme as informações preliminares, em torno de 15 passageiros estavam no coletivo. 

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) também já mobilizou os órgãos que integram o Sistema de Segurança Pública para reforçar o trabalho dos investigadores. Homens da Polícia Militar do 1º Batalhão foram ao local, assim como a equipe de Danos ao Patrimônio do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves. O Corpo de Bombeiros, tão logo foi acionado, destacou 10 homens e duas viaturas para local, a fim de conter as chamas.

domingo, 23 de novembro de 2014

POLÍCIA CIVIL CAPTURA VIGILANTE QUE MATOU E VIOLENTOU ADOLESCENTE EM SALINÓPOLIS

A Polícia Civil, após investigações, prendeu na sexta-feira, 21, o vigilante José Augusto Almeida Góes, de 40 anos, de apelidos "Pelado" ou "Careca", acusado de ter matado Carla Jamily Dias Negrão, 13, em 6 de outubro deste ano. A prisão dele foi realizada pela equipe da Delegacia de Salinópolis, sob comando da delegada Priscilla Naiatte Costa, no município de Viseu, nordeste paraense. 


José Augusto não esboçou reação ao ser abordado pelo investigador Delecon Oliveira, que o apresentou na Delegacia de Capanema, para ser ouvido em depoimento. À policial civil, ele confessou o crime. As investigações mostraram, na época, que a vítima havia saído para se encontrar com um homem conhecido como William, que ela teria conhecido nas redes sociais. 

O corpo de Carla Jamily Dias Negrão foi encontrado no seguinte em uma área conhecida como "Pedras", no final da Praia do Atalaia em Salinópolis. A vítima estava despida e com tinha sinais de abuso sexual. O acusado agora ficará recolhido à disposição da Justiça.

sábado, 22 de novembro de 2014

SISTEMA DE SEGURANÇA PÚBLICA VAI ATUAR NO COMBATE A CAMBISTAS NO ESTÁDIO MANGUEIRÃO

O Sistema Integrado de Segurança e Defesa Social elaborou um planejamento para combate à venda ilegal de ingressos por parte de cambistas durante a partida decisiva entre Paysandu e Macaé (RJ), que será realizada, neste sábado, 22, no estádio Mangueirão, em Belém. Além da estrutura normal que vai ficar instalada no estádio, com as presenças dos órgãos policiais, Defensoria Pública, Ministério Público e Poder Judiciário, a Polícia Civil vai estar atenta para esse tipo de atividade irregular ao longo do dia. 


De acordo com a delegada-geral adjunta, Christiane Ferreira, os procedimentos que foram constatados serão conduzidos para a Delegacia que ficará instalada na área do estádio. A partir de 13 horas, a unidade da Polícia Civil vai iniciar suas atividades, no estádio, sob coordenação dos delegados Davi Nóbrega e Claudia Renata Guedes. 

A ação de combate aos cambistas também contará com apoio da PM, por meio de ações ostensivas, no entorno do campo de jogo. As ações foram definidas, nesta sexta-feira, 21, durante reunião na sala da Delegacia-Geral Adjunta, da Polícia Civil, com envolvimento dos órgãos que estarão em atuação, como Corpo de Bombeiros e do Município. 

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL DO PARÁ PARTICIPA DE COMPETIÇÃO INTERNACIONAL DE TRIATHLON EM SANTA CATARINA

A Polícia Civil do Pará estará representada, no próximo dia 30, na competição de triathlon em nível mundial denominada Challenge International, que será realizada em Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina. O delegado e triatleta Carlos Magalhães Gomes, atualmente lotado na DATA (Divisão de Atendimento ao Adolescente), vai participar do evento que, pela primeira vez, será realizado na América Latina. A competição servirá como preparação para o Ironman Brasil 2015 a ser realizado em Jurerê Internacional (SC), em 31 de maio do próximo ano. Ele embarca no próximo dia 28 para o sul do país. 

DELEGADO CARLOS MAGALHÃES GOMES
Na Challenge International, os atletas terão que enfrentar uma prova de triathlon de 1,9km de natação, 90km de ciclismo e 21km de corrida. Com participações em eventos de natação e ciclismo e experiência em competições em nível nacional, como a Maratona Brasil Ride, na Bahia, Norte-Nordeste de Mountain Bike, no Ceará; Desafio das Falésias, no Ceará, e Meia Maratona de Florianópolis (SC), o delegado Carlos Magalhães Gomes chegou a ficar em 14º lugar no Campeonato Paraense de Ciclismo de Estrada no ano de 2013, e na posição 50 no Ranking Brasileiro de Mountain Bike. 

Amante do esporte desde criança, o policial civil e esportista está em preparação diária para enfrentar o desafio. "O Ironman é considerada a prova de triathlon mais difícil do mundo, pois desafia os triatletas a percorrer ininterruptamente em cerca de 12 horas, 3,8 quilômetros de natação, 180km de ciclismo e 42km de corrida, com extremo desgaste físico e psicológico", detalha. Carlos Magalhães, que conta com apoio do SINDELP (Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Pará), diz que se sente preparado para representar a categoria como único delegado de Polícia Civil do Estado do Pará a competir no Ironman. “Quero representar os delegados de Polícia Civil, para engrandecer e incentivar a prática de atividades físicas como meio de vida saudável”, destaca.

LÍDER DE GRUPO DE TRAFICANTES RESPONSÁVEL POR TRÊS MORTES MORRE EM TROCA DE TIROS COM POLICIAIS CIVIS EM TOMÉ-AÇU

A Polícia Civil divulgou, nesta quinta-feira, 20, que o homem apontado como líder da associação criminosa responsável por três homicídios e uma tentativa de homicídio, crimes ligados ao tráfico de drogas, morreu após trocar tiros com policiais civis, na zona rural de Tomé-Açu, nordeste paraense. Charly da Silva Holanda estava com mandado de prisão decretado pela Justiça. Ele foi encontrado, na tarde da última terça-feira, em uma casa, na localidade de Quatro Bocas, onde estava escondido com a esposa, Liziane Cristina Weimer. Após ser baleado, ele foi levado ao Hospital Municipal, de onde era transferido ao Hospital Metropolitano, em Ananindeua, mas morreu a caminho da unidade de saúde. Na casa, três tabletes de óxi de cocaína, pesando no total, em torno de três quilos, foram apreendidos. A arma usada por Charly, um revólver calibre 38, foi apreendida. 

Liziane foi presa com drogas. No detalhe, foto de Charly
LIZIANE FOI PRESA POR TRÁFICO DE DROGAS, NO DETALHE, CHARLY HOLANDA
As investigações comandadas pelo delegado Marco Antônio Oliveira, da Divisão de Homicídios (DH), apontaram que Charly Holanda e Rayfran das Neves Sales foram os autores intelectuais das mortes das mortes de Leandro Kestring de Vargas e Joseane Noronha Santos, e de Evalso Fagundes da Silva, e da tentativa de homicídios de Luana de Cássia Castro e Silva, mulher de Evalso. Conforme o delegado Cláudio Galeno, diretor da DH, as investigações dos crimes não pararam desde o dia 5 de setembro deste ano, quando ocorreram os casos. Durante o trabalho, a equipe policial conseguiu localizar o paradeiro de Charly, na zona rural de Tomé-Açu. Com apoio de policiais civis do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), grupo tático da Polícia Civil, a equipe da DH cercou a casa onde estava o acusado. 

Drogas e arma apreendidas
DROGAS E ARMA APREENDIDA
No momento da abordagem, ele saiu correndo de dentro do local, atirando em direção aos policiais. Na troca de tiros, ele acabou baleado. Dentro da casa, a esposa dele foi presa para responder por tráfico de drogas, já que drogas foram apreendidas no local. O preso foi socorrido, logo em seguida, até o Hospital Municipal de Tomé-Açu. Charly foi apontado, não apenas como o mentor das mortes, mas também teve participação direto nas execuções das vítimas e tentativa de morte de Luana, que sobreviveu, mas ficou paraplégica e cega de um dos olhos. As drogas apreendidas são ainda parte do carregamento de cerca de 50 quilos que era transportado em uma caminhonete na época dos fatos. As investigações continuam, segundo o delegado Marco Antonio, pois ainda há, pelo menos, duas pessoas envolvidas nos crimes. 

PRISÃO DE GRUPO A associação criminosa envolvida nos crimes foi apresentada, em 20 de setembro, na Divisão de Homicídios. Um dos presos é Rayfran das Neves Sales, 38 anos, condenado pela morte da missionária norte-americana Dorothy Stang, crime de repercussão internacional ocorrido em 2005, em Anapu, sudoeste do Pará. Ele estava, desde junho do ano passado, em prisão domiciliar determinada pela Justiça do Pará. Os demais presos foram Raimundo Fernando Ferreira Monteiro, conhecido como “Gordo” ou “Ritchie”; Osimar Lobato Rodrigues, 30 anos, e Luís Carlos do Carmo Lopes, 27. O delegado Marco Antônio Oliveira, responsável pelo inquérito, iniciou as investigações sobre os casos. 

LEANDRO KESTRING E JOSIANE: VÍTIMAS
Como as mortes de Leandro, Josiane e Evalso e a tentativa de morte de Luana ocorreram em locais e momentos diferentes, cada caso foi investigado em separado. Depois que foi estabelecida conexão entre os fatos, os inquéritos foram juntados. Durante as investigações, o delegado tomou depoimento da sobrevivente Luana de Cássia. A vítima recebeu dois tiros, um nas costas e outro de raspão no rosto. As investigações iniciaram após a comunicação, em 6 de setembro, do desaparecimento dos jovens Leandro e Josiane, que vieram de carro desde a cidade de Rurópolis, no oeste do Pará, com destino à Belém. 

Quatro dias após o início da viagem das vítimas, o pai de Leandro Vargas veio até a Delegacia de Pessoas Desaparecidas, situada na Divisão de Homicídios, em Belém, para registrar o boletim de ocorrência sobre o desaparecimento do filho. Ele foi ouvido pela delegada Maria Lúcia Santos, titular da Delegacia, a quem informou ter recebido uma mensagem enviada pelo filho via aplicativo de celulares WhatsApp, na noite de 5 de setembro, por volta de 23 horas. Nela, a vítima escreveu a seguinte mensagem: “Pai, se acontecer alguma coisa comigo, estou em companhia de Rayfran das Neves Sales”, citando o nome do pistoleiro que matou a missionária Dorothy Stang. A partir dessa informação, a equipe policial começou a fazer ligações entre o sumiço dos jovens e o ataque a tiros ao casal. 

Em depoimento, o pai de Leandro confirmou que o filho conhecia Evalso. Essas informações foram os pontos iniciais para fazer a conexão entre os dois casos. “As investigações mostraram que os crimes tinham relação com o tráfico internacional de cocaína”, destacou Galeno. O policial civil explica que Evalso e Luana eram intermediários no tráfico de uma carga de 50 quilos de cocaína que seria levada, inicialmente, da Bolívia até o Estado de Mato Grosso. Depois, a droga seria trazida para Belém. No último dia 5, o casal se encontrou com Rayfran, Luís Carlos e Raimundo Fernando, em Belém. Todos juntos seguiram em um carro alugado com destino à cidade de Tailândia, sudeste do Pará, por volta de 11 horas, para se encontrarem com Leandro Kestring para receber a droga. 

Para fazer a viagem, Luís Carlos chamou o comparsa, Osimar Rodrigues, com objetivo de alugar um carro. Por sua vez, Leandro foi contratado como “mula” por Rayfran e outros traficantes de drogas, de Belém, para receber no Estado de Mato Grosso o carregamento com a droga e leva-lo até a Vila Palmares, em Tailândia, onde a droga seria entregue ao casal Evalso e Luana, e aos demais. Raimundo Fernando, o “Gordo”, foi contratado como segurança dos traficantes. Na ocasião, Leandro convidou a amiga Josiane para acompanhá-lo durante a viagem feita no próprio carro dele. Porém, a caminho de Tailândia, por volta de 19 horas, na estrada da Alça Viária, Luís Carlos e os comparsas decidiram matar o casal. Evalso recebeu um tiro na cabeça dado por Luís Carlos. Já Luana foi atingida por dois disparos, mas não morreu porque se fingiu de morta. 

QUADRILHA PRESA. ENTRE ELES, RAYFRAN SALES (VERMELHO)
Depois, os criminosos resolveram abandonar o carro em um ramal perto da Alça Viária, pois o veículo ficou atolado no local. Após a fuga dos criminosos, Luana conseguiu pedir socorro na estrada e foi levada até o Hospital. Rayfran, Raimundo Fernando e Luís Carlos seguiram até Tailândia, onde se encontraram com o Leandro e Josiane. Foi nesse momento que Leandro enviou a mensagem ao pai, pois suspeitava que poderia ser morto. As vítimas foram levadas de carro até um ramal, na zona rural de Tomé-Açu, onde foram alvejados a tiros e depois tiveram os corpos abandonados no local. O carro de Leandro foi queimado. 

O corpo de Leandro, que era conhecido como Lourinho, foi encontrado, no domingo, dia 7, e o de Josiane no dia seguinte. Ambos estavam perto de um igarapé, na zona rural em Tomé-Açu. No dia seguinte, Luís Carlos procurou Osimar para lhe pedir que fizesse uma ocorrência falsa de assalto, alegando que o carro alugado teria sido roubado, o que foi feito por Osimar. Na segunda-feira, Luís Carlos e Rayfran pagaram R$ 260 a Osimar mais R$ 1,5 mil para que ficasse em silêncio, com a promessa de que lhe dariam mais dinheiro. Durante as investigações, Osimar foi chamado para prestar depoimento, no qual reafirmou que o carro alugado, encontrado no ramal da Alça Viária, teria sido roubado no bairro da Pedreira, em Belém. “Desde então, ele passou a figurar como suspeito de envolvimento no crime”, detalhou Claudio Galeno.

PRESO AUTOR DA MORTE DE MOTOTAXISTA POR CAUSA DE DÍVIDAS DA VENDA DE DROGAS

A Polícia Civil prendeu, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, nesta quinta-feira, 20, Carlos Henrique Rocha de Assis, 31 anos, pela autoria da morte do mototaxista Anderson Carlos Ribeiro da Silva, em 29 de abril deste ano, no bairro do Tapanã, em Belém. Conhecido como “Magrão”, o acusado foi preso por uma equipe da Divisão de Homicídios, na rodovia BR-316, bairro do Castanheira, em Belém, enquanto vendia bombons no transporte coletivo de Belém. 


Ele está com mandado de prisão decretado pelo juiz Flávio Sánchez, da Vara de Inquéritos Criminais e Medidas Cautelares, do Tribunal de Justiça do Pará. O delegado Eduardo Rollo, da Divisão de Homicídios, responsável pelas investigações do caso, explicou que o crime se registrou, por volta de 10 horas, na 3ª Rua do Tapanã, por conta de uma dívida envolvendo tráfico de drogas. 

Segundo as investigações, tanto autor quanto vítima eram usuários de drogas, e teriam discutido em via pública. Durante a briga, o acusado desferiu três tiros na vítima. Em depoimento, o acusado confessou o crime. Agora, Carlos Henrique ficará recolhido para responder ao crime na Justiça.

PRESAS MULHERES ENVOLVIDAS EM ESQUEMA DE TRÁFICO DE DROGAS EM MÃE DO RIO

A Polícia Civil flagrou um esquema de tráfico de drogas, em Mãe do Rio, nordeste do Pará, em que três mulheres foram presas em flagrante, com pedras de óxi de cocaína. A droga era transportada pelas acusadas dentro de um táxi, que fazia uma corrida entre as cidades de São Miguel do Guamá e Mãe do Rio. Roseane de Souza Silva, 19 anos; Rosilda Rodrigues da Silva, 20, e Denize Conceição Gama, 19, foram enquadradas por tráfico de entorpecentes, pelo delegado Antonio Carlos Ferreira. De acordo com o delegado Alexandre Broni, titular da Delegacia, a equipe policial do município realizava investigações para apurar denúncias de pontos de tráfico de drogas no bairro do km-2. 


Durante os levantamentos, os policiais civis receberam informações de que três mulheres estariam indo até a cidade de São Miguel do Guamá, para apanhar drogas, em um táxi, para vender na localidade. Assim, a equipe policial ficou na barreira da Polícia Rodoviária Federal, no aguardo da passagem do carro, até que os policiais detiveram as três mulheres. Já na Delegacia, durante revista no veículo e nas suspeitas, pedras de óxi de cocaína foram apreendidas, em meio aos pertences delas e dentro do carro. Ao todo, cerca de 100 gramas da drogas foram encontrados. Uma das presas, Roseane, retirou uma pedra de óxi de 26,5 gramas do meio dos seios. 

No veículo, debaixo do banco dianteiro do passageiro, foi encontrado um saco com um pote de sorvete que era conduzido por Rosilda. Ao abri-lo, havia duas pedras, uma grande de 25,3 gramas e a outra menor de 6,2 gramas da drogas. Na parte traseira do táxi, próximo de onde a outra acusada, Denize, havia sentado, foi encontrada uma pedra de óxi de 24,5g. Também, em poder delas, os policiais civis apreenderam um caderno com vários nomes associados a valores, supostamente, dívidas com usuários de drogas. O taxista que conduzia o carro foi ouvido como testemunha, pois não ficou comprovado o envolvido dele no esquema. As três mulheres estão presas à disposição da Justiça. A droga apreendida foi encaminhada para perícia.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

POLÍCIA CIVIL E HEMOPA SE UNEM PARA RECEBER DOAÇÕES DE SANGUE

A Polícia Civil e o Hemopa (Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará) se uniram, nesta quinta-feira, 20, em uma corrente solidária em prol da doação voluntária de sangue. Profissionais da Fundação estiveram durante todo o dia na Delegacia-Geral fazendo coleta de sangue de doadores que fazem parte da corporação policial. A ação é alusiva ao Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, celebrado em 25 de novembro, com objetivo de orientar e incentivar a participação da sociedade nesse ato de solidariedade. 

Nas fotos, secretário Claudio Lima (1); Doações (2); ônibus do Hemopa (3) e Primeira Identidade de Maria Clara (4)
DOAÇÕES DE SANGUE E EMISSÕES DE CARTEIRAS DE IDENTIDADE
O investigador Luiz Monteiro Junior, titular da Assessoria de Relações Interinstitucionais (ARIN), da Polícia Civil, detalha que a mesma ação será realizada no próximo dia 29, na sede do Hemopa, no bairro de Batista Campos, de 8 horas da manhã às 14 horas. Além da doação de sangue, familiares de doadores contaram com a emissão gratuita de carteiras de identidade. Foi o caso da pequena Maria Clara que vai ter sua primeira carteira de identidade. 


Durante a ação, o ônibus do Hemopa ficou estacionado em frente à Delegacia-Geral para chamar a atenção do público para a campanha. Foi o caso de um grupo formado por 16 pessoas da congregação Fraternidade Missionária “O Caminho”, que compareceram à sede da Polícia Civil, para fazer a doação coletiva de sangue. Entre os servidores públicos, que doaram de sangue, esteve o secretário adjunto de Gestão Administrativa da Secretaria de Segurança Pública do Pará, Cláudio Lima. 

Para ele, o ato de fazer a doação de sangue, além de uma forma de abastecer o banco de sangue do Hemopa para ajudar a quem precisa de sangue nos hospitais, é um gesto de solidariedade humano. “Doar sangue é muito bom”, destaca. A campanha sensibilizou diversos servidores públicos, entre policiais civis e militares, e funcionários administrativos, que compareceram e ocuparam o espaço disponibilizado para a doação de sangue. Aqueles que vieram doar sangue pela primeira vez, explica Junior, passaram por uma avaliação médica preliminar, para verificar se estavam aptos à doação. O objetivo da campanha é garantir o estoque de sangue adequado ao atendimento dos pacientes da rede hospitalar.

POLÍCIA CIVIL APRESENTA AUTOR DA MORTE DE EX-NAMORADA EM ANANINDEUA. CRIME FOI PASSIONAL

A Polícia Civil apresentou, na manhã desta quinta-feira, 20, na sede da Divisão de Homicídios, o preso Fabio Junior Nunes Lobo, 33 anos, autor da morte da ex-namorada Yasmim Jessica de Jesus Ferreira, 22. Mototaxista de profissão, ele foi preso, na noite de ontem, por uma guarnição da Polícia Militar, em uma barreira de fiscalização, na saída no município de Salinópolis, nordeste paraense. Após ser preso, ele foi conduzido, inicialmente, à Delegacia de Salinópolis, e depois transferido para Belém, para ser ouvido em depoimento pela delegada Cristina Esteves, que preside o inquérito da morte de Yasmim. Fábio Lobo confessou o crime, alegando que matou a vítima a facadas motivado por ciúmes. Ele foi autuado em flagrante por homicídio doloso.

Conforme a delegada Cristina Esteves, a equipe da Divisão de Homicídios já tinha informações de que ele estaria em Salinópolis. A informação foi compartilhada com a equipe da Delegacia local, sob comando da delegada Priscilla Naiatte, e com a PM, que passou a fazer barreiras na entrada da cidade para tentar deter o acusado. Após diversas abordagens na estrada, os policiais militares abordaram o carro onde estava Fábio Junior e o irmão dele, que conduzia o veículo. De imediato, Fábio Junior foi levado para a Delegacia de Salinópolis, onde permaneceu por pouco mais de uma hora, até ser conduzido para Capanema, de onde foi transferido para Belém, por uma equipe de policiais civis do Grupo de Pronto-Emprego (GPE).


Em depoimento, o acusado confessou o crime, alegando que perdeu a cabeça, enquanto conversava com a ex-namorada no quarto da casa da avó dela, onde a vítima estava morando atualmente. Ele relatou que conviveu com Yasmim durante três anos, que por conta de ciúmes, estava separado dela há dez dias. Disse que teria descoberto o envolvimento amoroso da vítima com um amigo em comum do casal, que seria conhecido de uma academia de ginástica, situada na Cidade Nova. O local era frequentado pela vítima e pelo acusado. 

O acusado revelou ainda que, na segunda-feira passada, resolveu procurá-la para conversar. Para tanto, afirmou ter ido à casa da avô da vítima e ali ficou esperando a vítima chegar para entrar na casa. Ele admitiu que foi ao local armado com uma faca, alegando que apenas estava com o objeto para "talvez se defender". Disse que, durante a conversa, acabou por perder a cabeça e matou a jovem. Após ser autuado pelo crime de homicídio doloso, ele ficará recolhido para responder pelo crime na Justiça.

Yasmim Jessica Ferreira, 22 anos, foi morta no início da tarde da última segunda-feira (17), na casa da avó da vítima, localizada na travessa WE-88, bairro Cidade Nova 6. O acusado declinou que, após o crime, fugiu de Ananindeua, usando a própria moto, e tentou ficar na casa de um familiar, que mora em Santa Luzia do Pará, mas não conseguiu. Depois, seguiu até Salinópolis, onde ficou hospedado na casa de um conhecido, até decidir junto com o irmão, que retornaria para Ananindeua, onde procuraria o pai. 

SUSPEITO DE MATAR A EX-NAMORADA ADMITE AUTORIA DO CRIME E ALEGA QUE AGIU POR CIÚMES

Fábio Junior Nunes Lobo, acusado de matar a ex-namorada, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, foi transferido para a capital paraense, durante a noite de ontem, por policiais civis do Grupo de Pronto-Emprego (GPE). Ele é suspeito de assassinar Yasmin Jessica Ferreira, 22 anos, no início da tarde da última segunda-feira (17), na casa da avó da vítima, localizada na travessa WE-88, bairro Cidade Nova 6. Ele foi detido, enquanto estava de carona em um carro emprestado por um amigo. O irmão do acusado era quem dirigia o veículo. 


Segundo a delegada Priscilla Naiatte, titular da Delegacia de Salinópolis, as Polícias Civil e Militar tinham informações de que o suspeito estaria no município e desde então passaram a fazer barreiras de fiscalização no trânsito para tentar localizá-lo. Até que, em uma abordagem no trânsito, os policiais militares abordaram o carro em que estava o acusado, em uma via da cidade. De imediato, Fábio Junior foi levado para a Delegacia de Salinópolis, onde permaneceu por pouco mais de uma hora. 

VÍTIMA
Conforme a policial civil, o acusado declinou que, após o crime, tentou guarita na casa de um familiar, que mora em Santa Luzia do Pará, mas não conseguiu. Depois, seguiu até Salinópolis, onde ficou hospedado na casa de um conhecido, até decidir junto com o irmão, que retornaria para Ananindeua, para se hospedar na casa do pai. Ele foi abordado no momento em que retornaria para Ananindeua. Por medidas de segurança, ele foi conduzido por policiais civis de Salinópolis, até Capanema, onde uma equipe do GPE já aguardava para fazer a transferência para a capital. 

Aos policiais, o suspeito chegou a admitir o crime, mas alegou que desferiu cinco golpes de faca e não 16 como noticiado. Disse ainda que matou a vítima por ciúmes, pois teria "sonhado" que a ex-namorada estaria lhe traindo. Ele disse que teria visto a vitima sair de uma academia de ginástica, em Ananindeua, em um carro com um homem, o que o motivou a cometer o crime, pois não aceitava o fim do relacionamento. O preso ficou de ser ouvido formalmente em depoimento pela delegada Cristina Esteves, da Divisão de Homicídios, em Belém. Um pronunciamento oficial ficou de ser dado pela unidade policial ainda durante a manhã.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

POLÍCIA MILITAR DETÉM EM SALINÓPOLIS ACUSADO DE MATAR A EX-NAMORADA EM ANANINDEUA

A Polícia Militar prendeu, nesta noite, em Salinópolis, nordeste paraense, o mototaxista Fábio Junior Nunes Lobo, acusado de matar com 16 facadas a ex-namorada Yasmin Jessica Ferreira, 22 anos. Ele foi abordado em uma barreira de fiscalização de trânsito da Polícia Militar. O crime aconteceu na última segunda-feira (17) na residência da avó de Yasmin, localizada na travessa WE-88, na Cidade Nova 6, em Ananindeua, região metropolitana de Belém. Após a prisão, o acusado foi conduzido de Salinópolis para Belém, para ser apresentado na Divisão de Homicídios, onde ficou de ser ouvido em depoimento. 

ACUSADO
Segundo vizinhos, o ex-namorado chegou acompanhado da vítima, por volta das 11 horas, uma hora depois deixou o local sozinho. Ninguém ouviu nada ou percebeu alguma atitude suspeita do acusado. Por volta das 16h, quando retornava do trabalho, a avó da jovem percebeu que o cadeado que estava no portão da casa não era o mesmo usado pela família. A residência estava fechada. Ao entrar no local, a avó se deparou com o corpo da neta no próprio quarto. A jovem morava sozinha com a avó. Após o abalo emocional, a idosa foi retirada do local por outros familiares. 

Uma equipe de investigadores da Seccional Urbana da Cidade Nova foi a primeira a chegar ao local do crime. Segundo o chefe de Operações Carlos Moreira, a identificação de Fabio Junior Nunes Lobo ocorreu logo após a localização do corpo. Vizinhos revelaram à polícia que testemunharam a vítima na companhia do ex-namorado. Depois de entrar em casa na companhia do rapaz, ela não teria mais sido vista pelos moradores. 

Polícia caça suspeito de matar namorada a facadas (Foto: Divulgação)
ACUSADO COM A VÍTIMA
"Fomos até a casa dele, localizada no bairro do Paar, mas ele não estava mais no local e tinha levado todas as suas roupas. Entretanto, encontramos uma roupa suja de sangue na casa", explica. E esse é o principal indício que tornou o ex-namorado como o principal suspeito do crime. O investigador Rubens Ferreira afirma que a informação recebida pelos policiais foi de que a vítima terminou o relacionado com Fabio Junior. O ciúme seria o principal motivo da separação. Após tentativas de reconciliação, o suspeito matou Yasmim.

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR CAPTURAM ENVOLVIDO EM DIVERSOS CRIMES EM ACARÁ

As Polícias Civil e Militar capturaram, nesta quarta-feira, 19, em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça, um dos criminosos mais temidos e procurados de Acará, nordeste paraense. Daniel Almeida da Silva, conhecido pelo apelido de “Anhanga, é acusado de envolvimento em roubos, furtos, homicídios e latrocínios – roubos seguido de morte – na localidade de Ramal da Mariquita, zona rural do município. 

PRESO
A prisão dele foi efetuada após investigação realizada pela equipe policial de Acará sob comando do delegado Nelson Canito Pimentel Júnior, com apoio do investigador Elias da Silva Pena e de uma guarnição da Polícia Militar local. Daniel Almeida, ressalta o delegado, já era investigado por diversos crimes cometidos na região. 

Os delitos que eram cometidos deixaram muitos moradores na região temerosos, detalha o policial civil, chegando ao ponto de alguns deles se mudarem da localidade. Ainda, segundo o delegado, Daniel era responsável por grande parte dos crimes registrados na localidade. “Com a prisão dele, os moradores agora passam a conviver com maior sensação de segurança”, assevera. O acusado está recolhido à disposição da Justiça.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

POLÍCIAS CIVIL E MILITAR CAPTURAM AUTOR DE ROUBO DE CELULAR EM MAGALHÃES BARATA

As Polícias Civil e Militar prenderam em flagrante na última segunda-feira, 17, Hugo Patrick Silva Barbosa, acusado de roubar um celular na praça Paulino de Freitas, no município de Magalhães Barata, nordeste paraense. O preso já responde por porte ilegal de arma de fogo, furto qualificado e lesão corporal. 

PRESO
A Polícia Civil também investiga o envolvimento de Hugo Patrick em um suposto sequestro e tentativa de estupro. Após a lavratura do flagrante, o acusado foi encaminhado para a carceragem da delegacia do município e já está à disposição da justiça.

PRESO ACUSADO DE ENVOLVIMENTO EM ESQUEMA DE ROUBO E VENDA DE CARROS ROUBADOS NO OESTE DO PARÁ

As Polícias Civil e Militar da cidade de Juruti, na região do Baixo Amazonas, deflagraram na última segunda-feira, 17, a operação "Eclipse", que resultou na prisão de Weverson Menezes Martins, conhecido como "Gauchinho". Ele é apontado como chefe de uma associação criminosa responsável por roubos de carros e motos em Manaus, no Estado do Amazonas, para revenda em Juruti e Santarém, oeste do Pará. 

PRESO
As equipes de inteligência das duas Polícias vêm investigando há quatro meses o esquema, segundo explica o delegado Arthur Nobre, titular da Delegacia de Juruti. Weverton Martins vai responder pelos crimes de receptação de veículo roubado e lavagem de capitais. O acusado já responde em mais de quatro inquéritos policiais diferentes. As investigações da operação Eclipse irão continuar para prender outras pessoas possivelmente envolvidas no esquema.